Apostila de Estatística Básica

  • View
    246

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Estatística básica para Concursos Públicos

Text of Apostila de Estatística Básica

  • 1

    Estatstica

    Professor Alberto Thomaz

  • 2

    1 AULA

    NORMAS PARA APRESENTAO TABULAR DOS DADOS

    INTRODUO

    A apresentao tabular uma apresentao numrica dos dados. Consiste em dispor os dados

    em linhas e colunas distribudos de modo ordenado, segundo algumas regras prticas ditadas

    pelo Conselho /nacional de Estatstica e pelo IBGE. Tais regras acham-se publicadas e dispem

    sobre os elementos essenciais e complementares da tabela, a especificao dos dados e dos

    sinais convencionais, o procedimento correto a ser desenvolvido no preenchimento da tabela

    e outros dispositivos importantes.

    As tabelas tem a vantagem de conseguir expor, sinteticamente e em um s local, os resultados

    sobre determinado assunto, de modo a se obter uma viso global mais rpida daquilo que se

    pretende analisar.

    Reunindo, pois os valores em tabelas compactas, consegue-se apresent-los e descrever-lhes a

    variao mais eficientemente. Essa condensao de valores permite ainda a utilizao de

    representao grfica, que normalmente representa uma forma mais til elegante de

    apresentao da caracterstica analisada.

    Captulo 3 - Sries Estatsticas

    Um dos objetivos da Estatstica sintetizar os valores que uma ou mais variveis podem

    assumir, para que se tenha uma viso global dessa ou dessas variveis. Isto possvel

    apresentando esses valores em tabelas e grficos, que iro fornecer rpidas e seguras

    informaes a respeito das variveis em estudo, permitindo determinaes mais coerentes.

    TABELA um quadro que resume um conjunto de observaes.

    Como construir uma tabela que fornea informaes de forma precisa e correta:

    1 passo: Comear pelo ttulo, que explica o contedo da tabela.

    2 passo: Fazer o corpo da tabela, composto pelos nmeros e informaes que ela contm.

    formado por linhas e colunas.

    Para compor o corpo da tabela, necessrio:

    1. O cabealho, que indica o que a coluna contm. Deve estar entre traos horizontais,

    para melhor vizualizao.

    2. A coluna indicadora, que diz o que a linha contm

  • 3

    3. 3 passo: Escrever o total (as tabelas podem apresentar um total ou no). Aparece

    entre traos horizontais.

    4. 4 passo: Coloque a fonte. Deve entrar no rodap, sendo obrigatria.

    5. Uma tabela compem-se de:

    6. Tabela 3.1

    7. Produo de Caf

    8. Brasil - 1978-1983

    9. Fonte:Fictcia

    10. Nota:Produo destinada para o consumo interno

    11. (1) Parte exportada para a Argentina

    3 passo: Escrever o total (as tabelas podem apresentar um total ou no). Aparece entre traos

    horizontais.

    4 passo: Coloque a fonte. Deve entrar no rodap, sendo obrigatria.

    Uma tabela compem-se de:

    Tabela 3.1

    Produo de Caf

    Brasil - 1978-1983

    Fonte:Fictcia

    Nota:Produo destinada para o consumo interno

    (1) Parte exportada para a Argentina

    Rodap: fonte, chamadas e notas

    Notas: usada para conceituao ou esclarecimento em geral.

    Chamadas: usada para esclarecer certas mincias em relao a casas, linhas e colunas.

    De acordo com a Resoluo 886 da Fundao IBGE, nas casas ou clulas, devemos colocar:

    - um trao horizontal (___) quando o valor zero, no s quanto a natureza das coisas, como

    quanto ao resultado do inqurito;

  • 4

    - trs pontos (...) quando no temos os dados;

    - um ponto de interrogao ( ? ) quando temos dvida quanto a exatido de determinado

    valor;

    - zero ( 0 ) quando o valor muito pequeno para ser expresso pela unidade utilizada. Se os

    valores so expressos em numerais decimais, precisamos acrescentar a parte decimal um

    nmero correspondente de zeros (0,0; 0,00; 0,00; ...).

    Denomina-se SRIE ESTATSTICA toda tabela que apresenta a distribuio de um conjunto de

    dados estatsticos em funo da POCA, do LOCAL, ou da ESPCIE (fenmeno).

    Numa srie estatstica observa-se a existncia de trs elementos ou fatores: o TEMPO, o

    ESPAO e a ESPCIE.

    Conforme varie um desses elementos, a srie estatstica classifica-se em TEMPORAL,

    GEOGRFICA e ESPECFICA.

    SRIE TEMPORAL, HISTRICA OU CRONOLGICA

    a srie cujos dados esto em correspondncia com o tempo, ou seja, variam com o tempo.

    Tabela 3.2

    Produo Brasileira de Trigo

    1988-1993

    Fonte: IBGE

    Nota: Produo voltada para o consumo interno.

    (1) Parte da produo exportada.

