CTUR - .Verifique se este caderno de provas é composto de 40 questões objetivas de múltipla escolha,

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CTUR - .Verifique se este caderno de provas é composto de 40 questões objetivas de múltipla...

  • LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUES ABAIXO ANTES DE INICIAR AS PROVAS

    CADERNO DE PROVAS:

    Verifique se este caderno de provas composto de 40 questes objetivas de mltipla escolha, contendo 10 de Lngua Portuguesa, 10 de Matemtica, 20 de Conhecimentos Gerais: Geografia, Histria, Biologia, Qumica e Fsica e a prova de Redao, totalizando 13 pginas. Se o mesmo estiver incompleto ou apresentar qualquer outro defeito, solicite ao fiscal que tome as providncias cabveis.

    Em cada questo h apenas uma opo correta. Marque somente uma letra como resposta.

    CARTO-RESPOSTA e CADERNO DE REDAO:

    Cuidado ao marcar o carto-resposta, este no poder ser substitudo.

    Casos de Anulao: questes em branco, com rabisco, mancha, rasura ou com mais de uma opo assinalada.

    Use caneta esferogrfica azul ou preta para marcar a resposta preenchendo o espao, de modo que a tinta da caneta fique bem visvel e cubra toda a letra, seguindo o exemplo abaixo:

    O Caderno de Redao no poder conter qualquer tipo de identificao do candidato.

    Ao terminar as provas, verifique cuidadosamente se voc passou todas as suas respostas para o carto-resposta e se sua redao est na folha correspondente ao texto definitivo no Caderno de Redao.

    Depois de preenchido o carto-resposta, assine-o e entregue-o ao fiscal, juntamente com o Caderno de Redao.

    OUTRAS INFORMAES:

    As provas tero durao de quatro horas e meia, j estando includo o tempo de preenchimento do carto-resposta e da Redao.

    No permitido fazer perguntas durante as provas. Caso necessite de esclarecimentos, levante o brao e aguarde o fiscal.

    No permitido o uso de celular, calculadora ou qualquer outro aparelho eletrnico.

    MANTENHA-SE CALMO E BOA PROVA!

    CADERNO DE

    PROVAS

    Processo de

    Seleo 2016 LNGUA PORTUGUESA, MATEMTICA, CONHECIMENTOS GERAIS E REDAO

    N V E L M D I O

    C T U R Colgio Tcnico da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

  • 1 CTUR - Prova de Ingresso 2016 - Nvel Mdio

    08/11/2015

    PROVA DE LNGUA PORTUGUESA

    Leia o texto I e responda s questes de 1 a 7.

    TEXTO I

    Lembranas

    Manoel Carlos

    Na minha gerao, menino algum escapava da pergunta que os adultos faziam assim que

    deparavam com uma criana:

    O que voc quer ser quando crescer?

    Uma indagao a que respondamos prontamente: aviador, paraquedista, marinheiro

    Fui criana numa poca em que no era to difcil ser feliz. Uma poca em que os sonhos eram 5

    modestos e possveis. E boa parte do tempo era vivida ao ar livre. Tive infncia de quintal.

    O que nos influenciava para que tivssemos essas escolhas era a II Guerra Mundial, que esteve em

    curso de 1939 a 1945, anos que assinalam minha idade dos 6 aos 12 anos.

    (...)

    A razo desse delrio infantil ficava por conta do clima que reinava em todo o mundo e que nos 10

    chegava atravs do rdio. Mas o que mais nos motivava e nos levava a sonhar com uma heroica atividade

    militar eram os jornais da tela, exibidos nos cinemas como suplemento dos filmes de fico, estes muitas

    vezes tambm ambientados nesse perodo de conflito.

    Os bonites da poca (...) ficavam ainda mais bonites de uniforme militar. As mocinhas

    suspiravam. E, por essa razo, quando a pergunta era dirigida a uma delas, soava normal a resposta: 15

    Quero ser enfermeira.

    Para a gerao dos meus dois primeiros filhos, o sonho foi diferente, j que a guerra que lavrava no

    mundo era a fria, de motivao poltica e ideolgica, que no chegava s crianas. A televiso estava em

    seus dez, quinze anos de vida, com informaes nem sempre acessveis s crianas. O sonho que

    prevalecia era ser cosmonauta, inspirado pelo militar sovitico Yuri Gagarin, o primeiro homem a viajar pelo 20

    espao, em 1961.

    Hoje, passados tantos anos desses momentos de felicidade, penso em Gagarin com simpatia.

    Estive perto dele quando da visita que fez a So Paulo, ainda em 1961. Era carismtico, como j sabamos

    pelas fotos. O que no sabamos que era de pequena estatura, algo que no se permite em heris da

    fico. 25

    Dessa viagem maravilhosa de Gagarin, o que mais marcou foi ele ter revelado ao cruzar o espao:

    A Terra azul.

    Essa frase j foi desmentida e confirmada, mas lembro que fez brilhar os olhos dos meus filhos.

    Gagarin era tambm um poeta. Um poeta que as crianas compreendiam.

    (...) 30

    Disponvel em http://vejario.abril.com.br/blog/manoel-carlos/cronica-da-semana/lembrancas-2 (Fragmento). Acesso em 08/09/2015.

  • 2 CTUR - Prova de Ingresso 2016 - Nvel Mdio

    08/11/2015

    QUESTO 01 Na minha gerao, menino algum escapava da pergunta que os adultos faziam assim que deparavam com uma criana. (linhas 1 e 2) A expresso sublinhada no fragmento acima estabelece entre as oraes uma relao de

    (A) adio. (B) condio. (C) explicao. (D) finalidade. (E) tempo.

