Curso Linux Servidores v2011 Bafz

  • View
    62

  • Download
    12

Embed Size (px)

Text of Curso Linux Servidores v2011 Bafz

Curso de Linux Servidores

Objetivos do curso

Configurar basicamente os principais servidores de rede no Linux. Praticar comandos e estudar conceitos avanados de Linux.

Metodologia de trabalho

Trabalho em duplas. Aprender mediante a execuo de tarefas bem definidas. Avaliao prtica e terica ao final do curso.

Tarefa globlal

Voc foi contratado para realizar o projeto de rede da empresa Linux para sempre. Alm de toda a parte relacionada ao projeto de cabeamento estruturado (Curso Bsico de Redes) levantou as seguintes necessidades relacionadas aos servios que a rede deveria prover:

acesso a Internet com autenticao; servidor web do site Internet e intranet; servidor de e-mail acessvel pela rede interna por meio de POP3 e Webmail e pela Internet somente por Webmail (todos de forma segura); servidor de DNS;

Tarefa globlal

continuao ...

servidor de FTP (acesso externo dos arquivos); servidor de autenticao dos usurios da rede interna (tanto para clientes Linux quanto para Windows); servidor de arquivos para a rede interna (tanto para clientes Linux quanto para Windows) com anti-vrus; servidor de backup; servidor de terminais; servidor de aplicaes locais: SPED, Protweb, egroupware, joomla (intranet), ativnet, ...; Firewall.

DMZ

Primeira tarefa

Instalar o Debian Squeeze, da seguinte forma:

particionamento:

256 MB para swap, primria; 2,1 GB para a raiz, com ext3, primria; 100 MB para /var/spool/mail, estendida, com reiserfs; 200 MB para /home, estendida, com ext3; 100 MB para /var/www, estendida, com reiserfs 200 MB para /backup, estendida, com reiserfs. root com senha teste; admin com senha teste, home=/home/administador; usurio que receber administrao; os e-mails direcionados para

usurios:

e-mail:

Primeira tarefa

Instalar o Debian Squeeze, da seguinte forma:

rede:

ip: 10.100.53.20 netmask: 255.255.252.0 broadcast: 10.100.52.255 dns: 10.100.52.1 gateway: 10.100.52.4 domnio: cursolinux.52ct.eb.mil.br openoffice.org em Portugus, mozilla-firefox e mozilla-thunderbird em portugus, kernel 2.6, kde em portugus e kdm.

Aplicativos a serem instalados:

source.list: inicialmente o prprio CD-ROM. Se no achar algum pacote mude o source.list para:

deb ftp://debian.52ct.eb.mil.br/debian stable main contrib non free

Sistemas de arquivos

O linux trabalha com o Virtual File System (VFS) que uma camada de abstrao acima dos sistemas de arquivos existentes. O VFS permite que as aplicaes acessem diferentes tipos de sistemas de arquivos de modo uniforme. Dessa forma, um aplicativo acessa um HD local e uma partio montada de um dispositivo de rede da mesma forma. O VFS especifica uma interface entre o kernel e o sistema de arquivo concreto. Para adicionar um novo sistema de arquivos ao kernel simplesmente o mesmo tem que implementar a interface do VFS.

EXT3

um sistema de arquivos jornalado, desenvolvido e implementado por Stephen Tweedie. uma alternativa para usurios do sistema de arquivos ext2 que desejam obter as vantagens do journaling, ou seja, ext3 = ext2 + journal. Permite a converso entre os sistemas de arquivos ext2 e ext3 sem a necessidade de reformatao. Desde a v2.4 encontra-se disponvel como parte integrante do kernel do sistema operacional Linux.

Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS.

EXT3

Permite o uso de journal para dados, metadados ou ambos. No suporta alocao dinmica de inodes. Para maiores informaes acesse o site http://www.redhat.com/support/wpapers/redhat/ ext3/. Suas principais caractersticas so:

Ser jornalado; Baseado em rvores; Redimensionamento online; Suporta arquivos de at 2TiB.

Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS.

ReiserFS

Projetado por Hans Reiser, tem a grande vantagem de ser o primeiro sistema de arquivos baseado em journaling a ser includo como parte integrante do kernel do Linux. Utiliza uma abordagem radicalmente diversa da alocao baseada em blocos usada no ext2 para armazenar as informaes, usando balanced trees. Permite arquivos com at 2 Gb de tamanho. Possui otimizaes para trabalhar com arquivos pequenos, reduzindo a fragmentao.

Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS.

