Escola Municipal Odete Rodrigues Ferreira As lendas s££o est£³rias contadas por pessoas e transmitidas

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Escola Municipal Odete Rodrigues Ferreira As lendas s££o est£³rias contadas...

  • Orientações: A atividade também poderá ser enviada pelo APP Classroom. Também estarei todos os dias no chat tira dúvidas com professores (de 07:00 às 11:00) que está disponível no blog da escola. Código classroom: du7h4re

    SISTEMA EXCRETOR Como ocorre a excreção

    O nosso sangue contém muitas substâncias de que não necessitamos e algumas podem mesmo ser perigosas - água em excesso, sais minerais, células mortas ou alteradas e resíduos das atividades celulares. Por isso têm de ser eliminadas.

    Função dos rins

    Os rins extraem os produtos residuais do sangue através de milhões de pequenos filtros, denominadas néfrons, que são

    a unidade funcional dos rins. Cada néfron apresenta duas partes principais: a cápsula glomerular (ou cápsula de Bowman) e os túbulos renais. Nas figuras os túbulos renais são identificados como túbulo contorcido proximal, alça néfrica (alça de Henle) e túbulo contorcido distal. No interior da cápsula glomerular penetra uma arteríola (ramificação da artéria renal) que se ramifica, formando um emaranhado de capilares chamado glomérulo renal. A cápsula glomerular continua no túbulo contorcido proximal, que se prolonga em uma alça em forma de U chamada alça néfrica. Dessa alça segue um outro túbulo contorcido, o distal. O conjunto desses túbulos forma os túbulos renais. A urina se forma nos néfrons basicamente em duas etapas: a filtração glomerular e a reabsorção renal. É na cápsula glomerular que ocorre a filtração glomerular, que consiste no extravasamento de parte do plasma sanguíneo do glomérulo renal para a cápsula glomerular. O líquido extravasado é chamado filtrado. Esse filtrado contém substâncias úteis ao organismo, como água, glicose, vitaminas, aminoácidos e sais minerais diversos. Mas contém também substâncias tóxicas ou inúteis ao organismo, como a ureia e o ácido úrico. Da cápsula glomerular, o filtrado passa para os túbulos renais. O processo em que há o retorno ao sangue das substâncias úteis ao organismo presentes no filtrado é chamado reabsorção renal e ocorre nos túbulos renais. Essas substâncias úteis que retornam ao sangue são retiradas do filtro pelas células dos túbulos renais. Daí passam para os vasos capilares sanguíneos que envolvem esses túbulos. Dos néfrons, os resíduos recolhidos são enviados através dos ureteres para a bexiga. Os ureteres são dois tubos musculosos e elásticos, que saem um de cada um dos rins e vão dar à bexiga. A bexiga é um saco musculado, muito elástico, com um comprimento aproximado de 30 cm, onde a urina (resíduos filtrados) é acumulada. Este reservatório está ligado a um canal - a uretra - que se abre no exterior pelo meato urinário, e a sua base está rodeada pelo esfíncter uretral, que pode permanecer fechado e resistir à vontade de urinar. Válvulas existentes entre os ureteres e a bexiga impedem o retrocesso da urina.

    Escola Municipal Odete Rodrigues Ferreira Rua Belém, 1045 – Cachoeira – São José da Lapa - Telefone: (31)3623-2181

    emodete@hotmail.com

    “TRABALHANDO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE DE SEU FILHO”

    CIÊNCIAS - ATIVIDADE SEMANA 16 – TURMAS 801/802 Nome: Turma:

    Professor(a): Cristiano Arruda Data:

    De acordo com o texto responda as seguintes

    questões:

    1) Qual a principal função dos rins?

    2) O que são néfrons e quais são suas principais

    partes?

    3) Onde se forma a urina? Descreva como ocorre a

    formação da urina.

    mailto:emodete@hotmail.com

  • O que é Folclore

    Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.

    As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais. Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.

    Marque a alternativa correta de acordo com o texto: 1) O folclore é: A) um conjunto de mentiras C) um conjunto de notícias B) Um conjunto de mitos e lendas D) Um conjunto de fofocas 2) As histórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos são: A) as lendas C) as receitas B) os palpites D) as fantasias 3) Origem da palavra folclore: A) fog (nevoeiro) e look (olhar) C) flow (fluxo) e loose (solto) B) flower (cultura) e lord (tradição) D) folk (povo) e lore (saber) 4) “Três pratos de trigo para três tigres tristes.” É: A) parlenda C) adivinha B) lenda D) trava-línguas

    Colrir os personagens representativos do folclore.

