PROF. PANTHERA

Embed Size (px)

DESCRIPTION

PROF. PANTHERA. RELAÇÕES ECOLÓGICAS. Relações Harmônicas Intra-específicas (dentro da mesma espécie ). SOCIEDADE. São agrupamentos de indivíduos da mesma espécie que têm plena capacidade de vida isolada mas vivem em interação - PowerPoint PPT Presentation

Text of PROF. PANTHERA

  • RELAES ECOLGICAS

    PROF. PANTHERA

  • SOCIEDADECOLNIASo agrupamentos de indivduos da mesma espcie quetm plena capacidade de vida isolada mas vivem em interao coletiva com ntima diviso de trabalho. Os indivduos de uma sociedade tm independncia fsica uns dos outros.Exemplos: Insetos sociais (Abelhas, cupins e formigas)Agrupamento de indivduos da mesma espcie que revelam profundo grau de interdependncia e se mostram ligados uns aos outros, sendo-lhes impossvel a vida quando isolados do conjunto, podendo ou no ocorrer diviso do trabalho.

    Relaes Harmnicas Intra-especficas (dentro da mesma espcie)

  • RELAES ECOLGICAS INTRA-ESPECFICAS DESARMNICAS CANIBALISMOCanibal o indivduo que mata e come outro da mesma espcie. Ex.: ocorre com escorpies, aranhas, peixes, planrias, roedores, etc.

    COMPETIOPrejuzo para os seres envolvidos.

  • Relaes Harmnicas Interespecficas (entre espcies diferentes) Protocooperao (+,+) NO OBRIGATRIA Inquilinismo (+,0) Comensalismo(+,0) Mutualismo (+,+) OBRIGATRIA

  • MUTUALISMO PROTOCOOPERAOAssociao na qual duas espcies envolvidas so beneficiadas, porm, cada espcie s consegue viver na presena da outra, associao permanente e obrigatria entre dois seres vivos de espcies diferentes.Ex: Lquens, micorrizas, tubo digestivo de ruminantes,bactrias e razes de leguminosas, protozorios e Cupins.Trata-se de uma associao bilateral, entre espcies diferentes, na qual ambas se beneficiam; contudo, tal associao no obrigatria, podendo cada espcie viver isoladamente.Ex: Caranguejo-eremita, pssaro-palito e crocodilo, anu e gado, insetos polinizadores.

    RELAES ECOLGICAS HARMNICAS

  • RELAES ECOLGICAS HARMNICAS

    InquilinismoComensalismoAssociao em que apenas uma espcie (inquilino) se beneficia, procurando abrigo ou suporte no corpo de outra espcie (hospedeiro), sem prejudic-lo. Ex: Pepino-do-marAs epfitas so plantas que crescem sobre outras plantas sem parasit-las, usando-as apenas como suporte. Ex.: as orqudeas e as bromlias.

    uma associao em que uma das espcies a comensal beneficiada, sem causar benefcio ou prejuzo ao outro (no-comensal). Ex:Tubaro e rmora

  • RELAES INTERESPECFICAS DESARMNICASParasitismo (+,-) Predatismo (+,-) Amensalismo (-,0) Competio (- , -)

  • RELAES ECOLGICAS DESARMNICAS PARASITISMOO parasitismo caracterizado pela espcie que se instala no corpo de outra, dela retirando matria para a sua nutrio e causando-lhe, em conseqncia, danos cuja gravidade pode ser muito varivel, desde pequenos distrbios at a prpria morte do indivduo parasitado.Relao Hospedeiro/Parasita.

    PREDATISMOO predatismo o ato de um animal capturar outro para alimentar-se. O predador e a presa pertencem a espcies diferentes. Os predadores so geralmente maiores e menos numerosos que suas presas, sendo exemplificados pelos animais carnvoros. Relao Presa/Predador.

  • RELAES ECOLGICAS DESARMNICASAMENSALISMO (antibiose)Relao na qual uma espcie bloqueia o crescimento ou a reproduo de outra espcie, denominada amensal, atravs da liberao de substncias txicas. a relao em que um dos seres prejudicado sem que disso resulte benefcios para o outro.Ex: mar vermelha, antibiticos, etc.Prejuzo para a espcie inibida, com ou sem benefcio para a espcie inibidora. COMPETIO Prejuzo para ambas as espcies.

  • Princpio de Gause (Princpio da excluso competitiva) O Princpio de Gause diz respeito ao processo de competio inter-especfica que acontece quando duas espcies diferentes habitam um mesmo ambiente e tm nichos muito semelhantes. Assim duas espcies no podem ocupar um mesmo nicho por muito tempo, uma delas ir sempre prevalecer, pois mais adaptada quele habitat.

  • Espcies separadasEspcies juntas

  • Princpio de Gause