Batismo com o Espírito Santo

  • View
    13.186

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Retire suas dúvidas a respeito de batismo no Espírito Santo.

Text of Batismo com o Espírito Santo

  • 1.

2. Texto ureo E eu, na verdade, vos batizo com gua, para o arrependimento, mas aquele que vem aps mim mais poderoso do que eu, no sou digno de levar as suas sandlias, Ele vos batizar com o Esprito Santo e com fogo(Mt 3.11) 3. Verdade prtica O batismo com o Esprito Santo uma experincia subsequente salvao, concedida por Deus aos seus servos, tornando-os aptos a cumprir a misso de pregar o Evangelho. 4. Leitura bblica em classe (Atos 2.1-4,7,8) Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.De repente veio do cu um rudo, como que de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. E lhes apareceram umas lnguas como que de fogo, que se distribuam, e sobre cada um deles pousou uma. E todos ficaram cheios do Esprito Santo, e comearam a falar noutras lnguas, conforme o Esprito lhes concedia que falassem.7E todos pasmavam e se admiravam, dizendo uns aos outros: Pois qu! no so galileus todos esses que esto falando? Como , pois, que os ouvimos falar cada um na prpria lngua em que nascemos? 5. INTRODUO O Batismo com Esprito Santo o revestimento, o derramamento de poder do Alto - Mas recebereis a virtude do Esprito Santo, que h de vir sobre vs (Atos 1.8)-,com a evidncia fsica inicial de lnguas estranhas, conforme oEsprito Santo concede. 6. ( I ) O QUE NO O BATISMO COM O ESPRITO SANTO. 7. (1.1)O batismo com o Esprito Santo no a regenerao espiritual do pecador . 8. O Novo Nascimento, ou Regenerao, ao lado da Justificao, da Adoo eda Santificao, parte integrante do processo de Salvao, enquanto que o Batismo com o Esprito Santo uma promessa e uma beno para os crentes salvos. O batismo com o Esprito Santo uma experincia que se segue aps a converso espiritual do crente. 9. Nem todos os salvos so batizados com Esprito Santo no momento da converso. Exemplo dos irmos da igreja de feso exposto em Atos (19.1,2). Aqueles irmos eram salvos foram chamados de discpulos; Paulo ao dizer quando crestes entendeu que o problema da Salvao estava resolvido ele sabia que a Salvao se resolve crendo em Jesus, como ele mesmotinha afirmado em Filipo, ao Carcereiro Cr no Senhor Jesus Cristo e ser salvo (At16.31) .Paulo no pregou a salvao para eles. 10. Paulo reconheceu que eles eram salvos. Apolo um exemplo de homens salvo que no so batizados com o Esprito Santo. Ele conhecia somente o batismo de Joo , porm era fervoroso de esprito e poderoso nas Escrituras(At 18.24-25).Apolo era salvo, regenerado, conhecia Jesus, mas, no conhecia o Esprito Santo. Portanto, o batismo com o Esprito Santo no a regenerao espiritual do pecador. 11. (1.2)O batismo no corpo de Cristo no batismo com o Esprito Santo. 12. No podemos confundir o batismo com Esprito Santo com o batismo descrito em(1Co 12:13)Pois em um s Esprito fomos todos ns batizados em um s corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos ns foi dado beber de um s Esprito. ; Este textos, trata de um batismo figurado, apesar de real. Todos aqueles que passam pelo novo nascimento, so batizados no corpo mstico de Cristo. 13. possvel ser Batizado no Corpo de Cristo e no ser Batizado com o Esprito Santo. Mas, no possvel ser Batizado com o Esprito Santo sem ter sido Batizado no Corpo de Cristo. OBatismo com o Esprito Santo um obra espiritual, invisvel e realizada por Jesus. ... Ele vos batizar com o Esprito Santo , ... (Mt 3: 11) . 14. (1.3)O batismo com o Esprito Santo no uma experincia exclusivados dias apostlicos. 15. A maior parte dos chamados evanglicos tradicionais (reformados), ou seja, as denominaes evanglicas surgidas durante a Reforma Protestante, no aceitam que o batismo com o Esprito Santo seja uma realidade para os nossos dias. Argumentam que o derramamento do Esprito Santofoi um sinal apenas no dia de Pentecostes, quando muito, aos tempos apostlicos. Entretanto, este entendimento no pode ser aceito, porque no tem respaldo bblico. 16. CLASSIFICAES DAS IGREJAS EVANGLICAS 17. FUNDAMENTALISTAS- So aqueles que interpretam a Bblia de forma literal e no aceitam quaisquer outras alternativas. Consideram-se a continuidade da Reforma Protestante. So crticos das verses modernas da traduo da bblia e do uso de determinados textos gregos.So anti-pentecostais, anti-cooperativos, anti-ecumnicos, individualistas e absolutamente rigorosos e independentes. 18. PROTESTANTES (EVANGLICOS) TRADICIONAISSo os "crentes" das denominaes evanglicas histricas mais antigas, surgidas na Reforma Protestante ou no tempo dela. So as denominaes que deram origem s Misses Modernas e que trouxeram o evangelho ao Brasil. No creem na experincia pentecostal (batismo no Esprito Santo aps a converso, com manifestaes visveis e audveis de sinais e dons). So estruturados, possuem uma longa histria e representam o incio de toda igreja crist evanglica no mundo. 