TRATAMENTO DA FORMA INDETERMINADA DA DOENÇA DE ...

  • Published on
    08-Jan-2017

  • View
    220

  • Download
    5

Embed Size (px)

Transcript

  • R evista da Sociedade B rasileira de M edicina Tropical23(4): 209-211 , out-dez, 1990

    TRATAMENTO DA FORMA INDETERMINADA DA DOENA DE CHAGAS COM NIFURTIMOX E BENZONIDAZOL

    Humberto de Oliveira Ferreira

    Cem p ortadores da fo rm a indeterm inada da doena de Chagas, com xenodiagnstico e sorologia positivos, fo ra m tra tados no p erodo de 1965 a 1985. Destes, metade, com nifurtim ox (B ayer) e os outros cinqenta, com benzon idazol(R oche). A p s 2 4 m eses de acom panham ento, dos tra tados com nifurtimox, o xenodiagnstico m ostrou-se negativo em 25 (5 0 % ) e as reaes sorolgicas tom aram -se no reagentes em 3 (6 % ) pacien tes. E ntre o s m edicados com benzonidazo l, no m esm o espao de tempo, o xenodiagnstico e a sorologia negativaram -se, respectivamente, em 3 5 (7 0 % ) e em 5 (1 0 % ) casos. O s 8 pacien tes com xenodiagnstico negativo tam bm apresentaram reaes sorolgicas no reagentes. O s tra tados com nifurtim ox foram acom panhados p o r tem po m dio de 17,3 anos e os m edicados com benzonidazol, em m dia, p o r 7 anos, e considerados curados.

    Palavras-chaves: D oena de Chagas. F orm a indeterm inada. Quim ioterapia. B enzonidazol. Nifurtim ox.

    A eficcia da teraputica especfica da doena de Chagas parece estabelecida na fase aguda123457910 Entretanto, na fase crnica os resultados so pouco animadores1 6 7.

    Trabalhando h muitos anos em rea endmica da tripanosomase cruzi, pudemos empregar a teraputica especfica da doena, na forma indeterminada, e acompanhar os tratados por vrios anos. Por esta razo, parece-nos justificada a apresentao dos resultados obtidos, os quais podero contribuir para o melhor conhecimento da teraputica e da evoluo na forma em questo da doena.

    MATERIAL E MTODOS

    Foram acompanhados 100 pacientes, portadores da forma indeterminada da doena de Chagas, em sua maioria crianas e adolescentes, preenchendo os parmetros referendados na I Reunio de Pesquisa Aplicada em Doena de Chagas8. Todos tinham xenodiagnstico positivo e as reaes sorolgicas de fixao de complemento, imunofluorescncia e he- maglutinao, reagentes.

    Os ensaios teraputicos foram realizados entre 1965 e 1985 tendo sido metade dos pacientes tratada com nifurtimox (Bayer) e os outros cinqenta pelo benzonidazol (Roche). Vinte destes pacientes eram do Municpio de Agua Comprida onde o Prof. Edmundo Chapadeiro havia realizado inqurito epidemiolgico sobre a doena de Chagas.

    O nifurtimox foi empregado na dose de 15 mg/kg peso em crianas e de 10 mg/kg de peso em

    Professor Titular de Pediatria da Faculdade de Medicina do Tringulo Mineiro, Uberaba, MG.

    Endereo para correspondncia: Prof. Humberto de Oliveira Ferreira, R. M anoelBorges78,3 8010 Uberaba, MG, Brasil.

    Recebido para publicao em 14/02/90.

    adolescentes e adultos, em trs tomadas dirias, durante 60, 90 e 120 dias, na dependncia da tolerncia.

    O benzonidazol foi utilizado na dose de 5 a 8 mg/kg em duas tomadas dirias, durante 60 dias.

    A avaliao do efeito teraputico foi realizada por meio de xenodiagnstico e das trs sorologias convencionais (fixao de complemento, hemagluti- nao e imunofluorescncia), feitos mensalmente, durante dois anos, em todos os cem casos. Os pacientes que apresentaram o xenodiagnstico e a sorologia persistentemente negativos, nos 24 meses, tiveram estes exames repetidos, semestralmente, durante o nmero de anos em que foi possvel sua realizao.

    Para cada xenodiagnstico foram utilizados 40 triatomneos.

    Considerou-se curado o chagsico tratado, que aps pelo menos 5 anos de teraputica, apresentou testes sorolgicos e xenodiagnsticos persistentemente negativos.

    RESULTADOS

    Foram observados em alguns casos efeitos colaterais, todos reversveis, tanto em pacientes tratados com nifurtimox como naqueles medicados com benzonidazol. Com o nifurtimox ocorreram inapetncia, perda de peso, nuseas e neuropatia perifrica. Este ltimo efeito bem como dermopatia alrgica foram observados nos tratados com benzonidazol.

    Aps 24 meses iniciais de acompanhamento observou-se que, nos 50 pacientes tratados com nifurtimox, houve negativao do xenodiagnstico em 25 (50%) e testes sorolgicos no reagentes em 3 (6%). Nos 50 pacientes tratados com benzonidazol, o xenodiagnstico mostrou-se negativo em 35 (70%) e a sorologia, no reagente, em 5 (10%).

