MANUAL para Associa§µes e Cooperativas de .MANUAL MANUAL MANUALMANUAL MANUAL MANUAL MANUAL para

  • View
    458

  • Download
    8

Embed Size (px)

Text of MANUAL para Associa§µes e Cooperativas de .MANUAL MANUAL MANUALMANUAL MANUAL MANUAL...

  • MANUAL

    MANUAL

    MANUAL MANUALMANUAL

    MANUAL

    MANUAL

    para Associaes e Cooperativas de Catadoras e Catadores de Materiais Reciclveis

    MANUALDE GESTO ADMINISTRATIVA

  • 1

    FUNDAO LUTERANA DE DIACONIA

    Manual de Gesto Administrativa para Associaes e Cooperativas de

    Catadoras e Catadores de Materiais Reciclveis

    Porto Alegre, 2016

  • 2

    Coordenao

    Marlu Tellier, coordenadora do projeto Catadoras e Catadores em Rede

    Fortalecendo a Reciclagem Popular (FLD)

    Angelique van Zeeland, assessora programtica (FLD)

    Redao

    Paulo Galante

    Martn Zamora

    Colaborao

    Cooperativas e associaes de catadoras e catadores que integram o projeto

    Reviso

    Marivone Cechett Sirtori

    O projeto Catadoras e Catadores em Rede Fortalecendo a Reciclagem Popular

    foi executado pela Fundao Luterana de Diaconia (FLD), em parceria com o

    Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Reciclveis (MNCR) e com

    patrocnio do Programa Petrobras Sociambiental.

    Fundao Luterana de Diaconia

    Rua Dr. Flores, 62/901

    Porto Alegre RS

    90020-120

    +55-51- 3225.9066

    www.fld.com.br

    http://www.fld.com.br/
  • 3

    SUMRIO

    APRESENTAO..........................................................................................................4

    ADMINISTRANDO UM EMPREENDIMENTO AUTOGESTIONRIO...................5

    SETOR ADMINISTRATIVO.........................................................................................6

    CONTABILIDADE.........................................................................................................7

    DOCUMENTOS NECESSRIOS..................................................................................8

    ANEXO I FICHA DE MATRCULA..........................................................................9

    ANEXO II TERMO DE ENTREGA DE KIT EPI .....................................................10

    ANEXO III TERMO DE RESPONSABILIDADE DE MATERIAL........................11

    ANEXO IV CONTROLE DE SADA.......................................................................12

    ANEXO V RECIBO INDIVIDUAL DE PRODUO.............................................14

    ANEXO VI FOLHA PARTILHA..............................................................................15

    ANEXO VII - ADVERTNCIA...................................................................................16

    ANEXO VIII DECLARAO DE RENDIMENTOS..............................................17

    ANEXO IX CONTROLE DE ORAMENTOS........................................................18

    ANEXO X CONTROLE DE EMISSO DE CHEQUES..........................................19

    ANEXO XI RELAO DE BENS ADQUIRIDOS..................................................20

    ANEXO XII RELATRIO FOTOGRFICO DE OBRAS.......................................21

    REFERNCIAS.............................................................................................................22

  • 4

    APRESENTAO

    A presente publicao tem por objetivo auxiliar as catadoras e catadores que se

    encontram organizados em associaes e cooperativas de reciclagem e comercializao

    de resduos slidos urbanos nas tarefas de registro e controle das atividades produtivas.

    Este trabalho resultante do projeto Catadoras e Catadores em Rede que tem nas

    suas diretrizes informar e formar catadoras e catadores sobre temas estratgicos,

    buscando fortalecer seu protagonismo, o desempenho de suas atividades e a afirmao

    de seus direitos. O projeto foi elaborado e executado pela Fundao Luterana de

    Diaconia e pelo Movimento Nacional de Catadoras e Catadores de Materiais

    Reciclveis, com o patrocnio do Programa Petrobrs Socioambiental. Sua atuao se d

    em 37 municpios do Rio Grande do Sul, atendendo 36 associaes e cooperativas, com

    a participao de 784 catadoras e catadores.

    A iniciativa busca promover a justia econmica e socioambiental, atravs do

    avano na autogesto da cadeia produtiva da reciclagem. Para isso, imperativo o

    fortalecimento de redes de associaes e cooperativas, a incidncia em polticas

    pblicas e a adoo da reciclagem popular.

    Equipe da FLD

  • 5

    ADMINISTRANDO UM EMPREENDIMENTO AUTOGESTIONRIO

    Este manual se dirige s cooperadas e aos cooperados que assumiram a

    desafiante tarefas de organizar o setor administrativo de uma cooperativa ou de uma

    associao de catadoras e catadores de materiais reciclveis.

