Latim avançado - PT BR

  • View
    239

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Latim avançado - PT BR

  • CURSO DE LATIM

    CURSO DE LATIM

    INTRODUO

    Este curso foi planejado em 18 lies, cada uma para ser feita em duas semanas, perfazendo um total de 36 semanas. Note que um tempo bastante curto para um domnio razovel da matria, e por isso este curso exigir de voc uma boa dose de disciplina e aplicao. Ao final, voc pode esperar ler textos originais em latim, de uma gama bem variada de autores, com a ajuda de um dicionrio.J de incio voc deveria adquirir uma gramtica de latim. A Gramtica Latina, de Napoleo Mendes de Almeida, Editora Saraiva, embora alvo de crticas por parte de alguns educadores, ainda uma boa obra, a mais barata e a mais fcil de ser encontrada. Outras gramticas existem no mercado, como a Gramtica da Lngua Latina, de Ernesto Farias, da Fundao de Assistncia ao Estudante, e a Gramtica Latina, de Antnio Freire, editada pela Livraria Apostolado da Imprensa, em Braga, Portugal. Essas so mais difceis de serem encontradas, mesmo pela Internet.No menos importante a compra de uma gramtica de portugus, de preferncia uma que seja usada no Ensino Mdio, com exerccios no fim de cada captulo. Aqui questo de escolha: h dezenas delas no mercado. Evite comprar uma gramtica superior usada em faculdades, pelo menos por enquanto: essas se voltam para aspectos lingsticos no-triviais, distantes do tipo que encontraremos neste curso.Outra dica a compra de um bom dicionrio. Todo dicionrio tem suas falhas, e dificilmente um pode ser tomado como ideal. No entanto, sugerimos o Dicionrio Latino-Portugus, de F. R. dos Santos Saraiva, da Livraria Garnier. Este teve sua primeira edio nos fins do sculo XIX, e hoje o temos em fac-smiles da edio de 1927. Existem outros bons dicionrios no mercado. Voc ter mais necessidade de um dicionrio ao fim do curso, pois em cada lio daremos glossrios especficos.Notamos ainda, por fim, que este curso tem sua estrutura baseada no livro Latin: An Intensive Course, de F. L. Moreland e Rita M. Fleischer, editado pela University of California Press, do qual tiramos ainda alguns dos exerccios. Esse livro caracteriza-se pela apresentao no usual da matria, e desde o princpio supe no leitor um certo talento para tpicos de morfologia. Pode ser que voc estranhe a grande carga de informaes em cada lio, mas pretendemos dirimir as dificuldades nos exerccios subseqentes, os quais fornecemos em abundncia. No , todavia, nosso curso, nem uma traduo, nem uma adaptao.Passemos agora para uma breve explicao sobre a pronncia do latim.Como este no um curso para se falar latim, no daremos uma grande ateno pronncia das palavras. Essa ficar mais ou menos livre, ao gosto do leitor. No entanto, para efeito de futuros estudos, exporemos as principais caractersticas da chamada pronncia reconstituda, ou tambm restaurada, exatamente a que vem sendo adotada em escolas de todo o mundo, baseada em pesquisas recentes sobre os mais provveis sons que os Romanos atribuam a cada letra, embora no haja em alguns pontos um uniformidade de opinies. bom saber que no Brasil so praticados tambm dois outros tipos de pronncia, a pronncia tradicional brasileira e a pronncia romana. A primeira adaptada ao uso dos brasileiros, e tambm a mais usada em frmulas jurdicas; a segunda consiste na

  • correta pronncia italiana, usada pela Igreja Catlica. Quanto ortografia, no h diferenas.Estas so as principais caractersticas da pronncia restaurada (entre parnteses a pronncia e a marcao do acento tnico):a) ae e oe, ditongos, so pronunciados i e i: nautae (nutai)b) c soa sempre como k: Cicero (Kkero)c) ch soa tambm como k: pulcher (plker)d) g sempre como gue ou gui: angelus (nguelus)e) h levemente aspirado, quase como o h do inglsf) j soa sempre como i (nos livros recentes, de fato, o j sempre substitudo, na escrita, pelo i)g) m e n nunca so nasais: campus (k-m-pus, e no kpus)h) r nunca como rr: Roma (rma, com o r pronunciado como em barato)h) s sempre como ss: rosa (rssa)i) u do grupo qu sempre pronunciado: qui, quem (ki, kem)j) v sempre como u: vita (uta) (nos livros recentes o v sempre substitudo, na escrita, pelo u)k) x como ks: maximus (mksimus)l) z como dz: Zeus (dzeus)m) as letras restantes (a, b, d, e, f, i, l, o, p, t, y) so pronunciadas como em portugus.ltima observao: letras dobradas como ll, tt, mm, etc., devem ser pronunciadas separadamente: uma coisa coma e outra comma.Para mais informaes, consulte a gramtica de latim que voc escolheu e, se possvel, para um tratamento mais detalhado e cientfico da pronncia, a Gramtica Latina, de Antnio Freire.