ReiserFS

Est sendo desenvolvida a verso 4 do sistema de arquivo. suportado automaticamente pelo Kernel do Linux a partir da verso 2.4.1.Para maiores informaes http://www.namesys.com. acesse o site

XFS

Criado em 1994 pela SGI para substituir outro sistema de arquivos (EFS), tornou-se disponvel para Linux em Jul/2001 pela licena GPL. Projetado especialmente para trabalhar com arquivos grandes (de at 9 mil petabytes) e diretrios com vrios arquivos. Pode trabalhar com tamanho de bloco variando de 512 bytes at 64 Kb. Suporta ACLs no padro POSIX. Para maiores informaes http://xfs.sourceforge.net. acesse o site

Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS.

XFS

O XFS um sistema de arquivos com jornal de meta-dados que vem com um robusto conjunto de funes e otimizado para escalabilidade. recomendado com HD SCSI de ponta. Pelo fato de o XFS criar agressivamente caches de dados em uso na memria RAM, programas mal desenhados (que no tomam precaues na hora de escrever os arquivos em disco, e existem muitos deles) podem perder uma grande quantidade de dados se o sistema for desligado sem aviso. O XFS (SGI) suporta o redimensionamento de parties onthe-fly ou seja, sem perda de dados e sem nem mesmo precisar reinicializar o sistema.

Fontehttp://www.gentoo.org/doc/pt_br/handbook/handbookppc64.xml?style=printable&full=1

JFS

Criado pela IBM para uso em servidores corporativos high-throughput server environments, key to running intranet and other high-performance e-business file servers. Permite o emprego de blocos com tamanho de 512,1024, 2048 e 4096 bytes:

Para um tamanho de bloco de 512 bytes, o tamanho mximo de um arquivo de 512 Tb; Para um tamanho de bloco de 4Kb, o tamanho mximo de um arquivo de 4 petabytes.

Incorporado na v2.5.6 do kernel para o sistema operacional Linux.

Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS.

JFS

O suporte a ele pode ser adicionado em verses anteriores do kernel com a aplicao de patches. Utiliza rvore B+. Para maiores informaes acesse o site http://oss.software.ibm.com/developerworks/ope nsource/jfs.

Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Experincia com sistemas de arquivos para alta disponibilidade em Linux. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS. Leonardo Garcia de Mello e Prof. Dr. Taisy Silva Weber. UFRGS.

Segunda tarefaConfigurao do Servidor DNS

Configurar um servidor DNS (direto e reverso) para o domnio cursolinux.52ct.eb.mil.br para os seguintes computadores:

www.: 10.100.53.20 ftp.: 10.100.53.20 intranet.: 10.100.53.20 internet.: 10.100.53.20 smtp.: 10.100.53.20 pop3.: 10.100.53.20 egroupware.: 10.100.53.20 protweb.: 10.100.53.20 webmail.: 10.100.53.20

O que DNS?

DNS significa Domain Name System (sistema de nomes de domnio). O DNS faz o mapeamento do nome de um computador para o endereo IP do mesmo e do endereo IP para o nome e algumas outras coisas. Um mapeamento simplesmente uma associao entre duas coisas, neste caso um nome de computador, como intranet.52ct.eb.mil.br, e o endereo IP desta mquina (ou endereos) como 10.100.52.6. O DNS foi criado com o objetivo de tornar as coisas mais fceis para o usurio, permitindo assim, a identificao de computadores na Internet ou redes locais atravs de nomes.GuiaFocaLinuxAvanado(verso6.4)GleydsonMaziolidaSilva

O que DNS? (cont)

A parte responsvel por traduzir os nomes como www.nome.com.br em um endereo IP chamada de resolvedor de nomes. O resolvedor de nomes pode ser um banco de dados local (um arquivo ou programa) que converte automaticamente os nomes em endereos IP ou atravs de servidores DNS que fazem a busca em um banco de dados na Internet e retornam o endereo IP do computador desejado. Um dos servidores DNS mais difundidos na Internet o bind, que se encontra atualmente na verso 9.

GuiaFocaLinuxAvanado(verso6.4)GleydsonMaziolidaSilva

Arquivos no cliente /etc/resolv.conf

o arquivo de configurao principal do cdigo do resolvedor de nomes. Seu formato um arquivo texto simples com um parmetro por linha e o endereo de servidores DNS externos so especificados nele. Existem trs palavras chaves normalmente usadas que so:

domain: especifica o nome do domnio local. search: especifica uma lista de nomes de domnio alternativos ao procurar por um computador, separados por espaos. A linha