MARGARETH DE FÁTIMA FORMIGA MELO DINIZ ZELMA .Avaliação da Educação Superior –SINAES, seus

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of MARGARETH DE FÁTIMA FORMIGA MELO DINIZ ZELMA .Avaliação da Educação Superior –SINAES, seus

1

2

MARGARETH DE FTIMA FORMIGA MELO DINIZREITORA

EDUARDO RAMALHO RABENHORSTVICE-REITOR

ALINE NADEGE DE S MONTECHEFE DE GABINETE

PR-REITORIA DE ADMINISTRAO

ZELMA GLEBYA MACIEL QUIRINOPR-REITORA

PR-REITORIA DE ASSISTNCIA ESTUDANTIL

THOMPSON LOPES DE OLIVEIRAPR-REITOR

PR-REITORIA DE GESTO DE PESSOAS

FRANCISCO RAMALHO DE ALBUQUERQUEPR-REITOR

PR-REITORIA DE PLANEJAMENTO

MARCELO SOBRAL DA SILVAPR-REITOR

PR-REITORIA DE GRADUAO

ARIANE NORMA MENEZES DE SPR-REITORA

PR-REITORIA DE PS-GRADUACO E PESQUISA

ISAAC ALMEIDA DE MEDEIROSPR-REITOR

PR-REITORIA DE EXTENSO E ASSUNTOS COMUNITRIOS

ORLANDO DE CAVALCANTI VILLARPR-REITOR

SERGIO FERNANDES ALONSOPREFEITO UNIVERSITRIO

NCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

PEDRO JCOME DE MOURA JUNIORDIRETOR

3

COMISSO PRPRIA DE AVALIAO CPA

Maria Elba Dantas de Moura Pereira (presidente)

Adilis Oliveira da Rocha

Antnio Arajo de Sousa

Antnio Sales da Silva

Emanuelle Cabral Vieira da Costa

Fernanda Vanessa Gomes da Silva

Josias Henrique de Amorim Xavier

Jucielli dos Santos Rodrigues

Manoel Pedro Alexandre Mineiro Simes e Silva

Paulo Csar Gglio

Renata Paes de Barros Cmara

Roseni Nunes de Figueiredo Grisi

Severino Elias Sobrinho

COMISSO EXECUTIVA DE AVALIAO INSTITUCIONAL CEAI

Maria Elba Dantas de Moura Pereira (presidente)

Cristine Hirsch Monteiro

Emlia Maria Porto de Arajo Lemos

Flavia de Oliveira Paulino

Manuel Juan Rojas Bunevich

Raelson Farias de Arajo

Stela de Lourdes Ribeiro de Mendona

4

COMISSO DE ELABORAO DO RELATRIO DA DIMENSO 4

Paulo Csar Gglio

Josias Henrique de Amorim Xavier

Severino Elias Sobrinho

COMISSO DE ELABORAO DO RELATRIO DA DIMENSO 7

Fernanda Vanessa Gomes da Silva

Cristine Hirsch Monteiro

Renata Paes de Barros Cmara

COMISSO DE ELABORAO DO RELATRIO FINAL

Maria Elba Dantas de Moura Pereira

Emanuelle Cabral Vieira da Costa

Manoel Pedro Alexandre Mineiro Simes e Silva

ESTAGIRIOS

Emanuelle Cabral Vieira da Costa

Manoel Pedro Alexandre Mineiro Simes e Silva

LOGSTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAO,

TABULAO DOS DADOS E EXPRESSO GRFICA

Prof. Joo Crisstomo de Morais

DIAGRAMAO / CAPA

Prof. Joo Crisstomo de Morais

Joo Pessoa / PB Maro / 2014

5

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARABA

COMISSO PRPRIA DE AVALIAO

RELATRIO DE AUTOAVALIAO INSTITUCIONAL 2013

Relatrio de Autoavaliao Institucional

da Universidade Federal da Paraba

UFPB - 2013 aprovado pela CPA na sua

Segunda Reunio Ordinria de 2014,

realizada em 20 de maro de 2014, na sala

de reunies da Pr-Reitoria de Graduao

PRG.

