Regulamento Oficial de provas de MTB 2017 - cbc.esp.br ?· ESTE REGULAMENTO SEGUE AS NORMAS DA UCI/CBC.…

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

Regulamento Oficial FCP para provas de MTB em 2017 ESTE REGULAMENTO SEGUE AS NORMAS DA UCI/CBC.

REGULAMENTO OFICIAL DE PROVAS DE MTB DA FEDERAO DE CICLISMO DO PIAU.

I - DISPOSIES INICIAIS

ART. 01 - O Presente regulamento se aplica os clubes, ligas, ciclistas, dirigentes, mecnicos, tcnicos auxiliares, motoristas, comissrios, etc. e aqueles que de alguma forma estejam envolvidos nas provas de responsabilidade ou superviso da FEDERAO DE CICLISMO DO PIAU.

ART. 02 - Todas as pessoas envolvidas nas provas, bem como na organizao das mesmas esto obrigadas a conhecer e acatar o presente regulamento, no podendo alegar desconhecimento aos preceitos aqui expostos.

ART. 03 - Todo o desrespeito ou infrao as normas e regras aqui estabelecidas devero ser severamente passivas de penalidades de acordo com as normas vigente no cdigo nacional de disciplina desportiva.

ART. 04 - Todos os envolvidos esto sujeitos aplicao deste regulamento, tanto nas imediaes como no local de competio antes, durante e aps a realizao das provas.

ART. 05 - O Objetivo deste regulamento normalizar e regulamentar a prtica do desporto do ciclismo, facilitando a participao dos ciclistas, dirigentes e atuao do colgio de comissrios, bem como do diretor tcnico.

II CATEGORIAS

ELITE/SUB 23:(NAS 1995 A 1998) CRITRIO TCNICO OU OPO DO ATLETA

SUB-23: 19 A 22 ANOS (NASC. ENTRE 1995 A 1998) (fica apenas elite)

SUB-30: 23 A 29 ANOS (NASC. EM 1988 A 1994)

JUNIOR: 17 A 18 ABAIXO (NASC EM 1999 A 2000)

JUVENIL: 15 A 16 ANOS (NASC. EM 2001 A 2002)

MASTER A1 30 A 34 ANOS (NASC. EM 1983 A 1987)

MASTER A2 35 A 39 ANOS (NASC. EM 1978 A 1982)

MASTER B1 40 A 44 ANOS (NASC. EM 1973 A 1977)

MASTER B2 45 A 49 ANOS (NASC. EM 1968 A 1972)

MASTER C1 50 A 54 ANOS (NASC. EM 1963 A 1967)

OVER 55 ACIMA (NASC. AT 1962)

ELITE FEMININO: CRITRIO TCNICO OU OPO DA ATLETA

FEMININO MASTER: (NASCIDAS ANTES DE 1987 OU QUE NUNCA PARTICIPARAM DE PROVAS OFICIAIS)

ART. 06 - A categoria escolhida pelo atleta na sua filiao, ser a mesma para todo o campeonato do ano vigente. Se o atleta optar mudar de categoria aps j ter participado de provas em outra categoria, o mesmo perder os pontos anteriormente conquistados como tambm em provas de ranking nacional no ter os seus pontos computados para o ranking nacional da CBC.

a) O atleta que optar pela categoria elite no inicio ou durante todo o campeonato permanecer na elite at o final do campeonato.

III INSCRIES

ART. 07 - As inscries para s competies das etapas do campeonato piauiense devero ser feitas pelo menos 48 horas antes do incio da prova no site www.sprinta.com.br/fcp ou no site indicado pela FCP (carto ou boleto bancrio). Em hiptese alguma haver inscrio no dia da prova.

ART. 08 O valor da inscrio ficar a encargo do organizador do evento, podendo dar ou no cortesias e descontos nos valores definidos por eles.

IV FILIAO

ART. 09 - O CICLISTA, para filiar-se a FCP, atravs de seu clube ou individualmente, dever preencher corretamente seu cadastro ou estar sujeito a no ser cadastrado em funo de falta de informaes ou informaes erradas.

a) No caso de menor de idade o atleta ter que ter autorizao dos pais ou responsvel;

V TRANSFERNCIAS

ART. 10 - Todo ciclista filiado somente poder transferir-se para outro estado mediante pagamento de taxa de transferncia conforme o regulamento da CBC, ou ter que ficar um ano sem competir filiado a nenhuma federao.

ART. 11 - Caso o clube ou ciclista omitam a informao de sua filiao anterior, estaro sujeitos a severas penalidades de acordo com o regulamento geral da CBC.

VI NMEROS

ART. 12 - Sero fornecidos number plat (placa) e dorsal, os quais no podero ser dobrados ou recortados, devero estar bem fixados no guido na frente dos cabos e conduites e nas costas centralizado na altura do bolso da camisa.

ART. 13 - O alfinete dever ser passado duas vezes pelo numero para melhor fixao, evitando desta forma o rompimento.

ART. 14 - Sob nenhuma hiptese o ciclista poder portar nmeros diferentes daqueles a ele designados, oficiais da FCP.

ART. 15 - O ciclista que durante a prova ou chegada, estiver com qualquer nmero solto e, alguma de suas extremidades, impossibilitando sua leitura ter sua desclassificao a no ser que for comprovado por um comissrio ou diretor da prova que foi um acidente.

