of 16 /16
issuu.com/caderno360 ANO 10 junho|2015 n n º º . . 1 1 13 13 pegue & leve Manifesto pelo Rio Pardo reúne centenas de pessoas em Águas de Santa Bárbara Grátis! facebook/caderno360 C C a a d d e e r r n n o o 3 3 6 6 0 0 G G o o s s t t o o s s o o d d e e l l e e r r . . O rio Pardo está ameaçado por projetos de PCHs que já causam um desmatamento sem precedentes , destruindo mata ciliar nativa. Autoridades, entidades, cidadãos, ambientalistas: Salvemos o Rio Pardo VIVO. Movimento de defesa do rio Pardocontinua Moradores de Águas de Santa Bár- bara e região compareceram ao Balneário Municipal para clama- rem ao governo que interrompa o desmatamento que está acabando com uma grande mata nativa à beira do Rio Pardo e reavalie o pro- jeto de PCH previsto para a região. O desastre ambiental é fruto de obras de uma hidrelétrica autori- zada pela Cetesb em 2010, órgão da Secretaria de Meio Ambiente e contraria as atuais demandas do governo de preservação dos recur- sos hídricos e dos mananciais que preservam os rios paulistas. SOS SOS p7 p3 agenda_A atriz global Lu Grimaldi visita a região com o espetáculo Um Dia de Rainha p12 gastronomia_ Bolo de laranja e bolinho de chuva deliciosos e fáceis de fazer para aquecer os dias frios de junho p 6 foto: divulgação Circulação Mensal: 8 mil exemplares Distribuição: Águas de Santa Bár- bara • Assis • Areiópolis • Avaré • Bernardino de Campos • Botucatu • Cân- dido Mota • Canitar • Chavantes • Cerqueira César • Espírito Santo do Turvo • Fartura • Ibirarema • Ipaussu • Lins • Manduri • Óleo • Ourinhos • Palmital • Piraju • S ta Cruz do Rio Pardo • São Manuel • São Pedro do Turvo • Tatuí •Tim- buri Pontos Rodoviários: Cia. da Fazenda • Graal Estação Kafé • Orquidário Restaurante. Café • Rodoserv • RodoStar • Varanda do Suco

360 ed113 jun2015

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Gostoso de ler. jornal de boas notícias do interior de SP Ourinhos Avaré Santa Cruz do Rio Pardo Botucatu Assis Piraju e mais 19 cidades! Grátis!

Text of 360 ed113 jun2015

  • issuu.com/caderno360

    ANO 10junho|2015

    nn.. 111313pegue & leve

    Manifesto pelo Rio Pardo rene centenasde pessoas em guas de Santa Brbara

    Grtis!

    facebook/caderno360CCaaddeerrnnoo 336600 GGoosstt oo ss oo ddee ll ee rr

    ..

    O rio Pardo est ameaado por projetos de PCHs que j causam um desmatamento sem precedentes , destruindo mata ciliar nativa. Autoridades, entidades, cidados, ambientalistas: Salvemos o Rio Pardo VIVO. Movimento de defesa do rio Pardocontinua

    Moradores de guas de Santa Br-bara e regio compareceram aoBalnerio Municipal para clama-rem ao governo que interrompa o

    desmatamento que est acabandocom uma grande mata nativa beira do Rio Pardo e reavalie o pro-jeto de PCH previsto para a regio.

    O desastre ambiental fruto deobras de uma hidreltrica autori-zada pela Cetesb em 2010, rgo daSecretaria de Meio Ambiente e

    contraria as atuais demandas dogoverno de preservao dos recur-sos hdricos e dos mananciais quepreservam os rios paulistas.

    SOS SOS p7

    p3

    agenda_A atriz globalLu Grimaldi visita a regiocom o espetculo Um Diade Rainha

    p12

    gastronomia_ Bolode laranja e bolinho dechuva deliciosos e fceisde fazer para aquecer osdias frios de junho p 6

    foto

    : div

    ulga

    o

    Circulao Mensal: 8 mil exemplares Distribuio: guas de Santa Br-bara Assis Areipolis Avar Bernardino de Campos Botucatu Cn-dido Mota Canitar Chavantes Cerqueira Csar Esprito Santo do Turvo Fartura Ibirarema Ipaussu Lins Manduri leo Ourinhos Palmital Piraju Sta Cruz do Rio Pardo So Manuel So Pedro do Turvo Tatu Tim-buri Pontos Rodovirios: Cia. da Fazenda Graal Estao Kaf OrquidrioRestaurante. Caf Rodoserv RodoStar Varanda do Suco

  • Urgncia! incrvel como essa situao invade nossa vida. Tododia, alguma coisa acontece e nos coloca em estado deurgncia. Seja em casa, nos cuidados com os filhos, com a sade,at na hora do lazer. Ela sempre d as caras. No trabalhoento, nem se fale. Dizem incolusive que o stress filho dela.