    Link para complemento dessa aula: https://www.youtube.com/watch?v=O1lqb-Rr5OM

    Bons estudos!

    Escola Municipal Odete Rodrigues Ferreira Rua Belém, 1045 – Cachoeira – São José da Lapa - Telefone: (31)3623-2181

    emodete@hotmail.com

    “TRABALHANDO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE DE SEU FILHO”

    ATIVIDADE - 15- ARTE- Habilidades- EF69AR21A - II trimestre

    Nome: Turma: 801-02

    Professor(a): Data:

    https://www.youtube.com/watch?v=O1lqb-Rr5OM mailto:emodete@hotmail.com

  • CONTINUAÇÃO DO TEXTO: “O QUE É LAICIDADE” A Laicidade opõe-se à liberdade de expressão? Antes pelo contrário: a liberdade de expressão não é apenas uma

    condição necessária da Laicidade, é a sua origem. Os inventores da separação das igrejas e do Estado contestaram as religiões de Estado, muitas vezes protestantes, e foram perseguidos pelas suas idéias. O que ameaça a liberdade de expressão é portanto o direito que se arrogam certos grupos de censurar toda a opinião diferente a coberto de uma dignidade ferida. A liberdade de expressão não deve conhecer outros limites além dos de ordem pública e de atentado aos bons costumes. Só devem ser proscritos e perseguidos em justiça os insultos, as ameaças e as difamações contra indivíduos ou pessoas morais. O que é a Laicidade «plural» ou «aberta»? Um slogan vazio de sentido e um absurdo

    conceptual. Confundindo pluralismo e pluralidade, pretendem-se conceder direitos específicos a cada grupo que reclama uma identidade específica. A expressão «laicidade plural» visa diabolizar a Laicidade apresentando-a como dogmática. São os integristas e os relativistas quem utiliza esse termo. Ora são eles quem representa um risco real para a diversidade de idéias e de pertenças: os primeiros porque estão certos de possuir uma verdade incontestável, e querem impô-la pela opressão; os segundos porque acham todas as opiniões contestáveis, e portanto permutáveis. Ora, toda a sociedade necessita de um mínimo de princípios prioritários. Racionalmente, não seria possível defender simultaneamente um espaço público comum e conferir isenções de direitos a este ou aquele grupo de cidadãos. Nem discriminações, nem privilégios, esse é o lema de qualquer Estado garantindo a todos os cidadãos a igualdade de tratamento. E a tolerância? A tolerância pressupõe sempre que alguém tolera e que alguém é tolerado: em geral, uma maioria tolera as minorias. A Laicidade faz melhor: as leis que o povo se confere democraticamente são válidas para todos os cidadãos. Sendo a cidadania cega às diferenças, uma minoria não pode ser tratada diferentemente da maioria. A Laicidade opõe-se ao multiculturalismo? Não quando ele é de fato, mas sim quando é de Direito. A Laicidade

    defende a multiplicidade das culturas contra as tentativas de uniformização do neoliberalismo, por exemplo. Enquanto fato, o multiculturalismo parece-nos uma oportunidade. Pelo contrário, a teoria multiculturalista leva à destruição das sociedades democráticas, porque, partindo do direito à diferença, que se aceita, visa defender diferenças de direitos incompatíveis com a igualdade, e que levam ao comunitarismo, quer dizer, à pretensão de certos grupos de escapar às leis comuns. O multiculturalismo é justamente a consequência de um fracasso na definição de um espaço comum que ultrapasse as diferenças. A vontade dos multiculturalistas de procurar a igualdade é legítima, mas os meios que se propõem são contraproducentes: a discriminação positiva, que tende a restabelecer a igualdade compensando as desigualdades culturais, leva a efeitos perversos que reforçam a exclusão em vez de a atenuar. O racismo das minorias contra a maioria ou contra as outras minorias leva à guerra de guetos. Toda a discriminação é por definição negativa. Para além das diferenças, nós acreditamos na unidade fundamental do gênero humano. Ver em cada homem um outro eu, eis