VII LARGADA

ART. 16 A Largada da prova ser ordenada por categoria e fica a critrio do Comissrio Chefe da prova nomeado pela FCP a largar em blocos, por categoria com intervalos determinados por ele ou uma nica para todas as categorias.

ART. 17 Sero alinhados na primeira linha os 5 primeiros no ranking da UCI/CBC/FCP de cada categoria e os mesmos tero direito de escolha da posio de largada.

ART. 18 - Os horrios determinados para largada sero rigorosamente obedecidos no se admitindo adiamento, salvo em casos fortuitos ou seja de fora maior e sempre pr deciso do diretor da prova ou do presidente.

ART. 19 - O ciclista dever dar a largada mantendo um dos ps no cho, salvo em provas especificas que assim o determinem.

ART. 20 - Excepcionalmente em caso de necessidades o horrio da largada poder ser antecipado.

ART. 21 - O ciclista dever estar presente na largada ou local determinado pelo diretor da prova, no mximo com 05 (cinco) minutos antes do horrio programado para largada.

ART. 22 - No momento da largada o ciclista dever estar atento s orientaes do diretor sobre a prova, e logo aps as largadas ciclistas que chegar a atraso no mais poder participar da mesma.

ART. 23 - O Comissrio Chefe de prova alm de poder mudar a ordem de largada caso julgue conveniente, poder tambm declarar que houve uma largada falsa se, por alguma razo, um ou vrios ciclistas forem prejudicados. A largada ser repetida assim que o problema for solucionado.

ART. 24 - Ser obrigatria a presena do atleta na largada neutralizada, caso contrrio o atleta no larga.

ART. 26 - De acordo com a necessidade poder haver largadas simblicas. Neste caso os ciclistas devero seguir na velocidade determinada pela direo da provas.

ART. 27 - No caso de acontecer a largada simblica, a largada oficial poder acontecer aps uma breve parada ou com o peloto em andamento.

ART. 28 - Em circuito facultativo ao diretor de prova ou comissrios fazer realizar a volta de reconhecimento ou start lups ( Volta de apresentao)..

VIII PERCURSO - APOIO MECNICO E VECULOS DE APOIO.

ART. 29 - A prova ser realizada com qualquer tempo, a no ser catstrofe, ou por falta de batedores das autoridades de transito e mdicas. A competio ser realizada com qualquer condio climtica, a no ser catstrofe, ou por ordens da Direo de prova ou do comissrio chefe.

ART. 30 - As provas podero ser realizadas em estradas pavimentadas ou no, tipo: trilhas, picadas, rodovias Federais ou Estaduais, etc.

ART. 31 Cross-Country Olmpico (XCO) - O circuito de uma prova de XCO dever ser de no mnimo 4km e no mximo 6km, a ser repetido em vrias voltas. A preferncia para o formato do circuito em forma de trevo.

ART. 32 Poder Ser adotado o corte dos 80% para a 1 volta em todas as categorias. Os atletas que forem cortados tero a sua posio anotada

de acordo com a sada, em caso de desistncia ou desclassificao, no haver pontuao.

ART. 33 O apoio em provas de circuito ser determinado pela organizao do evento, podendo ter uma ou mais zonas de apoio dentro do circuito e ficando restrito o apoio dentro das mesmas. Fica proibido a zona de apoio ser 100 (cem) metros antes e 100 (cem) metros aps a linha de chegada. O fornecimento de gua em provas de circuito de responsabilidade do atleta e equipes.

ART. 34 A durao de uma prova de cross-country olmpico deve obedecer ao seguinte quadro em horas e minutos:

Categorias Mnimo Mximo

Jnior 1:00 1:15 Sub30 1:15 1:30 Masculino Elite /sub 23 1:30 1:45 Feminino Elite 1:30 1:45 Masculino Mster 1:15 1:45 Feminino Mster 0:45 1:00 ART. 35 Cross-Country Maratona (XCM) - Nas provas de XCM os ciclistas devero obedecer a sinalizao do cdigo de trnsito brasileiro, andar sempre pelo lado DIREITO da pista, uma vez que os percursos utilizados so de livre acesso para passagem de veculos, mesmo tendo as autoridades competentes controlando o trnsito.

ART. 36 O percurso no pode compreender nenhum trecho por onde os corredores passem duas vez.

ART. 37 - O apoio em provas de maratona dever ser feito do lado direito da pista, no acostamento e somente nos locais indicados pela organizao do evento.

ART. 38 O fornecimento de gua pela organizao em provas de maratona, dever ser a cada 20km e na chegada um ponto dagua.

ART. 39 - A durao e a distncia de uma prova de cross-country maratona dever obedecer a tabela abaixo:

TIPOS Tempo mnimo Distncia mnima

Maratona 3 horas 60 Km Copa do mundo Maratona 4 horas 80 km Campeonato Continental 4 horas 80 km Campeonato do mundo 4 horas 80 km

ART. 40 Cross-Country em Linha (XCP) - O percurso de uma prova de XCP dever ser de no mnimo 25km e jamais exceder 60km. Nas provas de XCP os ciclistas devero obedecer a sinalizao do cdigo de trnsito brasileiro, andar sempre pelo lado DIREITO da pista, uma vez que os percursos utilizados so de livre acesso para passagem de veculos, mesmo tendo as autoridades competentes controlando o trnsito.

ART. 41 A prova parte de um local e termina em outro local. Uma grande curva com partida e chegada em comum pode ser autorizada.

ART. 42 - O apoio em provas de XCP dever ser feito do lado direito da pista, no acostamento e somente no