Jornal Entreposto | Outubro de 2013

  • View
    220

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal a serviço do agronegócio

Text of Jornal Entreposto | Outubro de 2013

  • Associao Brasileira dasCentrais de Abastecimento

    Um jornal a servio do agronegcio

    Diretora Geral: Selma Rodrigues Tucunduva | ANO 14 - No 161 | outubro de 2013 | Circulao nacional | Distribuio autorizada no ETSP da Ceagesp | www.jornalentreposto.com.br

    PGINA 10 PGINA 14PGINA11Artigo | Qualidade | Fiaflora |

    Frutas Legumes Verduras Diversos4,27 % -10,11 % -18,93 % --5,10 % 6,39 %AltaAlta Alta Baixa Baixa Alta

    ndice Ceagesp - setembro 2013Geral

    0,42 %

    Pescado

    Azaleias, begnias e orqudeas esto entre as mais cobiadas pelos compradores

    PGINA 27 PGINAS 5 a 8

    PGINA 12IAC |

    Agro |

    Cultura |

    Defesa |

    PGINA 16 a 22

    PGINA 02

    PGINA 27

    PGINAS 5 a 8

    PAULO FERNANDO Clonagem de clulas-tronco garante oferta de plantas com variedades excepcio-nais de cores, tamanhos e formas. As orqudeas tm sido um grande laboratrio para experincias biotecno-lgicas.

    Primavera triplica vendas de flores

    Bolso de livros incentiva o hbito da leitura no mercado atacadista da Ceagesp

    Dia Mundial da Alimentao: muito a comemorar, muito ainda por fazer

    Evento de paisagismo rene solues para o cotidiano urbano

    Estudo do CQH analisa a adoo da paletizao no pavilho MFE-B

    Anvisa divulga normas na utilizao do Acefato

    Programas estimulam a criao de novas cultivares de pssego

    Entreposto do Livro facilita o acesso ao conhecimento

    Ps-Graduao em Agricultura Tropical e Subtropical

    Resduos orgnicos

    Descarte de feira livre em So Paulo comea a virar adubo

    Recorte e leve o guia de compras fcilNesta edioMapa e dicas que vo agilizar seus negcios na Feira de Flores do entreposto paulistanojornalentreposto.com.br

    PROHORT Cotao e preos dos principais produtos hortigranjeiros do Brasil est disponvel no site do JE

  • 02 JORNAL ENTREPOSTOUm jornal a servio do agronegciooutubro de 2013

    Paulo Fernando Costa / Carolina de Scicco / Letcia Doriguelo Benetti / Paulo Csar Rodrigues

    Lanada em julho, ao re-alizada pelo Grupo de Mdia Entreposto incentiva o hbi-to da leitura e facilita o acesso dos frequentadores do maior mercado atacadista da Amrica Latina a obras literrias de di-versos gneros.Livros podem ser retirados de segunda a sexta-feira em ho-rrio comercial, no escritrio do Jornal, localizado no Edifcio Sede II, ao lado da farmcia.O bolso funciona atravs doaes e para contribuir bas-ta levar o exemplar ao local ou entrar em contato com o Grupo de Mdia Entreposto e solicitar a retirada. J para pegar obras emprestadas, preciso se ca-dastrar na recepo mediante apresentao de documento com foto.Confira alguns ttulos

    disponveis no Entreposto do Livro:

    Visite o Entreposto do Livro

    Sade pelas plantas, Eliza S. Biazzi

    Talvez eu no tenha vivido em vo, Fabio Cyrino Um homem de sorte, Nicholas Sparks

    1808, Laurentino GomesTurismo no site:

    Entreposto do livro

    Sugestes de pesqueiros no entorno da cidade de So Paulowww.jornalentreposto.com.br

  • maro de 2011 03Editorial 03outubro de 2013Um jornal a servio do agronegcioJORNAL ENTREPOSTO

  • 04 Primavera JORNAL ENTREPOSTOUm jornal a servio do agronegciooutubro de 2013

    Paulo Fernando De So PauloA estao mais colorida do ano faz a alegria de quem ven-de flores no maior mercado atacadista da Amrica Latina. De acordo com o orquidlogo Erwin Bohnke, a demanda du-rante a primavera 50% maior, em relao aos sete primeiros meses do ano.Se levarmos em considera-o apenas o inverno, o volu-me de vendas triplica, afirma o especialista, ao ressaltar que os floricultores que comerciali-zam sua produo no Pavilho MLP (Mercado Livre do Produ-tor) costumam cultivar esp-cies que florescem nesta poca.Entre as plantas mais cobi-adas pelos compradores, es-to azaleias, violetas, begnias e orqudeas. E o melhoramento gentico de algumas espcies tem possibilitado a produo de variedades mais atraentes e de vida til mais longa.Este o caso da mitnia, tambm conhecida como or-qudea-amor-perfeito, uma planta muito consumida nos tempos atuais e cujo vaso est custando entre R$ 10 e R$ 30. A colorao mais escura, explica Bonhke, resultante de pesqui-sas envolvendo seus genes.

    Essa flor possui textura

    Comrcio de flores em ascensoClonagem de clulas-tronco garante oferta de plantas com variedades excepcionais de cores, tamanhos e formas no mercado paulistano

    acetinada e mais substncia, alm de ser mais resistente aos dias secos, informa. Atualmen-te, a mitnia , predominante-mente, procurada por decora-

    tura do azul com o vermelho. Portanto, o colorido azul fica mais acentuado durante a ma-drugada, conta.Quando amanhece, as or-qudeas ficam um pouco mais vermelhas. Por isso, eu sempre digo que mais fcil vend-las na madrugada do que durante o dia. A cor azulada a preferida de quem compra e, geralmente, garante preo melhor em qual-quer exposio, acrescenta.

