Jornal A Voz da Ilha - Outubro de 2010

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal A Voz da Ilha - Outubro de 2010

Text of Jornal A Voz da Ilha - Outubro de 2010

  • JORNAL DA PARQUIA DE NOSSA SENHORA APARECIDA - RUA 10, 46 - ILHA DOS ARAJOS - GOV. VALADARES/MG - WWW.PAROQUIADAILHA.COM.BR

    Ano XLVI - n 727 - Governador Valadares - Outubro/2010 - Distribuio gratuita JORNAL DA PARQUIA DE NOSSA SENHORA APARECIDA - RUA 10, 46 - ILHA DOS ARAJOS - GOV. VALADARES/MG - WWW.PAROQUIADAILHA.COM.BR

    Ano XLVI - n 727 - Governador Valadares - Outubro/2010 - Distribuio gratuita

    A Voz da Ilha

    aps as missas barraquinhas nos dias 2 e 3 e de 8 a 12 - PaRTICIPE!!!

    Dia 08 - Sexta-feira - Sexto dia da Novena... Sem nos dispersar (Lc 11,15-26)Missa - Presidida pelo Neo-sacerdote Pe. ItamarColeta para a Casa de recuperao Dona Zumira

    Dia 10 - Domingo - Oitavo dia da Novena... Agradecidos pela sua compaixo. (Lc 17, 11-19)Missa com a novena s 19h30 - Presidida pelo Pe. Fabiano Proco da parquia Sagrado Corao de Jesus de Tumiritinga.Coleta para ADQF

    Dia 09 - Sbado - Stimo dia da Novena...Ouvindo e praticando a Palavra de Deus (Lc 11,27-28)Missa Presidida pelo Pe. Jlio, Proco da parquia de Divino das LaranjeirasColeta para a Associao Santa Luzia

    Dia 11 - Segunda-feira - Nono dia da Novena... Reconhecendo nEle o grande sinal de Deus. (Lc 11, 29-32)Missa - Presidida pelo Neo-sacerdote Pe. Rodrigo. - Bno das velas para a procissoColeta para o Asilo Esperana

    Dia 03 - Domingo - Abertura da Novena...Pedindo: Senhor, aumenta a nossa f. (Lc 17, 5-10)Missa - Presidida pelo Pe. Paulo.Coleta para a Cidade dos Meninos

    Dia 04 - Segunda-feira - Segundo dia da Novena... Descobrindo do quem meu prximo. (Lc 10,25-37)Missa - Presidida pelo Neo-sacerdote Pe. Eduardo. Coleta para a Toca de Assis

    Dia 05 - Tera-feira - Terceiro dia da Novena ... Escolhendo a melhor parte. (Lc 10,38-42)Missa - Presidida pelo Neo-sacerdote Pe. MessiasColeta para o GAPON

    Dia 06 - Quarta-feira - Quarto dia da Novena... Pedindo: Senhor, ensina-nos a rezar. (Lc 11,1-4)Missa - Presidida pelo Neo-sacerdote Pe. Lus Marcio Entrega da Orao do Sr. aos Jovens do catecumenato CrismalColeta para a Casa da Menina

    Dia 07 - Quinta-feira - Quinto dia da Novena... Na certeza de que para Deus nada impossvel. (Lc 1,26-38)Festa de Nossa Sra. do Rosrio - Missa - Presidida pelo Pe. Ricardo Proco da parquia Sagrado Corao de Jesus de CuparaqueColeta para o Lar dos Velhinhos

    6h - RECITAO e CONTEMPLAO dos Mistrios Glo-riosos do Santo Rosrio na Responsabilidade do Aposto-lado da Orao.

    9h - Missa presidida pelo bispo Dom Werner.

    10h30 - Carreata com a Imagem de Nossa Senhora Apare-cida - Responsabilidade dos Vicentinos.

    12h - Orao do Angellus.

    15h - Consagrao Nossa Senhora Aparecida.

    17h30 - Caminhada com a Imagem de Nossa Senhora Aparecida saindo da igreja para a Av. Paranaba, rua 36 e retornando para a igreja pela rua 8 com a participao do Reitor, Pe. Anderson e seminaristas do Seminrio Nossa Senhora Auxiliadora.

