Um sorriso negro Um abraço negro Traz felicidade Negro sem emprego Fica sem sossego Negro é a raiz de liberdade

Embed Size (px)

Text of Um sorriso negro Um abraço negro Traz felicidade Negro sem emprego Fica sem sossego Negro é a raiz...

  • Slide 1
  • Um sorriso negro Um abrao negro Traz felicidade Negro sem emprego Fica sem sossego Negro a raiz de liberdade
  • Slide 2
  • Slide 3
  • Slide 4
  • Slide 5
  • Slide 6
  • Slide 7
  • Slide 8
  • Slide 9
  • Slide 10
  • Slide 11
  • Slide 12
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Slide 19
  • POLTICA NACIONAL DE SADE INTEGRAL DA POPULAO NEGRA MARCA RECONHECIMENTO DO RACISMO, DAS DESIGUALDADES TNICO-RACIAIS E DO RACISMO INSTITUCIONAL COMO DETERMINANTES SOCIAIS DAS CONDIES DE SADE, COM VISTAS PROMOO DA EQIDADE EM SADE. OBJETIVO GERAL PROMOVER A SADE INTEGRAL DA POPULAO NEGRA, PRIORIZANDO A REDUO DAS DESIGUALDADES TNICO- RACIAIS, O COMBATE AO RACISMO E DISCRIMINAO NAS INSTITUIES E SERVIOS DO SUS.
  • Slide 20
  • O risco de uma pessoa negra morrer por causa externa 56% maior que o de uma pessoa branca; no caso de um homem negro, o risco 70% maior que o de um homem branco. independentemente dos anos de estudo, as pessoas da cor preta ou parda tiveram 70% mais risco de morrer por tuberculose que as pessoas brancas(BRASIL, 2005). O racismo institucional constitui-se na produo sistemtica da segregao tnico-racial, nos processos institucionais. Manifesta-se por meio de normas, prticas e comportamentos discriminatrios adotados no cotidiano de trabalho, resultantes de ignorncia, falta de ateno, preconceitos ou esteretipos racistas.
  • Slide 21
  • Slide 22
  • As populaes do campo e da floresta representam, especificamente, no Brasil, 19% da populao geral. Dos 15 milhes de agricultores, 37% vivem abaixo da linha da pobreza e 11% vivem somente da aposentadoria rural. Estima-se que existam 4,8 milhes de famlias rurais sem terra no pas (BRASIL, 2005). No campo brasileiro, so encontrados os maiores ndices de mortalidade infantil, de incidncia de endemias, de insalubridade e de analfabetismo, caracterizando uma situao de enorme pobreza decorrente das restries ao acesso aos bens e servios indispensveis vida (BRASIL, 2005). No ano de 1998, o NESP/UnB (2000), em estudo, constatou que a mortalidade geral nesses grupos era de 8,1 bitos/1.000 habitantes. J a taxa bruta nacional foi de 5,4 bitos/1.000 habitantes. O mesmo estudo constatou uma taxa de mortalidade infantil de 73,6 bitos/1.000 n.v., enquanto a mesma taxa para o Brasil era de 35,5 bitos/1.000 n.v. (UnB, 2001).
  • Slide 23
  • POPULAES DO CAMPO E DA FLORESTA OBJETIVO GERAL PROMOVER A SADE DAS POPULAES DO CAMPO E DA FLORESTA, POR MEIO DE AES E INICIATIVAS QUE RECONHEAM AS ESPECIFICIDADES DE GNERO, GERAO, RAA/COR, ETNIA E ORIENTAO SEXUAL E RELIGIOSA, VISANDO O ACESSO AOS SERVIOS DE SADE; A REDUO DE RISCOS E AGRAVOS SADE DECORRENTE DOS PROCESSOS DE TRABALHO E DAS TECNOLOGIAS AGRCOLAS; E A MELHORIA DOS INDICADORES DE SADE E DA QUALIDADE DE VIDA
  • Slide 24
  • Slide 25
  • MARCOS LEGAIS PORTARIA GM/MS N. 2.460, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2005 INSTITUI O GRUPO DA TERRA PELO MINISTRIO DA SADE. PORTARIA GM/MS N 90, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2008 ATUALIZA O QUANTITATIVO POPULACIONAL DE RESIDENTES EM ASSENTAMENTOS DA REFORMA AGRRIA E DE REMANESCENTE DE QUILOMBOS, POR MUNICPIO, PARA CLCULO DO TETO DE EQUIPES DE SADE DA FAMLIA, MODALIDADE I, E DE EQUIPES DE SADE BUCAL DA ESTRATGIA SADE DA FAMLIA. 2.105 EQUIPES DE SADE DA FAMLIA E 1.522 EQUIPES DE SADE BUCAL EM 1.112 MUNICPIOS, ATENDENDO UM TOTAL DE FAMLIAS: QUILOMBOLAS 266.117 E ASSENTADOS 1.829.664
  • Slide 26
  • DILOGO AMOROSIDADE PROBLEMATIZAO CONSTRUO COMPARTILHADA DE CONHECIMENTO EMANCIPAO COMPROMISSO COM A CONSTRUO DO PROJETO DEMOCRTICO E POPULAR
  • Slide 27
  • ELAINE MESQUITA COORD. DA PROMOO EQUIDADE CONTATOS: 32014530 81547180 EMAIL: saude.equidade.goias@gmail.com