Click here to load reader

Língua Portuguesa

  • View
    67

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Língua Portuguesa

  • SUPERINTENDNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NCLEO DE ORIENTAO PEDAGGICA

    GERNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

    GABARITO COMENTADO DA 3 AVALIAO DIAGNSTICA DE LNGUA PORTUGUIESA DO 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

    Questo 1.

    Leia o texto abaixo.

    A gansa dos ovos de ouro

    Fbula de Esopo, recontada por Ana Maria Machado.

    Era uma vez um casal de camponeses que tinha uma gansa muito especial. De vez em quando, quase todo dia, ela botava um ovo de ouro. Era uma sorte enorme, mas em pouco tempo eles comearam a achar que podiam ficar muito mais ricos se ela pusesse um ovo daqueles por hora, ou a todo momento que eles quisessem. Falavam nisso sem parar, imaginando o que fariam com tanto ouro. Que bobagem a gente ficar esperando que todo dia saia dessa gansa um pouquinho... Ela deve ter dentro dela um jeito especial de fabricar ouro. Isso era o que a gente precisava. Isso mesmo. Deve ter uma maquininha, um aparelho, alguma coisa assim. Se a gente pegar pra ns, no precisa mais de gansa. ... Era melhor ter tudo de uma vez. E ficar muito rico. E resolveram matar a gansa para pegar todo o ouro. Mas dentro no tinha nada diferente das outras gansas que eles j tinham visto s carne, tripa, gordura... E eles no pegaram mais ouro. Nem mesmo ganharam um ovo de ouro, nunca mais.

    MACHADO, Ana Maria. O Tesouro das Virtudes para Crianas. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1999.

    (P04017MG) O ditado popular que melhor combina com essa histria A) A unio faz a fora. B) Quem tudo quer tudo perde.... C) De gro em gro a galinha enche o papo. D) A vingana tarda, mas no falha.

    Descritor 04 Inferir uma informao implcita em um texto

    Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer uma ideia implcita em um texto, seja por meio da identificao de sentimentos que dominam as aes externas dos personagens, em um nvel bsico, seja com base na identificao do gnero textual e na transposio do que seja real para o imaginrio. importante que o aluno apreenda o texto como um todo, para dele retirar as informaes solicitadas.

    Expectativas de aprendizagem:

    Ler com fluncia

  • Identificar informaes implcitas para a compreenso de textos narrativos Interpretar texto inferindo uma ideia implcita

    ANLISE DA QUESTO Neste item os alunos so solicitados a relacionar a fbula A gansa dos ovos de ouro a

    um ditado popular, o que requer que atribuam sentido ao que est enunciado no texto para deduzir o que lhes foi solicitado. Para chegar alternativa correta, os alunos devero compreender que a atitude das personagens em matar a gansa para pegar todo o ouro foi gananciosa e egosta, alm de lhes ter causado um grande prejuzo, uma vez que dentro da gansa no haver nada a no ser tripas e gordura. Portanto, o ditado popular que melhor combina com a fbula quem tudo quer tudo perde, gabarito b.

    Questo 2

    Leia o texto abaixo.

    O prncipe sapo

    Uma feiticeira muito m transformou um belo prncipe num sapo, s o beijo de uma princesa desmancharia o feitio.

    Um dia, uma linda princesa chegou perto da lagoa em que o prncipe morava. Cheio de esperana de ficar livre do feitio, ele lhe pediu um beijo. Como ela era muito boa, venceu o nojo e, sem saber de nada, atendeu ao pedido do sapo: deu-lhe um beijo. Imediatamente o sapo voltou a ser prncipe, casou-se com a princesa e foram felizes para sempre.

    Seieszka, Jon. O patinho realmente feio e outras histrias malucas. So Paulo: Companhia das letrinhas, 1997, [s. p]. (P050060CE_SUP)

    (P050060CE) O que deu origem aos fatos narrados nesse texto? A) O beijo da princesa. B) O feitio da feiticeira. C) O nojo da princesa. D) O pedido do sapo.

    Descritor 7 - Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa

    Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade do aluno em reconhecer os fatos que geram o conflito ou que motivam as aes das personagens, originando, assim, o enredo do texto. Toda narrativa obedece a um esquema de constituio, de organizao, que, salvo algumas alteraes, compreende as seguintes partes:

    I) Introduo ou Apresentao corresponde ao momento inicial da narrativa, marcado por um estado de equilbrio, em que tudo parece conformar-se normalidade. Do ponto de vista da construo da narrativa, nesta parte, so indicadas as circunstncias da histria, ou seja, o local e o tempo em que decorrer a ao e apresentadas as personagens

  • principais (os protagonistas); tal apresentao se d por meio de elementos descritivos (fsicos, psicolgicos, morais, e outros).

    II) Desenvolvimento e complicao corresponde ao bloco em que se sucedem os acontecimentos, numa determinada ordem e com a interveno do(s) protagonistas. Corresponde, ainda, ao bloco em que se instala o conflito, a complicao em que os antagonista(s) tenta(m) impedir o protagonista de realizar seus projetos, normalmente positivos.