    A anlise conjunta dos resultados, do xenodiagnstico e dos exames sorolgicos, demonstrou que em 92 dos chagsicos, ao final dos primeiros 24 meses

    2 0 9

  • Ferreira HO. Tratamento da forma indeterminada da doena de Chagas com nifurtimox e benzonidazol. Revista da SociedadeBrasileira de Medicina Tropical 23: 209-211, out-dez, 1990.

    de acompanhamento, havia positvidade de pelo me- varivel de 5 a 18 anos (Tabelas 1 e 2), atualmente nonos um tipo de exame, indicando o insucesso terapu- apresentam anormalidades clnicas e tm examestlco- radiolgicos (rea cardaca, esfago e clon), eletro-

    Nos oito pacientes restantes, tanto os resultados cardiogramas e ecocardiogramas normais, sorolgicos como os xenodiagnsticos, mostraram-se O teste exato de Fischer mostrou no havernegativos, nos primeiros 24 meses, e assim, perma- diferena estatstica significativa entre a eficcia dasneceram por um tempo mdio de acompanhamento duas drogas empregadas (p = 0,7150).

    DISCUSSO

    O ndice de cura de 8% por ns encontrado, na forma indeterminada da doena de Chagas, bastante inferior ao de at 70% que obtivemos na fase aguda da endemia^.

    Em relao a estes estudos devemos frisar que em nossa experincia, no tratamento da fase aguda, a aparente diferena da eficcia do benzonidazol (70% de cura) em relao ao nifurtimox (46,6%) no se observou na forma indeterminada (10% e 6% respectivamente). Apesar de termos empregado seguimento de pelo menos 5 anos, para considerar um chagsico curado, nos parece, que para efeitos prticos, suficiente o acompanhamento por 24 meses. Isto porque, em nossa experincia, se um chagsico tratado mantm exames sorolgicos e xenodiagnstico, realizados mensalmente, negativos durante 2 anos, estes testes no mais se modificaro.

    Diante dos nossos resultados e de outros autores1 6 7 que realizaram ensaios teraputicos na fase crnica da doena de Chagas, cremos serem necessrias novas pesquisas com o objetivo de obter-se medicamentos mais ativos e com menores efeitos

    colaterais. Dentre outras razes, pelo fato de admitir- se11 a existncia nas Amricas do Sul e Central de 10 a 20 milhes de pessoas infectadas pelo T. cruzi e, de 65 milhes de indivduos expostos ao risco de contgio.

    SU M M A R Y

    One hundred patients with the indeterminate form o f human chronic Chagas disease were submitted to chemotherapy, 50 with nifurtimox (Bayer) and 50 with benzni- dazole (Roche) from 1965 up to 1985. After two-year follow- up there was negativation o f xenodiagnosis in 25 (50% ) and negativation o f serological tests in 3 (6% ) o f the patients treated with nifurtimox. As fo r benznidazole there was 35 (70% ) o f xenodiagnosis negativation and 5 (10% ) o f serological negativation. In 92 patients after a period o f 24 month follow-up there was a t least one kind o f positive test, indicating therapeutic failure. E ight patients with negative xenodiagnosis and serological tests were considered cured. The average follow-up in patients treated with nifurtimox and benznidazole were respectively 17,3 and 7 years.

    Key-words: Chagas disease. Indeterminate form. Chemotherapy. Benznidazole. Nifurtimox.

    210

  • Ferreira FIO. Tratam ento da form a indeterm inada da doena de C hagas com nifurtim ox e benzonidazol. R evista da SociedadeB rasileira de M edicina Tropical 23: 209-211, out-dez, 1990.

    AGRADECIMENTO

    Ao Professor Euclides Ayres Castilho pelo estudo estatstico.

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS1. Canado JR Tratamento especifico da doena de Cha

    gas. In: Canado JR, Chuster M (ed) Cardiopatia chagsica. 1 ? edio, Editora Fundao Carlos Chagas, Belo Horizonte p. 327-55, 1985.

    2. Cerisola JQ. O estado atual da teraputica da doena de Chagas. XIII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Braslia, 1977.

    3. Ferreira HO. Tratamento da doena de Chagas (fase aguda) com Bayer 2502. Revista do Instituto de Medicina Tropical de So Paulo 9: 343-345, 1967.

    4. Ferreira HO. Ensaio teraputico-clinico com benzonidazol na doena de Chagas. Revista do Instituto de Medicina Tropical de So Paulo 18: 357-364, 1976.

    5. Ferreira HO. Tratamento especfico na fase aguda da doena de Chagas. Jornal-de Pediatria 64: 126-128,1988.

    6. Rassi A. Tratamento etiolgico da doena de Chagas. Arquivos Brasileiros de Cardiologia 39:277-281,1982.

    7. Rassi A, Ferreira HO. Tentativas de tratamento especifico da fase aguda da doena de Chagas com nifurtimox em esquema de durao prolongada. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 5: 235-262,1971.

    8. I Reunio de Pesquisa Aplicada em doena de Chagas. Validade do conceito da forma indeterminada da doena de Chagas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 18: 46, 1985.

    9. Richie R Chemotherapy of experimental acute Chagas disease in mice: beneficial effect of Ro 7-1051 on parasitemia and tissue parasitism. X IIth Congress International Therapeutic, Geneva, Switzerland Le Progres Medicale 101: 282, 1973.

    10. Richie R. Chemotherapy of experimental acute Chagas disease in mice. Parasitological cure by Ro 7-1051. Proceedings Third International Congress Parasitology. Munich. Germany p. 1296-1297, 1974.

    11. Situacin de la Enfermidad de Chagas en las Amricas. Boletin de La Oficina Sanitaria Panamericana 97: 159-165, 1984.

    211

Recommended

View more >