vsat 3.pdf

  • View
    82

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of vsat 3.pdf

Internet via Satlite: as expectativas da comunicao em banda larga e as implicaes tecnolgicasLilian Noronha Nassif1Analista de sistemas da PRODABEL Empresa de Informtica e Informao do Municpio de Belo Horizonte Doutoranda em Cincia da Computao pela UFMG Mestre em Administrao Pblica pela Escola de Governo da Fundao Joo Pinheiro Especialista em Engenharia de Telecomunicaes pelo IETEC

PALAVRAS-CHAVESatlite Internet Cable Modem xDSL

RESUMOO artigo apresenta uma anlise sobre a utilizao dos satlites como um potencial meio de comunicao para o fornecimento do servio de Internet. Situado entre uma variedade de opes para possibilitar comunicao de dados para os municpios, os satlites se destacam por total alcance e rapidez na implantao do acesso e no oferecimento de alta velocidade para a Internet em projetos de conexes com esse servio. Motivadas pela tendncia das comunicaes em banda larga e pela possibilidade de acessibilidade do servio em qualquer lugar, diversas empresas do segmento de Informtica e Telecomunicaes esto apostando na Internet via satlite. O trabalho apresenta as caractersticas dos satlites e as tecnologias utilizadas. Atravs do estudo dos projetos definidos por grandes empresas do ramo, so apresentadas as decises de projeto de cada uma delas. At que os projetos entrem em operao, novas tecnologias sero incorporadas para viabilizar o planejado. O trabalho faz consideraes sobre a disputa em andamento, na qual agora estamos nos baseando com argumentos tcnicos que provavelmente sero suplantados pelo preo e qualidade dos servios oferecidos.

1

lilian@pbh.gov.br

137

Lilian Noronha Nassif

1. INTRODUOQuando em 1945, Artur Clarke, renomado escritor de fico cientfica, escreveu um artigo sobre a possibilidade de os homens construrem sistemas de comunicao global utilizando satlites artificiais lanados no universo, ele antecipou uma possibilidade que em poucos anos tornou-se real. Com o lanamento do primeiro satlite artificial pelos russos, o Sputinik em 1963, iniciava-se uma nova era de comunicao. Com o advento da Internet e dos telefones celulares nos anos 80, despertou-se a interao entre as pessoas do mundo inteiro alavancando uma nova forma de comunicao e convivncia. Tecnologias de comunicao como a fibra ptica e os sistemas de satlite possibilitam cada vez mais a rapidez e a acessibilidade. dentro deste contexto que se insere o presente trabalho, que procura contribuir na pesquisa das tendncias do uso da Internet, principalmente atravs da tecnologia de satlite apresentando as caractersticas inerentes tecnologia da Internet, tecnologia de satlite e s problemticas tcnicas envolvidas. A inteno informar as opes de acesso com velocidades superiores aos tradicionais modems de 56 kbps para os usurios domsticos e possibilitar a distino de quais tecnologias esto disponveis para todos e quais tecnologias so restritas a algumas localidades. Dessa forma, os municpios de um modo geral podero inferir sobre sua situao em particular e verificar como sua localidade est sendo servida por uma ou outra tecnologia. O trabalho ilustrado com projetos mundiais que esto investindo no segmento de Internet via satlite e apostando em tecnologias que s podero ser confirmadas depois que tais projetos estiverem em operao, muitos deles s se iniciando em 2002. So apresentados os argumentos tcnicos recheados de muita disputa mercadolgica, em que o oferecimento do servio no apenas uma questo tcnica, mas de agilidade, oportunidade e agressividade no mercado das telecomunicaes e da informtica, no qual o clich em evidncia : Anywhere, anytime .

2. INTERNET EM BANDA LARGA PARA USURIOS DOMSTICOS E PEQUENOS GRUPOSQuando se apresenta um projeto de interligao de redes, diversas opes de tecnologia podem ser utilizadas para o mesmo propsito. Patamares diferentes so considerados dependendo das necessidades de velocidade, qualidade, preo, pblico-alvo aplicao, disponibilidade e escalabilidade. As grandes cidades so assoladas por diversas empresas de telecomunicaes que repassam centenas de cabeamentos de fibras pticas nos subsolos dos passeios pblicos. H uma grande concentrao de cabos em locais comerciais e uma carncia enorme dessa tecnologia em locais diferentes do ncleo dos grandes centros urbanos. Essas estruturas so

138

Internet via Satlite: as expectativas da comunicao em banda larga e as implicaes tecnolgicas

construdas para atender principalmente ao mercado corporativo, da sua proximidade dos centros comerciais. Os usurios domsticos, por outro lado, situados em bairros residenciais, ficam geralmente distantes da infra-estrutura de fibra ptica. Para se conectar sua aplicao, a Internet, precisam fazer uso de outras tecnologias. Dentre as tecnologias que oferecem velocidades superiores aos modems convencionais (56kbps), destacam-se o acesso via Cable Modem, xDSL e Satlite. A seguir descrevemos essas tecnologias dando destaque para a conexo via Satlite por ser esta a mais recente e ainda pouco difundida para esse propsito.

