ABATE E PROCESSAMENTO DE - EM PROJETOS ASSOCIATIVOS ... (integrao), produo de rao, abate, processamento e comercializao, para um abate dirio de 500, 1.600, ...

  • Published on
    10-Feb-2018

  • View
    216

  • Download
    3

Embed Size (px)

Transcript

  • ABATE E

    PROCESSAMENTO DE

    AVES EM PROJETOS

    ASSOCIATIVOS

    ABATE E PROCESSAMENTO DE AVESEM PROJETOS ASSOCIATIVOS

    Aspectos Gerais

    Caractersticas tcnicas, econmicas e dimensionamentodo sistema organizacional

    As pequenas propriedades podem facilmente se capacitar para produzir comeficincia, porm as mesmas no poderiam abater, processar e comercializarseus produtos de maneira isolada, devido s dificuldades na escala deproduo, manuteno da qualidade do produto, competncia comercial,competitividade, etc. O sistema de organizao mais adequado para venceresses problemas envolve uma relao de parceria entre os segmentos deproduo, industrializao e comercializao, visando a distribuioeqitativa do retorno econmico gerado pelo sistema.

    O sistema de organizao recomendado para a produo associativa deve seenquadrar no perfil das pequenas e mdias propriedades e (ou) propriedadesfamiliares, porm, no se pode perder de vista que a produo, dentro dasrestries impostas pelo mercado, deve-se utilizar de tecnologias apropriadaspara gerar um produto com as caractersticas demandadas pelo consumidor,principalmente as de segurana alimentar e de bem estar social e animal.

    Do ponto de vista de mercado, a escala de produo depende da expectativade demanda, que est em funo do tipo de mercado (grandes redes, varejo,etc.) E da rea de abrangncia de comercializao (regional, estadual,nacional, internacional). Com relao empresa, alm de considerar ademanda, a escala de produo depende da capacidade de investimento,expectativa de retorno econmico e do portiflio de produtos a seremoferecidos.

    A ttulo de exemplo, simulou -se neste documento um projeto de produo defrangos coloniais, contemplando os segmentos de produo de frango(integrao), produo de rao, abate, processamento e comercializao,para um abate dirio de 500, 1.600, 4.000 e 8.000 aves/dia e 22 diasteis/ms.

    Os parmetros tcnicos e econmicos do sistema organizacional e dosmdulos so apresentados na Tabela 1. A unidade produtiva, para efeito desimulao, que denominaremos de Mdulo, ser responsvel pelofornecimento a cada ciclo de 500 aves para o abate. Os mdulos podemapresentar tamanhos diferentes deste proposto, como tambm, aspropriedades podero implantar um nmero varivel de mdulos,dependendo da escala do sistema, da capacidade de investimento e do custooperacional do sistema.

    Para efeito de simulao, considerou-se um sistema de integrao, onde acooperativa dos produtores fornece todos os insumos necessrios para aproduo do frango e remunera o produtor pela produo e produtividade. Aremunerao decorrente da utilizao e (ou) comercializao dos insumos eresduos, interna e externamente ao sistema, e a distribuio dos resultados

    Elaborado por:

