Relat³rios de Estgio

  • View
    34

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Relat³rios de Estgio

  • 5/21/2018 Relat rios de Est gio

    1/36

    Relatrio

    Formao em Contexto de Trabalho

    1

    1.IntroduoO presente relatrio tem como objetivo principal descrever as atividades

    realizadas durante o perodo de estgio curricular de Formao em Contexto

    de Trabalho do curso Tcnico de Auxiliar de Sade da Escola Profissional

    Magestil. O estgio decorreu entre 22/04/2014 e 06/06/2014 no Hospital Cuf

    Infante Santo no edifcio original, localizado na zona de Alcntara em Lisboa,no Servio de Internamento, piso 1.

    O turno de estgio compreendeu das 8h s 16h (turno da manh) de segunda

    a sexta-feira, sendo a carga horria diria composta por 8h e a carga horria

    total do estgio finalizada em 260 horas, sendo as 260 de horas prticas.

    O desenvolvimento do estgio foi acompanhado e supervisionado pela

    Enfermeira Luisa Noiva, sob orientao do Coordenador/Professor CsarAlagoa.

    Sendo o relatrio um meio de comunicao que apresenta os resultados da

    atividade realizada, a sua principal finalidade abordar questes mais

    relevantes, descrever as caractersticas do servio, as consideraes e

    percepes, abordando questes relacionadas aos cuidados prestados,

    competncias e habilidades de acordo com as particularidades e o contexto do

    campo de estgio no meio hospitalar. Adiante no relatrio, ser abordado, de

    modo suscinto, cada um dos componentes acima referidos.

  • 5/21/2018 Relat rios de Est gio

    2/36

    Relatrio

    Formao em Contexto de Trabalho

    2

    2.Apresentao da Unidade Hospitalar

    O Hospital Cuf Infante Santo, foi fundado em 1945, e uma referncia na

    prestao privada de cuidados de sade em Portugal, seguindo fiel ao lema de

    qualidade e inovao que guiou o seu percurso durante estes anos dedicados

    a melhorar a sade dos portugueses.(Fonte:hospitalcufinfantesanto.pt)

    Conta com uma rea fsica de aproximadamente 19.000 m2, que esto

    distribudos por dois edifcos: o edifcio original que possui quatro pisos e est

    localizado na Travessa de Castro e outro edifcio mais recente com 9 pisos que

    se localiza ao lado da Av. Infante Santo.

    O Hospital possui uma vasta quantidade servios:

    Internamento: onde existem 137 camas que esto distribudas por quartos

    individuais e enfermarias. O Bloco Cirrgico com 9 salas e a Unidade de

    Cuidados Intensivos e Polivalentes (UCIP).

    Ambulatrio:conta com 60 gabinetes de consultas de especialidade, meios de

    diagnstico (Anlises, Raio-x, Tomografia Computadorizada, Ecografia,

    Ressonncia Magntica, ), exames especiais (Cardiologia,

    Gastroenterologia, Imuno- Alergologia, Neurofisiologia, Oftamologia, ),tratamentos (Medicina Fsica e de Reabilitao, Quimioterapia, Hemodilise,

    ) e Check-up Cardiolgico.

    Para garantir a qualidade de todos os procedimentos e cuidados prestados, o

    Hospital CUF Infante Santo , conta ainda anualmente com duas auditorias

    internas e com uma auditoria externa relacionadas ao Sistema de Gesto de

    Qualidade pela entidade certificadora SGS- Servios Internacionais de

    Certificao. O hospital participa ainda, num projeto denominado por SINAS(

  • 5/21/2018 Relat rios de Est gio

    3/36

    Relatrio

    Formao em Contexto de Trabalho

    3

    Sistema Nacional de Avaliao em Sade), onde a Entidade Reguladora de

    Sade tem como finalidade avaliar disversos hospitais do pas, criando uma

    classificao nacional entre especialidades hospitalares.

    2.1.Internamento- Piso 1Um quarto de internamento, um servio dotado de instalaes, pessoal e

    equipamento capaz de assegurar um eficaz tratamento a doentes debilidados

    devido a uma patologia, ou ps cirrgico.

    Neste local de trabalho, igualmente ao que acontece noutros sectores do

    hospital, so diversas asreas em que os Auxiliares de Sade podem intervir,

    executando funes autnomas e colaborando com outros profissionais, porforma a melhorar o trabalho assistencial ao utente

    Pode considerar-se de forma genrica, que o os auxiliares de sade nos

    internamentos tem trs reas de competncia que esto bem definidas e que

    so:

    Colaborao nos cuidados aos utentes;

    Limpeza e higienizao;

    Apoio ao servio e/ou unidade.

    2.2. Recursos HumanosPara o regular funcionamento do Internamento existe um conjunto de recursos

    humanos que engloba diferentes sectores profissionais, constituindo uma

    equipa multidisciplinar.

