UTILIZA‡ƒO DA REGRESSƒO LINEAR MLTIPLA PARA .utiliza‡ƒo da regressƒo linear mltipla para

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of UTILIZA‡ƒO DA REGRESSƒO LINEAR MLTIPLA PARA .utiliza‡ƒo da...

  • UTILIZAO DA REGRESSO LINEAR

    MLTIPLA PARA AVALIAO DA

    QUALIDADE DA GUA: ESTUDO DE

    CASO DA ESTAO DE TRATAMENTO

    MEIA PONTE, GOINIA - GOIS

    Juliano Resende Bucchianeri (MEPROS PUC )

    juliano.resende@ifro.edu.br

    Agenor Sousa Santos Neto (MEPROS PUC )

    agenor07@hotmail.com

    Layara de Paula Sousa Santos (MEPROS PUC )

    layara0912@hotmail.com

    Paulo Henrique dos Santos (MEPROS PUC )

    phs.vendas@gmail.com

    A gua responsvel por um grande nmero de doenas de veiculao

    hdrica, principalmente em pases subdesenvolvidos que carecem das

    condies mnimas de infraestrutura e saneamento bsico. O objetivo

    dessa pesquisa correlacionar a imporrtncia da qualidade da gua

    para consumo humano a fim de prevenir doenas e proporcionar

    qualidade de vida populao. A fim de aplicaes prticas, o estudo

    visa comparar os ndices de qualidade da gua proveniente de duas

    Estaes de Tratamento de gua, por meio da anlise estatstica

    multivariada. A metodologia consiste na utilizao do software SPSS

    para interpretao dos resultados das anlises fsico-qumicas e

    bacteriolgicas da gua correspondentes sada da estao de

    tratamento Meia Ponte, localizadas em Goinia/ GO, valendo-se da

    regresso linear mltipla. Os parmetros analisados so: flor, pH,

    temperatura da gua, turbidez, cloro residual e cor aparente. Os

    resultados demonstram que a variao na varivel dependente

    Temperatura do Ambiente explicada pela varivel independente

    Temperatura da gua e Cor Aparente em 57%. Em situaes que a

    qualidade da gua imprpria para consumo, necessrio

    implementar polticas pblicas de gesto integrada que visem

    promoo e proteo da sade da populao local por meio de aes

    conjuntas que revertam a vulnerabilidade dos setores de planejamento,

    infraestrutura, saneamento e sade

    Palavras-chave: Doena, Saneamento Bsico, Qualidade da gua,

    Anlise Multivariada, Gesto Integrada

    XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCO Contribuies da Engenharia de Produo para Melhores Prticas de Gesto e Modernizao do Brasil

    Joo Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016.

  • XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCO Contribuies da Engenharia de Produo para Melhores Prticas de Gesto e Modernizao do Brasil

    Joo_Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016. .

    2

    1. Introduo

    O acesso gua potvel essencial para qualidade de vida, um direito bsico da

    humanidade, sendo um dos fatores de uma poltica eficaz de proteo sade. Melhorar

    o acesso gua potvel pode resultar benefcios imensurveis para humanidade, por

    isso, todo esforo possvel deveria ser feito para que tivesse qualidade para o consumo

    humano (WHO, 2004). No entanto, a alterao da qualidade da gua agrava o problema

    de escassez desse recurso, porque ainda que o Brasil detenha aproximadamente 13% de

    toda gua potvel do mundo, a distribuio irregular, alm disso, as doenas causadas

    por veiculao hdrica so responsveis por aproximadamente 28 mil mortes por ano no

    Brasil (TRATA BRASIL, 2014).

    As fontes de contaminao antrpicas das guas subterrneas geralmente so associadas

    a despejos domsticos, industriais e chorume que contaminam os lenis freticos com

    organismos patognicos, constituindo-se como fontes de substncias extremamente

    txicas ao homem e ao meio ambiente (MOTTA et al., 2014).

    nesse cenrio que se insere a importncia da avaliao de impactos ambientais em

    ecossistemas aquticos por meio de medies de alteraes nas concentraes de

    variveis fsicas, qumicas e bacteriolgicas. Este sistema de monitoramento constitui-se

    como ferramenta essencial na gesto de recursos hdricos do pas, sendo possvel

    classificar rios e crregos em classes, e ainda definir padres de potabilidade e

    balneabilidade (GOULART; CALLISTO, 2003).

    O monitoramento das variveis fsicas e qumicas proporcionam algumas vantagens na

    avaliao de impactos ambientais negativos em ecossistemas aquticos, tais como

    identificao imediata das mudanas de propriedades fsicas e qumicas da gua e

    determinao precisa das concentraes alteradas (WHITFIELD, 2001).

    Geralmente, o monitoramento fsico qumico da gua envolve a anlise dos seguintes

    parmetros: turbidez, Ph, temperatura, demanda qumica de oxignio, demanda bioqumica de

    oxignio, oxignio dissolvido, slidos dissolvidos totais, compostos orgnicos volteis,

    presena de metais, leos e graxas. nesse contexto que se insere o ndice de qualidade da

    gua (IQA), esta metodologia proporciona a avaliao da qualidade da gua de uma bacia de

    forma simples e til, pois transforma dados quantitativos em informao, reunindo vrios

  • XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCO Contribuies da Engenharia de Produo para Melhores Prticas de Gesto e Modernizao do Brasil

    Joo_Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016. .

