Edição 838

  • View
    222

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 838 do Jornal Folha do Caparaó

Text of Edição 838

  • SEMANAL | Ano 7 | n 838 | Regio do Capara | www.aquies.com.br

    SUPLEMENTOESPECIAL

    SEXTA-FEIRA 10/02/2012

    STR de Ina pRomove aSSInaTuRa de conTRaToS paRa caSaS na zona RuRal

    cidades | Pg 03

    esPortes | Pg 06

    AgRICULTORES FAMILIARES ASSINARAM CONTRATOS PARA A CONSTRUO dE UNIdAdES dE hAbITAO RURAL, dENTRO dO PROgRAMA MINhA CASA, MINhA VIdA

    O CONSRCIO CAPARA, qUE AgORA PbLICO, VAI PRECISAR dEbATER OS dESAFIOS dA REgIO PARA qUE dESENVOLVIMENTO POSSA ChEgAR A TOdOS OS SEUS MUNICPIOS dE FORMA SUSTENTVEL

    Marcos Freire

    Marcos Freire

    consrcio caPara comea a enfrentar seus novos desafios

    esPecial | Pgs 05 e 06

    esPortes | Pg 06

    Marcos Freire

    lutador de ibatiba se destaca no mma e sonha com o ufc

    vandinho leite ParticiPa de evento de esPorte e lazer em ibatiba

    canal aberto e folheando

    folha GosPel

    coluna viP

    oPinio | Pg 02

    Pg 07

    Pg 08

  • Na edio do jornal Aqui No-tcias desta quinta-feira (09), a matria de capa registra a reu-nio realizada pela comunidade de Guau para debater sobre as condies de segurana no mu-nicpio. No entanto, esta questo no se restringe a Guau e aflige outros municpios da regio do Capara, tanto os menores em populao quanto os maiores.

    No de hoje que a falta de efetivo da Polcia Militar e da Polcia Civil impede um trabalho que atenda plenamente as comu-nidades, com a baixa presena do policiamento ostensivo nas ruas o que diminui a sensao de segurana nas cidades e falta de investigadores para elucidar os inquritos instaurados, apesar do esforo reconhecido dos policiais militares e civis.

    O chefe da Polcia Civil, Joel Lyrio Neto, afirma que as delega-cias sempre fecharam s 18 horas e que o que acontecia era que os investigadores ficavam tomando conta de presos, quando havia carceragem nas delegacias e, por isso, atendiam e recolhiam presos em flagrante pela Polcia Mili-tar. No entanto, este horrio de funcionamento das delegacias no interior, totalmente fechadas para o pblico, a partir das 18 horas, e nos finais de semana em minha opinio absurdo e no atende populao que precisa de um lugar para recorrer num caso de uma ocorrncia.

    No meu entender, assim como a Polcia Militar trabalha 24 horas por dia, as delegacias de Polcia Civil todas deveriam funcio-nar 24 horas por dia, para atender as necessidades da comunidade. E falar que ser colocado o bole-tim de ocorrncia, via internet, brincar com a populao mais ca-rente, que nem sempre tem aces-so rede mundial de computado-res, porque nem computador tem em casa. viver no Mundo das Maravilhas, sem qualquer conhe-cimento de qual a realidade das comunidades, principalmente do interior. Os burocratas deveriam

    visitar mais os municpios e conhe-cer as dificuldades de perto.

    Concordo que o preso no da Polcia Civil e sim da Justia que, alis, cuida muito mal desses pre-sos, e que investigador tem que investigar e no tomar conta de detento. Mas se no h efetivo su-ficiente para manter as delegacias abertas 24 horas no problema do cidado, que fica sem poder resol-ver o que o aflige, e sim, proble-ma do Estado que tem a obrigao de resolv-lo, sem discursos vazios e sem solues utpicas que s gas-tam os recursos e no trazem resul-tados concretos.

