of 29/29
Doença do Refluxo Gastroesofágico: análise crítica dos métodos diagnósticos Eponina M. O. Lemme (FBG)

Doença do Refluxo Gastroesofágico : análise crítica dos métodos diagnósticos

  • View
    31

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Doença do Refluxo Gastroesofágico : análise crítica dos métodos diagnósticos. Eponina M. O. Lemme (FBG). Recomendações para EDA. Análise crítica. - PowerPoint PPT Presentation

Text of Doença do Refluxo Gastroesofágico : análise crítica dos métodos diagnósticos

Slide 1

Doena do Refluxo Gastroesofgico:anlise crtica dos mtodos diagnsticosEponina M. O. Lemme(FBG)

Recomendaes para EDAAnlise crticaA EDA no mtodo de pesquisa de refluxo e o seu encontro durante o exame carece de valor diagnstico, devido s circunstncias de sua realizao. Como 60% a 70% dos pacientes so portadores da forma no erosiva da doena, sua sensibilidade para o diagnstico, que se baseia no encontro de eroses ou complicaes da doena, baixa, embora tenha alta especificidadeEntretanto, o diagnstico da doena no erosiva se reveste de importncia prognstica, pois se sabe que a evoluo da forma no erosiva para a erosiva pouco comum, logo este grupo estaria menos exposto s complicaes da doena.Em relao s estenoses, algumas vezes no possvel a avaliao de sua extenso, devido impossibilidade de passagem do endoscpio, porm a EDA o mtodo de escolha para sua teraputica.Oscilaes da linha Z eventualmente sugerem lingetas, que, se confundidas com epitlio metaplsico, podem conduzir impreciso diagnsticaEstudo radiolgicoAnlise crticaA esofagografia tem pouca sensibilidade na demonstrao de refluxo e se o paciente no tem leso de mucosa, no deve ser solicitada

Cintilografia e refluxoDescrito em 1976, consiste em observao do refluxo na rea esofagiana aps ingesto de uma soluo marcada com tecncio, espontaneamente, ou aps manobras de aumento da presso intra abdominal.

Anlise crticaComo o estudo radiolgico, um mtodo que pode demonstrar o refluxo, mas no o quantifica em perodos prolongados. No mais empregado na rotina, embora em crianas possa ter alguma utilidadeEsofagomanometriaAnlise crticaA EMN no mtodo de pesquisa de refluxo, nem deve ser empregada com essa finalidade. Registra presses em pontos fixos, avaliando a contrao da musculatura circular No informa a respeito do transporte do bolo

Impedncio-manometriaEstudo simultneo de impedncia intraluminal, combinada manometria, Analisa o tempo de trnsito esofgico de bolo lquido em relao aos diagnsticos manomtricos alcanados.Boa correlao entre os dois mtodos quando a peristalse estava presente ou completamente ausente, de acordo com a manometriaNos distrbios intermedirios da peristalse, como espasmo difuso e motilidade ineficaz, Normalidade do tempo de trnsito em cerca de metade dos pacientes. No se sabe com exatido se esses resultados tm implicaes prognsticasNecessrias outras pesquisaspHmetria esofagiana prolongadaEmbora seja o mtodo mais sensvel para o diagnstico da DRGE, tem algumas limitaes, percalos e falta de consenso em alguns pontos. Refluxo anormal em 50% dos portadores de doena no erosivaFalso negativo em 25% dos portadores de doenas erosivas

sujeita a problemas tcnicos, tais como desconexo do eletrodo de referncia, dobragem do cateter, mergulho deste no estmago e secagem do eletrodo proximal, ocasionando leitura errnea que simula refluxo.A presena do cateter pode ocasionar dores de garganta e nasal, coriza e cefalia. Por intolerncia ao exame, o paciente muitas vezes restringe suas atividades fsicas e a alimentao, o que poderia ocasionar resultados falso-negativosA pHmetria monitoriza apenas o refluxo cido e por 24 horas, e sabe-se que o refluxo pode apresentar variaes.Em relao pHmetria de dois sensores, no h consenso sobre o melhor local de posicionamento do sensor proximal, nem sobre valores de normalidade.Embora seja classicamente preconizada para investigao de manifestaes supra-esofgicas H controvrsias a respeito de sua verdadeira importncia e significado. O refluxo proximal anormal observado em nmero menor de pacientes do que o refluxo distalTambm registrado em pacientes sem manifestaes supraesofgicasNo h consenso se ele pode definir relao de causalidade entre as queixas e refluxo.pHmetria intraesofgica portelemetria (sistema BRAVO)O prolongamento da monitorizao conseguida com o sistema BRAVO aumenta a sensibilidade diagnstica tanto para o diagnstico da DRGE como para a possibilidade de correlao com sintomas. O mtodo apresenta como desvantagens o alto custo e sua pouca disponibilidade em nossos centros.

Desconforto retroesternal referido por muitos pacientesPoderia teoricamente dificultar a avaliao de portadores de dor torcica no cardaca.A exemplo da pHmetria tradicional, o sistema BRAVO tambm no analisa os aspectos no cidos do refluxato.Bilimetria esofagiana prolongada(BILITEC)A bilimetria esofagiana prolongada (BEP) um exame que se destina a avaliar o refluxo duodenogastroesofgico (RDGE), monitorizando a bilirrubina no refluxato, com base em suas propriedades espectrofotomtricas.O exame realizado nos moldes da pHmetria, como monitorizao prolongada, empregando-se cateter de fibra pticaAnlise crticaA principal limitao do mtodo que ao detectar apenas o refluxo que contenha bilirrubina, deixa de registrar mais de 90% dos chamados refluxos no cidos. pouco disponvel nos centros brasileiros, tem alto custo e, alm do desconforto, comum s outras monitorizaes, como o mtodo colorimtrico, vrios alimentos e bebidas de cor forte podem causar falsos-positivos. H necessidade de se fazer dieta especial clara, excluindo uma srie de nutrientesImpedanciopHmetria esofgicaA impedncia esofgica permite avaliar a presena e movimento do bolo no interior do esfago, seja de forma antergrada (ex., o bolo deglutido ou alimentar) , seja de forma retrgrada, tal como o refluxo gastroesofgico. Quando se associa determinao da impedncia, a possibilidade de registro dos valores de pH desse contedo intra-esofgico, o mtodo torna-se extremamente til.Indicaes principaisDiagnstico de sintomas sugestivos de DRGE, sem esofagite e com pHmetria normal;Esclarecimento diagnstico de pacientes com sintomas atpicos no explicados por outras causas;Avaliao de eficcia de tratamento clinico ou cirrgico da DRGE;Identificao de refluxos cido e no cido e suas correlaes com sintomas.Anlise crticaComo todo mtodo que se inicia, necessrio o crivo do tempo para se avaliar sua verdadeira importncia. A pouca disponibilidade e custos elevados atualmente so fatores limitantes.FIM