Click here to load reader

Cerveja Lovers

  • View
    249

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Primeira edição.

Text of Cerveja Lovers

  • Empreender e apreciarCerveja Lovers entrevistou um trio que transformou o gosto pela cerveja num hobbie prazeroso.

  • 2| Dezembro 2012 | Cerveja Lovers

    com satisfao que entregamos a primeira edio impressa do Projeto Cerveja Lovers. A revista promocional uma extenso das atividades j realizadas em plataformas online, como Tumblr e Facebook, e apresenta contedo sobre o universo da cerveja, principalmente as artesanais - e que instigam cada vez mais os apreciadores da bebida.

    Nas prximas pginas voc vai encontrar reporta-gens exclusivas produzidas pelos reprteres e fotgrafo do projeto, narrando histrias de paixo e fascnio pela cerveja. Como na imagem que se encontra ao lado (que retrata uma cerveja azul apresentada no VIII Encontro Aberto Acerva Gacha), muitas curiosidades o esperam.

    Como no poderia deixar de ser, vamos disponibilizar material exclusivo sobre os assuntos aqui levantados na internet, como fotos e informaes extras, promovendo um canal completo e sem limitao de espao.

    Esperamos que a leitura seja de bom proveito e torc-emos para, quem sabe, em breve disponibilizar mais uma edio impressa. Qualquer sugesto pode ser enviada para os endereos [email protected] e fb.com/cervejal-overs ou atravs do Twitter @cervejaS2.

    Boa leitura!

    Roberto FerrariEditor do Projeto Cerveja Lovers

    ExpedienteCerveja Lovers um projeto da disciplina de Estgio Multimeios do curso de Jornalismo da Unisinos, So Leopoldo/RS, realizada pelos estudantes Luciana Andreatta, Roberto Ferrari, Simone Nes Reis e Trlis Schneider. Professores: Stefanie Carlan Da Silveira e Silvio Andr Lacerda Alves.Edio e Projeto Grfico: Roberto Ferrari | Fotos Luciana Andreatta, Trlis Schneider e DivulgaoReportagem Luciana Andreatta e Simone Nnes Reis.

    Cartaao leitor

  • Reportagem e Fotografia de Luciana Andreatta | Cerveja Lovers | Dezembro 2012 |3

    Cerveja Lovers esteve presente no XVIII Encontro Aberto Acerva Gacha, que recebeu aproximadamente 1.500 pessoas no dia 17 de novembro. Evento aconteceu na Casa do Gacho, em Porto Alegre.

    Cervejeiros reunidos

  • dias, com temperatura a zero grau. Dentro de cada um desses dois grupos existem diversos estilos. Entre as lager encontram-se cervejas como Pilsen, Bock, Vienna, so as cervejas mais claras e as escuras transparentes.

    As Ale a principal opo do cervejeito artesanal,

    No dia 17 de novembro, ocorreu o VIII Encontro Aberto Acer-va Gacha. Em meio ao feriado de Proclamao da Repbli-ca, aproximadamente 1.500 pessoas passaram pela Casa do Gacho, localizada no Parque Farroupilha, onde foram distribudos mais de dois mil litros de cerveja artesanal.

    Participaram do evento aproximadamente 75 cerve-jeiros caseiros e microcervejarias com 52 tipos diferentes de cerveja. Entre eles a American Pale Ale com carvalho, Blond Ale com hortel, Ipa chocolate, Ale Chocolate com aveia, Lemon Weis, Old Ale com carvalho, Ale com me-lado, Lager com favo de mel e Buti Ale.

    Entre as mais inusitadas estava uma do tipo Tripel, de colorao azul, com aroma adocicado. A mais sab-orosa, na opinio da reprter, foi a American Pale Ale de Maracuj, da Baita Beer. O cervejeiro Luciano Passos explica: As cervejas americanas tem essa caractersticas de ter bastante aroma ctrico e sabor tambm. Uma das presenas constantes tambm em eventos cervejeiros o cantor e compositor Wander Wildner, que no VIII Encon-tro Aberto apresentou a cerveja Wander Ale, produzida por ele para degustao do pblico presente.

    Segundo o cervejeiro caseiro Lucas Coronet, a cerveja basicamente dividida em dois grandes grupos, Ale e Lager. A Ale de alta fermentao e a Lager de baixa fermentao. A temperatura de fermentao 18 graus e o fermento trabalha em suspenso no lquido, tornando a cerveja mais encorpada e turva. O tempo de fermentao em torno de 10 dias e no mnimo cinco dias de maturao a zero grau. As de baixa fermentao so chamadas de Lager, no qual durante a fermentao as leveduras trabalham no fundo do fermentador, abaixo do lquido a uma temperatura de 12 graus. O tempo de fermentao de 15 a 20 dias e de maturao mais 15

    4| Dezembro 2012 | Cerveja Lovers

  • Cerveja Lovers | Dezembro 2012 |5

    que prefere uma cerveja mais encorpada e com a fer-mentao mais rpida. Entre elas esto a Indian Pale Ale, American Pale Ale, Amber Ale, Weiss, Dunkel, Belgian Strong Ale e Trapistas. Alem desses dois grupos existe tambm as Lambic Beer, que uma cerveja de fermen-

    tao espontnea, onde a fermentao acontece em taques abertos sem induo de fermento, que so trazi-dos pelo ar e pelo prprio ambiente e leva aproximada-mente trs meses para fermentar.

    Durante o evento da Acerva Gacha, tambm foram anunciados os cinco ganhadores do II Concurso Estadual para Cervejeiros Caseiros do Rio Grande do Sul. O estilo sorteado para participar desta edio do concurso foi o Amber Ale.