    18h - Missa Solene presidida pelo Pe. Paulo e concele-brada pelo Pe. Anderson, encerramento com a Coroao da Imagem de Nossa senhora Aparecida.

  • 2 Outubro/2010A Voz da Ilha

    - Horrio de Missas: Quartas-feiras, Sbados e Domingos: 19h30 / Domingo: 9h com crianas.- Adorao ao Santssimo todas as Quintas-feiras s 16h. Na primeira quinta-feira do ms, respon-sveis; Pe. Paulo ou Diretoria do Apostolado da Orao.- Toda ltima tera-feira do ms no Grupo de Orao.- Grupo de Orao Jesus e Maria: Toda tera-feira s 19h 30.- Atendimento paroquial (Secretaria):de segunda a sexta-feira, das 8h s 11h e das 13h s 18h.- Atedimento pastoral: Tera-feira: visita as doentes / Quarta e quinta-feira, das 9h s 11h.- Sexta-feira: confisso individual de 9h s 11h.

    Jornal da Paquia Nossa Senhora Aparecida - Ilha - (33) 3275-1720Rua 10, 46 - Ilha dos Arajos - www.paroquiadailha.com.br

    Diretor responsvel: Padre Paulo Roberto Carlos FernandesEquipe de Comunicao: Maria Lcia Cotta Soares / Sandra Pitanga

    Diagramao: Fausto Gomes (3083-5765)Impresso: Inforgraf (3275-5444)

    AGENDA PAROQUIAL

    OUTUBRO

    Dia 01 - Primeira sexta feira - Missa do Corao de Jesus com a Bno do Santssimo e o envio dos trabalhadores das bar-raquinhas da novena e festa de Nossa Senhora Aparecida

    Dia 02 - Incio das barraquinhas

    Dia 03 - Eleies - Incio da Novena de Nossa senhora Apa-recida

    De 03 12 - Conforme programao da Novena

    Dia 12 - Dia das crianas

    Dia 15 - Dia dos professores

    Dias 22, 23 e 24 - FIJ (Formao Integral de Jovens)

    NOVEMBRO

    Dia 02 - Finados - Missa s 19:30

    Dia 03 - Rito da entrega do Mandamento do Amor aos Catec-menos do Catecumenato crismal na missa das 19:30

    De 03 a 05 - Confisso dos crismandos

    Dia 05 - Celebrao penitencial para os pais e padrinhos dos crismandos

    Dia 06 - Celebrao do Sacramento da Crisma s 19:30

    Dia 06 e 07 - Estudo do tema da Campanha da Fraternidade 2011 - (Diocesano).

    palavradoproco

    Somos todos enviados

    O ms de outubro de forte apelo ao nosso corao, alm de ser o ms do Ro-srio, das crianas, dos professores, o ms da Rainha e padroeira do Brasil, e sob o olhar da Senhora Aparecida que ca-minhamos com Jesus no desejo de sermos, de fato, uma Igreja Missionria para que o evangelho possa chegar at os con ns da Terra, como ordenou Nosso Senhor.

    Mesmo que eu ou voc no seja en-viado para terras longnquas como so Francisco Xavier, no nos esqueamos que l j est algum, que con ando numa Igreja solidria foi em nosso nome. Portanto, ao longo deste ms das misses, com maior fervor, rezemos pelos mission-rios e missionrias e sejamos ns tambm missionrios e missionrias, como Santa Terezinha e que a nossa orao seja con-creta com a nossa participao generosa na campanha missionria, porque Misso Partilha, por isso peamos,

    Dai-nos a bno, Me querida, Nossa Senhora Aparecida.

    Leia abaixo o que nos escreve o D. Geraldo majella Agnelo, Cardeal Arce-bispo de Salvador.

    Depois de cuidadosa catequese com o ms vocacional e o ms bblico, a Igreja convoca e envia seus fieis para a misso. Toda a espiritualidade do seguidor de Je-sus estimulada e coroada pela atividade missionria. saldo do que o cristo rece-be em bens materiais e valores morais. a

    resposta s propostas que Jesus Cristo faz a cada instante, para que o ser humano se torne seu parceiro na histria da salvao.