6

LISTA DE SIGLAS

UFPB UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARABA

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAO DA EDUCAO SUPERIOR

CPA COMISSO PRPRIA DE AVALIAO

CEAI COMISSO EXECUTIVA DE AVALIAO INSTITUCIONAL

ENADE EXAME NACIONAL DE DESENPENHO DOS ESTUDANTES

SIGAdmin SISTEMA DE ADMINISTRAO DOS SISTEMAS (TCNICA E GESTO)

PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

CBIOTEC CENTRO DE BIOTECNOLOGIA

CCA CENTRO DE CINCIAS AGRRIAS

CCAE CENTRO DE CIENCIAS APLICADAS E DA EDUCAO

CCEN CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E DA NATUREZA

CCHLA CENTRO DE CIENCIAS HUMANAS E LETRAS

CCHSA CENTRO DE CIENCIAS HUMANAS SOCIAIS E AGRRIAS

CCJ CENTRO DE CIENCIAS JURDICAS

CCM CENTRO DE CIENCIAS MDICAS

CCS CENTRO DE CIENCIAS DA SADE

CCSA CENTRO DE CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS

CCTA CENTRO DE COMUNICAO, TURISMO E ARTE

CE CENTRO DE EDUCAO

CEAR CENTRO DE ENERGIAS ALTERNATIVAS E RENOVVEIS

CI CENTRO DE INFORMTICA

CT CENTRO DE TECNOLOGIA

CTDR CENTRO DE TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL

INEP INSTITUTONACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANSIO TEIXEIRA

MEC MINISTRIO DA EDUCAO

IES INSTITUIO DE ENSINO SUPERIOR

STI SUPERINTENDNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

CAPES COORDENAO DE APERFEIOAMENTO DE PESSOAL DE NVEL SUPERIOR

SERES SECRETARIA DE REGULAO E SUPERVISO DA EDUCAO SUPERIOR

NBR NORMA DA ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS

BC BIBLIOTECA CENTRAL

7

SUMRIO

1. INTRODUO

2. METODOLOGIA

8

9

3. PROCEDIMENTOS REALIZADOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO AVALIATIVO: 10

4. PROCESSO AVALIATVO DA DIMENSO 4

4.1- ANLISE DOCUMENTAL, COM BASE NO PDI PARA A DIMENSO 4.

4.2-RELATRIO DA DIMENSO 4, COM BASE NO QUESTIONRIO APLICADO

3. O INSTRUMENTO DA COLETA DE DADOS

4. RESULTADOS DA AVALIAO

5. PROCESSO AVALIATIVO DA DIMENSO 7

1.ANLISE DOCUMENTAL COM BASE NO ADITAMENTO AO PDI 2009-2012 EM 2013.

2.ANLISE DOCUMENTAL COM BASE NOS RELATRIOS DE AVALIAOINSTITUCIONAL EXTERNA PRODUZIDOS EM 2009 E 2013.

3. ANLISE DOCUMENTAL COM BASE NOS RELATRIOS DE AVALIAO DOS CURSOS

10

10

10

11

12

15

15

15

DE GRADUAO ENCAMINHADOS PELO INEP, REFERENTES AOS ANOS DE 2012 E 2013 16

4.ANLISE DOCUMENTAL FOCADA NOS RELATRIOS DO ENADE DE 2010 E DE 2011, (COM

BASE NAS RESPOSTAS AO QUESTIONRIO APLICADO AO ESTUDANTE, NO QUESITO

INFRAESTRUTURA) 19

5.RELATRIO DA DIMENSO 7 COM BASE NO QUESTIONRIO APLICADO COMUNIDADE

ACADMICA DA UFPB, NO PERODO DE OUTUBRO A NOVEMBRO DE 2013. 22

6. RELATRIO DA CENTRAL DE AULAS - Perodo: Novembro/2013 (Semestre letivo 2013.2) 43

7. RELATRIO DA BIBLIOTECA CENTRAL (pesquisa in loco) 44

6. POSSIBILIDADES, POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES 48

1. DIMENSO 4 48

2. DIMENSO 7 49

7. CONSIDERAES FINAIS 50

8. REFERNCIAS 51

ANEXOS 51

Este Relatrio de Autoavaliao Institucional da Universidade Federal da Paraba UFPB,