    Em primeiro lugar ficou Eduardo Balbinot, que re-cebeu uma premiao de R$ 500,00 e a produo da sua prpria cerveja na cervejaria Lagon Brewery e Pub. O se-gundo lugar, Fbio Rodrigues Cieslak, recebeu R$ 300,00, o terceiro prmio de R$ 200,00 ficou com o Grupo Gloc-kental Bierkuche, de Serguem Trott e Ramona Heldt e o quarto e quinto lugares receberam suprimentos e equi-pamentos para a produo de cerveja e foram respectiva-mente Cristiano Winck e Lucas Meneghetti.

    A Acerva Gacha uma associao que rene pes-soas que produzem cerveja em casa, de forma artesanal. Entre as principais atividades da associao esto encon-tros peridicos em que os associados trocam informaes e experimentam as cervejas produzidas pelos demais.

    Uma vez por semestre, a Acerva promove um evento diferente, aberto ao pblico, no qual os associa-dos expem suas cervejas para degustao de todos, em um clima de festa.

  • Reportagem de Simone Nes Reis e Fotografia de Trlis Schneider | Cerveja Lovers | Dezembro 2012 |7

    Movidos pela paixo de produzir cervejas artesanais, o trio Lucas Ongaratto (27), Luciano dos Santos Passos (26) e Francisco Fhr (43) resolveram alugar um imvel a fim de dedicarem-se a um dos passatempos to praticado no Egito Antigo, mas que nem sempre barato. O local, foi apelidado de Bat Cervejaria pela equipe do Cerveja Lovers, que no dia 23 de novembro conferiu um destes encontros, destinados Brassagem ou Mosto, termos usados na elaborao da cerveja, que compreende a mistura do malte triturado com gua, a uma tempera-tura especfica. Como alquimistas, s 14hs, os amigos comearam a transitar com desenvoltura entre fogarei-ros, paneles, caldeires, barris de inox, fermentadores,

    termostatos, colheres, freezers, balanas, arrolhadores, serpentinas, refratmetros, densmetros e insumos como malte, cevada, lpulo, fermento e produziram 100 litros de cerveja tipo Amber Ale (padro americano).

    Cerveja artesanal casa com GastronomiaPara Lucas Ongaratto, chef gastronmico autno-

    mo, graduado pela Unisinos- a cerveja artesanal muito requisitada pela clientela que curte harmoniz-las com pratos exticos, tnicos e da culinria pop. Ele considera a cerveja artesanal como um diferencial agregador de valor ao seu trabalho: O perfil dos meus clientes o de pessoas que buscam por coisas diferentes na gastro-

    Lucas, Luciano e Francisco utilizam mtodos artesanais para produzir cerveja - e o resultado timo. Em entrevista para a Cerveja Lovers, eles falam sobre esse passatempo que virou empreendimento.

    Alquimistas do malte

  • Cerveja Lovers | Dezembro 2012 |9

    nomia. Neste sentido, o padro de cerveja que estamos produzindo aqui hoje, acaba sendo um produto exclu-sivo a ser oferecido, pois no comercializamos, mas levo um pequeno estoque para oferecer aos clientes que so harmonizadas com meus pratos. Lucas recordou sua primeira degustao de cerveja artesanal, que aconteceu em companhia de alguns amigos que passaram a trocar-am ideias: Comeamos como todos os demais, errando mais do que acertando, mas aos poucos fomos aprenden-do o passo passo como toda brincadeira, que tambm tem suas regras.

    Com um olhar atento ao segmento gastronmico e cervejeiro nacional e internacional, analisou o boom de interesse pela bebida: O Brasil como um pas de clima tropical, tem favorecido o consumo de cerveja do tipo artesanal que cresce entre os jovens de bom poder aquisitivo. Estes jovens preferem investir em cervejas melhores, do que simplesmente consumir aquelas mar-cas mais comerciais. H uma infinidade de tipos e estilos de cerveja artesanal. Para todo e qualquer elemento gastronmico, h inmeras possibilidades de casamentos e harmonizaes, analisou.

    Sentidos mais apuradosNa opinio do jovem chef, a cerveja artesanal alm

    de ser uma aula prtica de fsica tambm uma aula de sensibilizao e educao dos sentidos. Conseguimos estudar, aprimorar ao ver a cerveja se construindo, acon-tecendo em frente aos nossos olhos. Desde o processo de moer o gro, esterilizao e manipulao macrobiana, acabam estimulando nosso olfato, paladar, tato, audio. Ao lidarmos com organismos vivos que transformam as substncias estamos usando nossos sentidos em um pro-cesso alqumico muito interessante.

    Os primeiros contatos com a cerveja artesanalA trajetria do nanocervejeiro artesanal Luciano

    Passos, proprietrio do Nosso Bar, localizado em um condomnio na Rua Teodomiro Porto da Fonseca, n 2173 em So Leopoldo, comeou hs uns cinco anos quando conheceu a Cervejaria Toca da Coruja em Porto Alegre. Nesta poca, conheci inmeros experts e apreciadores de cerveja artesanal. Me entusiasmei e fui recebendo convites para eventos de degustao e cursos. Desde en-to, resolvi comear com meus colegas juntando alguns equipamentos como fogo, panelas e comprando o que faltava. Na poca o Lucas nos cedeu um timo espao em sua residncia em Porto Alegre. Foi assim que comea-mos as brassagens, comentou.

    A primeira loira inesquecvelLuciano relembrou