Folha Regional de Cianorte - Edição 837

  • View
    267

  • Download
    34

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 837 da Folha Regional de Cianorte com circulação na quarta-feira 06 de novembro de 2013

Text of Folha Regional de Cianorte - Edição 837

  • Quarta-feira, 06 de Novembro de 2013 - Ano 12 - Edio 837 - R$ 2,00Fone: (44) 3018-2015 - Site: www.folharegionaldecianorte.com - E-mail: folhadecianorte@gmail.com

    Richa destaca incentivos para

    investimento em infraestrutura

    Pg. 2

    Obras garantem benefcios para a

    populao de Jussara

    Pg. 3

    Jonas Guimares assina convnio e se rene com

    secretrioPg. 3

    Desaparecida de Cianorte

    encontrada em Astorga

    Pg. 5

    Leo do Vale lana campanha

    para atrair torcedores

    Pg. 8

    Homenagem para pioneiro lotasesso da Cmara de Vereadores

    A sesso da Cmara de Vereadores na ltima se-gunda-feira teve um bom pblico e tambm deba-tes polmicos. O motivo da lotao no plenrio foi a bela homenagem para o pioneiro Fariz Mitre Abou Nabhan, 78 anos. Ele re-cebeu o ttulo de Cidado Honorrio de Cianorte e foi cumprimentado pelos familiares e vereadores.

    O ttulo foi indicado pelo vereador Jose Aparecido da Silva Zezo. O pio-neiro Fariz nasceu a 15 de janeiro de 1935, no Lba-no, e chegou no Brasil em 1954. Ele formou famlia em Cianorte, onde traba-lha at hoje. Tem quatro filhos e oito netos. Ele fi-cou emocionado com a homenagem e agradeceu pelo reconhecimento da cidade. A sesso acabou por volta das 22h depois da homenagem e debates sobre o reajuste de taxas municipais, como IPTU e limpeza urbana. Que fo-ram aprovados por 6 vo-tos a 3. O prefeito Bon-giorno chegou no comeo da sesso e ficou at o final. Ele ouviu questio-namentos sobre o rea-juste de vereadores da oposio, respondeu que os exemplos usados para questionar no condiziam com a realidade. Pg. 8

    Familiares e personalidades acompanharam a homenagem prestada para o pioneiro Fariz Mitre Abou Nabhan

    Durante a sesso, alm da homenagem, foi aprovado reajuste de taxas municipais, como Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e limpeza urbana

    PARCERIA

    A Sociedade de Assis-tncia Social Beneficente, Educacional, Maternal de Cianorte (Sasbemc) est ampliando suas ativida-des com recursos conse-guidos com bazares feitos com produtos doados. A rea til passou de 140m para 420m com um novo salo que antes tinha so-mente as estruturas e no era utilizado. O salo de 280m proporcionar no-vas atividades como aulas de ingls, culinria, msi-ca, esportes, alfabetiza-o, entre outras. Pg. 4

    Sasbemc amplia

    atividades sociais

    Presidente Hugo Leonardo

    Foto

    : And

    ye Io

    re

    Foto: Andye Iore

    Viabilizado por meio de uma parceria entre o Go-verno Municipal, a Asso-ciao Comercial e Indus-trial de Cianorte (Acic) e o Sebrae/PR, o Ponto de Atendimento ao Empre-endedor j tem data de-finida para iniciar seus trabalhos na Capital do Vesturio. A cerimnia de inaugurao ser realiza-

    da no dia 14 de novembro s 18h 30min, nas depen-dncias da Acic, local de instalao do PA. Para es-clarecer a metodologia do rgo e os benefcios que ele trar para o municpio, os representantes das en-tidades responsveis con-cederam uma entrevista coletiva na manh desta tera-feira (05). Pg. 4

    Cianorte recebe Ponto de Atendimento

    do Sebrae

    O Governo do Paran lana, hoje, 20 editais para construo de seis cadeias pblicas e de seis Centros de Integrao Social e am-pliao de oito unidades prisionais. O investimento, estimado em R$ 161 mi-lhes, foi anunciado pelo governador Beto Richa na quarta-feira (30) da sema-na passada, com o minis-tro da Justia, Jos Eduar-do Cardozo. As obras vo abrir 6.670 vagas. Pg. 2

    Paran quer ampliar

    o sistema prisional

  • Ed. n 837 - Quarta-feira, 06 de Novembro de 2013 - Fone: (44) 3018-2015 - Website: www.folharegionaldecianorte.com - E-mail: folhadecianorte@gmail.com - Av. Brasil, 1167 - Sl. 03

    CuritibaagnCia Estadual

    O sistema eletrnico desenvolvido pela Secreta-ria de Estado da Educao para compra e controle de alimentos da agricultura familiar um dos finalistas nacionais da 7. Edio do Prmio Fundao Ban-co do Brasil de Tecnologia Social 2013. Desde 2010, a Secretaria faz chamadas pblicas pela internet para selecionar cooperativas e associaes de produto-res para fornecer meren-da dos 1,3 milho de estu-dantes da rede estadual. Nesta tera-feira (5), a Secretaria recebeu da Fundao Branco do Brasil o certificado de Tecnologia Social. A ao que est levando mais qualidade na alimentao e estimulan-do hbitos saudveis nos alunos tambm um fator de gerao de renda e de associativismo no Paran, avaliou o diretor-geral da Secretaria da Educao, Jorge Eduardo Wekerlin.

