Click here to load reader

4 antropologia missionária

  • View
    2.746

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 4 antropologia missionária

Apresentao do PowerPoint

ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

INTRODUO

ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

A Antropologia Estrutural nasce na dcada de 1940. Lvi-Strauss o seu grande terico e defende que existem regras estruturantes das culturas na mente humana. Desta forma estas regras constroem pares de oposio para organizar o sentindo.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

O estudo e uso da antropologia nas aes missionrias relativamente novo e possivelmente recebeu seu primeiro forte impulso a partir da publicao do artigo de Malinowski intituladoPractical Anthropology(Antropologia Prtica) em 1929, ironicamente ele mesmo um opositor atuao missionria, com algumas exceo.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Um dos pioneiros no incentivo do uso da antropologia nas aes missionrias foi Edwin Smith (1876-1957), filho de missionrios e nascido na frica do Sul, tendo servido tambm como missionrio entre 1902 e 1915 entre o povo Baila-Batonga na Zmbia.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Apesar de se considerar apenas um antroplogo amador, sua constribuio nesta rea junto aos movimentos missionrios foi marcante, bem como o reconhecimento que recebeu da comunidade antropolgica internacional da poca, sendo membro daRoyal Anthropological Institute of Great Britainde 1909 at sua morte e tendo atuado por alguns anos como presidente da mesma.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

DESENVOLVIMENTO

ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

ANTROPLOGOSVERSUSMISSIONRIOSUtilizo versusde forma exploratria, expondo uma realidade vivida, porm no desejada.Antroplogos e missionrios possuem nas ltimas dcadas uma histria de encontros e desencontros devido a vrios fatores, conceituais e metodolgicos, e talvez especialmente prpria natureza de suas funes na relao com a sociedade.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Ao passo que antroplogos se prope produo de conhecimento, a partir de uma abordagem de pesquisa e reflexo, missionrios se dedicam principalmente produo de servio, em aes de relao einterveno. Antroplogos se aproximam dos grupos humanos com a pergunta o que significa?, enquanto missionrios o fazem indagando qual o sofrimento?. A primeira pergunta induz pesquisa e a segunda evangelizao e/ou um projeto social.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Esta diferena funcional explica tambm as razes da mtua frustrao. Antroplogos percebem as aes missionrias como sendo intervencionistas, geradoras de mudanas e, em uma perspectiva relativista, nocivas ao grupo.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Por outro lado, missionrios percebem as pesquisas antropolgicas como sendo estreis, com desencanto por no se associarem diretamente s necessidades do segmento humano estudado. No incomum observar antroplogos questionando a base do conhecimento terico de missionrios em relao antropologia e cultura (so despreparados para a interpretao cultural), como missionrios questionando a utilidade da pesquisa antropolgica, sobretudo em reas de grave sofrimento humano (so dedicados pesquisa de interesse prprio, mas insensveis ao outro).ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

MISSIONRIOS-ANTROPLOGOS ainda incipiente a presena de missionrios-antroplogos no universo missionrio mundial, porm no nova esta funo. Desde 1868 at nossos dias diversos acadmicos missionrios desenvolveram pesquisas e elaboraram estudos motivados pela produo de uma linha de treinamento antropolgico e missionrio.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Ainda que haja grandes controvrsias a respeito da antropologia aplicada indiscutvel a invarivel tendncia mundial instrumentalista a qual caminha para, cada vez mais, utilizar a antropologia como rea do conhecimento humano aplicada nas solues dos problemas sociais.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

A antropologia aplicada reconhecida como a unio entre o conhecimento e a ao, a pesquisa e a atividade. A antropologia missionria pode ser vista, portanto, como a antropologia aplicada s pesquisas e aes missionrias.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

ANTROPOLOGIA DA COMUNICAO E AS DEMANDAS MISSIONRIASH contnua necessidade da Antropologia missionria prosseguir em outros degraus de estudo, pesquisa e aplicao. Por um lado, devido a sua nfase etnogrfica estudos foram feitos em milhares de grupos e segmentos sociais nos ltimos 150 anos envolvendo cosmoviso, organizao social e anlise lingustica.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Se a experincia de campo um ponto forte entre a comunidade missionria mundial, a ausncia de mtodos de pesquisa tem sido um de seus desafios. Diversosmtodos surgiram no intuito de fornecer ao segmento missionrio ferramentas de pesquisa, estudo e comunicao em contexto intercultural, especialmente ligados s sociedades missionrias no sculo 19 e incio do sculo 20.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Outros, com maior rigor cientfico, surgiram a partir da dcada de 60. Basicamente so mtodos em trs reas distintas: a antropologia (mtodos etnogrficos e de registro cultural), a lingustica (mtodos de anlise lingustica e traduo da Bblia), e a missiologia (mtodos de evangelizao transcultural e plantio de igrejas culturalmente relevantes).ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