    BiotecnologiaA clonagem via meristemas, as clulas-tronco das plantas, tambm permite a produo de variedades excepcionais em termos de tamanho, forma e quantidade de flores e no somente cor. A partir de uma nica matriz, possvel produ-zir milhares de vezes a mesma planta selecionada. O processo meristemtico, que hoje em dia largamente empregado na cana-de-acar, intensifica a produo, reduz a demanda por espao para o cul-tivo, economiza tempo e, com um produto melhor, o produtor ganha em preo, salienta.Neste contexto, as orqude-as tm sido um grande labo-ratrio para experincias de clonagem de espcies vegetais em todo o mundo. Depois de confirmado o melhoramento gentico, isso aplicado em ou-tros cultivos de larga escala. No Brasil, temos batatas e bananas clonadas, informa. Embora o pas tenha avan-ado no campo da proteo propriedade intelectual, o des-respeito s leis que protegem o conhecimento ainda motivo de preocupao para quem de-senvolve melhorias genticas. Imagine uma planta que tenha potencial para produzir cinco mil exemplares idnticos. Se cada plantinha for vendida a R$ 10, isso resulta numa re-ceita de R$ 500 mil. Ento, essa matriz vale, pelo menos, R$ 50 mil, exemplifica.O desrespeito legislao leva produtores a patentear suas variedades fora do Brasil. Apesar disso, possvel acio-nar na Justia nacional quem reproduz uma planta via me-ristema ou qualquer outro pro-cesso para comercializao. En-to, muito importante ter seu registro, ou seja, manter sua patente, e exigir esse direito, finaliza Bohnke.

    dores e outros compradores especializados que passam pelos corredores do MLP nas teras e sextas-feiras, das 2h s 10h. Segundo Bohnke, a ilumi-nao fluorescente branca do pavilho acentua a cor azul das plantas. As orqudeas, de uma forma geral, tm um colorido lils, que proveniente da mis-

    FOTOS: PAULO FERNANDO

    Orqudea-amor-perfeito: textura mais acetinada e resistncia baixa umidade so resultados de melhoramento gentico

  • Feira de FloresCEAGESP

    Guia Fcil

    Os produtos vendidos na Feira de Flores da CEAGESP so trazidos de municpios como Holambra, Atibaia, Artur Nogueira, Aruj, Biritiba Mirim, Bragana Paulista, Embu Gua, Bom Jesus dos Perdes. O pblico que freqenta a Feira composto especialmente de comerciantes de flores floriculturas, paisagistas, mercados e distribuidores, que representam 60% do total.

    Na Feira de Flores possvel encontrar de tudo, de rosas colombianas a rvores frutferas para o jardim. No faltam acessrios como vasos importados, tesouras de poda e fitas para enfeitar pacotes. Tudo acontece no MLP - Pavilho do Mercado Livre do Produtor, no corao da Ceagesp. O galpo de 20 mil

    2m , que sai da frente da praa do relgio do complexo, rene mais de mil produtores. E um dos grandes atrativos o preo, que chega a ser a metade do cobrado em floriculturas.

    MadrugadaQuem vai Ceagesp tem de madrugar mesmo. Chegando cedo na feira, at pelo menos s 5 horas, pode-se encontar as melhores opes, j que as boas coisas acabam rpido. Por volta das 7 horas comea um notvel esvaziamento no estoque. Como dizem os floristas: "o sacrifcio de acordar cedo compensa."

    A Feira de Flores de So Paulo acontencia na Praa Charles Mller, em frente ao Estdio do Pacaemb, at 1967, quando o governo estadual decidiu realiz-la na Ceagesp.

    Hoje, ponto tradicional de compras da cidade, a Feira de Flores, um conglomerado de produtores e revendedores, que pelo seu colosso, pode muitas vezes deixar o consumidor que gosta de plantas, mas no especialista um tanto desorientado.

    Para a judar neste passeio, o Jornal Entreposto preparou este roteiro especial, com dicas para uma boa compra.

    dia: local:

    dia: local:

    Estacionamento para veculos de passeio:

    No necessrio nenhum cadastro prvio e somente veculos utilitrios no pagam, ficam estacionados nas laterais dos pavilhes.

    TERA E SEXTA-FEIRAMLP-Mercado Livre do Produtor

    das 05h00 s 10h30 Entrada pelo Porto 4 na Av. Dr. Gasto Vidigal, 1946 ou pelo Porto 13 na Av. Naes Unidas

    SEGUNDA E QUINTA-FEIRAPBC-F, na Praa da Batata, Cebola e

    Flores, das 03h00 s 10h00 Entrada apenas pelos Portes 6 e 7 na Av. Dr. Gasto Vidigal, 1946(em frente ao Bradesco)

    pago R$6,00 a primeira hora e R$2,00 as demais. Entrada pela Av. Dr. Gasto Vidigal ou Av. Naes Unidas.

    ACESSO FEIRA

    O QUE VOCPRECISA SABER

    No entanto, muitos profissionais que j tem contato com seus fornecedores conseguem comprar em torno das 2 horas.

    Estacionamento Interno (entrada pela Av. Naes Unidas ou pela Av. Gasto Vidigal, porto 4.

    bom parar por aqui, porque os carregadores s podem levar as mercadorias dentro do Ceagesp. Carregadores - Opte pelos carregadores do Sindicato dos Carregadores (Sindicar), que usam uniforme laranja e cobram R$10 por carrinho cheio.

    Antes de contratar o servio bom combinar um ponto de encontro com o carregador, para o caso de um se perder do out