    O fato que com tanta informao, tanta conectividadeentre as pessoas, a urgncia anda ainda mais evidente etomando conta da situao. A sada pra isso? Sinceramente,no sei. O caso aqui pensar em como lidar com ela.

    Tenho um amigo e, por acaso, cliente, que me causa enorme ad-mirao por saber lidar com situaes importantes e variadascom uma calma, um bom humor e uma leveza que eu gostaria deabsorver, tranformando-me, como num passe de mgica. Comoisso no possvel, o que procuro fazer dar ateno aos meusalarmes sensoriais quando a urgncia se apresenta. Quando elesvm na boa, festejo. Olha como reagi bem!!! (penso). Quando no,fico contrariada, mas aceito. S que sem deixar de quereraprender a ser mais leve quando a urgncia aparece.

    O que me parece invivel, porque coloca nossas qualidade emjogo, fugir da urgncia. Essa alternativa pode at garantirmenos rugas e rusgas, mas certamente s vai maquiar a nossarealidade. Se ela est em voga, vamos l, tra tar do que ur-gente. Afinal, somos seres fadados responsabilidade.

    Esse prembulo todo apareceu para ressaltar algo que muitourgente. Tanto que estou insistindo no tema em mais umaedio, para um certo incmodo de alguns e muito de outros.O rio Pardo precisa ser salvo. E isso realmente urgente.

    Portanto, vamos l, fazer alguma coisa, qualquer que seja, parachamara a ateno de nossos governantes, das instnciascabveis e pedir, de uma vez por todas, que nos livrem dessesprojetos de PCHs que podem acabar com o nosso rio despouldo,saudvel e longo, porm no to largo, nem to profundo, oque lhe coloca em risco.

    Todo mundo j sabe que elas so nocivas (destrem nossa faunae flora original, alm das guas e do clima) . E que so obsole-tas (h altertnativas sustentveis praticveis como biomassa,elica e solar). E inoportunas (crise hdrica). Ento, por que aindatemos que ficar esperneando tanto para agirem?

    Em nome dos seus descendentes (sim, seus), eu lhe rogo: Salve oRio Pardo dessa! Como Do jeito que voc puder e quiser. Coloqueessa urgncia na sua vida. O futuro ir agradecer.

    Eu sigo fazendo a minha parte. E o Caderno 360 tambm.Desta vez com cinco pginas a respeito do assunto, onde vocencontrar ainda mais argumentos e pessoas dizendo quequerem o Rio Pardo Vivo e Sem PCHs.

    A edio tem outras tantas histrias urgentes tambm. Todaselas muito boas. Algumas at saborosas, como as receitas quetrouxemos, rpida e fceis de fazer; a programao cultura daregiol, eventos do setor agro, passatempos e as vises degente que sabe que uma dose de urgncia pode ser at mesmoum pouco saudvel pra fazer o nosso mundo girar. Boa leitura!

    Flvia Rocha Manfrin diretora-editora 360 | [email protected]

    2 editorial

    1 Pedro 2Vs: 12

    Tendo o vossoviver honesto

    entre os gentios;para que, naquiloem que falam mal

    de vs, como de malfeitores, gloriquem a

    Deus no dia davisitao, pelasboas obras que

    em vs observem.

    Ora,Ao!