    Gilberto S. SchmidtJacir Albino

    Empresa Brasileira de Pesquisa AgropecuriaEmbrapa Sunos e Aves

    Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento

    Caixa Postal 21, 89.700-000, Concrdia, SCTelefone (49) 4428555, Fax (49) 4428559

    http://www.cnpsa.embrapa.brsac@cnpsa.embrapa.br

    Ministrio da Agricultura,

    Pecuria e Abastecimento

    Data: Dezembro de 2004Tiragem: 100

    Abatedouro para 500 aves/horaPropriedade Brusinox

    A planta est fora de escala

    10

    DE

    SC

    AS

    CA

    DO

    RA

    S D

    E M

    OE

    LA

    S20

    CO

    MP

    ES

    SO

    R R

    AD

    IAL

    30

    LA

    VA

    - B

    OTA

    S

    9E

    XT

    RA

    TO

    R D

    E P

    ULM

    E

    S19

    BA

    LA

    N

    A29

    PA

    LE

    TE

    8M

    ES

    A D

    E E

    VIS

    CE

    RA

    O18

    GR

    AM

    PE

    AD

    EIR

    A28

    CA

    RR

    INH

    O P

    ALE

    TE

    IRO

    7LA

    VA

    DO

    R D

    E G

    AN

    CH

    OS

    17

    FU

    NIL

    DE

    EM

    BA

    LA

    GE

    M27

    PIA

    DE

    03 D

    UC

    HA

    S

    6N

    R

    IA D

    E E

    VIS

    CE

    RA

    O16

    ME

    SA

    DE

    MB

    ALA

    GE

    M26

    ES

    TE

    RE

    LIZ

    AD

    OR

    5D

    EP

    EN

    AD

    EIR

    A15

    N

    RIA

    S D

    E G

    OT

    EJA

    ME

    NT

    O25

    N

    RIA

    DE

    CO

    ND

    EN

    AD

    OS

    35

    CO

    RTA

    PA

    TAS

    4E

    SC

    ALD

    AD

    EIR

    A14

    ME

    SA

    PA

    RA

    LIM

    PE

    SA

    DE

    MI

    DO

    S24

    T

    NE

    L D

    E R

    EC

    OLH

    IME

    NT

    O34

    PIA

    DE

    01 D

    UC

    HA

    3T

    RA

    NS

    PO

    RTA

    DO

    R D

    E R

    OLE

    TE

    RS

    LIV

    RE

    S13

    CH

    ILLE

    R23

    CO

    NE

    DE

    DE

    SO

    SS

    A33

    ME

    SA

    PA

    RA

    RE

    CE

    P

    O

    DE

    FR

    AN

    GO

    S

    2N

    R

    IA D

    E S

    AN

    GR

    IA12

    PR

    -

    CH

    ILLE

    R22

    RE

    TALH

    AD

    OR

    A D

    E A

    VE

    S32

    DE

    PE

    LA

    DE

    IRA

    DE

    P

    S

    1A

    TO

    RD

    OA

    DO

    R11

    TAN

    QU

    E 1

    /2 L

    UA

    - R

    ES

    FR

    IAD

    OR

    DE

    MI

    DO

    S21

    ME

    SA

    DE

    CO

    RT

    ES

    31

    ES

    CA

    LD

    AD

    EIR

    AS

    DE

    P

    S

    Reviso Tcnica:

    Ccero J. MonticelliElsio A. P. de Figueiredo

    Sunos e Aves

  • finais da operao entre os integrantes, no ser considerada nestedocumento. Como resultado principal, tem - se o baixo investimento inicial e ataxa de retorno ao produtor, que pode ser ampliada, considerando que oresultado final pode ser utilizado como premiao ao desempenho,necessitando, porm, o estabelecimento de indicadores de produo eprodutividade.

    Tabela 1: Parmetros tcnicos e econmicos do sistema organizacional e

    Elaborao do projeto

    Os projetos de produo integrada, para abate e comercializao, devem serconcebidos em conjunto com os produtores interessados, sob a orientao deprofissionais. As Prefeituras Municipais devem participar na concepo doprojeto e na oferta de Servios Pblicos para viabilizar o empreendimento,principalmente na assistncia tcnica e inspeo municipal (que garantir aqualidade sanitria do produto). O selo de produto alternativo deve serescolhido antes da elaborao do projeto.

    Na elaborao do projeto deve-se considerar as exigncias de mercado que,aliada qualidade do produto e preo, exige volume e freqncia deabastecimento. Portanto, a logstica de transporte e distribuio um fator aser considerado na determinao da escala de produo.

    No abate e processamento de carcaas de aves esto includas atividades decontrole desenvolvidas dentro do abatedouro, desde o momento em que asaves chegam plataforma de recepo, at a obteno do produto final. Umacadeia ininterrupta de medidas higinicos-sanitrias, de segurana dosalimentos e de frio, assegura o controle de microrganismos patognicos.

