Download ppt - TECIDO CONJUNTIVO

Transcript
Page 1: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO TECIDO CONJUNTIVOCONJUNTIVOPROFª JACQUELINE PICCOLI

DISCIPLINA HISTOLOGIA

UNIPAMPA

Page 2: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CONJUNTIVOTECIDO CONJUNTIVOMorfologia apresenta diversos tipos de células,

separadas por abundante material intercelular

sintetizado por elas.

Material intercelular

Entre este material intercelular e as células ainda existe o plasma

intersticial.

As fibras do conjuntivo são de três tipos: 1. Colágenas

2. Reticulares

3. Elásticas

estrutura microscópica definida

(fibras do conjuntivo)

parte não estruturada (substância fundamental

amorfa).

Page 3: TECIDO CONJUNTIVO

Fibras ColágenasFibras ColágenasMais freqüentes do tecido conjuntivo.No estado fresco são brancas, conferindo

essa cor aos tecidos nos quais predominam. Em muitos tecidos, as fibras colágenas

aparecem agrupadas em arranjo paralelo, formando feixes de fibras colágenas.

• São constituídas por uma glicoproteína estrutural denominada colágeno que tem composição de aminoácidos bem característica.

•É a proteína mais abundante do corpo humano (30% do total das proteínas do corpo).

Fibra de colágeno

Page 4: TECIDO CONJUNTIVO

Fibras ReticularesFibras Reticulares São muito delicadas, com diâmetro de 0,5 a 2 μm. Não são visíveis nos preparados pela H.E.

(hematoxilina-eosina), sendo sua evidenciação, em geral, realizada por meio de impregnações argêntica e da técnica de PAS.

Formam o arcabouço dos órgãos hemopoéticos (baço, linfonodos, medula óssea vermelha etc).

Formam redes em torno das células musculares e das células de muitos órgãos epiteliais, como, por exemplo, o fígado, os rins e as glândulas endócrinas.

Page 5: TECIDO CONJUNTIVO

Fibras ElásticasFibras ElásticasDistinguem-se facilmente das colágenas por serem

mais delgadas e não apresentarem estriação longitudinal.

Ramificam-se e ligam-se umas às outras formando trama de malhas muito irregulares.

Quando vistas a fresco, em grande quantidade, têm uma cor amarelada.

Cedem facilmente mesmo às trações mínimas, porém retornam sua forma inicial tão logo cessem as forças deformantes.

O componente principal das fibras é a proteína elastina. Trata-se de uma proteína estrutural muito mais resistente aos processos extrativos que o colágeno.

Page 6: TECIDO CONJUNTIVO

FIBRAS ELÁSTICAS & FIBRAS ELÁSTICAS & COLÁGENASCOLÁGENAS

Page 7: TECIDO CONJUNTIVO
Page 8: TECIDO CONJUNTIVO

CÉLULAS DO CONJUNTIVOCÉLULAS DO CONJUNTIVO

Page 9: TECIDO CONJUNTIVO

Células do ConjuntivoCélulas do Conjuntivo

FibroblastosmacrófagosmastócitosplasmócitosCélulas adiposasleucócitos

Page 10: TECIDO CONJUNTIVO

Fibroblasto• Mais comum• Principal responsável pela formação de

fibras e de material intercelular amorfo• Mobilidade - lenta• Prolongamentos citoplasmáticos irregulares• Núcleo mais claro, grande, ovóide• Citoplasma rico em retículo endoplasmático

rugoso• Estágios:

• Fibroblasto = “Ativo” • Fibrócito = “Inativo”

• FIBRÓCITOS: Menores, fusiformes e com menos prolongamentos (pode voltar a ser fibroblasto).

• MIOFIBROBLASTO: Cicatrização! Células intermediária entre fibroblasto e a células muscular lisa (apresenta actina e miosina)

Page 11: TECIDO CONJUNTIVO

CÉLULAS DO CONJUNTIVOCÉLULAS DO CONJUNTIVOFIBROBLASTOFIBROBLASTO

Fibroblasto Fibrócito

Page 12: TECIDO CONJUNTIVO

Células do ConjuntivoCélulas do ConjuntivoMacrófagos Polifuncional (fagocitose, secreção, apresentador

de antígenos) Vêm dos monócitos (que se originam na medula

óssea) Defesa imunitária e remoção de partes orgânicas

excedentes

Mastócitos Célula globosa, grande e com citoplasma

carregado de grânulos basófilos que coram intensamente.