    Caderno 360 uma publicao mensal da eCo-municao. Todos os direitos reservados.Tiragem: 8 mil exemplares. Distribuio gra-tuita. Redao/Colaboradores: Flvia RochaManfrin editora, diretora de arte e jornalista re-sponsvel | Mtb 21563, Luiza Sanson Menon re-viso, Odette Rocha Manfrin receitas ese-parao, Andr Andrade Santos correspon-dente SP, Paola Pegorer reprter especial,Roque Marques estagirio, Daniel Perin Cassi-olato assistente de publicidade e produo. Col-unistas: Jos Mrio Rocha de Andrade, PriscilaManfrim, Fernanda Lira e Tiago Cachoni.Ilustradores: Franco Catalano Nardo, WaldomiroNeto e Sabato Visconti. Impresso: Fullgraphics.Distribuio: Marcos Valentiere Artigos assinadosno expressam necessariamente a opinio desta

    publicao. Endereo: R. Cel.Julio MarcondesSalgado, 147/fundos - cep 18900-000 Sta Cruz do

    Rio Pardo/SP Cartas e publicidade:[email protected] F: 14 3372.3548_14 99653.6463.

    360_edio n 111_maio/2015

    xpedientee

    * correioNo Caderno 360, a gentileza da editora,mesmo corintiana, em me brindar commeno pela conquista do campeonatopaulista pelo meu Santos FC. Detalhe, melembro criana, na dcada de 60, de umaida a Bauru ver Santos X Noroeste em com-panhia do meu pai, Antoninho Raimundoe outros dirigentes da Esportiva. O sensa-cional foi a ida ao vestirio do Santos ondeconheci Pel, Coutinho, Pepe e outras feras.Da, um passo para nem imaginar torcerpelo Palmeiras do seu Dito. Que at insistiuna compra de uniforme do verdo na casaLorenzetti (havia um deles, goleiro da es-portiva) mas sa de l de chuteira, meias,camisa e calo rubro negros.

    Maurcio Machado/So Paulo

  • Junho ms da maior feira do setor de hortifrutis e ores daAmrica Latina. A Hortitec Exposio de Horticultura,Cultivo Protegido e Culturas Intensivas acontece entre osdias 17 e 19 no Pavilho da Expoora, em Holambra, inte-rior de So Paulo. Em sua 20 edio, a feira promete man-ter a tradio de apresentar novidades em equipamentos,insumos e outros itens que podem aprimorar o trabalho doprodutor e do comerciante que atendem o mercado. Oevento tambm mantm uma agenda de cursos, palestras eaulas prticas, promovidas pela organizao e por empresasque atendem o setor (veja no quadro abaixo).

    Bastante aguardada pelo mercado, a Hortitec rene produ-tores e comerciantes do setor interessados em inovaes emtecnologia para todos os elos da cadeia produtiva dos mer-cados de ores, frutas, hortalias, orestais e demais culturasintensivas de todo o Brasil e tambm do exterior. Segundoos organizadores, sero mais de 30 mil m de rea de ex-posio para receber cerca de 27 mil visitantes e gerar umvolume de negcios da ordem de R$ 80 milhes.

    3 agronegcio

    Feira anual de hortifrutisacontece em Holambra

    *Agenda Hortitec 17/06_ 9h s 17h: Frum Prtico de Lideranas: Gesto, pessoas e resultados. Aspectos prticos da liderana, desafios e ferramentaspara mudanas de comportamento na gesto de pessoas e negcios. Pblico: profissionais que ocupam papel de liderana nas empresas oupropriedades. Palestrante: Alexandre Moreno e Equipe da EmpresaSyntese Desenvolvimento Humano. R$ 200,00 18/06_ 9h s 13h: Mini Curso: Novas tecnologias para reduo deperdas na ps-colheita de produtos agrcolas. Perdas no ps-colheita,shelf life dos produtos hortcolas, tcnicas de adubao e novas tec-nologias. Palestrante: Eng. Agro. Jos Amrico B Turri Jr.. HFO Con-sultoria, Dr. Walter Srgio Pinto Pereira e Dr. Felipe Terra DowAgroSciences Latina Amrica e Brasil.R$ 100,00 19/06_ 9h s 13h: Mini Curso: Mogno Africano e florestas de altovalor agregado. Cultivo de madeiras nobres, interao entre profis-sionais, empreendedores, investidores, estudantes e instituies depesquisa. Palestrante: Higino Martins Aquino Jr Instituto Brasileirode Florestas (IBF). R$ 100,00_:_:Palestras e Aulas Prticas:Promovidas pela Dessa Consult, empresade consultoria para produo de mudas, flores e hortalias especia-lizada em nutrio de plantas em regies tropicais e subtropicais. Palestra: Conceitos bsicos de fertirrigao. (40 vagas) 6/06:18h s 21h Aula prtica: Medio de EC e pH e Preparo de calda para fertirrigao(caixa A, B (& C) e calda pronta. (20 vagas). 15, 16, 17 e 18/06: 13hs 16h. Palestra: Nutrio & Fertirrigao para manejo natural de pragas edoenas. (40 vagas) 17/06: 8h s 11h e 18/06:18h s 21h Palestra: Manejo de luminosidade, ventilao & umidade na estufa. (40 vagas) 15/06:18h as 21h e 19/06: 8h s 11h Aula prtica: Medies para controle de micro-clima em estufas.(20 vagas). 16/06: 8h s 11h e 19/06: 13h s 16h Palestra: Inovadores conhecimentos sobre pragas & doenas comateno especial para Phytophthora, Pythium & Mldio. (40 vagas) 17/06: 18h s 21h e 18/06: 8h s 11hLocal: Sala de eventos da Dessa Consult (R. Verbenias 124)

