Click here to load reader

Vigilância Radiológica a Nível Nacional (Ano 2002) · PDF fileperíodos de amostragem têm a duração de uma semana, o que corresponde, em média, a um ... solução de 210Pb (Amersham),

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Vigilância Radiológica a Nível Nacional (Ano 2002) · PDF...

  • MCES Ministrio da Cincia e do Ensino Superior

    INSTITUTO TECNOLGICO E NUCLEAR

    Departamento de Proteco Radiolgica e Segurana Nuclear

    Relatrio DPRSN-A, n26/03

    Vigilncia Radiolgica a Nvel Nacional

    (Ano 2002)

    M. Jos Madruga, Fernando P. Carvalho, M. Manuela Sequeira, Graciete Ferrador, M. Adelaide Gameiro, Mrio Reis, Jorge Gouveia, Luis Ramos, Joo M. Oliveira, Vitor Silvino, Lublia Machado, Isabel Faria, Anabela Lucas, M. Amlia Pereira, M. Anjos Tavares, Albertina Libnio, Carla Pires, Sandra Curado

    28 de Maro de 2003

  • Departamento de Proteco Radiolgica e Segurana Nuclear

    Director: Fernando Piedade Carvalho

    Endereo: Estrada Nacional 10, 2686-953 Sacavm, Portugal

    Telefone: +351 - 21 9946000

    Fax: +351 - 21 9941995

    e-mail: [email protected]

    Pg. web http://www.itn.pt

    Ficha Tcnica

    Ttulo Vigilncia Radiolgica a Nvel Nacional (Ano 2002)

    Autoria Maria Jos B. Madruga, Fernando P. Carvalho, M. Manuela Sequeira, Graciete Ferrador, M. Adelaide Gameiro, Mrio Reis, Jorge Gouveia, Luis Ramos, Joo M. Oliveira, Vitor Silvino, Lublia Machado, Isabel Faria, Anabela Lucas, M. Amlia Pereira, M. Anjos Tavares, Albertina Libnio, Carla Pires, Sandra Curado

    Edio Instituto Tecnolgico e Nuclear Dep. Proteco Radiolgica e Segurana Nuclear

    Tiragem 60 exemplares

    ISBN 972-8660-27-8

    Depsito Legal 194022/03

    Data da Edio 28 de Maro de 2003

    Responsvel pela edio M Lusa Pedro

  • Relatrio DPRSN- A n 26/2003

    1

    Vigilncia Radiolgica a Nvel Nacional

    (Ano 2002)

    M. Jos Madruga, Fernando P. Carvalho, M. Manuela Sequeira, Graciete Ferrador, M. Adelaide Gameiro, Mrio Reis, Jorge Gouveia, Luis Ramos, Joo M. Oliveira, Vitor Silvino,

    Lublia Machado, Isabel Faria, Anabela Lucas, M. Amlia Pereira, M. Anjos Tavares, Albertina Libnio, Carla Pires, Sandra Curado

    Resumo

    No mbito do Artigo 35 do Tratado da EURATOM, o Departamento de Proteco Radiolgica e Segurana Nuclear (DPRSN) vem realizando desde h vrios anos a vigilncia radiolgica do

    ambiente a nvel nacional. Em 2002, o programa contnuo de monitorizao ambiental consistiu na

    determinao de radionuclidos artificiais e naturais em compartimentos ambientais (atmosfera, meio aqutico e terrestre) considerados vias directas de contaminao para o Homem. Neste contexto,

    analisaram-se amostras de aerossis e gua da chuva, amostras de guas de superfcie, sedimentos,

    peixes e plantas aquticas, provenientes das principais bacias hidrogrficas (rios Tejo, Zezre,

    Guadiana, Mondego e Douro), amostras de guas de consumo, produtos alimentares, refeies completas, leite e solos. A actividade nos radionuclidos artificiais e naturais foi determinada usando os

    mtodos de medida por espectrometria gama, espectrometria alfa, medida alfa/beta total e medida beta

    por cintilao lquida. Os resultados obtidos para os radionuclidos artificiais so da ordem de grandeza do fundo radioactivo natural, indicando que no h contaminao radioactiva. O valor de dose

    estimada para a populao portuguesa devida ingesto e inalao dos radionuclidos artificiais e

    naturais determinados nestas amostras muito baixo, no tendo qualquer significado sob o ponto de

    vista da produo de efeitos biolgicos e sanitrios na populao Portuguesa. Em consequncia, no h necessidade de se recomendar qualquer medida de proteco radiolgica.

    Palavras Chave: vigilncia radiolgica, atmosfera, meio aqutico, meio terrestre

    Abstract In the framework of the EURATOM Treaty Article 35, the Department of Radiological Protection and

    Nuclear Safety (DPRSN) have been performed since several years a nacional environmental

    radiological survey. In 2002, the continuous environmental monitoring programme consisted on measuring artificial and natural radionuclides in environmental compartments (atmosphere, aquatic

    and terrestrial environment) considered as direct pathways of contamination to men. In this context,

    samples of aerosols, rainwater, surface water, sediments, fish, aquatic plants, drinking water, mixed diet, complete meals, milk and soils were analised. The activity in the artificial and natural

    radionuclides was determined using the gamma spectrometry, alpha spectrometry, alpha/beta global

    measurements and beta measurement by liquid cintillation. The results for artificial radioactivity are

    on the same order of magnitude of the radioactive background, suggesting no radioactive contamination. The estimated dose to the portuguese population due to inhalation and ingestion of the

    artificial and natural radionuclides measured in these samples is very low and without significance

    from point of view of biological and sanitary effects on the Portuguese population. Therefore, there is no need to adopt any recommendation for radiological protection.