    Quanto acentuao tnica, os Romanos faziam distino entre vogais breves e vogais longas, estas ltimas com o dobro de durao das primeiras. Na prtica, essa diferena perceptvel apenas com o treino. No insistiremos nesse ponto.Mas para efeitos de acentuao tnica, os Romanos usavam a regra da penltima: se a penltima vogal for longa, ela recebe o acento; se curta, o acento recua para a antepenltima, se for o caso.Para a maioria das palavras a posio das vogais longas e breves deve ser memorizada. Existem, contudo, algumas poucas regras que nos ajudam em alguns casos como, por exemplo, as seguintes:1) vogal seguida de outra vogal geralmente breve: filius (flius; o i antes do u breve; portanto o acento recua);2) vogal seguida de duas consoantes geralmente longa: puella (o e vem antes de duas consoantes; longo e, portanto, acentuado). Note que s nos interessa saber a quantidade (longa ou breve) da penltima vogal. Atente tambm para o fato de que em latim no existem palavras com acento na ltima slaba (oxtonas).Todas as vogais de uma palavra tm sua quantidade bem definida. Do seu conhecimento depende a compreenso dos ritmos da poesia latina, matria que no abordaremos neste curso. Apenas quando for estritamente necessrio pronncia, indicaremos a slaba tnica com o acento grave ( `): mpleo. Adotaremos essa conveno somente neste curso. Ateno: o acento grave que adotamos, por conveno, indica apenas a slaba tnica, e nunca sua quantidade, se longa ou breve! No sendo dada nenhuma outra informao, as palavras sero pronunciadas como se fossem escritas em portugus.Outros livros costumam marcar as vogais longas com um trao sobre a vogal (chamada de macro), e as breves com um circunflexo invertido (chamado de braquia), tambm

  • sobre a vogal. Como antes, recomendamos aos interessados a consulta das gramticas indicadas.Falamos acima das pronncias do j (que sempre pronunciado como i) e do v (que sempre pronunciado como u). Na verdade, essas letras foram introduzidas no alfabeto romano na Idade Mdia. Os Romanos conheciam e utilizavam apenas o V maisculo no incio das palavras. j e v so marcas mais recentes criadas para indicar a semivogal de ditongos. Isso causa uma confuso tremenda no momento de se procurar uma palavra no dicionrio. Por exemplo, a palavra iam no se encontra na letra i, mas na j, pois tradicionalmente a escrevamos como jam (de onde veio nossa palavra j). Como a maioria dos dicionrios e gramticas mantm o uso de usar as letras j e v, recomendamos que as palavras comeadas por i e u, se no encontradas, sejam tambm procuradas nas letras j e v. Neste curso faremos uma substituio parcial: todo j ser substitudo por i, mas no todo v por u. Visamos com isso preservar a forma como originalmente muitas palavras passaram lngua portuguesa: vivo, e no uiuo, por exemplo. Com o tempo e com a prtica em livros diferentes, editados em vrias pocas, essa dificuldade desaparecer naturalmente.Bom trabalho!

    LIO 1A. O sistema verbal

    O portugus guarda muitas caractersticas em comum com o latim. Como provavelmente j de seu conhecimento, o portugus derivou-se de uma forma popular de latim falado na regio de Portugal, sendo uma de vrias outras lnguas neolatinas, como o italiano, o espanhol e o francs, para citar as mais conhecidas.Tambm o sistema verbal portugus guardou uma ntima relao com o latino, no sendo os dois, no entanto, perfeitamente equivalentes. Durante este curso veremos exatamente onde os dois divergem. As diferenas devem ser bem aprendidas para uma boa traduo: nem sempre a forma latina ter uma traduo fixa, principalmente no caso do subjuntivo.O sistema verbal latino possui as seguintes caractersticas:1. Pessoa: as formas verbais do latim indicam a pessoa que fala, se a primeira (eu, ns), a segunda (tu, vs) ou a terceira (ele/ela, eles/elas), sem que necessariamente exijam a presena do pronome para indicar qual seja. Assim, se dizemos em portugus amas, sabemos que se trata da segunda pessoa (tu amas). Em latim ocorre o mesmo: amas significa tu amas, ou simplesmente amas.2. Nmero: as formas verbais latinas indicam se o sujeito singular ou plural: amas (tu amas, singular); amatis (vs amais, plural).3. Tempo: as formas verbais latinas indicam se a ao se d no passado, no presente ou no futuro. Mas como existe a preocupao de se distinguir se a ao foi completada ou se est em curso no momento pedido, o latim, como em portugus, vai dividir seus tempos passado e futuro. Note as diferenas: amavi, eu amei; amabam, eu amava; amveram, eu amara (ou eu havia amado).4. Voz: as formas verbais latinas distinguem dois tipos de voz: a ativa indica que o sujeito realiza a ao, e a passiva indica que o sujeito de alguma forma recebe a ao. Note: amo, eu amo; amor(pronuncie mor), eu sou amado.5. Modo: as formas verbais latinas distinguem trs modos verbais. Por modo entendemos a maneira como o sujeito concebe a ao verbal. O modo indicativo o modo do fatual, e usado para se fazer afirmaes e perguntas; o modo subjuntivo

  • usado para expressar idia, inteno, desejo, potencialidade ou suposio; e o modo imperativo usado em ordens.

    B. Os tempos do indi