    Hortitec: Pavilho de ExpofloraHolambra/SP17 a 19/6_ 9h s 19h. Ingressos: R$ 30,00Info: www.hortitec.com.br (19) 3802-4196

    *Cerca de 27 mil visitantes doBrasil e do exterior so aguardadosna 20 Hortitec, em Holambra*

  • O testo foi inspirado por umafoto de jovens negros exibindofelicidade diante de uma reali-dade de quem pode ter o quequer: copo mo, culos caros,bons de grife, rindo felizes numbarco de luxo. Tudo o que a clas-se alta branca pode ter e eles,provavelmente, cresceram pen-sando que nunca teriam fcil.Mas conseguiram. Nenhum pro-blema em se conseguir atingirnovos patamares e, bvio, nadacontra negros, por favor. Oponto aqui outro.

    O cenrio ostentao da gera-o jovem o que chama aten-o. Porque mostra-se geral eirrestrito. Ou seja, atinge todasas classes e localizaes. Juntocom esse conceito brega de vi-

    da seja num Dolce Gabbanaautntico ou da 25 de marotoda ostentao cafona , oque mais chama ateno ofato de ser realmente isso o queimporta para essa moada: asaparncias.

    E quando se dedicam a algo pra poder ostentar. tanto gas-to e tanto lixo. Que d vontadede sumir. E virar ermito. Ou en-trar pra uma comunidade alter-nativa. Porque conviver, ulal.

    Das fotos de meninas achando-se as mais descoladas e belas.Aos rapazes sem camistas ouvestindo moletons e os terrveisbons da moda, o fato da ju-

    ventude no ter a menor von-tade de mostrar outra coisa se-no a ostentao com base noconsumo de bens materiais su-pruos, me faz pensar para on-de vo. Como sero quandoforem adultos, com uma pers-pectiva gitante de vida, que jchegou aos 100. E quando elesforem pais?

    tanta supercialidade que dvontade de no estar aqui praver. Mas como ADORO a vida evivo de um jeito saudvel.Vamos ver no que d. E torcerpara que se deem bem, anal,podemos ser otimistas.

    4 ponto de vista

    santa OOsstteennttaaoo

    *Fernanda Lira

    "Sou um menino que v oamor pelo buraco dafechadura. Nunca fui outracoisa. Nasci menino, hei demorrer menino. E o buraco dafechadura , realmente, aminha ptica de ccionista.Sou (e sempre fui) um anjopornogrco." Assim deniu-senosso querido e arguto NelsonRodrigues e, assim dito, revivoa cena deliciosa pintada em le-tras por Manuel Bandeira quetoma forma, cor, perfume elembranas da adolescncia eme encanta sempre: Um diaeu vi uma moa nuinha nobanho. Fiquei parado, ocorao batendo. Ela se riu. Foio meu primeiro alumbra-mento.

    No sculo XXI a infncia maiscurta, a adolescncia maislonga, se estende alm dos 20anos, o incio da velhice se dis-tanciou e o idoso vive mais emelhor, muitos dirigem seucarro, ainda trabalham, prati-cam esporte aos 80 anos.

    Foi andando a p pela cidade,um hbito delicioso que aospoucos se perde, que descobriuma vitrine com frases bemhumoradas: Somente os

    bbados vero Deus duasvezes. Adolescentes: Cansa-dos dos sermes de seus pais?Libertem-se! Entrem em ao.Arrumem um trabalho, pa-

    guem suas contas, preparemsua comida, lavem e passemsuas roupas. A hora agora...Que sabem tudo!.