    Equipa de Sade - Constituda por :

    Enfermeiros

    Mdicos

    Auxiliares de Sade -

    Secretria de Unidade

    Fisioteraputas

    2.2.1.Horrio de Trabalho

    * Horrio de 35 Horas semanais

  • 5/21/2018 Relat rios de Est gio

    4/36

    Relatrio

    Formao em Contexto de Trabalho

    4

    8 horas - 16 horas ( Manh )

    16 horas - 23 horas ( Tarde )

    23 horas - 8 horas ( Noite )

    Por carncia de recursos humanos, o horrio efectuado com horas

    extraordinrias programadas,a fim de cada funcionrio poder mais facilmente

    coordenar a sua vida pessoal.

    possvel realizarem-se trocas de horrio, devendo as mesmas serem

    evitadas o mais possvel. Devero ser comunicadas em impresso prprio a

    Chefe dop servio, com o prazo mnimo de 48 horas e s sero efectuadas

    aps autorizao do Enfermeiro Chefe.

    Cada Auxiliar de Sade, apenas pode efectuar 3 trocas por ms.

    2.2.2.Hierarquia Hospital/Piso 1 Administrador DelegadoDr. Incio de Almeida e Brito

    Direo ClnicaProf. Doutor Joo Pao (Diretor Clinico)

    Direo de EnfermagemEnf. Jos Coelho (Diretor de Enfermagem)

    Enfermeira Chefe Piso 1Enf. Lusa Noiva Enfermeiro AdjuntoEnf. Alexandre Pires

    Enfermeiros

    Auxiliares de Sade

    A articulao entre os diferentes grupos profissionais dever-se- efectuar

    dentro das elementares regras de respeito pela rea de competncia de cada

    um, assim como dever ser privilegiado um clima relacional que propicie um

    bom ambiente de trabalho.

    No servio, obrigatria a manuteno de um ambiente calmo e isento de

    rudos, pelo que cada profissional dever adoptar um comportamento que

    cumpra este requisito.

    2.2.3.Distribuio de Trabalho elaborado diariamente pelo Enfermeiro Chefe da Unidade e afixado no

    placard da sala depessoal um Plano de Distribuio de Trabalho que abrangetodas as 24 horas. Cada Auxliar fica associada a um Enfermeiro.

  • 5/21/2018 Relat rios de Est gio

    5/36

    Relatrio

    Formao em Contexto de Trabalho

    5

    Cada um assim desenvolve as suas funes de acordo com o Plano de

    Distribuio de Trabalho, no invalidando que exista um espirito de

    colaborao com os restantes colegas.

    Contudo, a responsabilizao primria pelo trabalho que lhe est atribudo ser

    sempre do Auxiliar de Sade que tiver essa funo distribuda.

    2.3.Estrutura FsicaO servio costituido por 3 alas:

    Ala A- 8 quartos individuais

    Ala B- 16 quartos individuais

    Ala C- 16 quartos individuais

    Os internametos no piso 1 contam ainda, com duas salas de visitas, uma casa

    de banho para funcionrios, 2 locais de arrumos, um na entrada onde podemos

    encontrar tubos de oxignio, grades de cama, suportes, trapzios; no outro

    local de arrumos, podemos encontrar baldes do lixo, arrastadeiras, bacias

    (brancas e amarelas), copos, papel higinico e luvas. Este tipo de arrumos

    utilizado em casos de urgncia, visto que podemos encontrar os objetos mais

    rapidamente e mo, caso seja necessrio. Assim, existe outra sala de

    arrumos maior, que utilizada pelas 3 Alas e cujo nome Material de

    Consumo. Aqui podemos encontrar variados materiais, como aventais, bases

    para arrastadeiras, lenos de papel, meias de compresso, compressas, batas

    de proteo, fatos de internamento, mscaras de proteo, entre outros. Este

    tipo de material normalmente reposto diariamente.

    2.4.Espao Fsico do servioQuartos:

    1 Cama;

    1 Sof-cama (para o acompanhante);

    1 Cadeiro;

    1 Televiso, com 1 comando;

    1 Telefone;

  • 5/21/2018 Relat rios de Est gio

    6/36

    Relatrio

    Formao em Contexto de Trabalho

    6

    1 Desinfetante;

    1 Casa de banho.

    2.5.Sevio- Salas, matriais e equipamentosArrumos: chamada tambm de sala de stocks. uma sala de grandes

    dimenses, neste local encontram-se os dossis com trabalhos realizados, com

    informao acerca de patologias, preveno e outras informaes. Existem

    dois carros de pensos, armrios com identificao de farmcia com cremes

    como Mitosyl (vitamina A), desinfetantes, sabo, entre outros. Tem cinco

    grandes portas de armrios, cada um com o seu material, como por exemplo,

    um armrio para as fraldas (de todos os tamanhos), cueca fralda, resguardos,

    esponjas; outro armrio com todos os tipos de soros; outro armrio com tubo

    guedell n 1, 2, 3, 4; outro armrio com sacos de urina no estril, saco de

    urina para esvaziamento; outro armrio com sistemas de aspirao, sonda

    nasogstrica, luvas, entre outros.

    Esplio:armrio que est fechado com um cadeado. Este serve para guardar

    objetos de valor que o utente deixou no quarto depois da alta. No seu interior

    h prateleiras, cada uma com a sua funcionalidade, para arrumao de roupas

    e outros adereos, exames, medicamentos e outros.

    Copa:local onde todos os profissionais que trabalham no piso vo deixar o seu

    almoo (o almoo, quando vai para o frigorfico, tem de estar dentro de um

    saco e sempre identificado com o nosso nome e data em que foi colocado).

    Contm um microondas, um fervedor, uma torradeira, loia do cliente e dos

    colaboradores (copos, pratos, talheres), entre outros.

    Casa de b