O criacionismo - UM RELATO BÍBLICO

  • View
    8

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of O criacionismo - UM RELATO BÍBLICO

Apresentao do PowerPoint

CRIACIONISMO UM RELATO BBLICO

FRANCLIA CARVALHO

O QUE DIZ A BBLIA ACERCA DA CRIAO!

O Criador em Ao, 1.12.3Pela brevidade e beleza da composio e do estilo, esta vinheta sobre a criao inigualvel. O Deus-Criador domina a cena. Ele fala e imediatamente se forma a ordem,proporcionando um belo lugar de habitao e de abundantes suprimentos para a criaomais sublime de todas: o homem. Majestade e poder marcam cada sentena.

O QUE DIZ A BBLIA...

Gnesis 1.v.1: No principio, criou Deus os cus e a terra.v.2: E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espirito de Deus se movia sobre a face das guas.

O Ato Inicial (1.1,2)Em resposta pergunta Quem fez todas as coisas?, a Bblia declara ousadamente: Deus... criou (1). Em resposta pergunta Quem anterior e maior que todas as coisas?, com igual ousadia a Bblia anuncia: No princpio... Deus.1 O cu e a terra no so Deus nem deuses; nem Deus igual natureza. Deus o Criador e a natureza seu trabalho manual.Embora feita por Deus, a terra no estava pronta para o homem. Ainda estava em desordem, sem forma e vazia (2), e no havia luz. Contudo, havia atividade. O Espritode Deus se movia continuamente sobre a face das guas.

1 DIA...v.3: E disse Deus: Haja luz. E houve luz.v.4: E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separao entre a luz e as trevas.v.5: E Deus chamou luz Dia; e s trevas chamou Noite, e foi a tarde e a manh: o dia primeiro.

0 Dia da Luz e das Trevas (1.3-5)Energia necessidade vital para o hbitat do homem, e luz energia. Por conseguinte,a primeira ordem de Deus foi: Haja luz (3). A nfase na palavra falada de Deus to grande que cada dia criativo comea com uma ordem ou expresso da vontade divina. 2 Em seguida, ocorre a execuo da ordem e a declarao culminante: Era bom ou equivalente (e.g., 4,10,18).

2 DIA...v. 6: E disse Deus: haja uma expanso no meio das guas, e haja separao entre guas e guas.v.7: E fez Deus a expanso, e fez separao entre as guas que estavam debaixo da expanso e as guas que estavam sobre a expanso. E assim foi.v.8: E chamou Deus expanso cus; e foi a tarde e a manh: o dia segundo.

O Dia das guas Divididas (1.6-8)As guas foram separadas, e acima da terra havia uma expanso. A palavra expanso ou firmamento transmite a idia de solidez. Contudo, a nfase na palavra hebraica original raqia no est no material em si, mas no ato de expandir-se ou na condio de estar expandido. Por isso, a palavra expanso muito apropriada.

3 DIA...v.9: E disse Deus: Ajuntem-se as guas debaixo dos cus num lugar; e aparea a poro seca. E assim foi.v.10: E chamou Deus poro seca terra; e ao ajuntamento das guas chamou mares. E viu Deus que era bom.v.11: E disse Deus: produza a terra erva verde, erva que d sementes, rvores frutfera que d frutos segundo a sua specie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E assim foi.

3 DIA...v.12: E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espcie e arvore frutfera, cuja semente est nela conforme a sua espcie. E viu Deus que era bom.v.13: E foi a tarde e a manh do dia terceiro.

O Dia da Terra e do Mar (1.9-13)O terceiro ato de Deus dizia respeito formao de um futuro hbitat para o homem, que criatura da terra. O alimento para o homem, a vegetao, cresce na terra.Sob a ordem de Deus, terra e mar se separaram, e forma, vida e beleza enfeitaram a terra. O texto no descreve como estas separaes ocorreram, nem h uma lista dasforas dinmicas e naturais envolvidas. Ao invs disso, a relao de um Criador poderoso com uma criatura obediente e flexvel o tempo todo, e claramente, mantida diante do leitor.

Dramaticamente, Deus se voltou para a terra agora visvel e deu-lhe ordens. Aparea a poro seca (11) no era admisso de que as substncias inorgnicas possuam o poder inerente de produzir vida.5 Muito pelo contrrio, a vida em si acha-se, no final das contas, na palavra criativa de Deus e imediatamente surge em resposta sua ordem. Seguindo um padro de pares luz e trevas, guas que estavam sobre e guas que estavam debaixo, terra e mares , agora ocorre uma srie de grupos de trs. Erva, erva dando semente... e rvore frutfera (12) so agrupamentos muito generalizados e no devem ser considerados classificaes botnicas no sentido moderno. A frase conforme a sua espcie6 indica limites aos poderes de reproduo. Mas no fornece um projeto que esboa linhas limtrofes. O destaque est na segurana observvel da natureza: trevo produz trevo, trigo produz trigo, etc. E assim foi (11) e ainda .

4 DIA...v.14: E disse Deus: haja luminares na expanso dos cus para haver separao entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempo determinados e para dias e anos.v.15: E sejam para luminares na expanso dos cus para alumiar a terra. E assim foi.v.16: E fez Deus os dois grandes liminares: o luminar maior para governar o dia e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.