    Sempre achei a adolescnciaum perodo muito difcil davida. Para o adolescente e paraos pais. Tudo muda muito, erpido. O corpo, os hormnios.Ah! Esses hormnios. A von-tade de continuar criana, dealar voo, de se descobrir eachar o seu lugar. No mo-mento em que o que mais pre-cisam tempo, ele desaparecee as cobranas tomam seulugar: j escolheu a faculdade?O que que voc quer ser?Voc no acha que est dor-mindo muito? Tudo o que elesmesmos querem saber, masainda no sabem. Assumemuma postura de sabe-tudo, ir-reverncia, do contra. Eles pre-cisam se defender do mundoque cobra pressa, pois amadu-recimento exige tempo. avida que desperta quem so-

    mos e, para isso, h que viv-laem todo o seu tempo que um, para cada um.

    A pacincia que os adultos tmcom as crianas, eles no tmcom os adolescentes e, nessemundo cada vez mais aceler-ado, poludo de informaesdesnecessrias, com innitasopes de trabalho e oportu-nidades que seduzem e con-fundem, o adolescente nosabe se olha pelo buraco dafechadura, ou se veste umafarda militar para contentar asociedade. O que ele geral-mente faz, para desespero dosadultos, viver e deixar acon-tecer, o tempo que fornecessrio, e assim que nsnos descobrimos e encon-tramos nosso lugar legtimonesse mundo.

    *mdico santa-cruzense radi-cado em Campinas | ze-

    [email protected]

    art

    e:

    Fra

    nco

    Cata

    lano N

    ard

    o |

    360

    Ah, esses Jovens*Jos Mrio Rocha de Andrade

    *jornalista paulistana que adora o interior

  • rr ee ss ttaa uu rr aa nn tt ee ssBernardinoBernardino

    donana_Peixes, risotos, massas.3/sab: 18h_ 22h dom: 12h_15h | F: 14 3346.1888

    ipaussuipaussuHarpo's_Cozinha contemporneacaprichada em ambiente agradvel.6 e sab: 19h_ 0h dom: 11h30_14hF: 14 99853.0904

    ourinHosourinHosLa parrilla_ Comida argentina.3/sab: 11h_ 16h |19h dom: 11h_16h | F.: 14 3324.9075sushi Ventura_Comida japonesadeliciosa. | 3 a dom:19h_0h | F:1498114.8015

    pira jupira jupirabar_ Almoo e casa noturna beira do Paranapanema. 3 a dom.

    |F: 14 3351.4387taas e Cachaas_ Cachaas, petis-cos, pratos. Atendimento Nota 10!2_6: 18h | sab/dom: 10h |F: 14 3351.0811

    Guas de sta. BrBaraGuas de sta. BrBaranossa Chcara_Buffet de prratosquentes e saladas . Ligue antes de ir.Local buclico dentro da cidade. 5 adom. | F: 14 3765.1545

    sta. Cruzsta. Cruzpizzaria alcatia_Pizzas crocantes,massas, carnes, peixes e saladas . 3-dom. 19h _23h. F: 14 3372.2731rancho do peixe_ Cozinha caseiracaprichada. 2/dom. 8h30_14h30_2/sab. 17h30_ 0h. | F: 14 3372.4828

    s. pedro do turVos. pedro do turVorestaurante rosinha _ Deliciosacomida caseira. 2 a sb: 11h30 s 15h

    | F: 14 3377.141pizzaria Camiloti _ De dia lan-chonete e padaria. De 5a. a dom. Piz-zaria | F: 14 3377.1113

    BB aa rr ee ss ee LL aa nn CC HH ee ssaVaraVar

    di-Ferentti_Comida tpica mexicanae outras gostosuras | 3 a 6: 17h_0hsb.:11h_1h30 - dom: 17h_23h| F: 14 3733.2928

    BernardinoBernardinopastelaria Bagd_ Me-lhor pastelda regio 360. 2 a sab. hor. cmercial.

    pira jupira juadrenalinas_ Tilpia no alho deli-ciosa. timo Atendimento. 2 a sab.aps 17h | F: 14 3351.3370

    sta. Cruzsta. CruzBar da neusa ( sodrlia)_ Todo dia8h_ 20h ou at o ltimo cliente.