Envolvidos no processo inflamatório e têm papel central na alergia.

Page 13: TECIDO CONJUNTIVO

Células do ConjuntivoCélulas do ConjuntivoPlasmócitosOrigem: linfócitos B ativados.Pouco encontrados no tecido normalMais evidentes onde possa ocorrer

entrada de bactérias e proteínas estranhas, como na mucosa intestinal.

Maior quantidade: áreas com inflamação crônica

Células ovóides, com citoplasma basófilo rico em retículo endoplasmático rugoso

Célula adiposaCélulas especializadas no

armazenamento de gorduras neutras.

Page 14: TECIDO CONJUNTIVO

Células do ConjuntivoCélulas do ConjuntivoLeucócitosNormais no tecido conjuntivoVêm do sangue através da parede de capilares

ou vênulas (diapedese)Em agressões por microrganismos a diapedese

aumentaNo tecido conjuntivo são:

Neutrófilos: Primeira linha de defesa. Mais numerosos no sangue.

Eosinófilos: Na defesa contra parasitas e também na alergia.

Linfócitos: Células pequenas (6 – 8 m), difíceis de visualizar. População heterogênea.

Neutrófilo Eosinófilo Linfócito

Page 15: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDOS CONJUNTIVOS

TEC. CARTILAGINOSO

T. C. DE PROPRIEDADES ESPECIAIS

T.C. PROPRIAMENTE DITO

•Frouxo

•Denso•Modelado•Não-modelado

•Tecido adiposo•Tecido elástico•Tecido reticular ou hemocitopoético•Tecido mucoso

TEC. ÓSSEO

CLASSIFICAÇÃO

Page 16: TECIDO CONJUNTIVO
Page 17: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITOTECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO

FROUXOMais comumPreenche espaços entre as fibras e feixes

musculares Serve de apoio para os epitélios e forma uma

camada em torno dos vasos sanguíneos e linfáticos

Dá apoio e nutrição (pele, mucosa e glândulas)Apresenta todos elementos do tecido conjuntivo

propriamente ditoApresenta todas as célulasFibras: colágenas e elásticasSubstância fundamental amorfaCom consistência delicada, flexível e pouco

resistente a trações

Page 18: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO FROUXOFROUXO

Page 19: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CONJUNTIVO DENSOTECIDO CONJUNTIVO DENSO

Mesmos elementos estruturais do frouxo, mas com predomínio de fibras colágenas

Menos flexível que o frouxo, porém mais resistente

FIBRAS

CÉLULAS

Page 20: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CONJUNTIVO P. TECIDO CONJUNTIVO P. DITO DENSO NÃO DITO DENSO NÃO

MODELADOMODELADO

Fibras colágenas em feixes sem orientação fixa

(Ex: derme profunda da pele)

Page 21: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CONJUNTIVO P. TECIDO CONJUNTIVO P. DITO DENSO MODELADODITO DENSO MODELADO

Feixes colágenos orientados com organização fixa

São fibras que oferecem o máximo de resistência às forças que normalmente atuam sobre o tecido.

Ex: tendões.

Page 22: TECIDO CONJUNTIVO
Page 23: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO ELÁSTICO Formado por feixes paralelos de fibras elásticas grossas. O espaço entre estas fibras elásticas é ocupado por fibras

colágenas finas e fibroblastos achatados. As fibras elásticas conferem ao tecido elástico a cor amarelada. Ex: ligamentos amarelos da coluna vertebral; ligamento suspensor

do pênis.

Page 24: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO RETICULAR Constituído por fibras reticulares em íntima

associação com as células reticulares. Encontra-se:

Órgãos formadores de células do sangue (medula óssea hematógena e órgãos linfáticos) constituindo o arcabouço que suporta células livres ali existentes (células hematopoéticas), que darão origem às células do sangue.

As células reticulares são fibroblastos especializados na produção de fibras reticulares e que apresentam longos prolongamentos que unem-se às células vizinhas.

