Ataxia e

Embed Size (px)

Text of Ataxia e

  • 1. Ataxia e leses cerebelares Acadmicos: Vincius Urbanowiski e Tiago Horaguchi Professor: Carlos Frederico Almeida Rodrigues

2. Ataxia e leses cerebelares. http://www.youtube.com/watch?v=XZWuq9efhjY 3. Viso geral do Cerebelo. O cerebelo um rgo central de controle motor fino. Ele processa informaes de mltiplos reas sensoriais (especialmente vestibular e proprioceptivas) , juntamente com impulsos motores e modula a atividade motora de reas nucleares no crebro e na medula espinhal. 4. Conceitos Anatmicos. Anatomicamente, o cerebelo formado por dois hemisfrios e o vrmis que se encontra entre eles. Ele est ligado ao tronco cerebral pelos trs pednculos cerebelares. Uma seo anatmica revela o crtex cerebelar e a substncia branca subjacente, no qual os ncleos profundos do cerebelo so incorporados. O crtex cerebelar primariamente responsvel pela integrao e processamento dos impulsos aferentes. Ele projeta para os ncleos profundos do cerebelo, que depois emitem a maior parte das fibras eferentes, que saem do cerebelo. 5. Consideraes funcionais e filogenticas. Arquicerebelo (flculo nodular) filogeneticamente mais antigo. Ele recebe fibras aferente, entrada principalmente do rgo vestibular, e a sua funo a de regular equilbrio. Paleocerebelo (anterior) processa principalmente impulsos proprioceptivos das vias espinocerebelares e controlos postura e marcha. Neocerebelo (posterior) tem uma estreita relao funcional com o crtex motor do telencfalo e responsvel para a boa execuo de todos os movimentos finamente controlados. 6. Trs pontos importantes que devem ser apreendidos para a devida compreenso do cerebelo. O cerebelo recebe uma quantidade muito grande de fibras gerais e sensoriais especial de entrada, mas no participa em qualquer extenso significativa na percepo consciente ou discriminao. Embora o cerebelo influencia a funo motora, leses do cerebelo no iro produzir paralisia. O cerebelo no importante para a maioria dos processos cognitivos, mas ainda assim desempenha um papel crucial na aprendizagem e na memria motora. 7. Essencialmente O cerebelo um centro de coordenao que mantm o equilbrio e controla o tnus muscular atravs de circuitos de regulao e mecanismos de feedback complexos, ele assegura a preciso, a execues de movimentos repetitivos dirigindo processos motores. A Coordenao do cerebelo do movimento ocorre inconscientemente. 8. Correlaes anatomoclnicas Principais sintomas do cerebelo lesado: Ataxia (incoordenao motora pode manifestar-se ainda na articulao das palavras voz arrastada) Perda do equilbrio Hipotonia 9. Hipotonia Diminuio do tnus muscular; Pode gerar alta flexibilidade das articulaes, chamada debilidade da articulao. Isso pode ocorrer em quadris, cotovelos e joelhos; Quedas frequentes. 10. Mudanas posturais e alterao da marcha A cabea est geralmente rotacionada e flexionada. O ombro do lado da leso est mais baixo do que o lado normal. O paciente toma uma base larga quando fica em p e muitas vezes permanece com as pernas duras para compensar a perda do tnus muscular. Quando o indivduo caminha, pende e tomba em direo ao lado afetado. 11. Ataxia Termo de origem grega e significa Irregularidade Desordem Conceito: Decomposio irregular do ajuste fino da postura e dos movimentos, normalmente controlados pelo cerebelo e suas conexes. O termo aplica-se funo motora dos membros, tronco, olhos e musculatura bulbar (A.E.Harding, 1996) 12. Ataxia Msculos se contraem de forma irregular e fraca; Ocorre tremor ao tentar realizar movimentos finos como abotoar a camisa ou escrever; Grupos musculares no funcionam harmoniosamente e ocorre decomposio; Outros sinais clnicos: dismetria, disdiadococinesia, disartria, rechao, nistag mo. 13. Cerebelopatias - Isquemia e hemorragia cerebelar As manifestaes clnicas so graves: dor de cabea, nuseas, vmitos e vertigem, geralmente acompanhados de marcha instvel, disartria, desvio da cabea e desvio o olhar para o lado oposto da leso. Grandes hemorragias rapidamente produzem sonolncia, estupor ou coma. Na fase final, os pacientes manifestam espasmos extensores, instabilidade hemodinmica, e, finalmente, parada respiratria, a menos que a fossa posterior possa ser descomprimida operatoriamente. 