COMENTÁRIO BÍBLICO MOODY - files.· Juízes (Comentário Bíblico Moody) 2 ... Testamento, o livro

  • View
    234

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of COMENTÁRIO BÍBLICO MOODY - files.· Juízes (Comentário Bíblico Moody) 2 ... Testamento, o livro

  • JUZES

    Introduo Esboo Captulo 1 Captulo 7 Captulo 13 Captulo 19 Captulo 2 Captulo 8 Captulo 14 Captulo 20 Captulo 3 Captulo 9 Captulo 15 Captulo 21 Captulo 4 Captulo 10 Captulo 16 Captulo 5 Captulo 11 Captulo 17 Captulo 6 Captulo 12 Captulo 18

    INTRODUO Ttulo. O livro de Juzes recebeu o seu nome dos lderes (shopetim)

    que libertaram Israel de uma srie de opressores estrangeiros durante o perodo compreendido entre a morte de Josu e o comeo da monarquia.

    O termo shopet tem uma conotao mais ampla do que o termo "juiz" pode transmitir. Na antiga Cartago e Ugarit era usado para descrever magistrados civis, ou chefes de estado. A literatura cananita da antiga Ugarit usa a expresso shptn, "nosso juiz", paralelamente relacionada com mlkn, "nosso rei". (Ba'al V, v, 32). O perodo bblico dos shopetim deve ser, contudo, separada do perodo dos reis. Durante o perodo dos Juzes, existia um sentimento definidamente antimonrquico (cons. Jz. 9:8-15), embora presses externas de invasores em perspectiva levassem o povo finalmente a pedir um rei (I Sm. 8). Os juizes eram homens dotados com o Esprito, chamados por Deus e capacitados por Ele a resolver crises especificas na histria de Israel. O prprio Deus era considerado o Rei de Israel (I Sm. 8:7), embora o pecado do povo freqentemente reduzisse este ideal a um estado de anarquia (Jz. 21: 25). Os juizes exerciam autoridade sob orientao divina tanto em questes militares como em civis, tomando decises legais quando chamados para faz-lo (4:4,5).

  • Juzes (Comentrio Bblico Moody) 2 Em Juzes 11:27 o Deus de Israel foi chamado de hashshopet "O

    Juiz". Os "julgamentos" (mishpatim) de Deus formam uma parte dessa instruo que se conhece como a lei (tora) de Jeov (cons. Sl. 19:9; 119:7).

    Data e Autoria. Como outros livros histricos do Velho Testamento, o livro de Juizes annimo. Provas internas, contudo, ajudam-nos a determinar a data aproximada de sua composio. D-se a entender a destruio de Silo (18:31). As palavras. "Naqueles dias iro havia rei em Israel" (17:6), sugere unta data durante a monarquia. O fato dos jebusitas ainda serem mencionados estando em Jerusalm (1:21) implica em uma data antes da tornada de Jebus, durante o reinado de Davi. Semelhantemente a meno de Gezer (1:29 ) implica em uma data antes de Fara dar esta cidade como presente de casamento a Salomo (I Reis 9:16).

    Evidncias internas do a entender, assim, uma data durante os primeiros dias da monarquia (cerca de 1050-1000 A.C.), ou durante os dias de Saul ou logo no comeo do reinado de Davi. O Talmude (Baba Bathra, 14b) e a antiga tradio crist concedem sua autoria a Samuel. Embora as evidncias no autorizem uma concluso positiva em relao ao escritor do livro dos Juzes, elas indicam que o livro foi escrito por um contemporneo de Samuel. O autor provavelmente fez uso de material escrito e oral, mas o livro, na forma que hoje temos, exibe uma unidade que argumenta contra qualquer esquema complexo de compilao.

    Antecedentes Histricos. A gerao que entrou em Cana durante a liderana de Josu tinha realizado muito por ;meio da ocupao dos stios estratgicos e estabelecimento das tribos em suas pores especficas. A tarefa da conquista e ocupao, contudo, estava longe de se poder considerar terminada. Importantes fontes cananitas foram ignorados por Josu. e assim as tribos tiveram de lutar individualmente para ocuparem os territrios a que tinham direito (Js. 13:1-7).

  • Juzes (Comentrio Bblico Moody) 3 ESBOO I. Introduo. 1:1 2:5. A. Antecedentes polticos do perodo dos Juizes. 1:1-36. B. Antecedentes religiosos do perodo dos Juzes. 2:1-5. II. Histria dos Juzes. 2:6 16:31. A. O fracasso de Israel em subjugar as naes inimigas. 2:6 3:6. B. Os opressores e os libertadores de Israel. 3:7 16:31 . 1. A opresso de Cus-Risataim e a libertao por meio de Otniel, 3: 8-11. 2. A opresso de Eglom e a libertao por meio de Ede. 3:12-30. 3. Sangar liberta Israel dos filisteus. 3:31. 4. A opresso de Jabim e Ssera e a libertao por meio de Dbora e Baraque. 4:1 - 5:31. 5. A opresso dos midianitas e a libertao por meio de Gideo. 6:1 8:35. 6. A usurpao de Abimeleque. 9:1-57. 7. Tola julga Israel. 10:1, 2. 8. O juizado de Jair. 10:3-5. 9. A opresso dos amorreus e a libertao por meio de Jeft. 10:6 11:40. 10. Guerra entre os gileaditas e efraimitas. 12:1-7. 11. O juizado de Ibs. 12:8-10. 12. O juizado de Elom. 12: 11, 12, 13. O juizado de Abdom. 12:13-15. 14. Sanso e os filisteus. 13:1 16:31. III. Condies de anarquia durante o perodo dos juzes. (17:1 - 21:25) A. A idolatria de Mica e a migrao danita. 17:1 18:31. B. O crime em Gibe e a guerra contra Benjamim. 19:1 21:25.

