Eletropneumática e eletro hidráulica i

  • View
    2.359

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Eletropneumática e eletro hidráulica i

  • Departamento Regional de So Paulo

    Eletropneumticae

    Eletro-Hidrulica

    ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDARCAI - ELETRICISTA DE MANUTENO

    K3

    14 14

    _

    12

    K1 Y1

    24

    K311

    14

    K2 Y3

    21

    +

    S113

    K111

    K1S2

    K211 S3

    M

    Y1TP

    BA

    Y2 Y3

    S2

    AS4

    24 14

    S5 12

    Y2 K4 Y4

    11

    _

    K321

    K4S4

    +11

    Y4P T

    BA

    B S5S3

  • CAI - Eletricista de Manuteno

    Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    SENAI-SP, 2003

    Trabalho elaborado pela Escola SENAI Almirante TamandarDepartamento Regional do SENAI-SP

    1 edio, 2003

    Coordenao Geral Luiz Gonzaga de S Pinto

    Equipe Responsvel

    Coordenao Celso Guimares PereiraElaborao Ilo da Silva MoreiraReviso Lus Alberto Freitas Pinheiro

    SENAI - Servio Nacional de Aprendizagem IndustrialDepartamento Regional de So PauloEscola SENAI Almirante TamandarAv. Pereira Barreto, 456CEP 09751-000 So Bernardo do Campo - SPTelefone: (011) 4122-5877FAX: (011) 4122-5877 (ramal 230)E-mail: senaitamandare@sp.senai.br

  • Sumrio

    Pgina 4 Componentes dos Circuitos Eltricos

    4 - Elementos de entrada de sinais

    14 - Elementos de processamento de sinais

    21 - Elementos de sada de sinais

    25 Circuitos Eletropneumticos e Eletro-Hidrulicos

    25 - Mtodo Intuitivo

    26 - Circuito 01: Comando bsico direto

    27 - Circuito 02: Comando em paralelo

    29 - Circuito 03: Comando em srie

    30 - Circuito 04: Comando de auto-reteno

    42 - Circuito 05: Comando de um cilindro com retorno automtico

    50 - Circuito 06: Ciclo nico e contnuo

    60 - Circuito 07: Comando com temporizao, retorno automtico

    70 - Circuito 08: Comando bi-manual com retorno por presso programada

    80 - Circuito 09: Comando alternado por flip-flop (divisor binrio)

    85 - Circuito 10: Avano rpido, aproximao controlada e retorno rpido

    89 - Circuito 11: Comando de movimentos seqenciais

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    4ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    COMPONENTES DOS CIRCUITOS ELTRICOS

    Os componentes eltricos utilizados nos circuitos so distribudos em trs categorias:

    - os elementos de entrada de sinais eltricos,

    - os elementos de processamento de sinais,

    - e os elementos de sada de sinais eltricos.

    Elementos de Entrada de Sinais

    Os componentes de entrada de sinais eltricos so aqueles que emitem informaes ao

    circuito por meio de uma ao muscular, mecnica, eltrica, eletrnica ou combinao entre elas.

    Entre os elementos de entrada de sinais podemos citar as botoeiras, as chaves fim de curso, os

    sensores de proximidade e os pressostatos, entre outros, todos destinados a emitir sinais para

    energizao ou desenergizao do circuito ou parte dele.

    Botoeiras

    As botoeiras so chaves eltricas acionadas manualmente que apresentam, geralmente, um

    contato aberto e outro fechado. De acordo com o tipo de sinal a ser enviado ao comando eltrico, as

    botoeiras so caracterizadas como pulsadoras ou com trava.

    As botoeiras pulsadoras invertem seus contatos mediante o acionamento de um boto e,

    devido a ao de uma mola, retornam posio inicial quando cessa o acionamento.

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    5ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    Essa botoeira possui um contato aberto e um contato fechado, sendo acionada por um boto

    pulsador liso e reposicionada por mola. Enquanto o boto no for acionado, os contatos 11 e 12

    permanecem fechados, permitindo a passagem da corrente eltrica, ao mesmo tempo em que os

    contatos 13 e 14 se mantm abertos, interrompendo a passagem da corrente. Quando o boto

    acionado, os contatos se invertem de forma que o fechado abre e o aberto fecha. Soltando-se o

    boto, os contatos voltam posio inicial pela ao da mola de retorno.

    As botoeiras com trava tambm invertem seus contatos mediante o acionamento de um boto,

    entretanto, ao contrrio das botoeiras pulsadoras, permanecem acionadas e travadas mesmo depois

    de cessado o acionamento.

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    6ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    Esta botoeira acionada por um boto giratrio com uma trava que mantm os contatos na

    ltima posio acionada. Como o corpo de contatos e os bornes so os mesmos da figura anterior e

    apenas o cabeote de acionamento foi substitudo, esta botoeira tambm possui as mesmas

    caractersticas construtivas, isto , um contato fechado nos bornes 11 e 12 e um aberto 13 e 14.

