Jornal Viva Leste - Edição 46

  • View
    214

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Viva Leste - Março de 2014.

Text of Jornal Viva Leste - Edição 46

  • 01 Jornal Viva Leste, maro de 2014www.vivaleste.com.br

    VIVA LESTEA SERVIO DO DESENVOLVIMENTO E DA QUALIDADE DE VIDA

    Um novoJornal para uma nova Zona Leste

    30 de maro 2014Edio 46

    Dir. ResponsvelLuiz Antonio Cruz

    Vice-prefeita visita So Miguel e fala da Copa do Mundo na ZL Pg. 3 Um jovem empreendedor de sucesso Pg. 6

    Vereadores aprovam em 1 votao projeto sobre corredores de nibus

    Divulgao/Subprefeitura So Miguel

    Pg. 2

    Alckmin entrega 457 novas viaturas para as polcias Civil e Militar de SP

    Pg. 5

    Foto: Divulgao

    Divulgao

    Divulgao

    AmbientalReciclalix

    Tel. 11 2671-8685

    ESPECIALIZADA EM SOLUES AMBIENTAIS, GERENCIAMENTO, COLETA, TRANSPORTE E DESTINAO DE RESDUOS

    www.reciclalix.com.br

    Depois das frustradas tentativas de

    aprovar o Projeto de Lei 17, de 2014,

    que de ne o realinhamento de ruas e

    avenidas destinadas a receber cerca

    de 150 quilmetros de corredores de

    nibus na cidade, o prefeito Fernando

    Haddad (PT) conseguiu, nalmente, a

    vitria em primeira votao na Cmara

    Municipal na noite de tera-feira (18),

    em sesso tumultuada.

  • 02 Jornal Viva Leste, maro de 2014 www.vivaleste.com.br

    Cidade

    Depois das frus-tradas tentativas de aprovar o Projeto de Lei 17, de 2014, que define o realinhamen-to de ruas e avenidas destinadas a receber cerca de 150 quilme-tros de corredores de nibus na cidade, o prefeito Fernando Ha-ddad (PT) conseguiu, finalmente, a vitria em primeira votao na Cmara Municipal na noite desta tera-feira (18), em sesso tumultuada. Com a base pacificada, a pro-posta foi aprovada por 36 votos contra 10 e uma absteno (Toni-nho Vespoli, do PSol).

    Com o alto qurum de 47 parlamentares (oito a menos que o total de 55 da casa), os votos contrrios foram do PSDB e dos verea-

    dores Ricardo Young (nico representante do PPS) e Gilberto Na-talini, do PV.

    Os vereadores aprovaram, tambm, uma emenda, fruto de acordo de lideran-as, que retira a pre-viso de alargamento da avenida Nossa Se-nhora do Sabar (zona sul), que era um dos pretextos alegados pela base do governo, na reunio do plenrio na semana passada, para esvaziar a sesso, que acabou encerrada por falta de qurum.

    O lder do PT na Cmara, Alfredo Al-ves Cavalcante, o Al-fredinho, disse que a base foi pacificada aps conversas e de-bates e que, dessa for-ma, os resistentes en-tenderam melhor o

    projeto. Segundo ele, os debates vo conti-nuar. Alguns verea-dores passaram a en-tender que o projeto no era o que a oposi-o falava. Compreen-deram que possvel ter mais conversas e debates para a segun-da votao.

    Desde o meio da tarde, com o qurum alto, as conversas de bastidores e a postura da oposio que des-de cedo usava estra-tgias de obstruo indicavam que o texto passaria.

    A oposio con-turbou a sesso, ten-tou obstruir a votao usando vrios expe-dientes regimentais. J noite, diante da leitura de dois relat-rios de substitutivos do PSDB e do PSD, os

    ExpedienteJORNAL VIVA LESTEDiretor Resposvel - Luiz Antonio CruzAnncios - 98062-5204- jornalvivaleste@gmail.comTiragem 20 mil exemplares distribudos gratuitamente30/03 - Maro de 2014 - www.vivaleste.com.br

    Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas e se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros. A maioria da populao concorda com essas duas afirmaes, segundo estudo do Ipea.

    Haddad consegue aprovao de corredores de nibus em So Paulo

    T r a b a l h a d o r e s demitidos sem justa causa h no mnimo um ms e no mximo seis meses, que ten-ham trabalhado pelo menos seis meses contnuos no ltimo emprego, podem so-licitar bilhetes espe-ciais para utilizar os servios do Metr e da CPTM. O bilhete, isento de tarifas, v-lido por 90 dias e no renovvel.

    No caso do Metr, o desempregado deve se cadastrar na Es-

    tao Marechal Deo-doro, na Linha 3-Ver-melha, de 2 a 6 feira, das 8h30 s 16h, apre-sentando RG, Carteira Profissional e Termo de Resciso Contrat-ual original. Ao utili-zar o Metr, o cidado deve estar sempre portando sua carteira profissional.

    O cidado que for utilizar a CPTM deve solicitar a Credencial para o Trabalhador Desempregado. O credenciamento fei-to na Estao Barra

    Funda de segunda a sexta-feira (exceto feriados) das 8h s 16h, mediante apre-sentao de RG, CPF, Carteira de Trabalho com a baixa do lti-mo emprego e Termo de Resciso de Con-trato de Trabalho.

    Os usurios po-dem buscar mais informaes nos tel-efones: 3291-3934 ou 3291-3935 (Metr) e 0800 055 0121 (CPTM).

