Jornal Aldeia de Caboclos Outubro de 2013

  • View
    226

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 29 do Jornal Aldeia de Caboclos

Text of Jornal Aldeia de Caboclos Outubro de 2013

  • EditorialPrezados leitores e irmos de f, dirijo-me a vocs com imensa satisfao em compartilhar o extremo suces-so do inesquecvel, empolgante, motivante e agrega-dor 4 Festival de Curimba promovido pela Escola de Curimba e Arte Umbandista Aldeia de Caboclos.

    Tivemos a grande oportunidade ao longo deste Gran-dioso Festival de presenciar o quanto as nossas tradi-es so belssimas, energizantes e harmnicas. Tudo isso atravs das brilhantes apresentaes realizadas por grupos e curimbas do Estado de So Paulo e do Rio de Janeiro.

    Admirvel vivenciar o crescimento acompanhado de altssima qualidade dos Festivais inerentes a nossa amada Umbanda.

    Prova clara de que com verdadeira unio, esprito de equipe, e todos tendo como objetivo maior a valoriza-o e o fortalecimento de nossa religio somos muito mais eficazes na divulgao dos nossos princpios e va-

    lores, sendo estes mostras cristalinas do bem, da paz e da harmonia trazida e irradiada pela Umbanda.

    Gratificante visualizar a evoluo da capacidade de realizao de grandes e memorveis eventos pelas en-tidades que representam a Umbanda e os Cultos Afro--Brasileiros em geral.

    Pois, estes cada vez mais tm conquistado seu espao na sociedade brasileira, atravs de um trabalho rduo e constante, marcado pela demonstrao da capacida-de, competncia e organizao na realizao dos mais distintos eventos, bem como pela forma respeitosa, atenciosa, sria, vibrante e com farta propriedade por meio da qual exteriorizam a essncia da religio segui-da e fomentam a paz entre povos.

    Faamos valer a clebre frase do grande pensador e pacifista Leon Tolstoi, qual seja: A arte um dos meios que une os homens. Ento, sigamos encorajan-do a arte pelas suas mais diversas formas, nos unindo

    e buscando e propiciando a unio entre as pessoas.

    Que a luz dos Bons Espritos e dos Orixs siga nos guiando e protegendo!

    Que Oxal ilumine o caminho de todos ns!

    Salve a Umbanda, que amor e caridade, Salve Zambi!

    Alexandros Barros Xenoktistakis

    EXPEDIENTE

    Diretor: Engels B. Xenok

    tistakis

    Direo de Arte: Daniel C

    oradini

    Redator: Engels B. Xenok

    tistakis

    Colaboradores: Adriano

    Camargo /

    Ronaldo Linares e

    Alexandros Xenoktistaki

    s

    Assessoria Jurdica: Alex

    andros Barros

    Xenoktistakis OAB/SP

    182.106

    contato: jornal@aldeiad

    ecaboclos.com.br

    PREVISO BARALHO CIGANOCartas: CRIANAS- CHAVE- PEIXES

    Amor - Momento ideal para quem bus-ca um novo relacionamento ou quem gostaria de renovar a sua relao. Seja mais amoroso, comece a expressar mais claramente seus sentimentos, deixando de lado todos os seus traumas de passa-do. Se permita ser feliz. No momento de buscar isolamento, momento de se abrir para novas situaes, aventuras e movimentaes.

    Profissional e Financeiro- Agora o momento de novos contatos, de abertu-ras de caminhos, at mesmo momento de desenvolver algum projeto novo. Fi-

    nanceiramente ser o momento ideal de equilibrar o que tiver em desajustes, mas cuidado com excessos de gastos por im-pulsos ou at mesmo por carncia.

    Sade- Para mulheres que pensam em engravidar, timo momento de fertilida-de. Aos homens um pouco de cuidado com lado urinrio e renal. Tenha bons hbitos, cuidando do corpo , da mente e do esprito.

    Carolina Amorim Tarloga e Terapeuta holstica

    Fone: 11- 23694241 ou 984096944. Agende agora mesmo sua consulta.

    http://esoterismoestreladooriente.blogspot.com.

  • pgina 4Ano 3 nmero 29

    Certa vez li algo a respeito das vibraes; dizia a ma-tria que, se colocarmos dois violes, um na frente do outro, e tocarmos uma nota em um deles, a mesma nota ir vibrar no outro. Eu tenho muito mais pergun-tas do que respostas, mas, se caminhando que se faz o caminho, vamos l, questionando, aprendendo, mas principalmente seguindo em frente, sempre.

    Eu ouo tanto falar na tal reforma ntima, pessoas que a buscam em livros, em palestras, em cultos, mas quem realmente pratica tal reforma? De nada adianta buscar a reforma ntima na teoria, mas no pratic-la.

    Assim como no acredito na f sem obras, tambm no acredito em reforma ntima sem mudanas. Mas o que esse objetivo to perseguido por tantas pessoas? Pra mim muito simples: no fazer ao prximo aquilo que no desejamos que faam a ns mesmos.

    Se consegussemos praticar isso, certamente alcan-aramos um grau de evoluo elevadssimo para os padres humanos.

    Vibrao, o grande segredo: dize-me o que tu vibras, e eu te direi o que atrais...no o que se faz dentro do terreiro apenas que determina quem voc , mas tambm o que voc faz fora dele, assim como poss-vel praticar a caridade o tempo todo, e no somente incorporado com seus guias.

    J passou pela cabea de vocs quantos espritos vm em busca de ajuda quando abrimos um gira? E a as-cendncia moral que temos que ter para que eles con-fiem em ns e voltem a trilhar o caminho da evoluo?

