Cincia e religi£o nos seminrios cat³licos bra .seminarista, questµes de mltipla escolha

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Cincia e religi£o nos seminrios cat³licos bra .seminarista, questµes de mltipla...

  • 73

    Cincia e religio nos seminrios catlicos brasileiros

    Marcio Antonio Campos*

    Resumo

    A experincia prtica mostra que, entre a populao catlica brasileira, em muitos assuntos, como moral e liturgia, a opinio da autoridade mais prxima costuma ter mais peso que as declaraes oficiais do Vaticano, que muitas vezes nem chegam aos fiis, apesar de a internet ter tornado mais fcil o acesso a esses documentos. Por isso, uma sondagem buscou saber o que pensam os futuros sacerdotes sobre temas de cincia e religio, j que eles influenciaro o pensamento de muitos catlicos sobre esses assuntos. Os seminaristas entrevistados, em sua maioria, rejeitam o discurso de conflito entre cincia e f, mas por outro lado ainda se v a persistncia da ideia do Deus das lacunas e de vises dspares a respeito da compatibilidade entre a doutrina catlica e teorias cientficas como o Big Bang ou a evoluo.

    Palavras-chave: Cincia e religio, Igreja Catlica, seminaristas, Big Bang, evoluo, criacionismo, Design Inteligente, biotica, interpretao da Bblia, Gnesis, Deus das lacunas.

    1. Introduo

    Uma caracterstica do catolicismo brasileiro

    o peso acentuado que os fiis costumam

    dar opinio das autoridades eclesisticas

    que esto mais prximas, mesmo quando

    elas contradizem orientaes do bispo local

    ou mesmo do Vaticano. Este fenmeno

    observado especialmente em temas como

    moral e liturgia, mas no se descarta sua

    ocorrncia em relao a outros assuntos.

    A relao entre cincia e religio vem

    ganhando relevncia nos crculos

    * Jornalista, editor na Gazeta do Povo (Curitiba-PR, Brasil), onde mantm o blog Tubo de ensaio , sobre cincia e religio, e colunista de cincia e religio da revista O Mensageiro de Santo Antnio. Uma verso resumida dos resultados presentes neste artigo foi apresentada no VI Congresso Latino-Americano sobre Cincia e Religio, na Cidade do Mxico, em outubro de 2011. E-mail: .

    www.gazetadopovo.com.br/blog/tubodeensaiowww.gazetadopovo.com.br/blog/tubodeensaiomailto:marcio.antonio.campos@gmail.com

  • 74

    religiosos, com o surgimento do

    neoatesmo, cujas ideias, amplificadas pela

    imprensa e por best-sellers de autores como Richard Dawkins, oferecem um desafio

    f de muitos cristos. Isso leva os futuros

    lderes religiosos e os responsveis por

    sua formao a considerar a necessidade

    de ter conhecimento suficiente para lidar

    com as alegaes neoatestas, j que so

    as informaes recebidas por meio dos

    sacerdotes que os catlicos tendero a levar

    em considerao ao formar sua prpria

    opinio sobre o tema.

    Assim, este artigo traz os resultados de

    uma sondagem feita com seminaristas em

    diversas regies do Brasil, com o objetivo de

    descobrir qual o seu interesse pela relao

    entre cincia e f, qual o conhecimento que

    esses seminaristas tm sobre tais assuntos

    e sua opinio sobre temas relevantes do

    dilogo atual entre cincia e religio.

    2. Questionrio e perfil dos entrevistados

    2.1. Metodologia

    Para colher as opinies dos seminaristas,

    foi elaborado um questionrio on-line,

    hospedado no site Google Docs e acessvel

    pelo site .

    O questionrio inclua um perfil do

    seminarista, questes de mltipla escolha

    e questes discursivas.

    Reitores e diretores de seminrios em

    diversas cidades brasileiras, incluindo

    praticamente todas as capitais estaduais,

    alm de diversas ordens religiosas,

    foram contactados e convidados a

    participar da pesquisa. Em alguns casos

    em que havia dificuldades de acesso

    internet no seminrio, foram enviadas

    cpias impressas do formulrio, que os

    seminaristas preencheram e devolveram

    ao autor para insero manual no sistema

    on-line do Google Docs. Para evitar

    qualquer elaborao de rankings entre

    seminrios, o questionrio se limitou

    a perguntar o estado de origem e a

    classificao da instituio diocesana

    ou religiosa/pertencente a grupo no

    vinculado a dioceses (como, por exemplo,

    os Legionrios de Cristo).

    2.2. Perfil

    Responderam ao questionrio 143

    seminaristas de instituies localizadas

    em dez estados brasileiros (Amazonas,

    Esprito Santo, Gois, Minas Gerais, Par,

    Paran, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul,

    Santa Catarina e So Paulo) e do Distrito

    Federal. O nmero, baixo em relao

    quantidade de seminaristas abrangida pela

    totalidade das instituies contactadas pelo

    autor, pode se dever a trs fatores: falta de

    interesse do diretor ou reitor do seminrio

    pelo tema, falta de interesse dos prprios

    seminaristas pelo assunto, ou dificuldade

    de acesso internet nos seminrios neste

    caso, no entanto, foi oferecida a opo do

    envio dos questionrios impressos para

    preenchimento.