    QUESTO 02 Ao empregar as aspas nas palavras aviador, paraquedista e marinheiro (linha 4), o narrador

    (A) representa seu prprio desejo de criana.

    (B) destaca a importncia dessas profisses.

    (C) estimula o debate sobre as profisses. (D) usa essas expresses com sentido

    particular. (E) reproduz as falas do narrador e de seus

    amigos quando crianas.

    QUESTO 03 Ao comparar os sonhos de sua gerao com os sonhos da gerao de seus filhos, o narrador toma como referncia a guerra. Qual o fator determinante para diferenciar os sonhos dessas geraes?

    (A) As profisses ligadas ao herosmo

    militar. (B) O cotidiano vivido na rua, por ambas as

    geraes. (C) A vida fcil e feliz do narrador e a vida

    difcil de seus filhos.

    (D) O desconhecimento acerca da guerra por parte da gerao dos filhos.

    (E) A presena dos astronautas no imaginrio infantil, inexistente para a gerao do narrador.

    QUESTO 04 Os bonites da poca (...) ficavam ainda mais bonites de uniforme militar. (linha 14) Os termos sublinhados na passagem acima so, respectivamente,

    (A) substantivo e advrbio. (B) substantivo e adjetivo. (C) adjetivo e substantivo. (D) advrbio e substantivo. (E) adjetivo e adjetivo.

    QUESTO 05 A razo desse delrio infantil ficava por conta do clima que reinava em todo o mundo e que nos chegava atravs do rdio (linhas 10 e 11) Os pronomes relativos destacados na passagem acima evitam a repetio da palavra

    (A) clima. (B) delrio. (C) conta. (D) mundo. (E) razo.

    QUESTO 06 As circunstncias temporais so elementos importantes para a construo de sentido. A alternativa em que est contido um exemplo deste relevante recurso para o texto Lembranas :

    (A) Uma indagao a que respondamos prontamente: aviador, paraquedista, marinheiro (linha 4)

    (B) Fui criana numa poca em que no era to difcil ser feliz (linha 5)

    (C) Hoje, passados tantos anos desses momentos de felicidade, penso em Gagarin com simpatia. (linha 22)

    (D) Dessa viagem maravilhosa de Gagarin, o que mais marcou foi ele ter revelado ao cruzar o espao (linha 26)

    (E) Essa frase j foi desmentida e confirmada, mas lembro que fez brilhar os olhos dos meus filhos. (linha 28)

    QUESTO 07 Releia o trecho: o primeiro homem a viajar pelo espao, em 1961 (linhas 20 e 21). Que opo se encaixaria no lugar do trecho sublinhado e manteria o sentido aproximado ao dele?

    (A) Viajando (B) Quando viajou (C) Que viajou (D) Viajado (E) Viajante

  • 3 CTUR - Prova de Ingresso 2016 - Nvel Mdio

    08/11/2015

    Leia o texto II e responda s questes de 8 a 10. TEXTO II

    Lembrana do mundo antigo Carlos Drummond de Andrade

    Clara passeava no jardim com as crianas. O cu era verde sobre o gramado,

    a gua era dourada sob as pontes,

    outros elementos eram azuis, rseos, alaranjados,

    o guarda-civil sorria, passavam bicicletas, 5 a menina pisou a relva para pegar um pssaro,

    o mundo inteiro, a Alemanha, a China, tudo era tranquilo em redor de Clara.

    As crianas olhavam para o cu: no era proibido.

    A boca, o nariz, os olhos estavam abertos. No havia perigo.

    Os perigos que Clara temia eram a gripe, o calor, os insetos. 10 Clara tinha medo de perder o bonde das 11 horas,

    esperava cartas que custavam a chegar,

    nem sempre podia usar vestido novo. Mas passeava no jardim, pela manh!!!

    Havia jardins, havia manhs naquele tempo!!!

    ANDRADE, Carlos Drummond de. Sentimento do mundo. Rio de Janeiro: Record, 1940, p. 30.

    QUESTO 08 O mundo descrito no poema ameno e tranquilo. No que diz respeito natureza, qual verso a sintetiza?

    (A) Clara passeava no jardim com as crianas. (verso 1)

    (B) O cu era verde sobre o gramado, (verso 2)

    (C) a gua era dourada sob as pontes, (verso 3)

    (D) outros elementos eram azuis, rseos, alaranjados, (verso 4)

    (E) o guarda-civil sorria, passavam bicicletas, (verso 5)

    QUESTO 09 Relacionando o ttulo do poema a seu contedo, possvel afirmar que o texto II se constri atravs de

    (A) associao do mundo antigo com o mundo atual.

    (B) oposio do presente com o mundo antigo.

    (C) continuidade do mundo antigo no mundo contemporneo.

    (D) complementao do presente com o mundo antigo.

    (E) oposio do mundo antigo com o mundo futuro.

    QUESTO 10 Clara passeava no jardim com as crianas.

    O cu era verde sobre o gramado, a gua era dourada sob as pontes,

    (...) a menina pisou a relva para pegar um pssaro,

    Nos versos acima, os termos destacados so preposies que assumem, respectivamente, o sentido de

    (A) consequncia/lugar/direo/companhia. (B) consequncia/direo/direo/finalidade. (C) companhia/conseqncia/lugar/finalidade. (D) consequncia/direo/finalidade/companhia. (E) companhia/lugar/lugar/fina