Page 25: TECIDO CONJUNTIVO

Desenho ilustrando o tecido conjuntivo reticular mostrando apenas as células reticulares e as fibras (as células livres não estão representadas). As fibras reticulares são envolvidas pelo citoplasma das células reticulares; as fibras, entretanto, são extracelulares, separadas do citoplasma pela membrana plasmática da célula. No interior dos espaços (seios) as células e os fluidostissulares se movimentam livremente.

Page 26: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO MUCOSOGelatina de Wharton (cordão umbilical).Predomínio de substância fundamental

amorfa.

Tecido mucoso de um embrião mostrando os fibroblastos imersos em uma matriz extracelular muito frouxa composta predominantemente de ácido hialurônico (glicosaminoglicana da matriz fundamental). Hematoxilina e eosina. Médio aumento.

Page 27: TECIDO CONJUNTIVO

HISTOFISIOLOGIA

Os tecidos conjuntivos têm funções de sustentação, preenchimento, armazenamento, transporte, defesa e reparo

Page 28: TECIDO CONJUNTIVO

SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL AMORFAAMORFA

Trata-se de um material transparente, amorfo que tem as propriedades de um gel semifluido.

É composta basicamente de glicosaminoglicanos (GAGs), na forma de ácido hialurônico e proteoglicanos. ◦Formam um gel flexível através do qual

os metabólitos passam a se difundir.

Page 29: TECIDO CONJUNTIVO

SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL AMORFAAMORFA

Incolor, transparente e opticamente homogênea. Preenche os espaços entre as células e as fibras do conjuntivo e, sendo viscosa, representa uma barreira à entrada de partículas estranhas no interior do tecido. Difícil observação.

É composta basicamente de glicosaminoglicanos (GAGs), na forma de ácido hialurônico e proteoglicanos. ◦ Formam um gel flexível através do qual os

metabólitos passam a se difundir. A água presente na substância intercelular do conjuntivo origina-se do sangue, passando pelos capilares para os espaços intercelulares.

Page 30: TECIDO CONJUNTIVO

SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL AMORFAAMORFA

T. CONJUNTIVO

SANGUE

LevaNutrientes

Restantes doMetabolismo

Órgãos de Órgãos de desintoxicaçãodesintoxicação

Transporta

SANGUE

Page 31: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO ADIPOSOTECIDO ADIPOSO Tipo especial de tecido conjuntivo onde há predomínio de células adiposas.

Os adipócitos podem estar isolados ou em pequeno grupos no tecido conjuntivo comum.

A maioria está no tecido adiposo espalhado pelo corpo.

Page 32: TECIDO CONJUNTIVO

PESSOAS NORMAIS

O TECIDO ADIPOSO CORRESPONDE

HOMENS = 15-20% DO PESO

MULHERES= 20-25% DO PESO

A gordura armazenada dentro dos adipócitos é derivada de 3 fontes principais:1)A gordura da dieta circulante na corrente sanguínea como quilomícrons2)Triglicerídeos sintetizados no fígado e transportados no sangue3)Triglicerídeos sintetizados a partir da glicose dentro dos adipócitos

Além de seu papel de armazenamento de energia, os adipócitos têm importante papel endócrino. Através da secreção de diversas proteínas,

os adipócitos modulam o metabolismo de energia e influenciam o metabolismo geral em coordenação com os hormônios, como a insulina,

para regular a massa corporal.

Page 33: TECIDO CONJUNTIVO

ORIGEM E DESENVOLVIMENTO DOS ADIPÓCITOS

Page 34: TECIDO CONJUNTIVO

Além de servir como fonte de reserva energética, o tecido adiposo pode ter outras funções:• Modelar a superfície do corpo (diferenças entre homens e mulheres).

• Servir de coxins absorventes de choques (plantas dos pés e palmas das mãos).

• Ser isolante térmico

• Preencher espaços entre outros tecidos e auxiliar na manutenção de certos órgãos em sua posição normal

Page 35: TECIDO CONJUNTIVO

TIPOSTIPOSTecido Adiposo

comum (amarelo ou Unilocular)

Células desenvolvidas e com apenas uma gotícula de gordura que ocupa quase todo o citoplasma.