    Na reunio de Guau, o Estado apresentou a construo de uma Delegacia Integrada, onde PC e PM ficariam no mesmo local, o que pode facilitar a vida do cida-do, se as duas polcias realmente trabalharem juntas o que nem sempre muito fcil. No entanto, esta delegacia s vai funcionar re-almente se for um plo regional, com delegado de planto 24 horas, para receber os flagrantes de uma parte do Capara. E outra deve ser construda e funcionar da mesma maneira do outro lado da regio, em Ibatiba ou Ina, tanto faz. Dele-gacia s para dizer que tem e fechar s 18 horas e nos finais de semana, no precisa no, porque de elefante branco, sem utilidade, a regio j est bem cheia. Obrigado!

    Nota: em Guau, na reunio sobre segurana, conheci o endo-dontista Cristiano Santos Viana que me contou um fato curioso. Ele me disse que seu professor de Endodontia, na Universidade Fe-deral do Rio de Janeiro (UFRJ), tambm se chama Marcos Freire, e que adorou saber que um xar seu escreve uma coluna de nome Canal Aberto j que ele endodontis-ta (engraado, no?). Por isso, fica aqui meu abrao para o meu xar, l no Rio de Janeiro alis, minha terra natal (sou carioca, do bairro Maracan), que desde ento, sem-pre l a coluna e abre as aulas, ago-ra, escrevendo no quadro: Canal Aberto Marcos Freire.

    Sem discursos vazios

    SEXTA-FEIRA, 10/02/2012 REGIO DO CAPARA02 OPINIO

    EXPEDIENTEDIRETOR GERAL: Elias CarvalhoEDITOR CHEFE: Marcos FreireEDITOR DE CRIAO E ARTE: Luan Ola

    DPTO. JuRDICO: Cleber Vagner de Oliveira - Advocacia - ConsultoriaDpto. Contbil: ACAD ContabilidadeE-mails: comercialfolhadocaparao@gmail.comdiretoriafolhadocaparao@gmail.com; publicidadefolhadocaparao@gmail.comredacaofolhadocaparao@gmail.com

    REPRTERER: Marcos FreireDIAGRAmADORA: Suheley Garcia Suhett DEPARTAmENTO COmERCIAL: (28) 3521 7726 / 99761113COLAbORADORES: SrGiO OLiVEirA, JOS MOntOni, JurACy DE ALMEiDA - tiGrinhO, ADiLSOn SALOtO E VitOr MOrAES.

    Circulao: ES - Alegre, Apiac, Bom Jesus do norte, Divino de So Loureno, Dores do rio Preto, Guau, ibatiba, ibitirama, irupi, ina, Jernimo Monteiro, Muniz Freire e So Jos do Calado.

    Editora e Jornal Sul Capixaba Ltda - mE | CNPJ: 10.916.216.0001-55. rua resk Salim Carone, S/n - Ed. ibisa - Loja 03 - Bairro Gilberto Machado. Cachoeiro de itapemirim-ES (Prximo rodoviria) . Tel: (28) 3521 7726

    FOLHEANDO

    ENQUETE

    Resultado da enquete (paRcial): quais matrias voc mais gosta de ler na Folha do capara?

    - Cidades 8,33%- Economia 3,57%- Segurana 10,71%- Poltica 52,38%- Assuntos Gerais 8,33%- Cultura 5,95%- Esportes 3,57%- Opinio 3,57%- Viva a Vida 1,19%- Vip 2,38%

    A atual enquete ser mantida at as 10 horas da prxima quinta-feira (16), quando uma nova enquete ser publicada, para darmos incio a uma srie de levantamentos para conhecermos a opinio de nossos leitores.