  • Juzes (Comentrio Bblico Moody) 4 COMENTRIO

    I. Introduo. 1:1 - 2 5, Juzes 1 A. Antecedentes Polticos do Perodo dos Juizes. 1:1-36. Durante o perodo da vida de Josu, Cana foi ocupada e dividida

    entre as tribos de Israel. Contudo, fortes grupos de resistncia permaneceram. A presena de povos inimigos no meio do territrio de Israel e a fora da oposio vinda de fora produziu a situao poltica descrita no livro de Juzes.

    Depois da morte de Josu. Cons. Js. 1:1. Assim como a morte de Moiss marcou o fim da peregrinao de Israel no deserto, a morte de Josu marcou o final da primeira fase da conquista de Cana. Quem . . . subir? Dentro das pores distribudas pur Josu havia ainda muito territrio por conquistar. As tribos deviam ocupar os territrios que lhes tinham sido concedidos. Os cananeus. O termo s vezes usado em relao a todos os habitantes de Cana sem considerar sua origem. A regio ocupada pelos cananeus nessa ocasio est delineada em Jz. 1:9.

    2. Jud recebera o territrio a oeste do Mar Morto e ao sul de Jerusalm (Jebus), regio conhecida por Judia no perodo neotestamentrio (Jos. 15:1-63). Eis que nas suas mos lhe entreguei a terra. O propsito divino est declarado como fato realizado. A certeza de sucesso foi declarada como induzimento atividade.

    3. Disse, pois, Jud a Simeo, seu irmo. Jac declarara que as tribos de Simeo e Levi seriam dispersas entre Israel (Gn. 49:5-7). Josu no designou um territrio especfico a Simeo, mas permitiu que os simeonitas se estabelecessem na poro designada a Jud (Js. 19:9). Assim Simeo foi virtualmente incorporado na tribo de Jud.

    4. Fereseus. Pensa-se que tenham sido um povo aborgine de raa diferente dos cananeus. Tinham se estabelecido em Cana antes que Abrao chegasse (Gn. 13:7).

  • Juzes (Comentrio Bblico Moody) 5 5. Adoni-Bezeque significa "senhor de Bezeque". Ele subjugara

    setenta reis fantoches e lhes cortara os polegares e os artelhos (1:7). Mutilao fsica desqualificava uma pessoa de ocupar cargo religioso ou civil ( Lv. 11:16-24; compare com I Sm. 9:2; 16:12). Adoni-Bezeque foi do mesmo modo mutilado por seus capturadores israelitas (Jz. 1:6).

    8. Pelejaram contra Jerusalm. Embora temporariamente tomada, Jerusalm no foi permanentemente mantida por Israel at os dias de Davi (cons. 1:21; II Sm. 5:6-9 ). Durante o Perodo de Amarna (cerca de 1400-1360 A.C.) a cidade foi conhecida como Urusalim, e era uma das mais importantes cidades-estado dos cananeus.

    9. Nas montanhas, no Neguebe e nas plancies. Estes termos explicam muito da geografia e histria da Palestina. As montanhas, ou "regio montanhosa", foram a primeira regio tomada e mais tempo mantida por Israel. Cidades importantes das montanhas da Judia incluam Jerusalm (790,35ms acima da nvel do mar) e Hebrom (92b,16ms acima do nvel do mar ). O Neguebe a regio do sul. Este territrio semideserto comea a algumas milhas ao sul de Hebrom. Berseba constitui a principal cidade do Neguebe atualmente e na antiguidade. Plancies se refere s terras baixas, ou, transliterando, o Sefel. o termo usado para com os contrafortes entre a plancie costeira e o macio das montanhas da Judia. Durante o perodo dos Juzes, os filisteus ocupavam a plancie costeira, os israelitas ocupavam a maior parte das montanhas da Judia, e o Sefel era cenrio constante de lutas entre os dois grupos.

    Quando as tribos israelitas se estabeleceram em Cana, ficaram sujeitas s tentaes da religio cananita. A prostituio religiosa e o sacrifcio de crianas a Moloque constituam algumas das prticas degradantes que tiveram de enfrentar em seu novo lar. Freqentemente esqueceram-se de sua aliana curti Deus no Monte Sinai. Quando escorregavam para a idolatria, Deus os castigava entregando-os aos seus inimigos. Quando, em esprito de arrependimento. oravam clamando por misericrdia, a ajuda vinha na pessoa de um "Juiz" que era chamado por

  • Juzes (Comentrio Bblico Moody) 6 Deus para salvar o Seu povo da mo dos opressores. Os perodos da fidelidade de Israel para com Deus eram de curta durao, contudo. O padro de apostasia, derrota, arrependimento, orao por livramento, e vitria atravs de um Juiz dotado do Esprito repetia-se constantemente. Uma srie de tais episdios forma a poro principal do livro dos Juizes.

    10. Partiu Jud contra os cananeus que habitavam em Hebrom. A antiga cidade do Hebrom era localizada cerca de 32,18kms ao sul de Jerusalm, na regio mais elevada das montanhas de Jud, 926,59ms acima do nvel do mar. Abrao tinha peregrinado pela vizinhana do Hebrom (Gn,13:18; 35:27), e o local do sepulcro patriarcal estava ali localizado (Gn. 23:2-20). Em antecipao conquista, Hebrom foi destinado a Calebe (Nm. 14:24), que subseqentemente tomou posse dela atravs da conquista (Js. 15:13, 14). O nome anterior de Hebrom era Quiriate-