    Bar do Celso _ Drinks, assados,pores. 2 sb. ms festa de rock. 22hs 4h | F: 14 998.352630Casa da esha_Mais de 70 opes .| F: 14 3372.2915espetinho pilo e Cocho_Espeti-nhos, pores e acompanhamentos .2 a 6: 17h 1h, sb.: 11h 1h edom.: 16h 1h | F: 14 3373.1041London Chopp_Peetiscos, refeiese as mais variadas cervejas e drinks. 3 a 5 (18h-0h), 6 a dom. (17h-

    2h30), almoo dom. (11h-15h). F: 14 3372.8677 nina Lanches_ Tradio em lanches.Todo dia 18h_0h | F: 14 3372.6555posto 53 Crep's Bar_Crepes doces esalgados, petiscos e drinks variados. 4 a dom. (18h-0h | F: 14 3372.5656treiler dos amigos_Lanches epores. Fecha s 3s-feiras. 18h30

    0h30 | F: 14 3372.9297

    oo uu tt rr oo sssta. Cruzsta. Cruz

    Frutaria do Baiano_ Frutas sele-cionadas. R. Mal. Bittencourt c/ R.Benjamin Constant 8h_ 23h. sorveteria unio_ Sorvete arte-sanal e com ingredientes naturais.Todo dia 9h_23h | F: 14 3372.3644

    rr oo dd oo VV ii aa sspira juourinHospira juourinHos

    | sp 270 raposo taVares Cia. daFazenda_Km 334: Lanches erefeies, pratos levando palmito.| F: 14 3346.1175

    ourinHoss.CruzourinHoss.Cruzsp 352 o. QuaGLiatorestaurante Cruzado _ Km 16: Restaurante 24h | F: 14 3372.1353.

    orquidrio restaurante Caf_Km 14: Lanches, sucos, refeies,orquidrio. Todo dia 7h_19h | F: 14 99782.0043Varanda do suco_Km 27,5:Refeies, sucos, salgados e doces.Todo dia. 9h_19h | F: 14 98125.3433

    s. Cruz-spedros. Cruz-spedropesqueiro paulo andrade ; Peixesfrescos, aves e assados encomenda.F: 14 99706.6518

    ipaussuBauruipaussuBaurusp 225 enG. joo Baptista rennpaloma Graal Km 309 Praa de ali-mentao, loja, padaria e cafeteria.24h | F: 14 3332.1033Graal estao Kaf_Km 316:Museu , antiguidades, comida caipira.24h | Maria Fumaa! F: 14 3372.1353_24h | F: 14 3324.6319

    360_ Onde IR!360_ Onde IR!

  • Nada melhor que um quitute feitoem casa, quentinho, acompanhadode uma xcara de ch ou caf paraespantar o frio e reanimar o corpo.Esta edio traz duas receitas dedelcias caseiras, simples de fazer ede comer!!!

    A primeira, o famoso Bolinho deChuva, foi tirada do caderno de re-ceitas de Dalva Rocha, a quituteirade doces da famlia. Como tudoque ela faz, o bolinho delicioso e

    saiu perfeito. Ou seja, a receita notem erro! Para quem gosta, d pararechear com queijo ou goiabada,parecendo um mini sonho.

    A segunda de um bolo de laranjaque segundo a autora, Nelly Za-nette, resultado de uma vrias re-ceitas que ela j testou.

    Muito fcil de fazer, ca leve, sa-boroso e perfeito se acompanhadode um pouco de geleia.

    _Ingredientes massa: 4 ovos 1 pitada de sal 2 xc. de acar 1/2 xcara de leo 1 xcara de suco de laranja 1 colher de sopa rasa de fermento em p raspas da casca de 1 limo

    _Ingredientes cobertura: 1 xcara de suco de laranja 2 colheres de acar 1 pouco de coco ralado (opcional)_Preparo:Coloque 2 ovos inteiros e 2gemas (separa a clara de 2 ovos) noliquidicador com o suco de laranja, osal e o aar. Bata muito bem. Adi-cione o leo e bata bastante. Adicionea farinha e o fermento em p. Batasem pressa. E por ltimo acrescente as

    raspas de limo, pondo para bater denovo. Enquanto isso bata as clarasseparadas at car na consistnciadurinha, em neve. Retire a massa doliquidicador e misture com as clarasem neve com auxlio de uma colher.Coloque em forma de buraco untadae leve ao forno pr-aquecido.