    Metr e CPTM oferecem bilhetes gratuitos para quem est desempregado

    vereadores tucanos, liderados por Floria-no Pesaro, ameaaram derrubar o projeto na Justia como acon-teceu com o IPTU. O lder do PSD, Jos Police Neto, por fim, retirou o substitutivo de seu partido e a vo-tao final foi acelera-da. O substitutivo do PSDB foi rejeitado.

    De acordo com os tucanos e com o vere-ador Ricardo Young, o PL 17 no poderia ser aprovado por tratar de temas que deve-riam estar no contex-to do Plano Diretor. Este projeto foi feito revelia do Plano Di-retor e comprometer as prximas quatro gestes, disse An-drea Matarazzo.

    Os vereadores da base governista disse-

    ram que a estimativa de que sero desapro-priados 7 mil imveis exagerada. Nabil Bonduki (PT) afirma que o projeto de lon-go prazo e que even-tuais desapropriaes sero feitas com tem-po. O fato de aprovar o projeto no significa que as medidas sero implantadas exata-mente nesse alinha-mento. um projeto preventivo. O fato de ter alinhamento no significa que obriga-toriamente ter desa-propriaes, disse.

    Estamos numa situao de conflito entre interesses indi-viduais e interesses difusos, coletivos, de uma benfeitoria geral para a cidade. No estou dizendo que o interesse privado no

    tem que ser preser-vado, precisam ser garantidos os direi-tos das pessoas. Mas, muitas vezes, para fazer projetos de inte-resse da cidade, voc vai afetar pessoas in-dividualmente.

    Porm, segundo Bonduki, o projeto vai continuar sendo deba-tido, j que a imple-mentao no se dar no curto prazo. Pode haver modificaes no prprio projeto ou depois dele aprova-do, em torno de cada projeto especfico da cidade.

    Por Eduardo Maretti, da RBA

    De pai pra lho e cada vez melhor

    Por Bruno Caetano

    No meio rural, com frequncia as peque-nas propriedades pas-sam de pai pra filho e este, uma vez no co-mando, segue repetin-do o modelo usado at ento. O risco dessa prtica cair na estag-nao e ser colocado para trs pela concor-rncia.

    Com Heraldo no foi diferente. Aos 45 anos de idade e cerca de 30 de experincia no campo, ele herdou o stio da famlia, no interior de So Paulo, e passou a cuidar da produo de caf.

    quela altura, He-raldo estava ciente de que precisava ampliar seus conhecimentos, pois queria dar novo flego ao seu negcio. Ele admite que, apesar de ter crescido vendo

    o pai na lavoura, ain-da no tinha bagagem suficiente para colocar seu empreendimen-to em patamar mais elevado. Segundo ele, tudo era feito de for-ma muito primria.

    Heraldo procurou orientao do Sebrae-SP para dar a guinada que pretendia. Foram feitas mudanas na parte administrativa, na produo e na es-tratgia de vendas. Adquiriu maquinrio novo e todo o proces-so, da colheita ao en-sacamento, pde ser realizado no prprio stio.

    Dois anos depois, a situao j estava bem diferente. De acordo com Heraldo, o prin-cipal ganho foi poder produzir cafs espe-ciais e exportar. Hoje, alm de vender no mercado interno por meio de parcerias com associaes regionais, seu caf chega Euro-pa. Heraldo conta que antes no havia a pre-ocupao de separar os gros e todos, com e sem defeito, iam para a mesma saca. Foi a partir da seleo dos melhores que sua produo teve condi-es de ultrapassar as

    fronteiras.A lio que fica

    do relato de Heraldo que a acomodao, seja no campo ou em qualquer outro ne-gcio, uma praga a ser combatida. Se ele tivesse se limitado a apenas replicar o mo-delo antigo, nunca teria ido adiante. O produtor rural buscou conhecimento, incor-porou novidades e viu seu mercado crescer. Teve conscincia e hu-mildade de que pre-cisava de ajuda e foi busc-la.

    Qualificao, boas prticas de gesto e inovao devem sem-pre estar presentes em todo empreendi-mento. assim que se mantm a competiti-vidade.

    Escreva para mim (bcaetano@sebraesp.com.br) e conte sua histria. Seu exemplo ou dvida podem ser um timo ponto de partida para falarmos de assuntos de inte-resse geral.

    Bruno Caetano diretor superinten-dente do Sebrae-SP

    Divulgao

    Divulgao

  • 03 Jornal Viva Leste, maro de 2014www.vivaleste.com.br

    Rede Hora Certa em Itaim Paulista realiza 4,3 mil consultas e 3,2 mil exames em 3 meses

    Nosso Bairro

    Aps recorde no nmero de multas de trnsito, So Paulo ter um aumento de 40% na quantidade de radares espalhados pela cidade a partir de abril. O nmero de equipamentos vai passar de 601 para 843. No ano passado a arrecadao da prefeitura com multas de trnsito atingiu R$ 850,5 milhes. A estimativa que neste ano o valor suba para R$ 1,2 bilho.

    O prefeito Fernan-do Haddad visitou nesta tera-feira (25) a unidade Hora Cer-ta de Itaim Paulista, na zona leste da ca-pital. Inaugurado em dezembro de 2013, o equipamento j reali-zou 4.387 consultas, 202 cirurgias e 3.261 exames. O programa reduziu em cerca de 20% a fila por aten-dimentos no Sistema nico de Sade (SUS) na cidade.

    A Rede Hora Cer-ta amplia a oferta de consultas com espe-cialistas e a realizao de exames e de peque-nas cirurgias, reduzin-do o tempo de espera por este tipo de aten-dimento. Segundo o prefeito, at o fim de 2015 cada subprefei-tura ter uma unidade fixa do programa.

    Nosso objetivo entregar 32 unidad