    Independentemente do volume de abate, os pr-requisitos bsicos para amanuteno da qualidade do produto e preservao do meio ambiente devemser atendidos. As plantas de abate, processamento, armazenamento etratamento de efluentes devem ser submetidas aos rgos competentes, sejameles municipal, estadual ou federal. Aparentemente esse o maior gargalo para aproduo de produtos alternativos, pois exige altos investimentos, bem comoescala de produo.

    Os abatedouros devem, preferencialmente, ser exclusivos para este tipo deabate ou, quando isso no for possvel, estabelecer turnos especficos, sobcontrole do sistema de inspeo, com identificao dos lotes produzidos, at aembalagem final. Antes do inicio do abate, devem ser realizados osprocedimentos de limpeza e desinfeco para eliminar resduos de substnciasproibidas, como, por exemplo, troca de gua de escaldadeira, pr-chiller e chiller.

    Vrias empresas comercializam equipamentos para atender a demanda depequenos abatedouros. Para o abate de 200 aves/dia, por exemplo, pode-seutilizar de equipamentos manuais, tais como sangria, escaldadeira, depenadeirarotativa, calha de eviscerao, chiller de resfriamento, mesas de corte eembalagem, etc. O congelamento e estocagem realizado atravs de freezersou pequenas cmaras frias. Essa estrutura normalmente recebe inspeomunicipal e tem por objetivo atender ao municpio onde foi instalada.

    Embora se verifique o aparecimento de vrias plantas de abate dessa natureza,deve-se ressaltar que existem dificuldades para garantir a qualidade do produto euma escala de produo adequada.

    A implantao de um abatedouro com a capacidade de abate entre 500aves/hora e 1.000 aves/dia, onde vrias etapas do processo podem serautomatizadas, possibilita atender no s a expectativa do mercado e doconsumidor, atravs de preo, escala de produo e qualidade do produto, mas,tambm, do produtor, em termos de retorno econmico. Seria adequada a buscapela Inspeo Federal, que possibilita maior abrangncia de comercializao. Nocaso de no se conseguir a Inspeo Federal, optar pela Inspeo Estadual.

    O rendimento de abate difere entre as diversas linhagens disponveis nomercado, sendo que a escolha depende da estratgia de definio dos produtosa serem comercializados e dos ndices de eficincia, considerando os aspectosde produo e abate.

    Do ponto de vista de abate, o rendimento est relacionado com a estrutura eeficincia da planta, do manejo nas diversas etapas do processo e da estratgiade comercializao, isto , na relao inteiro/corte. O rendimento mdio oscilaentre 72% a 82%, sem considerar absoro de gua ou incluso de tempero.

    Com base em informaes obtidas diariamente possvel estimar a produomdia dos produtos e resduos gerados a partir de um determinado volume deaves abatidas. Conforme esquematizado no fluxograma seguinte:

    ndices gerais84

    10

    94

    2,97

    Parmetros econmicos e zootcnicosAves abatidas/dia

    1600 4000 8000 500

    37.447 93.617 187.234 11.702

    104.851 262.128 524.255 32.766

    300,80 752,00 1504 470

    N de frangos disp. para abate dia 1600 4000 8000 500

    4 10 20 1,25

    Necessidade mensal de rao (ton.) 261 653 1.307 82

    Necessidade de insumos (ton./ms rao)

    169,884 424,710 849,420 53,089

    78,408 196,020 392,040 24,503

    Idade de abate/dias

    Vazio sanitrio/dias

    Viabilidade

    Converso alimentar (CA)

    Varivel

    Pintos alojados/ms

    Plantel total campo

    Nmero de mdulos

    Frango abatido/dia (ton.)