De forma geral poderamos afirmar que o contexto de treinamento missionrio necessita passar de sua fase etnogrfica e adentrar a etnolgica. preciso no se contentar to somente na coleta sistemtica de dados culturais, mas tambm em sua anlise e compreenso, e nesta direo h duas reas de forte carncia de ateno nos estudos e preparo missionrio mundial: o estudo da identidade cultural e a comunicao intercultural.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Teorias antropolgicas No sculo XIX surge o evolucionismo unilinear, que aplica a teoria da evoluo na culturalidade e gera o pressuposto que o homem passaria por estgios de evoluo cultural: da selvageria barbrie, da barbrie civilizao e da civilizao ao estado de perfeio relativa. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Tais estudos se basearam na observao de culturas ultramarinas, a partir do gabinete e no do campo, de forma distante e pouco aprofundada. So estudos etnocntricos e comparativos, relegando s etnias minoritrias diferentes graus de primitivismo tendo a cultura europia como ponto de referncia do processo civilizatrio. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Conceituando CulturaVivamos, no sculo XVIII, a era do determinismo geogrfico onde toda diferena cultural e lingstica era considerada a partir das diferenas regionais. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

A ateno na incipiente etnologia da poca passou a se concentrar nos ambientes onde clima, condies de subsistncia, alimento, acesso gua potvel, qualidade do ar e distanciamento de outros ajuntamentos humanos determinam em larga escala a identidade de uma pessoa e seu grupo. Era uma viso parcial da identidade humana que viria a receber novos questionamentos. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Em face desta crescente influncia cultural analtica, no fim do sculo XVIII e incio do XIX era ampla a utilizao do termo kultur ao se referir ao bojo de valores espirituais em um povo ou nao. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Paralelamente civilization era um termo francs que transmitia a ideia do desenvolvimento estrutural de uma nao. Edward Tylor (1832-1917) sintetizou as duas expresses na nomenclatura inglesa culture a partir da qual vrias escolas foram fundadas e pensamentos se distinguiram no estudo e pesquisa das distines e semelhanas do homem em seus diversos segmentos. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Inicialmente se conceituou cultura como todo comportamento aprendido, assimilado, avaliado e sujeito a progressos; tudo aquilo que independe de uma transmisso gentica.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

A partir de 1920 antroplogos como Boas, Wissler e Kroeber passaram a desenvolver um estudo antropolgico a partir da anlise das ideias e no dos ambientes. Vieram a questionar o determinismo geogrfico a partir da observao de que grupos historicamente habitantes do mesmo territrio se desenvolviam culturalmente de forma distinta. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

De forma geral, portanto, poderamos citar Paul Hiebert e conceituar cultura como os sistemas mais ou menos integrados de ideias, sentimentos, valores e seus padres associados de comportamento e produtos, compartilhados por um grupo de pessoas que organiza e regulamenta o que pensa, sente e faz28. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Os Padres tico, mico e mico-Teolgico A Etnologia normalmente estudada como um ramo antropolgico que est ligado s formulaes da identidade cultural de um segmento ou agrupamento39. Usando-a como ponto de partida para a avaliao cultural sugerimos trs distintas formas de abordar o homem e suas interaes, ou seja, de avali-lo em razo do desenvolvimento de sua existncia social, que so os padres tico, mico e micoteolgico. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Estes primeiros padres (tico e mico) j tm sido largamente utilizados na abordagem antropolgica para avaliao de um fato ou ideia. ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

CONCLUSO

ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

Ao longo de 1 sculo e meio de publicaes antropolgicas com aplicabilidade missionria podemos observar o grande valor que antigos missionrios, bem como sociedades missionrias, deram ao uso da antropologia para o direcionamento de suas abordagens de campo e o treinamento das novas geraes. Pontuo alguns valores da antropologia missionria:ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

1.Leva a perceber os diferentes contextos no qual se est inserido, e prepara para neles transitar.2.Expe a importncia e complexidade da cultura, bem como as possibilidades cientficas de interpret-la.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

3.Identifica os mecanismos sociais que colaboram para melhor aquisio lingustica e integrao pessoal no grupo abordado.4.Conscientiza que todo encontro cultural um processo de troca e, como tal, ao mesmo tempo rico e sensvel.ANTROPOLOGIA MISSIONRIA

5.Destaca a relevncia da compreenso da cultura para o desenvolvimento de aes comunitrias que evitem o paternalismo, o assistencialismo e o imposicionismo.6.Colabora na identificao, com o grupo, das reas de carncia e de

Search related