    Uma dificuldade para estabelecer a

    representatividade da amostra a

    http://bit.ly/seminaristas

  • 75

    inexistncia de dados sobre a quantidade

    de seminaristas existente no Brasil. Nem

    mesmo a Conferncia Nacional dos Bispos

    do Brasil (CNBB) tem este dado, apesar

    da existncia do Anurio Catlico1, parceria entre a empresa Promocat e

    o Centro de Estatsticas Religiosas e

    Investigaes Sociais (Ceris, vinculado

    CNBB). Representantes do Anurio Catlico disseram ao autor, por telefone, que esse dado no era compilado por causa

    da grande rotatividade verificada nos

    seminrios, com candidatos ao sacerdcio

    entrando ou abandonando as instituies

    constantemente, o que tornaria qualquer

    levantamento menos confivel.

    Uma possvel soluo para estimar a

    quantidade de seminaristas no Brasil seria

    considerar a mesma proporo existente

    entre os padres brasileiros e o clero

    mundial. Segundo o prprio Anurio Catlico, o Brasil tinha, em 2010, 22.119 sacerdotes2. No mesmo ano, de acordo

    com o Anurio Pontifcio 2012, a Igreja Catlica tinha 412.236 padres em todo

    o mundo3. Portanto, o Brasil teria 5,4%

    do clero mundial. Aplicando a mesma

    proporo ao nmero de seminaristas, que

    em 2010 era de 118.990 em todo o mundo,

    o Brasil teria, naquele ano, quase 6,4 mil

    seminaristas. Assim, mesmo considerando

    que tenha havido um leve incremento

    neste nmero entre 2010 e 2011, a amostra

    colhida na sondagem apresentada neste

    artigo equivaleria a cerca de 2% do total de

    seminaristas do pas. No entanto, preciso

    ressaltar que esta apenas uma tentativa de

    estimar a quantidade total de seminaristas

    no pas, e que pode no corresponder ao

    nmero real.

    Dos 143 seminaristas que participaram

    da sondagem, 72,7% so diocesanos e

    27,3% so de ordens religiosas ou outras

    instituies catlicas sem vnculo com

    dioceses. Quanto ao ano de formao, eles

    se distribuem do seguinte modo:

    Grfico 1 Perfil dos seminaristas por ano de formao

  • 76

    Quanto formao universitria, 24,5%

    dos seminaristas (35 entrevistados)

    disseram ter outro curso superior

    completo; 14% deles (20 seminaristas)

    estavam fazendo outra faculdade ou

    j abandonaram algum outro curso

    no meio. Retirando-se os estudantes

    que mencionaram o curso de Filosofia,

    etapa obrigatria na preparao para o

    sacerdcio, sobram 32 seminaristas, ou

    22,4% do total de entrevistados. Os cursos

    pelos quais esses seminaristas j passaram

    ou esto passando so Administrao,

    Biomedicina, Biotecnologia, Contabilidade,

    Design Grfico, Direito, Economia,

    Educao Fsica, Enfermagem, Estatstica,

    Fsica, Histria, Informtica, Jornalismo,

    Letras, Pedagogia, Psicologia, Publicidade

    e Propaganda, Relaes Pblicas, Servio

    Social, Sistemas de Telecomunicaes,

    Sociologia e Teologia (caso de um

    seminarista ainda no Propedutico).

    Um dado relevante do perfil dos

    seminaristas, quando se trata da relao

    entre cincia e f, sua fluncia em

    lnguas estrangeiras. Enquanto 58,7%

    dos seminaristas disseram ter facilidade

    para ler textos escritos em outros idiomas,

    41,3% dos entrevistados leem apenas

    em portugus. Entre os que disseram

    ler facilmente lnguas estrangeiras, o

    espanhol o idioma mais conhecido, sendo

    lido por quase 90% dos seminaristas que

    conhecem pelo menos um segundo idioma.

    Grfico 2 Idiomas estrangeiros conhecidos pelos seminaristas (% dos que disseram ler pelo menos uma outra lngua)

    O nmero adquire relevncia porque a

    maioria das melhores fontes existentes

    sobre a relao entre cincia e f est

    disponvel apenas em outros idiomas,

    especialmente o ingls, que conhecido

    apenas por um tero dos seminaristas que

    disseram ler em outra lngua. O fato de

    quatro em cada dez seminaristas s lerem

  • 77

    em portugus deixa clara a necessidade

    de um esforo urgente de traduo de

    mais obras sobre o assunto; a maioria dos

    poucos livros sobre a relao entre cincia

    e f publicados pelo mercado editorial

    brasileiro defende o paradigma de conflito,

    e no o de conciliao.

    3. Resultados

    3.1. Conhecimento cientfico

    Parte do questionrio foi dedicada a avaliar

    o autodeclarado conhecimento cientfico,

    a frequncia com que os seminaristas

    leem sobre cincia e seu interesse em

    relao ao tema em geral, sem entrar na

    relao da cincia com a religio. preciso

    ressaltar que, no caso da primeira questo

    (Grfico 3), as respostas s