Mais freqüente no corpo humano

Usado em caso de necessidade energética!

Tecido Adiposo Pardo (ou multilocular)

Células que contêm numerosas gotículas lipídicas e muitas mitocôndrias.

Distribuição limitada (animais hibernantes e em algumas áreas fetais)

TERMORREGULAÇÃO! Produção de calor!

Page 36: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO ADIPOSO

UNILOCULAR

TECIDO ADIPOSO

MULTILOCULAR

Page 37: TECIDO CONJUNTIVO
Page 38: TECIDO CONJUNTIVO

TECIDO CARTILAGINOSO (T.C.)TECIDO CARTILAGINOSO (T.C.) É uma forma especializada de tecido conjuntivo de

consistência rígida. FUNÇÃO:

◦ Suporte de tecidos moles

◦ Revestimento de superfícies articulares absorvendo choques

◦ Facilitador de deslizamentos

◦ Formação e crescimento dos ossos longos

CÉLULAS: Condrócitos (+ abundante material intercelular que forma a matriz). Os condrócitos ficam em cavidades denominadas lacunas (uma lacuna pode ter um ou mais condrócitos).

A função das células é produzir a matriz e mantê-la em estado normal.

As propriedades do T.C., relacionadas ao seu papel fisiológico, dependem da estrutura da matriz, que é constituída por colágeno ou colágeno mais elastina, em associação com macromoléculas de proteoglicanas (proteínas + glicosaminoglicanas).

Page 39: TECIDO CONJUNTIVO

• Não possui vasos sanguíneos, sendo nutrido pelos capilares do conjuntivo envolvente (pericôndrio) ou através do líquido sinovial das cavidades articulares.

• O T.C. é desprovido de vasos linfáticos e de nervos. Tem metabolismo baixo.

• As cartilagens podem ser classificadas em 3 tipos:• Cartilagem Hialina – mais comum. Matriz com delicadas fibrilas constituídas principalmente de colágeno tipo II.

• Cartilagem Elástica – possui poucas fibras de colágeno (principalmente do tipo II) e abundantes fibras de elastina.

• Cartilagem Fibrosa - matriz constituída principalmente por fibras de colágeno tipo I.

 

TECIDO CARTILAGINOSO (T.C.)TECIDO CARTILAGINOSO (T.C.)

Page 40: TECIDO CONJUNTIVO

CARTILAGEM HIALINACARTILAGEM HIALINA◦ É o tipo mais encontrado no corpo humano e o mais estudado.◦ A fresco apresenta-se na cor branco-azulada e translúcida.◦ Forma o primeiro esqueleto do embrião, que, posteriormente, é

substituído por um esqueleto ósseo.◦ Entre a diáfise e a epífise dos ossos longos em crescimento

observa-se o disco epifisário, de cartilagem hialina, que é responsável pelo crescimento do osso em extensão. Esta cartilagem recebe o nome de cartilagem seriada, pela disposição em série de suas células – disco epifisário!

◦ No adulto: parede das fossas nasais, traquéia e brônquios, na extremidade ventral das costelas recobrindo as superfícies articulares dos ossos longos.

◦ Na periferia da cartilagem hialina, os condrócitos apresentam uma forma elíptica, com o eixo maior paralelo à superfície = condroblasto

Page 41: TECIDO CONJUNTIVO

CARTILAGEM HIALINACARTILAGEM HIALINA◦Os condrócitos produzem e renovam o colágeno,

proteoglicanas e glicoproteínas da matriz das cartilagens.

◦PERICÔNDRIO - camada de tecido conjuntivo, denso que reveste todas as peças de cartilagem hialina (exceto a cartilagem articular), cuja sua integridade é essencial para a vida da cartilagem.

◦Além de ser uma fonte de novos condrócitos para o crescimento, o pericôndrio é responsável pela nutrição da cartilagem, por sua oxigenação e pela eliminação dos refugos metabólitos, porque nele estão localizados vasos sanguíneos e linfáticos inexistentes no T.C.