4 DIA...v.17: E os ps na expanso dos cus para alumiar a terra, v.18: E para governar o dia e a noite, e para fazer separao e as trevas. E viu Deus que era bom.v.19: E foi a tarde e a manh do quarto dia.

O Dia dos Dois Luminares (1.14-19)Os pagos adoravam o sol, a lua e as estrelas como deuses e deusas de poder formidvel. Na narrativa deste dia da criao, o luminar maior e o luminar menor nem mesmo so nomeados. Em poucas sentenas hbeis, o autor descreve a criao destes corpos celestes, os quais, depois, so incumbidos de executar certas tarefas nos cus.Eles possuem uma dignidade de governo e nada mais. As estrelas tambm recebem nomais que uma meno honrosa. Que golpe contra o paganismo!

5 DIA...v.20: E disse Deus: produzam as guas abundantemente seres de alma vivente e voem aves sobre a face da expanso dos cus.v.21: E Deus criou as grandes baleias, e todo ser de alma vivente que as guas abundantemente produziram conforme as suas espcies, e toda ave de asas conforme a sua espcie. E viu Deus que era bom.

5 DIA...v.22: E Deus os abenoou, dizendo: frutificai, e multiplicai-vos, e enchei as guas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.v.23: E foi a tarde e a manh: o dia quinto.

O Dia dos Pssaros e dos Peixes (1.20-23)Pelo motivo de a luz e as trevas serem comuns a ambos os dias, o primeiro dia (3-5) e o quarto dia (14-19) esto relacionados. Tambm o segundo (6-8) e o quinto (20-23) esto relacionados no ponto em que lidam com a expanso, em cima, e as guas, embaixo. No quinto dia, Deus falou uma palavra para as guas (20), as quais produziram criaturas e pssaros encheram o ar. No versculo 21, vemos outra trade: as grandes baleias... todo rptil de alma vivente... e toda ave de asas.

O texto no nos conta como as guas colaboraram com o Criador, mas para enfatizar a estreita ligao entre Deus e estas criaturas empregado o verbo criou. As diferenas surpreendentes entre a vida botnica e a biolgica so atribudas a um ato divino. Deus os abenoou (22). No Antigo Testamento, a bno divina um ato criativo e uma capacitao para que aquele que a recebe cumpra seu destino segundo a vontade de Deus. Neste caso, a vontade de Deus que as criaturas se reproduzam abundantemente... conforme as suas espcies (21). Este ato serviu para anular a condio anterior vazia.

6 DIA...v.24: E disse Deus: produza a terra alma vivente conforme a sua espcie; gado, e rpteis, e bestas feras da terra conforme a sua espcie. E assim foi.v.25: E fez as bestas feras da terra conforme a sua espcie, e o gado conforme a sua espcie, e todo o rptil da terra conforme a sua espcie. E viu Deus que era bom.

6 DIA...v.26: E disse Deus: faamos o homem nossa imagem, conforme a nossa semelhana; e domine sobre os peixes do mar e sobre as aves do cus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o rptil que se move sobre a terra.v.27: E criou Deus o homem sua imagem; imagem de Deus o criou; macho e fmea os criou.

6 DIA...v.28: E Deus os abenoou e Deus lhes disse: frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do cus, e sobre todo animal que se move sobre a terra. v.29: E disse Deus: eis que vos tenho dado toda erva que d semente e que est sobre a face da terra e toda rvore em que h fruto de rvore que d semente; ser-vos-o para mantimento.

6 DIA...v.30: E a todo animal da terra, e a toda ave dos cus, e a todo rptil da terra, em que h alma vivente, toda a erva verde lhe ser para mantimento. E assim foi.v.31: E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manh do dia sexto.

O Dia dos Animais e do Homem (1.24-31)Dando mais uma ordem: Produza a terra alma vivente (24), Deus encheu a terra de criaturas: as bestas-feras da terra (os animais selvagens, 25), gado e... todo rptil que se move sobre a terra (26). Mas este dia teria a coroao do ato criativo. A deidade, em deliberao, disse: Faamos o homem (26).9 Esta criatura tinha de ser diferente. Deus disse que o homem tinha de ser feito nossa imagem, tendo certa semelhana com a realidade, mas carecendo de plenitude. O homem devia ser conforme a nossa semelhana, tendo similitude geral com Deus, mas no sendo uma duplicata exata. No era para ele ser um pequeno Deus, mas definitivamente tinha de estar relacionado com Deus e ser o portador das caractersticas distintivas espirituais que o marcam exclusivamente como ser superior aos animais.

Em 1.26-30, encontramos O Homem Feito Imagem de Deus. 1) Um ser espiritual apto para a imortalidade, 26ab; 2) Um ser moral que tem a semelhana de Deus, 27; 3) Um ser intelectual com a capacidade da razo e de governo, 26c,28-30 (G. B. Williamson). Uma das marcas da imagem de Deus foi Ele ter dado ao homem o status e o poder de governante. O direito de o homem dominar (28) ressalta o fato de que Deus o equipou para agir como governante. A aptido para governar implica em capacidade intelectual adequada para ar