14. Tumores Cerebelares Meduloblastoma: um tumor maligno que afeta preferencialmente as crianas e adolescentes e responsvel por um tero de todos os tumores cerebrais nessa faixa etria (8% de todos os tumores cerebrais, independentemente da idade). Muitas vezes surge a partir do telhado do quarto ventrculo e, em seguida, cresce na parte vermiana do lobo flocculonodular 15. Tumores Cerebelares Astrocitoma e Hemangioblastoma: Manifestaes semelhantes so produzidos por astrocitoma piloctico, um outro tipo caracterstico de tumor da fossa posterior resultante perto da linha mdia. Por outro lado, o hemangioblastoma na configurao da doena de von HippelLindau e astrocitoma cstica tendem a surgir nos hemisfrios cerebelares e, portanto, produz ataxia apendicular e nistagmo como suas manifestaes tpicas. 16. Neuroma acstico Este tumor surge a partir de clulas de Schwann do oitavo nervo craniano (normalmente a sua poro vestibular) e , assim, encontrado no ngulo cerebelopontino. Ela se expande lentamente e pode atingir um tamanho considervel 17. http://www.youtube.com/watch?v=x-2Og56GcPM 4minutos a 6 e 30 18. Problemas clnicos Dois mdicos estavam conversando na rua quando um virou-se para o outro e disse: "Olhe para esse homem, veja a maneira como ele anda, no balana o brao direito, apenas deixa-o pendurado ao lado. Eu me pergunto se no ter uma leso cerebelar. Uma pessoa com um tumor unilateral no hemisfrio cerebelar, tende a manter o brao flcido ao lado quando anda? 19. Problemas clnicos Um homem de 37 anos visitou o seu mdico, pois havia notado falta de fora do brao direito. Os sintomas comearam seis meses antes e estavam piorando. Tambm notou que a mo direita tremia ao tentar movimentos finos, ou quando tentava inserir a chave na fechadura. Ao andar a p sentia que de vez em quando tendia a cair para o lado direito, como se houvesse bebido muito lcool. Ao exame fsico, o rosto estava ligeiramente inclinado para a esquerda e o ombro direito permaneceu inferior ao esquerdo. Movimentos passivos de braos e pernas mostraram hipotonia e frouxido no lado direito. Quando lhe pediram para caminhar apoiando o calcanhar e os dedos ao longo de uma linha reta no cho, o paciente variou para o lado direito. Quando perguntado se era capaz de tocar o nariz com o dedo indicador direito, a mo direita demonstrava tremor e o dedo tendia a passar prximo ao nariz. O discurso era normal e no mostrou nistagmo. Usando seus conhecimentos de neuroanatomia, explique cada sinal e sintoma. provvel que a leso do cerebelo seja na linha media ou ao lado? 20. Problemas clnicos Um menino de quatro anos e meio, foi levado para o neurologista porque sua me estava preocupada com seus ataques de vmitos ao acordar de manh e sua tendncia instabilidade quando em p. A me tambm observou que o menino andava com marcha instvel e muitas vezes, caia para trs. Ao exame fsico, o criana tendia a ficar com as pernas abertas separados, ou seja, com uma base larga. A cabea era maior do que o normal para a sua idade e as linhas de sutura do crnio podiam ser facilmente palpveis. Exame retinal com um oftalmoscpio mostrou edema de papila grave em ambos os olhos. Os msculos dos membros superiores e inferiores mostraram algum grau de hipotonia. No havia nistagmo e a criana no demonstrou tendncia a cair para os lados quando caminhava. Usando seu conhecimento de neuroanatomia, explique os sintomas e sinais. provvel leso do cerebelo na linha mdia ou ao lado? 21. Referncia bibliogrfica Angelo Machado, Neuroanatomia, Peter Duus, Neuroanatomia, 4 edio, 2005; Snell, Neuroanatomia, 5 edio, 2001;