    III) Clmax corresponde ao bloco em que a narrativa chega ao momento crtico, ou seja, ao momento em que se viabiliza o desfecho da narrativa.

    IV) Desfecho ou desenlace corresponde ao segmento em que se d a resoluo do conflito.

    Expectativa de aprendizagem: Localizar e compreender os elementos constituintes de texto narrativo (personagens, aes, tempo e espao).

    ANLISE DA QUESTO Neste item, os alunos so solicitados a indicar o que originou os fatos narrados no

    texto. Para chegar alternativa correta, letra b, necessrio que compreendam que se caso uma bruxa no tivesse transformado o prncipe em sapo, ele, provavelmente, no teria encontrado a princesa e se casado com ela. Portanto, o feitio da bruxa d incio aos fatos narrados. por meio dele (do feitio) que a narrativa comea a ser construda. O clmax da narrativa acontece no momento em que a princesa beija o prncipe, desmanchando o feitio, e o desfecho, no momento em que se casam.

    Questo 3

    Leia o texto abaixo.

    Disponvel em: (P050073A9_SUP)

    (P050073A9) No ltimo quadrinho, as interrogaes em cima das cabeas do menino e da menina indicam que eles

    A) brigaram, porque o menino fez uma careta para a menina. B) ficaram em dvida se deviam desligar ou ficar vendo TV.

  • C) ficaram preocupados com a situao de falta de energia. D) queriam saber o que eram aparelhos eletrodomsticos.

    Descritor 14 - Identificar o efeito de sentido decorrente o uso da pontuao e de outras notaes.

    A habilidade que pode ser avaliada por meio deste descritor a de identificar o efeito de sentido provocado pelo uso da pontuao e de outras notaes. relevante ressaltar que no est em jogo aqui a funo gramatical da pontuao: questionar, exclamar, etc, mas, sim o efeito de sentido que ela pode causar. Um ponto de interrogao, por exemplo, pode ter o efeito de desafiar ou de intimidar. Observe o poema O capoeira de Oswald de Andrade:

    O Capoeira

    - Qu apanh sordado? - O qu? - Qu apanh? Pernas e cabeas na calada.

    No trecho que apanh sordado?, percebe-se que o efeito de sentido provocado pelo ponto de interrogao o de desafiar, e no o de interrogar apenas.

    Expectativa de aprendizagem: Reconhecer o valor expressivo dos sinais de pontuao.

    ANLISE DA QUESTO Neste item os alunos so solicitados a identificar o efeito de sentido provocado pelo

    uso da pontuao sobre a cabea do menino e da menina. Para que concluam que a alternativa correta a letra b, eles devero interpretar a tirinha como um todo para compreender que h uma contradio na fala do apresentador ao dizer que todos os eletrodomsticos devero ser desligados, mas que os telespectadores devero continuar ligados para maiores informaes. Os alunos tambm devero observar a expresso de dvida apresentada pelo menino e pela menina no ltimo quadrinho.

    Questo 4

    Leia o texto abaixo.

    Cuidado

    Depois da chuva, o menino vestiu uma roupa azul muito bonita e saiu todo alegre para brincar. A me avisou: Cuidado! A roupa nova, no v se sujar. Pouco depois o menino voltou com a roupa suja de lama. A me, zangada, falou: Mas voc no sabia que a roupa estava limpinha? Que roupa custa dinheiro? Ser que voc no sabe que menino educado no fica deste jeito? Tudo isso eu sei. O que eu no sabia que o carro ia passar bem na poa dgua e jogar lama em mim.

  • (P050042CE) O menino ficou sujo de lama porque A) a me ficou zangada. B) era desobediente. C) era mal educado. D) o carro jogou lama nele.

    Descritor 8 estabelecer a relao causa/consequncia entre partes e elementos do texto

    Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer o motivo pelos quais os fatos so apresentados no texto. O aluno solicitado a estabelecer relaes entre as diversas partes que o compem, averiguando as relaes de causa e efeito, problema e soluo, entre outros.

    Expectativa de aprendizagem: Ler e compreender, estabelecendo relao direta entre causa e efeito.

    ANLISE DA QUESTO Neste item os alunos so solicitados a reconhecer o porqu de o menino ter ficado

    sujo de lama. O motivo pelo qual se sujou explicitamente dito por ele no trecho O que eu no sabia que o carro ia passar bem na poa dgua e jogar lama em mim. Portanto, o gabarito a letra d

    Questo 5. Leia o texto abaixo.

    5

    10

    15

    O MACACO E A VELHA

    Havia uma velha, muito velha, chamada Marocas. Ela possua um lindo bananal. Mas a coitadinha da velha comia poucas bananas, pois havia um macaco que lhe roubava todas.

    Um dia, Marocas, cansada de ser roubada, teve uma ideia. Comprou no armazm vrios quilos de alcatro e com ele fez um boneco. Colocou-o num grande tabuleiro e o le