    Enquanto assa, misture o suco delaranja e o acar e leve ao fogo paraformar a calda. Despeje sobre o boloassado e salpique com coco ralado.

    _Ingredientes massa: 2 xicaras de farinha de trigo 1 xicara de acar 2 ovos inteiros 1 colher de sopa rasa de fermento em p 1 xcara de leite

    _Preparo: Misature a fari-nha de trigo com o acare o p Royal. Reserve. Comum garfo, bata os ovos e adi-cione massa. Mexa e vadicionando o leite aospoucos. A massa no devecar nem muito mole, nemmuito dura. Aquea leopara fritura numa panela.Passe a massa de uma colher

    para outra e coloque no leoquente para fritar. Retirecom uma escumadeira, dei-xe secar sobre um papeltoalha e depois nalize pas-sando por uma mistura deacar renado com canelaem p.

    Bolo de laranja

    por Nelly Zanettepor Nelly Zanette

    Quitutes para espantar o FRIO

    por FlviaManfrin

    Bolinho de Chuva

    por Dalva Rochapor Dalva Rocha

    foto

    s: F

    lavi

    a Ro

    cha

    | 360

    6 gastronomia

    V de VIP salgados

    Imperdvel

    Foi numa festa regada a salgados por conta dos con-vidados que pude fazer uma degustao do meusalgado preferido: a coxinha. Foram pelo menos setealternativas e, apesar de todas estarem boas, notive dvidas sobre qual era a melhor. Para minha sur-presa, a vencedora era uma coxinha que se compraem supermercados. Anal, assim, acomodadas embandejas ou em formatos maiores, para satisfaodas lanchonetes, que a VIP Salgados atende SantaCruz e regio. A linha de salgados segue pronta prafritar ou assar na hora. O sucesso criado por SrgioDourado j vai longe e satisafao garantida paraquem quer servir bem, sem arriscar! Info: www.vipsalgados.com.br 14 3372.7696 3372.7728 14 99792.7403.

    foto: siteVipSalgados

  • Os argumentos so claros e at o mo-mento incontestveis. A instalao dePCHs no rio Pardo que nasce em Par-dinho e desagua no rio Paranapanema,em Salto Grande, percorrendo 264kmdo estado de So Paulo, no agrada aningum. Exceto pelos documentos queautorizaram a obra em 2010, aparente-mente, nem mesmo a Secretaria de MeioAmbiente e o seu rgo que avalia taisquestes, a CETESB, parecem acreditarque essa seja uma ao benca para obem comum. O que temos que enten-der que se no cuidarmos bem de todosos recursos naturais de que dispomos,no est longe o revide que a naturezanos dar. Se antes falvamos que tera-mos que cuidar do meio ambiente paraque nossos netos no viessem a sofrer nofuturo, hoje se v que no sero nossosnetos, ns j estamos pagando o preode tanto descaso. Portanto, se temos umbelo rio que corta nossa cidade, nossaobrigao preserv-lo e questionar tudoque pretendem fazer nele", pondera oempresrio Erik Manfrim, scio-diretorda Special Dog, empresa de Santa Cruzdo Rio Pardo do setor pet que patroci-nou o evento, a exemplo de outras cincoempresas que financiaram o Manifestopelo Rio Pardo Vivo, assumindo o apoioatravs de suas marcas (veja quadro dedepoimentos na pgina 11).

    A questo, como se v de ordem tem-poral. E isso ocorre por diversos fatores.Primeiro, de ordem cientfica: as infor-maes a respeito de impactos ambien-tais ainda so recentes e tendem a setornar ainda mais abundantes, seguras edetalhadas. Ou seja, o tema, por mais

    que j seja do conhecimento da maioria,ainda requer muito estudo.