Figura 1 Opes de conexes Internet para o usurio domstico 2.1 xDSL DSL (Digital Subscriber Line) uma tecnologia que possibilita conexo rpida com a Internet fazendo uso da infra-estrutura atual de telefonia. Diferentemente das tecnologias ISDN e conexo por modem analgico, a conexo DSL um link dedicado disponvel 24 horas por dia. O DSL pode operar concorrentemente com uma comunicao de voz via telefone. H vrios tipos de DSL disponveis e o servio depende da localizao. Tipos de DSL: ADSL, CDSL, G.Lite ou DSL Lite, HDSL (High bit-rate Digital Subscriber Line), IDSL (ISDN Digital Subscriber Line), RADSL (Rate-Adaptative Digital Subscriber Line), SDSL (Single-line DSL), UDSL (Unidirectional DSL), VDSL (Very High DSL), x2/DSL. Devido a tantas variaes do DSL que chamamos essa classe de xDSL. Tais tecnologias variam quanto aos limites de velocidade permitidos, s aplicaes em que devem ser utilizados e aos limites de distncias para se alcanar a velocidade da tecnologia.Destacamos o ADSL cuja aplicao associada a Internet, objeto de estudo neste trabalho.

139

Lilian Noronha Nassif

ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line) significa Linha Digital Assimtrica para Assinantes, foi concebido em 1989 e no se refere a uma linha, mas a modems que convertem o sinal padro do fio de telefone par-tranado em um duto digital de alta velocidade. Os modems so chamados assimtricos pois transmitem dados do seu computador em uma velocidade mais alta do que pode transmitir. O sistema ADSL atinge velocidades altas comparado aos sistemas de transmisso de dados atuais. ADSL permite transmisses de mais de 6 Mbps (megabits por segundo) de recepo de dados para um usurio (atingindo ao mximo, hoje, de 9 Mbps), e chegando a 640 kbps (quilobits por segundo) de transmisso de dados para a rede (mximo de 1 Mbps). Um modem colocado no cliente casa do usurio e outro modem colocado na central telefnica. Estes dois modems esto permanentemente conectados. O modem divide digitalmente a linha telefnica em trs canais separados:1.utilizado para transmisso de voz; 2. utilizado para o fluxo de informaes no sentido usurio para rede; 3. utilizado para o fluxo de dados no sentido rede para usurio. A exata velocidade de dados obtida ao se utilizar ADSL relativa distncia. O Velox, produto da Telemar, baseado nessa tecnologia. 2.2. Cable Modem Cable Modem permite acesso a dados (por exemplo, acesso Internet) atravs de uma rede de TV a cabo. O cable modem tem tipicamente duas conexes: uma para a sada de TV a cabo e outra para o computador (PC). A conexo com o PC se d geralmente atravs de placa Ethernet. Tipicamente, um cable modem envia e recebe dados em dois sentidos diferentes. Na direo downstream (Internet para o usurio), o dado modulado e colocado em um canal de televiso tpico de 6 MHz. Na direo de upstream (usurio para a Internet), o dado transmitido entre 5 e 42 MHz. Atravs do Cable Modem Termination System (CMTS), localizado na rede da operadora de TV a cabo local, o trfego roteado para o backbone Internet atravs de um Internet Service Provider (ISP). O servio de Televiso a cabo a princpio deve ser um servio de preo mais acessvel que o DSL pois a rede compartilhada com a vizinhana que possui esse mesmo servio. O preo tende a ser mais barato pois os gastos so menores. O cabeamento de uma rede de TV a cabo compartilhado passando de casa em casa diferentemente de como ocorre para as redes DSL, onde a companhia telefnica precisa instalar um modem DSL especial em cada casa que solicita o servio e conectar com a central telefnica. Os mesmos motivos que fazem com que o Cable Modem seja mais barato, fazem tambm com que ele tenha menos segurana e bandwidth em alguns casos. Como foi dito, usa-se tecnologia Ethernet para se conectar os PCs. A Ethernet

140

Internet via Satlite: as expectativas da comunicao em banda larga e as implicaes tecnolgicas

funciona de forma a compartilhar o meio de comunicao. Portanto, se no segmento onde estiver determinada conexo com a Internet houver muitos assinantes desse servio, a banda estar sendo compartilhada da mesma forma como ocorre em uma rede local. Na verdade, como se fosse uma grande rede local. Esse nmero pode ser insignificante se houver grande banda disponvel. Outro detalhe se refere segurana. Os equipamentos da rede de TV a cabo filtram os pacotes para que somente o usurio destino os receba. Portanto, colocar um sniffer em determinado equipamento para buscar dados que esto circulando na rede pode no funcionar. Como uma rede Ethernet, o broadcast funciona, e, portanto, de determinado equipamento pode-se enviar mensagens para todos e dessa forma conseguir verificar toda a vizinhana. 2.3 Satlites De acordo com as leis de Kepler, pode-se dividir a rbita dos satlites em dois grupos, sendo elas circulares e no-circulares (elpticas). Outra caracterizao feita levando-se em considerao a altitude das rb