ano 2013, contempla inicialmente, como previsto e aprovado no Projeto de autoavaliao

institucional da Universidade Federal da Paraba UFPB 2013-2017, a Dimenso 7 -

Infraestrutura e a Dimenso 4 - Comunicao com a sociedade.

Cumpre ressaltar que a escolha dessas duas dimenses deveu-se s fragilidades nelas

encontradas pelas recentes comisses de avaliao, conforme se verifica nos relatrios de avaliao

institucional externa - tanto no de 2009, quanto no de 2013, nos relatrios de avaliao de cursos e

nos relatrios do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Enade, esses ltimos tomados,

ambos, por amostragem, como se pode ver no corpo deste relatrio.

Admitindo-se que todo processo avaliativo exige sensibilizao e pactuao, demanda tempo

e compromisso de toda a comunidade acadmica e, ainda, se constitui instrumento epistemolgico

para o pensamento e para a ao poltica no espao pblico, a autoavaliao institucional das duas

dimenses referidas representava um grande desafio para toda a instituio.

Assim, norteadas pela metodologia prevista no projeto, a partir de antes e durante a coleta das

informaes apresentadas ao longo deste relatrio, as comisses internas de autoavaliao

institucional (CPA e CEAI) visitaram os 16 Centros da UFPB, para divulgar o Sistema Nacional de

Avaliao da Educao Superior SINAES, seus objetivos e instrumentos em cumprimento ao

Programa de Sensibilizao da Comunidade Acadmica e, complementarmente, para apresentar

comunidade universitria os integrantes da CPA e da CEAI, suas atribuies e suas competncias.

Dentre as vrias conquistas propiciadas pelo empenho dessas comisses, coloca-se em

destaque a de ter levado uma expressiva parcela da comunidade acadmica a participar desse

processo avaliativo, conforme mostram os grficos (Anexo 3), com os seguintes percentuais por

categoria: 6,2% dos 31. 837 alunos de Graduao e de Ps-Graduao; 42% dos 2.248 Docentes e

29,9 % dos 2.558 servidores tcnico-administrativos.

oportuno registrar que essa muito discreta participao do alunado fez com que o

percentual geral de participao da comunidade acadmica no processo avaliativo, redundasse em

10%. Dessa forma, as anlises das respostas coletadas na pesquisa o que adiante se faz, revelam, de

maneira majoritria, as opinies dos docentes e do corpo tcnico-administrativo.

8

1. INTRODUO

2. METODOLOGIA

Conforme a doutrina, as avaliaes podem ser classificadas em trs grupos distintos, embora

se admita combinaes entre eles. No primeiro grupo, a avaliao se relaciona com os objetivos e,

neste caso, avaliar determinar a consecuo de certos objetivos. Em outro grupo esto as avaliaes

que recolhem, descrevem e analisam as informaes, sem emitir juzos. O terceiro grupo

judicativo, ou seja, defende que avaliar determinar o mrito (valor intrnseco e inerente) ou o valor

(extrnseco e relacionado ao uso). (NEVO, 1986)

O Sistema Nacional de Avaliao da Educao Superior SINAES, por sua vez, preceitua a

avaliao democrtica, participativa, e formativa. Nessa perspectiva, a autoavaliao institucional

definida como um processo que compreende participao social, reconhecimento da pluralidade de

concepo dos procedimentos avaliativos e discusso dos significados polticos.

A avaliao em tela foi pautada na observncia desses preceitos e, ainda, no sentimento

predominante na comunidade acadmica, externalizado nas respostas aos questionrios especficos

para as