ARTE VISUAL COMUNISTA (imprensa comunista brasileira, 1945 -1958)

  • View
    223

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Uma publicação do Laboratório de Estudos dos Domínios da Imagem (LEDI), do Departamento de História da Universidade Estadual de Londrina. (Coleção História na Comunidade, v.4)

Text of ARTE VISUAL COMUNISTA (imprensa comunista brasileira, 1945 -1958)

  • ARTE VISUAL COMUNISTA

    Alberto Gawryszewski

    Coleo Histria na Comunidade volume 4

    imprensa comunista brasileira, 1945-1958

  • Coleo Histria na Comunidade

    volume 4

    ARTE VISUAL COMUNISTAimprensa comunista brasileira, 1945-1958

  • ReitoraProfa. Dra. Ndina Aparecida Moreno

    Vice-ReitoraProfa. Dra. Berenice Quinzani Jordo

    Pr-Reitor de Pesquisa e Ps-graduaoProf. Dr. Mrio Srgio Mantovani

    Pr-Reitora de ExtensoProfa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento

    Pr-Reitor de EnsinoProf. Dr. Ludoviko Carnascialli dos Santos

    Diretor do Centro de Letras e Cincias HumanasProfa. Dra. Mirian Donat

    Chefe do Departamento de HistriaProfa. Dra. Edmia Ribeiro

    Coordenador do LEDiOrganizador da Coleo Histria na ComunidadeProf. Dr. Alberto Gawryszewski

    Agradecemos:

    Ao CEDEM/UNESP pela disponibilizao do acervo, em especial ao funcionrio Luis Alberto Zimbarg; Aos funcionrios da Biblioteca Nacional, em especial do Setor de Peridicos e da Diviso de informao Documental; Aos funcionrios da Diviso de Arquivo e Microfilmagem da UEL: Antonio Edson Menusso, Pedro Raimundo de Souza, Mrcio Mximo Santo Agostinho, Roderley Rodolfo Santini Pela cesso de imagens:

    Juliana Dela Torres (Momento Feminino); Rodrigo Rodrigues Tavares (A Classe Operria).

  • Alberto Gawryszewski

    Universidade Estadual de Londrina

    Londrina 2010

    Coleo Histria na Comunidade

    volume 4

    ARTE VISUAL COMUNISTAimprensa comunista brasileira, 1945-1958

  • Uma publicao do Laboratrio de Estudos dos Domnios da Imagem (LEDI), do Departamento de Histria da Universidade Estadual de Londrina

    Copyright do autor

    Capa e editorao: Humanidades Comunicao Geral

    imagem da capa: Revista Esfera, dezembro de 1948, p.19. Autoria de Quirino Campofiorito

    imagem da contracapa: Tribuna Popular, 11/09/1946, p.5. Sem assinatura

    Tiragem: 1000 exemplares

    Distribuio gratuita. Venda proibida.

    Dados internacionais de Catalogao-na-Publicao (CiP)Catalogao elaborada pela Bibliotecria Roseli Inacio Alves CRB 9/1590

    Impresso no Brasil / Printed in Brazil

    Feito depsito legal na Biblioteca Nacional

    I31 Arte visual comunista: imprensa comunista brasileira, 1945-1958 / Alberto Gawrysewski. - Londrina : Universidade Estadual de Londrina / LEDI, 2010. (Coleo Histria na Comunidade, v.4) 90 p. : il.

    Inclui bibliografia. ISBN 978-85-7846-065-5

    1. Histria Brasil. 2. Comunismo Brasil. 3. Imprensa comu-nista Brasil. 4. Imagem Histria. 5. Arte visual. I. Gawrysewski, Alberto.

    CDU 930.1:77

  • Apresentao

    Introduo

    Imprensa Comunista

    Uso de Smbolos e Formas na Defesa e no Combate

    Os Heris da Causa Operria

    Cotidiano, Organizao e Festas

    Referncias bibliogrficas

    Sumrio

    6

    11

    25

    39

    89

    63

    7

  • 6ApRESENTAO

    A publicao deste quarto livro, integrante da coleo Histria na Comunidade, a continuidade da realizao de um desejo: dar transparncia s atividades cientficas produzidas pelos professores da Universidade Estadual de Londrina (UEL), em especial do Departamento de Histria, que participam do Laboratrio de Estudos dos Domnios da Imagem (LEDi). Objetiva tambm possibilitar um dilogo entre o saber cientfico e a comunidade.

    Em agosto de 2006, foi criado no Departamento de Histria da UEL, na forma de projeto integrado (pesquisa/extenso), o LEDI. Em quatro anos de existncia, este tem desenvolvido diversas atividades relevantes, entre elas podemos apontar: a realizao do i e ii ENEiMAGEM (Encontro Nacional de Estudos da imagem); a publicao da revista semestral Domnios da Imagem http://www2.uel.br/cch/his/dominiosdaimagem/; cursos de extenso e a futura realizao, em maio de 2011, do III ENEIMAGEM (www.uel.br/eventos/eneimagem).

    Em 2008, o LEDI teve aprovado seu projeto junto ao PROEXT/2008- Programa de Extenso Universitria (ProExt Cultura), um programa dos Ministrios da Cultura e da Educao, realizado com a colaborao da Fundao de Apoio Universidade Federal de So Joo Del Rei (FAUF), o que possibilitou o incio da coleo Histria na Comunidade e a realizao de exposies e produo de vdeos.