    Energtico

    Protico

    vsc. Com.

    moela

    fgado

    corao

    resduo

    rec. carne

    peito int.

    osso

    carne

    quebra des.

    pele

    com.

    vscerasvsc. no

    moela

    resduo

    gord. abdom

    resduo

    rec. carne

    sobrecoxa

    cabea +

    pescoo

    carcaa

    eviscerada

    ps

    dorso perna int.

    coxa

    carne

    rec. carne

    osso

    res. osso

    pele

    osso

    carne

    pele

    asa

    totalcarc. e visc.

    sanguepena e

    FRANGO VIVO

    Principais Produtos

    ------

    Frango inteiroFrango temperadoMeio frangoBandeja de partes uniformes (coxa, sobrecoxa, peito,carcaa, moela)Frango passarinhoFrango recheado

    Os projetos de abatedouros anexados a seguir, visam atender um volume deabate pr-definido para, 500 aves/hora e 1000 aves/dia. Como j sugerido,entretanto, prudente que tais projetos sejam submetidos apreciao dosrgos de Fiscalizao competentes na regio.

    Maiores informaes sobre abate e processamento de aves podem serconsultadas na pgina da Embrapa Sunos e Aves pela publicao abaixo:

    Circular Tcnica n 34 - Abate, Processamento e Embalagem de AvesAlternativas disponvel em:Http://www.cnpsa.embrapa.br/?publicacoes/cirtec/cit34.pdf

    Abatedouro para 1000 aves/diaPropriedade BrusinoxA planta est fora de escala

    A

    A1

    0D

    ES

    CA

    SC

    AD

    OR

    A D

    E M

    OE

    LA

    S2

    0C

    OM

    PR

    ES

    SO

    R R

    AD

    IAL

    30

    LA

    VA

    -BO

    TAS

    9E

    XT

    RA

    TO

    R D

    E P

    UL

    M

    ES

    19

    BA

    LA

    N

    A2

    9P

    AL

    ET

    E

    8M

    ES

    A D

    E E

    VIS

    CE

    RA

    O1

    8G

    RA

    MP

    EA

    DE

    IRA

    28

    CA

    RR

    INH

    O P

    AL

    ET

    EIR

    O

    7L

    AV

    AD

    OR

    DE

    GA

    NC

    HO

    S1

    7F

    UN

    IL D

    E E

    MB

    AL

    AG

    EM

    27

    PIA

    - 03

    DU

    CH

    AS

    6N

    R

    IA D

    E E

    VIS

    CE

    RA

    O1

    6M

    ES

    A D

    E E

    MB

    AL

    AG

    EM

    26

    ES

    TE

    RE

    LIZ

    AD

    OR

    5D

    ES

    PE

    NA

    DE

    IRA

    MA

    NU

    AL

    15

    ME

    SA

    DE

    GO

    TE

    JAM

    EN

    TO

    25

    N

    RIA

    DE

    CO

    ND

    EN

    AD

    OS

    4E

    SC

    AL

    DA

    DE

    IRA

    14

    ME

    SA

    PA

    RA

    RE

    CE

    P

    O

    DE

    FR

    AN

    GO

    S2

    4TA

    NQ

    UE

    DE

    V

    CU

    O

    3T

    RA

    NS

    PO

    RTA

    DO

    R D

    E R

    OL

    ET

    ES

    LIV

    RE

    S1

    3M

    ES

    A P

    AR

    A L

    IMP

    EZ

    A D

    E M

    ID

    OS

    23

    CO

    NE

    DE

    DE

    SO

    SS

    A

    2N

    R

    IA D

    E S

    AN

    GR

    IA1

    2TA

    NQ

    UE

    RE

    SF

    RIA

    SD

    OR

    DE

    CA

    RC

    A

    A2

    2R

    ETA

    LH

    AD

    OR

    A D

    E A

    VE

    S

    1A

    TO

    RD

    OA

    DO

    R11

    TAN

    QU

    E 1

    /2 L

    UA

    - RE

    SF

    RIA

    DO

    R D

    E M

    ID

    OS

    21

    ME

    SA

    DE

    CO

    RT

    ES

    31

    PIA

    - 01

    DU

    CH

    A

Recommended

View more >