    3

    parmetros que so traduzidos em um valor que corresponde a uma determinada classificao.

    Dessa forma, o IQA um nmero adimensional que exprime a qualidade da gua para

    diversos fins. Esse nmero obtido por meio da agregao de dados fsicos, qumicos e

    bacteriolgicos, de acordo com metodologias especficas (PNMA, 2002; LIOU et al., 2003).

    Diante disso, percebe-se a necessidade de um programa de monitoramento sistemtico para

    obteno da estimativa real da variao da qualidade das guas superficiais, incluindo coletas

    frequentes nos mesmos pontos de amostragem e anlise em laboratrio dos parmetros

    escolhidos para interpretao dos resultados (SIMEONOV et al., 2003).

    No Brasil, a normatizao da qualidade da gua para consumo humano iniciou-se na dcada

    de 1970. Atualmente, a Portaria n 2.914 de 12 de dezembro de 2011, dispe sobre os

    procedimentos de controle e de vigilncia de qualidade da gua para consumo humano e seu

    padro de potabilidade, sob a perspectiva de riscos sade pblica, associados

    vulnerabilidade do manancial, s prticas operacionais do tratamento e integridade fsica da

    rede de distribuio.

    Para realizar os procedimentos de controle de qualidade, os mtodos de anlise exploratria

    de dados multivariados so largamente utilizados a fim de promover a reduo do nmero de

    variveis com o mnimo de perda de informao (HELENA et al., 2000). Na presente

    pesquisa ser utilizado o programa SPSS (Statistical Package for Social Sciences), por ser o

    mais utilizado no Brasil e o mais frequentemente citado em artigos cientficos das reas de

    conhecimento que utilizam estatsticas (BISQUERRA et al., 2009). Essa anlise permite a

    extrao de informaes que sero de grande relevncia na avaliao da qualidade das guas.

    Para o monitoramento de qualidade da gua so abordados alguns parmetros de acordo com

    o padro de potabilidade. Nesta pesquisa, sero analisados os seguintes: flor, pH,

    temperatura da gua, turbidez, ndice de coliformes totais, cloro residual, cor aparente e

    Escherechia Coli. Para isso, a gua proveniente da Estao de Tratamento de gua

    (ETA) do Sistema Meia Ponte, localizada em Goinia/GO constitui alvo desta pesquisa.

    2. Parmetros bacteriolgicos e fsico-qumicos monitorados na gua de abastecimento

    pblico

    O Ministrio da Sade regulamenta a qualidade do sistema municipal de abastecimento de

    gua segundo a presena de coliformes, que agem principalmente como indicadores de

    poluio fecal e de quantidade de bactrias heterotrficas (AMERICAN PUBLIC HEALTH

  • XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCO Contribuies da Engenharia de Produo para Melhores Prticas de Gesto e Modernizao do Brasil

    Joo_Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016. .

    4

    ASSOCIATION, 1998). J as anlises fsico-qumicas englobam as seguintes delimitaes:

    turbidez, cor, pH e odor, indicadores de boa potabilidade para a gua de consumo (BRASIL,

    2000). A seguir sero abordados os parmetros fsico-qumicos envolvidos neste trabalho.

    2.1 Temperatura

    A temperatura uma condio importante a ser explorada, pois ela pode acelerar ou atrasar a

    atividade biolgica, promovendo proliferao de micro-organismos e de algas. Tambm

    exerce influncia sobre a solubilidade do oxignio e do dixido de carbono na gua e as

    precipitaes de alguns compostos (SILVA, 2013).

    Em relao ao processo de tratamento da gua, a temperatura pode apresentar efeito

    significativo nos processos de desinfeco, coagulao, floculao e sedimentao. Isto

    acontece em razo da gua a baixas temperaturas apresentar-se mais viscosa (TEBBUTT,

    1998).

    2.2 pH

    O pH diz respeito a concentrao de ons hidrognio, H+, conferindo indicao sobre as

    condies de acidez, neutralidade e basicidade da gua. Refere-se a um parmetro de carter

    operacional significativo e deve ser conduzido a fim de otimizar os processos de tratamento

    (BAIRD, 2004).

    O pH um padro de potabilidade, portanto para que as guas sejam consideradas potveis

    para abastecimento pblico devem apresentar valores de pH entre 6,0 e 9,5, respeitando a

    Portaria 2.914 de 2011. Este um dos indcios mais cruciais para o monitoramento de

    recursos hdricos superficiais ou subterrneos. A acidez descomedida pode anunciar

    contaminaes, enquanto o excesso de solubilizao de sais pode resultar em uma gua

    inadequada para consumo devido elevada dureza (BAIRD, 2004).

    2.3 Flor

    Desde 1974, tornou-se obrigatria a fluoretao das guas de abastecimento pblico em

    municpios brasileiros onde exista Estao de Tratamento de gua (ETA). Ess