Comércio Exterior

  • View
    9.513

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Este conteúdo foi desenvolvido pelo Ilustre professor Osmani Santos, e faz parte das aulas de Comércio Exterior ministradas pelo próprio no curso de Administração de Empresas na Universidade Católica de Petrópolis.

Text of Comércio Exterior

  • 1. Prof. Osmani Almeida Alves dos SantosMatria: Comrcio Exterior

2. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA1-INTRODUO O que so Relaes internacionais.O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais. 3. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA2 - PRECURSORES DO ESTUDO DO COMRCIOENTRE PASES Histrico. Adam Smith,Davi Ricardo,Ohlin e Hecksher. O histrico da Globalizao ou mundializao. A importncia do Comrcio Exterior para um Pas. O Comrcio exterior e a Globalizao. A importncia do Comrcio exterior para as empresas. O Brasil no contexto dos Negcios Internacionais. 4. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA 3 - A LOGSTICA NO COMRCIO INTERNACIONALPassos para se alcanar o Mercado externo.O risco Pas.A negociao e os procedimentos administrativos.As modalidades de venda - INCOTERMS.As formas de pagamento.O cmbio. 5. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA 4 - O MARKETING INTERNACIONALConhecimento prvio.A prospeco do mercado.A estrutura funcional.O perfil do profissional. 6. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA 5 - O B RASIL E ASUA ESTRUTURA PARA O COMRCIO EXTERIOR Principais rgos Gestores e anuentes. O SISCOMEX. A Classificao Fiscal de Mercadorias. A Legislao Brasileira de Comrcio Exterior. O Balano de Pagamentos. 7. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA 6 - A ATIVIDADE DE EXPORTAO PREMISSAS Vantagens e desvantagens. Composio do preo de exportao. Casos especiais de exportao. 8. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA 7- A ATIVIDADE DE IMPORTAO PREMISSAS Vantagens e desvantagens. O custo da importao. A classificao das importaes. Os regimes aduaneiros especiais. 9. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA 8- Regimes Aduaneiros - Exportao e Importao Entreposto Aduaneiro Exportao/Importao temporria Trnsito Aduaneiro Zona Franca de Manaus Drawback Deposito Especial Alfandegado ( DEA) 10. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA8- Regimes Aduaneiros - Exportao e Importao Depsito Afianado( DA) Depsito Franco (DF) 11. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA9 - OS ORGANISMOS INTERNACIONAIS A Organizao Mundial do Comrcio e suas funes. Princpios de sistema de comrcio. O MERCOSUL. Os Acordos Bilaterais. Os Acordos Internacionais de Comrcio. 12. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA10 - INCENTIVOS EXPORTAOSubsdio.Benefcio Fiscal.Corredores de Exportao.Zona Franca.ZPEs.(Zona de Processamento de Exportaes).EADI.(Estao Aduaneira do Interior).Drawback. 13. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIA11 - O DRAWBACK Definio. Modalidades. Tipos. 14. Matria: Comrcio Exterior PROGRAMA DA MATRIABIBLIOGRAFIA BSICA: Vsquez, Jos Lopes - Comrcio Exterior Brasileiro - Ed. Atlas. Oliveira , Jayr Figueiredo de - Manual Prtico de Comrcio Exterior - Ed. Saraiva. COMPLEMENTAR: Segre, German - Manual Prtico de Comrcio Exterior Ed. Atlas.Racy, Joaquim Carlos - Introduo Gesto dos Negcios Internacionais Ed. Thompson. 15. Matria: Comrcio Exterior 1- Introduo: As Relaes Internacionais 1.1. O que so Relaes Internacionais So as relaes desenvolvidas entre Naes em todo o tipo de atividade. Os tipos de relaes desenvolvidas so:Diplomticas: que dizem respeito questes de soberania (governana), poder (domnio),poltica (direito internacional).Comerciais: que dizem respeito aos negcios (exportao e importao)e aos regulamentos (acordos internacionais e os organismos internacionais). 1.2. Polticas Externas So medidas adotadas pelos pases para salvaguardarem os direitos dos pases (disputas comerciais). 16. Matria: Comrcio Exterior 1- Introduo: As Relaes Internacionais 1.2.1. Direitos comerciais- (competitividade) Maior abertura de mercado aos produtos brasileiros. Eliminao de subsdios internos dados pelos pases aos produtores locais. Normas anti-dumping. Salvaguardas comerciais. Medidas compensatrias. Normas tcnicas, sanitrias e fitossanitrias. 17. Matria: Comrcio Exterior 1- Introduo: As Relaes Internacionais 1.3. Os Negcios Internacionais O Comrcio internacional caracterizado pelo intercmbio de mercadoria, servios e pessoas alm de capitais, entre as Naes. Neste caso, por intercmbio entende-se como comrcio exterior regulado por termos e normas nacionais, por relaes de negcios, por transaes e estudos realizados no comrcio internacional. Logo o Comrcio Exterior diz respeito s relaes de negciosdeexportaoe de importao concomitantes,desenvolvidas entre si pelas Naes. 18. Matria: Comrcio Exterior 1- Introduo: As Relaes Internacionais 1.4. A liberalizao comercial internacional Concesso de maior abertura dos mercados nacionais ao comrcio com outros pases, objetivo fundamental da OMC. Criao de reas de livre comrcio.Acordos bilaterais com a finalidade de dinamizar as exportaes e importaes atravs do estabelecimento de uma lista de produtos dos setores que sejam de interesse de ambas as partes. 