    Tudo misso, desde o ministrio dos assinalados pela uno sacerdotal at o gesto mais simples da vida de um batiza-do, quando realizado em sintonia com a vontade do Pai. O cristo um missionrio quando se dedica evangelizao ou cum-pre bem as tarefas decorrentes do seu com-promisso de f e sua vocao temporal. Basta que nele exista a conscincia sincera de que nasceu e foi batizado para servir como operrio do reino de Deus. Com a sua orao, anncio e testemunho cabe-lhe transformar esta realidade, cheia de contra-dies, numa civilizao fermentada pelo evangelho e costurada com os fios resis-tentes da esperana e da solidariedade.

    Se neste mundo que h mais de dois milnios foi batizado com a gua da salvao ainda se encontram tantas marcas do egosmo e da descrena, o mo-tivo a falta de conscincia missionria na maioria dos batizados. Eles no se sentem responsveis por revelar, numa sociedade violenta e sem f, a presena de Deus Pai, que os ama loucamente e os chama para apressarem o tempo da re-conciliao e da unidade.

    Unidos todos numa misso evangeli-zadora, possvel que a humanidade se converta e caminhe solidria para a terra dos bem-aventurados.

    Fraternamente Pe. Paulo

    D. Geraldo Majella Agnelo

    Cardeal Arcebispo de Salvador

    Artigos Odontolgicos

    F: 3271-7195www.dentalibituruna.com.br

    Dr. Geraldo M. MouroCRF/mG - 4729

    Dr. Jhoner M. ResendeCRF/mG - 11001

    Dr. Marcos V. MouroCRF/mG - 4610

    Dr. Thiago M. MirandaCRF/mG - 15083

  • Outubro/2010 3

    Normalmente todos ns usamos de palavras para nos co-municar uns com os outros. o jeito mais corriqueiro e fcil! Pela fala manifestamos nossas opinies, o que pensamos, nossos sentimentos! Contudo, nem sempre nossas pala-vras dizem realmente o que queremos. Nem sempre conseguem tra-duzir nossa experincia, nosso modo de ser mais profundo! mesmo quando achamos que nos comunicamos bem, nossos interlocutores podem captar atravs de nosso tom de voz, de nossos gestos, algo que as palavras no expressam. Quando damos muito espao para nosso artista interior, ele acaba por nos atrapalhar em nossa comu-nicao. Nosso artista sabotado pelos nossos gestos, por nossa lin-guagem no-verbal. Ela revela o que queremos esconder.

    Algumas pesquisas afirmam que ns comunicamos 7% com as palavras que dizemos, cerca de 30% com o tom de voz que usamos e o restante manifestamos com o no-verbal. O no-verbal diz no s aquilo que as palavras no traduzem, mas tambm o que est es-condido atrs delas, isto , os verdadeiros significados daquilo que sentimos, vivenciamos e acreditamos e mesmo aquilo que temos medo de expressar. As palavras dizem uma coisa e nossa linguagem no-verbal pode dizer o oposto. Usamos a dupla mensagem com mais frequncia do que imaginamos. O no dito em palavras trans-mitido pelos gestos, por posturas, por expresses faciais, pela res-pirao, pelo corpo. Nossa linguagem no-verbal diz de modo mais verdadeiro aquilo que somos, qual a verdade em que acreditamos, qual a experincia que estamos vivendo. Em outras palavras, aquilo de ns mesmos que os argumentos com aparncia de lgica tentam esconder fingindo dizer, mas no conseguem esconder.

    Nem sempre dizemos o que queremos. Observe-se! Fale para si mesmo diante de um espelho olhando

    em seus olhos. Tente dizer para voc mesmo qual sua verdade e se permita sentir e admitir o que eles lhe dizem. Veja por quanto tempo voc capaz de se olhar de frente sem fugir de si mesmo, sem des-viar o olhar! Observe suas reaes emocionais, os sentimentos que brotam, as idias que perambulam