    Diferente do que alguns possam pensar, o desafio no se deve apenas falta de

    qualificao das pessoas. As tarefas do administrativo costumam ser rotineiras e exigem

    cuidado e dedicao. Em muitos casos, as cooperadas e os cooperados frente do

    administrativo chegam no empreendimento com experincias anteriores em empresas

    privadas, mas justamente aqui que se apresenta o desafio que apontamos. Se nas

    empresas privadas os dados do administrativo e, principalmente, do setor financeiro tm

    o acesso restringido aos donos da empresa, na cooperativa ou na associao estas

    informaes devem ser divulgadas para todas e todos aqueles que nela trabalham.

    Como nos lembra o professor Paul Singer, o que diferencia a empresa privada

    daquela que pratica a autogesto justamente que esta ltima se administra

    democraticamente. Se o empreendimento for pequeno, todas as decises podem ser

    tomadas em assembleias, com a participao direta de todos os scios. Quando este

    grande ou seus membros se encontram em mais de um lugar de trabalho, as assembleias

    so mais raras, ento cada ncleo deve conversar e fazer chegar coordenao a sua

    posio sobre o assunto em discusso. Aquelas decises de rotina so de

    responsabilidade das coordenadoras e dos coordenadores escolhidas e escolhidos pelo

    grupo.

    Desta forma, uma das tarefas de quem administra garantir que as informaes

    importantes para o bom andamento da cooperativa ou da associao no fique apenas na

    sala do administrativo. Ela deve chegar a todas e todos que no empreendimento

    trabalham.

    Todavia, um empreendimento autogestionrio no pode se contentar com a livre

    circulao de informaes. Deve-se garantir que cada associada ou associado possa

    expor sua opinio para os demais, permitindo uma tomada de deciso coletiva. Aqui,

    novamente, o setor administrativo de uma cooperativa ou associao deve ter

    participao ativa. Nas assembleias, reunies de comisses, reunies de coordenao e

    outras, o administrativo deve munir o grupo de informaes para evitar que fique

    qualquer dvida na discusso. Uma informao errada pode levar a uma tomada de

    deciso errada.

  • 6

    SETOR ADMINISTRATIVO

    Para que uma cooperativa ou associao funcione bem no basta apenas ter uma

    boa produo. necessrio cumprir outras tarefas como anotar o quanto se produz,

    quantas pessoas trabalharam para chegar a esta produo, o que foi necessrio comprar

    e que quantidades, a que preo e para quem foram vendidos os materiais reciclveis.

    Esta uma tarefa to importante quanto as demais, pois atravs dela que

    podemos organizar melhor os dados e o histrico de funcionamento da associao ou

    cooperativa. Alm disto, atravs da boa organizao dos dados que podemos garantir a

    transparncia das informaes geradas ao longo do processo produtivo.

    Para tanto, sugerimos as seguintes tarefas para a pessoa ou equipe responsvel

    por este processo:

    1. Realizar o lanamento dos dados produzidos nas etapas do processo produtivo

    nas devidas planilhas.

    2. Registrar e acompanhar a veracidade dos dados.

    3. Realizar a sistematizao dos dados a fim de apresentar em assembleia para os

    associados ou cooperados, ou mesmo para fcil acesso de qualquer catadora ou

    catador que queira requisit-los.

    4. Negociar e efetivar a venda dos materiais reciclveis.

    5. Emitir nota fiscal de venda.

    6. Preencher o livro caixa.

    7. Buscar novos compradores com melhores preos.

    8. Entrar em contato com organizaes prximas e organizar a comercializao

    conjunta para conseguir comercializar a melhor preo.

    9. Realizar o clculo da partilha e os pagamentos nas datas previstas conforme

    planejamento interno.

    10. Ter organizao para consulta dos valores dos pagamentos pelas demais

    catadoras e catadores.

    11. Apresentar a Prestao de Contas (entradas, sadas e pagamentos) e o Balano

    Mensal envolvendo as despesas e as possibilidades de novos investimentos e de

    aumento da produo.

  • 7

    12. Garantir a transparncia por meio da socializao das informaes atravs das

    assembleias, dos murais, por e-mail ou outros informativos existentes.

    13. Manter o cadastro dos cooperados atualizado.

    14. Realizar os procedimentos burocrticos de integralizao e desligamento de

    cooperados(as) ou associados(as).

    15. Manter toda documentao da cooperativa ou associao organizada e

    atualizada (negativas de dbito, atas...).

    16. Manter lista de contatos atualizada.

    17. Estar atento aos prazos de vencimento de mandato e necessidade de renovao

    de documentao.

    CONTABILIDADE

    A contabilidade trabalha com o registro e acompanhamento do patrimnio da

    cooperativa ou associao. O patrimnio tudo o que o empreendimento tem, tanto os

    ativos dinheiro no banco, dinheiro a receber de contratos, mquinas e equipamentos,

    veculos, imveis, etc.- quanto os passivos contas a pagar,