    Tivemos, ainda em 2008, a grata notcia da aprovao de nosso projeto junto ao Conselho Nacional Cientfico Nacional (CNPq), no Edital MCT/CNPq n 42/2007 - Difuso e Popularizao da C&T, com o qual daremos continuidade coleo Histria na Comunidade, das exposies e da produo de vdeos. Para este projeto, partimos da afirmao contida nas Diretrizes Curriculares para o Ensino da Histria na Educao Bsica, o que diz que as imagens, livros, jornais, fotografias, filmes etc. so documentos que podem ser transformados em materiais didticos de grande valia na constituio do saber histrico.

    Os documentos possibilitam a reflexo e a construo de conceitos sobre o passado e permitem a formulao de questes sobre os conceitos j constitudos. Compreendemos a imagem como importante instrumento/documento para a formulao do conhecimento histrico. Na realidade, ela pode ser a mediadora desse conhecimento. Assim, o projeto proposto atua em duas frentes: primeira, proporcionar ao aluno um novo olhar sobre as imagens, no como mera ilustrao, mas rica de conceitos e interpretaes; segunda, ajudar o professor a trabalhar com a imagem como instrumento de ensino e como fruto de uma criao humana repleta de significados.

    Este material pode ser copiado, no todo ou em parte, devendo ser nomeada sua fonte. O download dos textos poder ser realizado pela pgina do LEDI (http://www.uel.br/cch/his/ledi/), bem como dos vdeos produzidos e das imagens que compem a exposio Arte visual comunista.

    Prof. Dr. Alberto GawryszewskiCoordenador da coleo

  • 7INTRODUO

    Este trabalho , em parte, fruto de meu ps-doutoramento em Histria

    Social na UFRJ, com orientao do professor Renato Lemos, sob o ttulo A

    caricatura e a charge poltica na imprensa comunista - 1945/57 e da pesquisa

    Caricaturando e Ilustrando: O desenho poltico na imprensa comunista (1945-

    57), que contou com o apoio financeiro do CNPq (Edital no. 32/2004).1 Nessas

    ocasies, coletamos juntos aos peridicos do Partido Comunista do Brasil

    (PCB) cerca de cinco mil imagens, sobre os mais diversos temas. O relatrio

    final do ps-doutoramento foi dividido em cinco partes. Na primeira parte,

    buscamos desenvolver os conceitos de caricatura, especialmente, e de charge,

    de suas origens atual posio dos estudiosos. Desdobramos estes conceitos

    em caricatura poltica, especialmente, e charge poltica. Esta verso foi revista e

    publicada na revista Domnios da Imagem, na qual propomos uma nova viso

    sobre os conceitos de caricatura e charge poltica: quando se tratar de fontes

    retiradas de imprensa engajada, produzidas por artistas engajados, o melhor

    conceito seria de charge ideolgica e caricatura ideolgica.

    Na segunda parte, estudamos a imprensa comunista brasileira, em

    especial a produzida na cidade do Rio de Janeiro, ou seja, em como ela estava

    inserida em um projeto poltico-pedaggico do Partido Comunista. A sua

    concepo de possuir a verdade, de querer conduzir as massas populares para

    a revoluo, de gui-las, de instru-las, de tirar de suas cabeas as confuses

    e fazer as anlises necessrias, dar as explicaes compatveis com seu iderio

    poltico, as notcias, os editoriais e as imagens (incluindo aqui as caricaturas

    e charges) funcionavam como um importante suporte. Da mesma forma que

    fornecia e criava seus mitos, o Partido procurava destruir as mensagens e as

    imagens de seus inimigos. Adjetivos pejorativos (entreguista, lacaio, vende-

    ptria, fascistas, ianques, trostkistas etc.) foram fartamente usados por

    esta imprensa para qualificar aqueles de quem divergia politicamente. Buscamos

    compreender seu alcance popular, sua estrutura financeira e suas relaes entre

    militantes, redatores e o Comit Central. Esta parte foi revista e compe o

    primeiro captulo deste livro.

    Na terceira parte, partimos para o estudo da construo de um

    imaginrio comunista em relao ao governo Dutra. Na quarta parte, o poltico

    visado pelo Partido Comunista Brasileiro foi Getlio Vargas. Foi um dos mais

    retratados, nas pginas da imprensa do partido. Em um momento poltico de

    grande radicalizao (ps-50), o PCB - regido pelo Manifesto de 50 e pelo

    1 Veja outras produes em http://www2.uel.br/cch/his/ledi/pesquisas.htm.

  • 8iV Congresso - queria derrubar o governo por meio da criao de um exrcito

    popular. Foi um perodo frtil de lutas polticas, em que as caricaturas e as

    charges passaram a ser mais um importante componente. Trechos desta parte

    podem ver vistos no decorrer deste livro.

    A quinta parte enfocou a questo da crise interna do PCB devido

    divulgao do relatrio secreto de Krustchev. Aps este, muitos questionamento

    passaram a ocorrer entre os militantes e simpatizantes do Partido. Dogmas

    sagrados foram postos prova: o culto personalidade (Stlin e Prestes); a

    verdade partidria, a poltica do prato feito (cpia s determinaes dos

    congressos do PCUS) etc. A luta pela democratizao do Partido e pela

    efetivao de uma direo coletiva foram apresentados de forma contundente

    pelos militantes. Tudo isto pode ser acompanhado pelas charges polticas que,

    inteligentemente, foram usadas pelo Redator do jornal Voz Operria. O uso das

    charges de autores estrangeiros mostrou que o debate era mundial, no apenas