    A iniciativa do Gover-no do Paran est entre as 30 finalistas do pr-mio (http://www.fbb.org.br/tecnologiasocial/). No Brasil inteiro foram ins-critas 1.011 iniciativas. Destas, 192 foram certi-ficadas como tecnologias sociais e 30 passaram para a fase final. A Secre-taria de Estado da Educa-o concorre na catego-ria Gestores Pblicos. Os vencedores sero conhe-cidos em 19 de novem-bro, em Braslia.

    O sistema usado para compra dos produtos da

    agricultura familiar foi de-senvolvido em conjunto pela Secretaria da Educa-o e pela Companhia de Tecnologia da Informao e Comunicao (Celepar).

    INVESTIMENTO Ao longo de 2013, o

    Governo do Paran in-veste R$ 32 milhes para compra de alimentos da agricultura familiar para a merenda. Foram cadas-tradas 132 instituies de agricultores familiares no sistema eletrnico de chamada pblica. So 83 itens alimentcios de 12 grupos diferentes para a merenda: acares, car-ne e ovos, cereal, feijo, frutas, hortalias, iogurte e similar, legumes, leite, outros lcteos, panifica-dos e sucos.

    Outra grande vanta-gem da participao de pequenos produtores no fornecimento da merenda a reduo da distncia at as escolas. O sistema eletrnico faz a classifica-o dos agricultores con-forme a localizao pro-priedade, o que poupa tempo, gera menos polui-o com transporte e ga-rante alimentos frescos.

    A tecnologia tambm permite a classificao en-tre produtores orgnicos, sazonalidade do produto e produo de comunidades tradicionais, como indge-nas e quilombolas. Desde 2010, o sistema eletrnico passou por vrios aperfei-oamentos e atualmente possvel buscar informa-es sobre cada tipo de produto oferecido na me-renda escolar no Estado.

    CuritibaagnCia Estadual

    O Paran quer que a ini-ciativa privada tenha pa-pel mais ativo na melhoria da infraestrutura do Esta-do. Em palestra proferida nesta tera-feira (5) na sede do banco JP Morgan, em Nova Iorque, nos Es-tados Unidos, o governa-dor Beto Richa disse que ampliou o programa Pa-ran Competitivo, de for-ma que os incentivos fis-cais beneficiem, alm de empreendimentos indus-triais, tambm as empre-sas que invistam em rodo-vias, portos e aeroportos.

    Esse mecanismo fiscal abre espao para a cons-tituio de parcerias p-blico-privadas (PPPs), fer-ramenta essencial para viabilizar o financiamento de projetos de infraestrutu-ra, afirmou Richa, que fez palestra a convite da C-

    mara Americana de Comr-cio Brasil-Estados Unidos. A modernizao da nossa infraestrutura prioridade, a fim de que seja um fator de dinamismo do processo de industrializao em cur-so, disse ele.

    O Paran tem boa es-trutura de transporte, mas ainda restam gargalos a remover para agilizar o transporte da produo e melhorar a produtividade das empresas, disse Ri-cha. O Estado desenvol-ve um grande programa de melhoria das estradas rurais e rodovias. Tam-bm defendemos nossos projetos de ampliao do porto de Paranagu e da malha ferroviria estadu-al, alm da modernizao dos aeroportos, explicou.

    Na palestra, o gover-nador chamou a ateno para a oportunidade de explorao das jazidas de shale gas existentes no Pa-

    ran. Estudos preliminares indicam um imenso poten-cial do combustvel no Es-tado e no Brasil, que pode estar entre as dez maiores reservas do mundo, alm de um volume ainda no dimensionado de petrleo e gs convencionais.

    Os Estados Unidos es-to liderando a revoluo energtica do shale gas, e o Paran tem um potencial extraordinrio a ser explo-rado neste mercado que est apenas em gestao no Brasil, afirmou Richa. Uma parceria aqui teria relevncia estratgica para ns e perspectiva de alta rentabilidade para os in-vestidores, disse ele, lem-brando que duas empresas norte-americanas que do-minam as novas tecnolo-gias de extrao do shale gas j se habilitaram para participar dos prximos lei-les de blocos de explora-o, no final de novembro.

    O governador afirmou tambm que as medidas tomadas pelo governo es-tadual descolaram o Pa-ran da tendncia nacio-nal de encolhimento da indstria. O Estado vive seu mais expressivo pro-cesso industrializante, no s pelo nmero de empre-sas instaladas e pelos em-pregos criados, mas pela abrangncia geogrfica das novas plantas, instaladas em cidades e regies antes desprovidas de indstrias de grande porte, sem dina-mismo prprio, afirmou.

    Richa destacou que alm de dilogo franco com o ca-pital produtivo, o Estado reduziu impostos para pe-quenas e microempresas, diminuiu as alquotas do imposto sobre importaes e a carga tributria sobre informtica e automao, alm de outros setores ge-radores de emprego inten-sivo e de tecnologia.

    CuritibaagnCia Estadual

    O Governo do Paran lana, nesta quarta-feira (6), 20 editais para cons-truo de seis cadeias p-blicas e de seis Centros de Integrao Social e ampliao de oito unida-des prisionais. O investi-mento, estimado em R$ 161 milhes, foi anuncia-do pelo governador Beto Richa na quarta-feira (30) da semana passada, com o ministro da Justia, Jos Eduardo Cardozo. As obras vo abrir 6.670 va-gas no sistema peniten-cirio e acabar com a su-perlotao em delegacias.

    O processo adminis-trado pela Paran Edifi-caes, autarquia da Se-cretaria de Estado da Infraestrutura e Logstica. As construes e amplia-es sero nas cidades de Piraquara, Londrina, Campo Mouro, Gua-ra, Foz do Iguau, Ponta Grossa e Cascavel. Aps a contratao, as empresas tero at 12 meses para concluir as obras.

    As obras fazem