Page 42: TECIDO CONJUNTIVO

DIFERENCIAÇÃO DOS CONDRÓCITOSDIFERENCIAÇÃO DOS CONDRÓCITOS

Page 43: TECIDO CONJUNTIVO

CRESCIMENTO DA CARTILAGEMCRESCIMENTO DA CARTILAGEMO crescimento da cartilagem deve-se a dois processos:

1) Crescimento intersticial: Por divisão mitótica dos condrócitos preexistentes. É menos importante e quase só ocorre nas primeiras fases da vida da cartilagem. À medida que a matriz se torna cada vez mais rígida e espessa, o crescimento intersticial deixa de ser viável e a cartilagem passa a crescer somente por aposição.

2) Crescimento aposicional: que se faz a partir das células do pericôndrio

Page 44: TECIDO CONJUNTIVO

• Em comparação a outros tecidos, a cartilagem hialina é sujeita com relativa freqüência a processos degenerativos. O mais comum é a calcificação da matriz, que consiste na deposição de fosfato de cálcio sob a forma de cristais de hidroxiapatita, precedida por um aumento de volume e morte das células.

• A cartilagem que sofre lesão regenera-se com dificuldade e, freqüentemente, de modo incompleto, salvo em crianças de pouca idade.

• No adulto, a regeneração se dá pela atividade do pericôndrio. Havendo fratura de uma peça cartilaginosa, células derivadas do pericôndrio invadem a área da fratura e dão origem a tecido cartilaginoso que repara a lesão.

• Quando a área destruída é extensa, ou mesmo, algumas vezes, em lesões pequenas, o pericôndrio, em vez de formar novo tecido cartilaginoso, forma uma cicatriz de tecido conjuntivo denso.

CARTILAGEM HIALINACARTILAGEM HIALINA

Page 45: TECIDO CONJUNTIVO

PERICÔNDRIO

PERICÔNDRIO

CONDRÓCITO

CONDROBLASTO

CARTILAGEM HIALINACARTILAGEM HIALINA

Page 46: TECIDO CONJUNTIVO

CARTILAGEM ELÁSTICACARTILAGEM ELÁSTICAÉ encontrada no pavilhão auditivo, no conduto auditivo

externo, na tuba auditiva (ou de Eustáquio), na epiglote e na cartilagem cuneiforme da laringe.

É semelhante à cartilagem hialina, porém inclui, muitas fibrilas de colágeno (principalmente do tipo II), uma abundante rede de fibras elásticas finas, contínuas com as do pericôndrio.

A presença de elastina confere a esse tipo de cartilagem uma cor amarelada, quando examinada a fresco.

A cartilagem elástica pode estar presente isoladamente ou formar uma peça cartilaginosa junto com a cartilagem hialina. Como a cartilagem hialina, a elástica possui pericôndrio e cresce principalmente por aposição.

A cartilagem elástica é menos sujeita a processos degenerativos do que a hialina.

Page 47: TECIDO CONJUNTIVO

CARTILAGEM ELÁSTICACARTILAGEM ELÁSTICA

Page 48: TECIDO CONJUNTIVO

CARTILAGEM FIBROSA (Fibrocartilagem)CARTILAGEM FIBROSA (Fibrocartilagem)

É um tecido com características intermediárias entre o conjuntivo denso e a cartilagem hialina.

É encontrada nos discos intervertebrais, nos pontos em que alguns tendões e ligamentos se inserem nos ossos, e na sínfise pubiana.

A fibrocartilagem está sempre associada a conjuntivo denso, sendo imprecisos os limites entre os dois.

A substância fundamental amorfa é escassa e limitada à proximidade das lacunas.

Não existe pericôndrio.

Page 49: TECIDO CONJUNTIVO

CARTILAGEM FIBROSA CARTILAGEM FIBROSA (Fibrocartilagem)(Fibrocartilagem)Discos IntervetebraisDiscos Intervetebrais

Os discos intervertebrais são coxins lubrificados constituídos principalmente por colágeno tipo I e ácido hialurônico, que absorvem os choques entre os corpos das vértebras, prevenindo o desgaste do osso das vértebras.

Cada disco é formado: por um anel fibroso e por uma parte derivada da notocorda, o núcleo pulposo.

O anel fibroso possui uma porção periférica de tecido conjuntivo denso, porém em sua maior extensão é constituído por fibrocartilagem, cujos feixes colágenos formam camadas concêntricas.