    Key Words: radiological assessment, atmosphere, aquatic environment, terrestrial environment

  • Relatrio DPRSN- A n 26/2003

    2

  • Vigilncia Radiolgica a Nvel Nacional (Ano 2002)

    3

    1. INTRODUO

    O Tratado da EURATOM da Unio Europeia estabelece no seu Artigo 35 que, cada

    Estado Membro, deve instituir os meios necessrios para a realizao da monitorizao

    contnua dos nveis de radioactividade no ar, gua e solo e assegurar concordncia com os

    Basic Safety Standards (Council Directive 96/29/EURATOM). O Artigo 36 do mesmo

    tratado estabelece que, cada Estado Membro, dever comunicar periodicamente Comisso

    Europeia, atravs de uma Autoridade Competente, os resultados do programa de

    monitorizao referido no Artigo 35. A Comisso Europeia tem incentivado os Estados

    Membros a cumprirem esse programa tendo efectuado Recomendaes acerca do tipo de

    medidas a realizar, sobre a periodicidade das mesmas e os radionuclidos a detectar (Official

    Journal of the European Commission, 2000).

    O Departamento de Proteco Radiolgica e Segurana Nuclear (DPRSN) do

    Instituto Tecnolgico e Nuclear (ITN) tem como competncia, estabelecida no Dec. Lei

    311/98 de 14 de Outubro, alnea g) assegurar a realizao de aces de levantamento e

    vigilncia radioecolgica ambiental. Posteriormente, pelo Dec. Lei 165/2002 de 17 de Julho

    Art 14 alnea b) foi estabelecido que compete ao ITN realizar as medies das concentraes

    de radionuclidos no ambiente, competncia esta que assegurada igualmente atravs do

    DPRSN.

    Neste contexto, desde h vrios anos que o DPRSN tem vindo a desenvolver um

    programa contnuo de controlo ambiental, a nvel nacional, realizado em compartimentos do

    ambiente que so considerados como vias directas de transferncia dos radionuclidos crticos

    para o Homem. Os resultados deste programa so inseridos na base de dados EASYPROTEO

    e enviados para o centro de coordenao do tratado EURATOM, acima referido, sediado em

    Ispra (Itlia), que os publica anualmente em documentos internacionais.

    O programa de monitorizao ambiental em 2002 consistiu basicamente na medida

    peridica de radionuclidos crticos em componentes do ambiente considerados vias directas

    para a transferncia da contaminao na atmosfera, no meio aqutico e no meio terrestre, a

    fim de se poder avaliar a contaminao radioactiva e assegurar a proteco radiolgica da

    populao Portuguesa.

    O controlo radiolgico da atmosfera processou-se atravs da determinao da

    concentrao de radionuclidos em aerossis e na deposio atmosfrica. Os istopos

    radioactivos, quer sejam de origem natural ou artificial, podem ocorrer na atmosfera na forma

    gasosa ou particulada. Em geral, a forma particulada a que assume maior significado sob o

    ponto de vista da proteco radiolgica, uma vez que essas partculas participam nos

  • Relatrio DPRSN- A n 26/2003

    4

    processos de transporte e deposio atmosfrica, interagindo com a biosfera. A deposio

    atmosfrica foi avaliada a partir da determinao da concentrao de radionuclidos na gua da

    chuva.

    Os radionuclidos nas guas de superfcie (rios e barragens), podem ser encontrados

    sob forma solvel ou associados com as partculas em suspenso e podem eventualmente ser

    incorporados em sedimentos e organismos vivos. O controlo efectuado neste compartimento

    destina-se a avaliar a influncia das descargas de efluentes, provenientes de instalaes

    nucleares, no ambiente. Neste sentido foi realizado o controlo radiolgico das principais

    bacias hidrogrficas portuguesas, com um programa mais detalhado para o rio Tejo, devido

    existncia de vrios centros nucleares espanhis na sua bacia hidrogrfica, com especial

    relevo para a Central Nuclear de Almaraz.

    A gua para consumo humano de importncia vital para o Homem, podendo vir a

    tornar-se numa via crtica, aps um acidente nuclear e em regies com elevado fundo

    radiolgico. O objectivo deste programa foi o de analisar guas provenientes das redes de

    abastecimento de vrias aglomerados populacionais, de forma a abranger todo o pas. Deu-se

    ainda, especial enfse a guas provenientes de regies uranferas.

    O controlo radiolgico do meio terrestre fez-se atravs da avaliao do nvel de

    contaminao radioactiva em componentes da cadeia alimentar e nos solos. Neste caso,

    procurou-se que a amostragem dos diversos produtos alimentares fosse a mais representativa

    possvel da situao nacional. Assim, obtiveram-se amostras oriundas das diferentes regies

    agrrias de Portugal, atravs das Direces Regionais de Agricultura. Paralelamente, foram

    analisados produtos alimentares provenientes de supermercados da rea da grande Lisboa e da

Search related