19. PENTECOSTAIS- So as denominaes evanglicas surgidas aps o incio do fenmeno Pentecostal, iniciado nos Estados Unidos, em 1906, na famosa Rua Azuza, onde pela primeira vez na histria moderna da igreja foram manifestados os "dons de lnguas" como provas de batismo com o Esprito Santo. Esse fenmeno atraiu a ateno de crentes, que, ao presenciarem e admitirem a experincia, originaram novas denominaes. Iniciou no Brasil em 1911, com o incio da Assemblia de Deus, em Belm do Par. Hoje so muitas as denominaes pentecostais. 20. NEOPENTECOSTAIS- Surgida do pentecostalismo, que, unindo-se filosofia do "poder da mente", passou a explorar a prosperidade como sinal de bno divina e, em decorrncia da f, a cura de todas as enfermidades. Eles creem em rituais especiais para realizar coisas especiais: Quebra de maldies, determinar pela f, desafios para prosperidade financeira, orao em montanhas de Israel, amuletos para trazer sorte, etc. 21. NEOAPOSTLICOS- No satisfeitos com o que tinham, os neopentecostais evoluram a um passo mais ambicioso ainda: criaram o chamado "mover apostlico", "poder apostlico", "evanglico apostlico". Trata-se de ressuscitar o dom de apstolo, equiparando a autoridade de seu lder ao da canonicidade de Paulo, Joo ou Pedro, tornando a palavra deles como inspirada pelo Esprito Santo. 22. CARISMTICOS- So os chamados "catlicos carismticos". At ento um grupo separado dos evanglicos. Contudo, com o imprio do neopentecostalismo e do neoapostolismo, os carismticos esto se misturando a eles, com a experincia similar de glossolalia, com canes copiadas dos evanglicos, com uma liturgia praticamente idntica, mantendo, contudo, o credo catlico. Creem em santos, em Santa Maria, na Eucaristia, no Purgatrio, fazem oraes, pregam parecido com os evanglicose falam em lnguas estranhas. 23. II. O QUE O BATISMO COM O ESPRTO SANTO 24. O batismo com o Esprito Santo uma demonstrao do poder de Deus, no instante em que as pessoas regeneradas recebem o batismo com o Esprito Santo, comeam a falar com Deus, a exalt-lo, a louv-lo, a glorific-lo e que pode ser notada por muitas pessoas (como no Pentecostes). O batismo com o Esprito Santo uma promessa de Deus feita no Antigo Testamento(Jl 2.28-32)e cumprida no Novo Testamento(At 2.1-4). 25. (2.1)O falar em lnguas como sinal do batismo. 26. O sinal das lnguas estranhas foi estabelecido para ser o sinal caracterstico e identificador do batismo com o Esprito Santo, no havendo qualquer outro sinal que tenha sido indicado nas Escrituras como sendo a prova de que algum foi batizado com o Esprito Santo. 27. (2.2)O dom de variedade de lnguas 28. o dom concedido pelo Esprito Santo a alguns crentes para que falem em lnguas estranhas, de forma sobrenatural, para o fim de edificao de quem fala. O sinal do revestimento de poder o falar em lnguas estranhas, mas o dom de variedade de lnguas algo diferente, pois se trata de uma comunicao que se estabelece em mistrio entre Deus e o homem, uma comunicao direta do esprito humano com o Esprito de Deus, tanto que o intelecto humano dele no participa. Sua finalidade, promover a edificao espiritual individual daquele que fala. 29. Todos os batizados com o Esprito Santo falam em lngua estranha quando recebem o batismo, mas nem todos tm o dom de lnguas, h um grupo de crentes que, apesar de ser batizado com o Esprito Santo, no possui o dom de lnguas e, apesar de ter falado em lngua estranha no instante do batismo, no mais falar dali por diante. A existncia deste grupo deve ser aqui destacada, pois, impensada e erroneamente, h muitos que acham que, se algum foi batizado com o Esprito Santo e deixou de falar em lngua estranha, precisa ser renovado, no est bem espiritualmente, pecou ou fez algo que no era da vontade de Deus. Nem sempre quem batizado com o Esprito Santo, recebe o dom de lnguas. 30. (2.3)A finalidade do dom de lnguas . 31. Sendo um dom espiritual, tem como finalidade a edificao, a construo espiritual do povo de Deus. Em primeiro lugar, a edificao individual do falante(1Co 14.4) O que fala em lngua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. ;em segundo lugar, permitir que a mensagem que serve de edificao individual do falante possa ser interpretada e seja conhecida por toda a igreja que, poder compartilhar desta edificao(1Co 14:5) Ora, quero que todos vs faleis em lnguas, mas muito mais que profetizeis, pois quem profetiza maior do que aquele que fala em lnguas, a no ser que tambm intercede para que a igrejareceba edificao . 32. III.A EXPERIENCIA DE ATOS CAPTULO 2 33. (3.1) Glossolalia , conhecida como lnguas estranhas a manifestao fsica do enchimento do Esprito Santo. Na Glossolalia as palavras no so ditas pela mente do homem, mas, so inspiradas pelo Esprito Santo. o falar no movido pela vontade, e, sim, o falar sob a uno do Esprito. Esse falar pode ser em lnguas conhecidas e faladas pelo homem, como aconteceu em Jerusalm no dia de Penteconstes - cada um os ouvia falar na sua prpria lngua - , como tambm pode ser em lnguas no faladas pelo homem, e s entendidas por Deus - o que fala lngua estranha no fala aos