    Quando o boto acionado, o contato fechado 11/12 abre e o contato 13/14 fecha e se mantm

    travados na posio, mesmo depois de cessado o acionamento. Para que os contatos retornem

    posio inicial necessrio acionar novamente o boto, agora no sentido contrrio ao primeiro

    acionamento.

    Outro tipo de botoeira com trava, muito usada como boto de emergncia para desligar o

    circuito de comando eltrico em momentos crticos, acionada por boto do tipo cogumelo.

    Mais uma vez, o corpo de contatos e os bornes so os mesmos, sendo trocado apenas o

    cabeote de acionamento. O boto do tipo cogumelo, tambm conhecido como boto soco-trava,

    quando acionado, inverte os contatos da botoeira e os mantm travados. O retorno posio inicialse faz mediante um pequeno giro do boto no sentido horrio, o que destrava o mecanismo e aciona

    automaticamente os contatos de volta a mesma situao de antes do acionamento.

    Outro tipo de boto de acionamento manual utilizado em botoeiras o boto flip-flop, tambm

    conhecido como divisor binrio, o qual alterna os pulsos dados no boto, uma vez invertendo os

    contatos da botoeira, outra trazendo-os posio inicial.

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    7ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    Chaves Fim de Curso

    As chaves fim de curso, assim como as botoeiras, so comutadores eltricos de entrada de

    sinais, s que acionados mecanicamente. As chaves fim de curso so, geralmente, posicionadas no

    decorrer do percurso de cabeotes mveis de mquinas e equipamentos industriais, bem como das

    haste de cilindros hidrulicos e ou pneumticos.

    O acionamento de uma chave fim de curso pode ser efetuado por meio de um rolete mecnico

    ou de um rolete escamotevel, tambm conhecido como gatilho. Existem, ainda, chaves fim de curso

    acionadas por uma haste apalpadora, do tipo utilizada em instrumentos de medio como, por

    exemplo, num relgio comparador.

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    8ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    Esta chave fim de curso acionada por um rolete mecnico e possui um contato comutador

    formado por um borne comum 11, um contato fechado 12 e um aberto 14. Enquanto o rolete no for

    acionado, a corrente eltrica pode passar pelos contatos 11 e 12 e est interrompida entre os

    contatos 11 e 14. Quando o rolete acionado, a corrente passa pelos contatos 11 e 14 e bloqueada

    entre os contatos 11 e 12. Uma vez cessado o acionamento, os contatos retornam posio inicial,

    ou seja, 11 interligado com 12 e 14 desligado.

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    9ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    Esta outra chave fim de curso tambm acionada por um rolete mecnico mas, diferentemente

    da anterior, apresenta dois contatos independentes sendo um fechado, formado pelos bornes 11 e

    12, e outro aberto, efetuado pelos bornes 13 e 14. Quando o rolete acionado, os contatos 11 e 12

    abrem, interrompendo a passagem da corrente eltrica, enquanto que os contatos 13 e 14 fecham,

    liberando a corrente.

    Os roletes mecnicos acima apresentados podem ser acionados em qualquer direo que

    efetuaro a comutao dos contatos das chaves fim de curso. Existem, porm, outros tipos de roletes

    que somente comutam os contatos das chaves se forem acionados num determinado sentido de

    direo. So os chamados roletes escamoteveis, tambm conhecidos na indstria como gatilhos.

    Esta chave fim de curso, acionada por gatilho, somente inverte seus contatos quando o rolete

    for atuado da esquerda para a direita. No sentido contrrio, uma articulao mecnica faz com que a

    haste do mecanismo dobre, sem acionar os contatos comutadores da chave fim de curso. Dessa

    forma, somente quando o rolete acionado da esquerda para a direita, os contatos da chave se

    invertem permitindo que a corrente eltrica passe pelos contatos 11 e 14 e seja bloqueada entre os

    contatos 11 e 12. Uma vez cessado o acionamento, os contatos retornam posio inicial, ou seja,

    11 interligado com 12 e 14 desligado.

  • Eletropneumtica e Eletro-Hidrulica

    10ESCOLA SENAI ALMIRANTE TAMANDAR

    Sensores de Proximidade

    Os sensores de proximidade, assim como as chaves fim de curso, so elementos emissores de

    sinais eltricos os quais so posicionados no decorrer do percurso de cabeotes mveis de mquinas

    e equipamentos industriais, bem como das haste de cilindros hidrulicos e ou pneumticos. O

    acionamento dos sensores, entretanto, no dependem de contato fsico com as partes mveis dos

    equipamentos, basta apenas que estas partes aproximem-se dos sensores a uma distncia que varia

    de acordo com o tipo de sensor utilizado.

    Existem no mercado diversos tipos de sensores de proximidade os quais devem ser

    selecionados de acordo com o tipo de aplicao e do material a ser detectado. Os mais empregados

    na automao de mquinas e equipamentos industriais so os sensores capacitivos, indutivos,

    pticos, magnticos e ultra-snicos, alm dos sensores de presso, volume e temperatura, muito

    utilizados na indstria de processos.

    Basicamente, os sensores