    . Elemento varivel: tempo (fator cronolgico)

    . Elemento fixo: local (fator geogrfico) e o fenmeno (espcie)

  • 5

    SRIE GEOGRFICA, TERRITORIAL OU DE LOCALIDADE

    a srie cujos dados esto em correspondncia com a regio geogrfica, ou seja, o elemento

    varivel o fator geogrfico (a regio).

    Tabela 3.3

    Produo Brasileira de Trigo, por Unidade da Federao - 1994

    Fonte: Fictcia

    . Elemento varivel: localidade (fator geogrfico)

    . Elemento fixo: tempo e o fenmeno

    SRIE ESPECFICA OU CATEGRICA

    a srie cujos dados esto em correspondncia com a espcie, ou seja, variam com o

    fenmeno.

    Tabela 3.4

    Rebanhos Brasileiros

    Fonte: IBGE

    . Elemento varivel: fenmeno (espcie)

    . Elemento fixo: local e o tempo

  • 6

    SRIES MISTAS

    As combinaes entre as sries anteriores constituem novas sries que so denominadas

    sries compostas ou mistas e so apresentadas em tabelas de dupla entrada.

    Tabela 3.5

    Exportao Brasileira de alguns produtos agrcolas - 1990 - 1992

    Fonte: Ministrio da Agricultura

    Nota: Produtos mais exportados no perodo.

    Este exemplo se constitui numa Srie Temporal-Especfica

    . Elemento varivel: tempo e a espcie

    . Elemento fixo: local

    Obs: uma tabela nem sempre representa uma srie estatstica, pode ser um aglomerado de

    informaes teis sobre certo assunto.

    Tabela 3.6

    Situao dos espetculos cinematogrficos no Brasil - 1967

    Fonte: Anurio Estatstico do Brasil - IBGE

    OBSERVAO:

    SRIE HOMGRADA

    A Srie homgrada aquela em que a varivel descrita apresenta variao discreta ou

    descontnua. So sries homgradas a srie temporal, a geogrfica e a especfica.

  • 7

    SRIE HETERGRADA

    A srie hetergrada aquela na qual o fenmeno ou fato apresenta gradaes ou subdivises.

    Embora fixo, o fenmeno varia em intensidade. A distribuio de freqncias ou seriao

    uma srie hetergrada.

    REPRESENTAO GRFICA

    INTRODUO

    A Estatstica Descritiva pode descrever os dados atravs de grficos.

    A apresentao grfica um complemento importante da apresentao tabular. A vantagem

    de um grfico sobre a tabela est em possibilitar uma rpida impresso visual da distribuio

    dos valores ou das freqncias observadas. Os grficos propiciam uma idia inicial mais

    satisfatria da concentrao e disperso dos valores, uma vez que atravs deles os dados

    estatsticos se apresentam em termos de grandezas visualmente interpretveis.

    REQUISITOS FUNDAMENTAIS EM UM GRFICO:

    a. Simplicidade: possibilitar a anlise rpida do fenmeno observado. Deve conter apenas o

    essencial.

    b. Clareza: possibilitar a leitura e interpretaes correta dos valores do fenmeno.

    c. Veracidade: deve expressar a verdade sobre o fenmeno observado.

    TIPOS DE GRFICOS QUANTO A FORMA:

    a. Diagramas: grficos geomtricos dispostos em duas dimenses. So mais usados na

    representao de sries estatsticas.

    b. Cartogramas: a representao sobre uma carta geogrfica, sendo muito usado na

    Geografia, Histria e Demografia.

    c. Estereogramas: representam volumes e so apresentados em trs dimenses.

    d. Pictogramas: a representao grfica consta de figuras representativas do fenmeno.

    Desperta logo a ateno do pblico.

    CLASSIFICAO DOS GRFICOS QUANTO AO OBJETIVO

    a. Grficos de informao

  • 8

    O objetivo proporcionar uma visualizao rpida e clara da intensidade das categorias ou dos

    valores relativos ao fenmeno. So grficos tipicamente expositivos, devendo ser o mais

    completo possvel, dispensando comentrios explicativos.

    CARACTERSTICAS:

    - deve conter ttulo em letra de forma;

    - as legendas podem ser omitidas, desde que as informaes presentes possibilite a

    interpretao do grfico.

    b. Grficos de anlise

    Estes grficos fornecem informaes importantes na fase de anlise dos dados, sendo tambm

    informativos.

    Os grficos de anlise, geralmente, vm acompanhado de uma tabela e um texto onde se

    destaca os pontos principais revelados pelo grfico ou pela tabela.

  • 9

    2 AULA

    PRINCIPAIS TIPOS DE GRFICOS

    GRFICOS EM CURVAS OU EM LINHAS

    So usados para representar sries temporais, principalmente quando a srie cobrir um

    grande nmero de perodos de tempo.

    Considere a srie temporal:

    Tabela 4.1

    Produo de Arroz do Municpio X - 1984-1994

    0

    500

    1000

    1500

    2000

    2500

    84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94

    (1000 ton) Grfico 4.1. Produo de Arroz do Municpio X - 1984-1994

  • 10

    GRFICOS EM COLUNAS

    a representao de uma srie estatstica a