    Depois da solenidade, as autoridades assistiram ao jogo e participaram da entrega de trofus para as equipes e jogadores que se destacaram na competio. O secretrio Vandinho Leite e o prefeito Lindon Jonson deram o pontap inicial da partida do Titular (apitada pelo rbitro Antnio Buaiz) e, no intervalo, os dois fizeram uma disputa de pnaltis, com cada um batendo uma penalidade para o goleiro Rafael, do Cricima. O goleiro defendeu o pnalti do prefeito, mas o secre-trio conseguiu converter. Eu deixei o secretrio

    Em conversa nos bastidores da polti-ca, em Guau, a situao est um tanto quanto curiosa, porque as conversas mostram que pode se chegar a um con-senso indito. J se chega at a falar em candidatura nica. Num municpio em que as campanhas sempre foram bastante acirradas, algo desse tipo seria histrico e, caso seja em prol do desenvolvimento do municpio, nada para ser condenado. Seria muito bom se as pendncias po-lticas fossem sempre resolvidas com dilogo e consenso, no mesmo?

    J em Ibatiba, depois de um certa ce-leuma por causa de uma enquete sobre a eleio para prefeito do municpio, da Folha do Capara, que parecia apresentar certa desunio no grupo da situao, a informa-o extraoficial de que o candidato do grupo o prefeito Lindon Jonhson, que vai tentar a reeleio. Os outros nomes estariam lutando pela vaga de vice-prefeito, lembrando que o atual vice o ex-vereador Simio Dias de Carvalho, que tambm chegou a anunciar que seu nome est disposio para prefeito. esperar para ver.

    vencer, porque preciso dos recursos da Secretaria no

    meu municpio, afirmou o prefeito, entre risos.

    Vandinho x Jonhson

    Candidatura nica Por uma vaga

    CANAL AbERTOPOR MARCOS FREIRE - marcosfolhadocaparao@gmail.com

    www.AQUIES.com.br

  • No incio do ms de feve-reiro, o Sindicato dos Tra-balhadores Rurais (STR) de Ina e Irupi promoveu a assinatura de 11 contratos entre a Caixa Econmica Federal (CEF) e agricultores familiares para a construo de unidades de habitao rural. Os beneficiados so agricultores de comunida-des de Ina e Irupi, mais precisamente um em Bon-sucesso, Alto Trindade, no Crrego Fama, Nossa Senhora das Graas, Bar-ro Branco, Santa Clara do Capara e Santa Clara/Boa Sorte em Ina. Enquanto em Irupi, foram beneficia-dos um agricultor em Burro Frouxo, Cabeceira do So Jos e dois na Tia Velha. Os recursos so provenientes do programa Minha Casa, Mi-nha Vida, do Governo Fe-deral, que possui uma linha especfica para a agricultura familiar.

    O valor liberado pela CEF em forma de mate-rial de construo, ou seja, o agricultor no recebe dinheiro, mas sim crdito para a compra do material, num total de R$ 20 mil, sendo R$ 8 mil do Gover-no do Estado, por meio do movimento sindical de trabalhadores, mais preci-samente da Federao dos Trabalhadores da Agricul-tura no Estado do Esprito Santo (Fetaes). J a mo de

    obra fica por contra do agri-cultor beneficiado. Tam-bm esto sendo liberados recursos para a construo de fossas spticas, dentro de um projeto ecologicamente correto, para que os dejetos sanitrios no sejam joga-dos diretamente nos cursos de gua.

    Depois de liberados os recursos, a obra acompa-nhada por tcnicos em edi-ficao e de uma assistente social, alm do acompanha-mento do STR de Ina e Irupi, por intermdio da Secretaria de Polticas So-ciais, sob a coordenao da presidente do Sindicato, Elizete Almeida de Abreu, e a assessoria de Elione Campos. O STR funciona como entidade organizado-ra, como determina o pro-grama do governo, e outros agricultores e agricultoras

    esto sendo cadastrados para a realizao de novos contratos. Um total de 15 agricultores j procuraram o Sindicato para se cadastrar e j esto regularizando a documentao necessria, conta a presidente do STR