19. Matria: Comrcio Exterior 1- Introduo: As Relaes Internacionais 1.5. Motivao para haver comrcio Internacional Produo em grande escala (tecnologia,capacitao e especializao). Mo de obra barata. Insumos abundantes. Clima;(entressafra, sazonalidade e intempries). Vantagens de entrada (concesses). 20. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.1 Os Precursores dos estudos sobre o comrcio entre Pases MERCANTILISMO: Uma Nao seria tanto mais rica quanto maiores fossem sua populao e seu estoque de metais preciosos. Caberia portanto ao Estado, para obter mais riqueza, estimular as exportaes e restringir as importaes.Depreende-se que: quanto maior as exportaes mais acmulo de ouro e prata e quanto menor as importaes, menor a sada dessas riquezas. Como conseqncia: S se importaria o essencial daquilo que no fosse produzido no mercado interno. As exportaes seriam tambm reduzidas pois no haveria o 21. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.2. ADAM SMITHEm seu livro A riqueza das Naes de 1776, ele mostrou uma viso econmica sobre o comrcio entre as Naes.Adam Smith disse que a falha dos mercantilistas foi no perceber que uma troca deveria beneficiar as duas partes envolvidas no negcio sem que se registrasse necessariamente um dficit para uma das Naes envolvidas. Ele disse que a riqueza de uma Nao mais adequadamente medida em termos de produo e consumo de sua populao e no em funo da quantidade de metais preciosos em seu poder. Ele defendeu o argumento da teoria da Vantagem absoluta ou seja, um Pas que conseguisse produzir alguma mercadoria a um custo mais baixo que outros iria tirar proveito da especializao e das trocas. 22. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.2. ADAM SMITH Produo Pas APas B Relao trocaHora x trabalho Hora x trabalho M.Externo 1 camisa 1015B Exporta p| A. (1 sapato) 1 sapato 4030A exporta p| B. ( 3 Camisas) Relao troca 4 camisas x 1 2 camisas x 1 VantagemMercado Internosapatosapato Absoluta 23. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.2. ADAM SMITH - TEORIA Vantagem Absoluta - NMEROS Produo Pas APas B Relao trocaHora x trabalho Hora x trabalho Mercado Externo 1 camisa 1025A exporta camisapara B. 1 sapato 4050A exporta sapatopara B. Relao troca 4 camisas x 1 2 camisas x 1 VantagemMercado InternosapatosapatoAbsoluta 24. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais2.2. ADAM SMITH - TEORIA Vantagem Absoluta - NMEROS Econmicos Comerciais Produo Natureza (matria prima) Preo (produto)Custos Materiais Mo de obra Capital (Investimento) Moeda (cmbio) Moeda (cmbio) Transporte (frete) 25. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.3. DAVI RICARDO Em seu livro Os Princpios de Economia Poltica e Tributao de 1817, ele apresentava a teoria da Vantagem Comparativa que explicava o comrcio mesmo entre as Naes sem vantagem absoluta na produo de nenhum bem. Segundo a teoria da Vantagem Comparativa possvel haver comrcio entre um pas desenvolvido e um sub-desenvolvido de forma vantajosa para ambos desde que os custos relativos de produo de mercadorias sejam diferentes. 26. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.3. DAVI RICARDO teoria da vantagem comparativa - Nmeros Produo Pas APas BRelao trocaHora x trabalho Hora x trabalhoM.Externo 1 camisa 1025 Quando 1unidadecamisa fortrocada por 0,25% de 1sapato mnimo. 1 sapato 4050Quando 1unidadecamisa fortrocada por 0,50% de 1sapato mximo Relao troca10|40 = 0,25% 25|50 = 0,50% Vantagem ComparativaMercado Interno 27. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.3. DAVI RICARDO Na concepo dos custos comparativos de Davi Ricardo o Pas B tem uma relao camisasapato (50%) melhor que o Pas A( 25%). 28. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.4. BERTIL OHLIN e ELI HECKSHER A TEORIA DOS FATORES ABUNDANTES POR FATORES ESCASSOS Estes economistas suecos dizem que haver comrcio entre as Naes considerando-se a troca de fatores abundantes por fatores escassos. 29. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.5. A Importncia do Comrcio Exterior para um Pas Quando um Pas exporta uma mercadoria para um outro parceiro comercial o que est implicitamente entendido : Exporta mo de obra. Recebe mais divisas. Melhora a qualidade dos produtos.Torna-se parceiro internacional; porque participa ativamente das atividades do comrcio internacional. Atrai mais investimentos externos e internos. Possibilita a estabilizao dos preos internos com a importao de produtos. Participa do processo de globalizao da produo. 30. Matria: Comrcio Exterior 2 - O ambiente do Comrcio Exterior e dos Negcios Internacionais 2.6. O Histrico da Globalizao ou Mundializao FLUXOS: 1450Globalizao1750Primria Era Mercantilista: Navegaes e Cidades Estado. 31. Matria