    J se deram conta da importncia de orar por esses irmos desencarnados, muitas vezes esquecidos pelos prprios parentes, abandonados prpria sorte?

    Parece natural orar por nossos pais, filhos, netos, irmos e parentes prximos, mas poucos se lembram dos que esto perdidos, sofrendo, espera de uma mo amiga que os traga de volta luz.

    Nessa misso no h lugar para vaidade, ego, orgu-lho, ganncia; a misso dos portadores da luz, que vibram o bem, praticam o bem e vivem pelo bem. Pes-soas que tm a felicidade como conceito coletivo e no individual, pessoas que se importam com os outros independentemente dos laos que os une.

    Isso se torna muito simples quando conseguimos nos colocar no lugar do outro, mas muito mais fcil virar as costas e culpar o carma, afinal, ele deve ter algo a pagar, no ? Sim, todos temos, mas se a dor ensina, o amor alm de ensinar semeia flores por onde passa.

    Vibre coisas boas, pense coisas boas, diga coisas boas. Seja um instrumento que reflete apenas boas vibraes e esteja suscetvel para que vibraes boas ecoem no seu ntimo. Mesmo diante da loucura do dia a dia, seja portador da luz. A luz que ilumina os que se perderam no caminho; a luz que resgata; a luz que cura e regenera; a luz que transforma; a luz que, quan-to mais se divide, mais de multiplica.

    Nossa realidade seria outra se praticar o bem fosse uma regra, e no uma exceo; no deixe que ningum subestime sua capacidade de mudar o mundo pra me-lhor.

    Eu sempre disse que, mesmo que nunca conseguisse mudar o mundo, morreria tentando...hoje a Umban-da me ensinou que eu j mudei o mundo pra melhor, desde o primeiro dia em que me vesti de branco, no por mim, mas por aqueles que vm em busca do que

    minha religio tem a oferecer.

    Oferea sempre o seu melhor, mesmo que ningum esteja vendo; no h nada mais gratificante do que a certeza do dever cumprido.

    Procure e encontre dentro de voc mesmo, o que no est escrito em nenhum livro, e faa desta encar-nao uma linda histria; a histria de algum que plantou sementes em todos os tipos de terreno, sem subestimar a nenhum, sabendo das inmeras possibi-lidades que nascem da f.

    A histria de algum que deixou de falar e ouvir falar de amor, e passou a pratic-lo; de algum que trocou o julgamento pelo auxlio, e a crtica pelo elogio.

    Se deseja que as coisas mudem, comece mudando voc mesmo; no caia no comodismo de pensar que de nada adianta voc fazer o que certo, se os outros no fazem. A evoluo pessoal e intransfervel, assim como o plantio opcional, mas a colheita obrigatria.

    Viva cada dia como se fosse o ltimo, no apenas porque pode realmente ser, mas sim porque voc op-tou por aproveitar a chance de fazer a diferena.

    Muita luz e ax a todos.

    UmbandaLegal

    Por Me Valria Siqueira

    Terreiro de UmbandaPai Oxssi, Caboclo 7 Flechase Mestre Z PilintraCrticas e sugestes:t.u.paioxossi@hotmail.com

    Uma Breve Reflexo

    Foto

    : D

    ivul

    ga

    o

  • pgina 6Ano 3 nmero 29

    Terminamos a PARTE 6, falando da inaugurao de cada uma das imagens em suas respectivas praas no Vale dos Orixs.

    Ao v-las, uma a uma imponentes, em meio ao verde que crescia aceleradamente, achei que seria o momento para dar forma ao meu grande sonho: colocar uma ima-gem de Oxal no local mais alto do Vale para abenoar os usurios do SANTURIO NACIONAL DA UMBANDA.

    Escolhi o lugar: uma rea de 36m2 utilizado pela Pedreira Montanho para o funcionamento das bri-tadeiras. Essa rea foi totalmente cimentada e est sobre uma rea que no nasceu - nesse longo perodo - nenhum tipo de vegetao, ou seja, a construo do no trar nenhum dano ao meio ambiente. Fizemos um projeto e demos forma a ele:

    SER A MAIOR IMAGEM DE OXAL DO MUNDO!

    Realizada de forma ecolgica, sadia e respeitando a natureza do local. Ser totalmente construda com re-cursos prprios e ter as seguintes caractersticas:

    CABEA: 2,50M DE ALTURA;

    BRAOS: 5,30M DE COMPRIMENTO;

    MOS: 1,40M;

    ALTURA DA IMAGEM: 12M;

    ALTURA DA BASE: 5M;

    ALTURA DO MONUMENTO: 17 M.

    A primeira medida foi contratar a pessoa certa para um projeto to grandioso e importante. Construmos um galpo para o trabalho e compramos o isopor ne-cessrio para o molde e... mos obra.

    Dia aps dia as feies de Oxal foram tomando for-ma e eu via orgulhosamente nascer aquela que seria a maior imagem de Oxal do mundo!

    Por ser muito grande a imagem teve que ser feita em blocos e, terminado o primeiro, o segundo bloco foi o peito e depois os braos e mos.

    Para dar a ideia do tamanho colocamos um autom-vel entre seus braos

    Bloco por bloco, a imagem tomou forma e, para mont-la necessitamos da ajuda de todos os funcion-rios. Totalmente edificada em fibra de vidro, faltava apenas estrutur-la piramidalmente em ao, juntar todos os blocos e pintar.

    A data da inaugurao j estava marcada: 15 de novembro de 2.008

    a dat