    Do outro lado, tambm pesam os fatos.Em 2010, segundo o prprio governo,ningum podia prever uma crise hdricanas propores da que o estado de SoPaulo enfrenta atualmente. O desastreno abastecimento de gua de muitosmunicpios paulistas, inclusive da capi-tal, tem como principal causa exata-mente o que o projeto da PCH PonteBranca, de guas de Santa Brbara in-siste em promover: o desmatamento degrande volume de mata nativa e a insta-lao de um lado cujas margens sero deterra produtiva, ou seja, inadequadaspara o reflorestamento seguro, com ele-vados riscos de assoreamento, como severifica em outras barragens sobre rios.Essa crise no ocorre por que nochove, mas sim porque as bacias hidro-grficas, que so as reas de captao dachuva, foram mal planejadas e degrada-das e porque os rios no foram respeita-dos. Ao tirarmos a mata ciliar dasmargens, ns comprometemos e invia-bilizamos a vida do rio. E se no tivermosfloresta nas margens, no teremos infil-trao da gua da chuva. Sem essa infil-trao, no teremos gua suficiente paraa nascente, e se no tem nascente, notem rio, explica o Prof. Piroli, conside-rado o maior conhecedor dos problemasque o rio Pardo ir enfrentar a curto,mdio e longo prazos. Estudioso dasguas do Pardo, Piroli aprsentou seus ar-gumentos no Manifesto, a exemplo doque fez diante das outras tentativas debarrarem o rio, em benefcio de toda aregio onde corre.

    Ns temos um patrimnio que precisaser gerido corretamente e precisa serprotegido por ns, cidados que temosconscincia e responsabilidade. O riono nosso, no de quem quer fazeruma represa. O rio do planeta terra. o rio que permite que a vida continuedaqui a 100, 200, 500, mil e milhes de

    anos. uma questo de biotica nossano aceitar esse tipo de imposio, afir-mou o Piroli.

    Questo legal Enquanto o governodo Estado avalia a questo, que lhe foilevada atravs de encontros que reuni-ram voluntrios do movimento Rio

    Manifesto regional ressaltaconsenso contra PCHs no Rio Pardo

    7 meio ambiente _ acontece

    Participe do jornal que circula gratuitamente em toda a regio, trazboas notcias e 100% independente! [email protected]

    foto

    : Fla

    via

    Roch

    a | 3

    60

    Ponto alto do Manifesto, Ponto alto do Manifesto, o Prof. Piroli informa como Prof. Piroli informa com

    preciso as razes parapreciso as razes parasermos contrrios s obrassermos contrrios s obras

    de PCHs no rio Pardode PCHs no rio Pardofoto

    s: F

    lavi

    a Ro

    cha

    | 360

  • Pardo Vivo, o Ministrio Pblico, que seposiciosa contra as obras, est con-cluindo um inqurito para que o assuntoseja tratado no mbito jurdico.

    Paralelamente, representantes pblicosdo legislativo vereadores de diversascidades da regio e deputados estaduais tratam de levar adiante o projeto de leique transformar o rio Pardo em patri-mnio natural e cultural do estado deSo Paulo, que tramita na AssembleiaLegislativa (ALESP).

    O deputado estadual Ricardo Madalena,tambm esteve presente ao manifesto eassumiu sua posio contrria PCH,conforme documentou em dossi envi-ado Cetesb pela Rio Pardo Vivo. Nssabemos da importncia desse rio paraa regio. Essa luta de todas ns. Huma semana estivemos com a secretriado Meio Ambiente do Estado de SoPaulo pedindo a reconsiderao daquiloque foi autorizado aqui, que so as li-cenas. Que isso volte atrs, pois nopodemos ter o rio Pardo fracionado comPCHs. Ns somos contra e vamos levaressas mensagens para dentro da assem-bleia a partir de j, conversando commeus pares elevaremos isso em mbitode estado e vamos tentar paralisar o queest sendo feito at o momento.

    O prefeito de Santa Cruz do Rio Pardotambm se posicionou contra as obras.Antigamente, toda cidade queria umarepresa perto dela, visando turismo, bar-

    cos e peixes, ningum pensava no danoambiental. A evoluo do pensamentofez que hoje se pense, hoje quando se falade turismo, se fala de ecoturismo. No sefala de turismo destruindo a natureza,mas sim preservando-a. E quando vocv os europeus e americanos fazendoturismo, eles vo pra onde? Onde a na-tureza est preservada. A destruio dopatrimnio ecolgico afasta o turismo,d prejuzo econmico, prejudica cida-des e populao como um todo. A sadedo nosso planeta e da nossa terra vai serprejudicada, estamos aqui de passageme temos que preservar este patrimnioecolgico para as futuras geraes.Temos de dar fora a justia, para queesses mudem suas decises. Temos de

    dar foras aos tcnicos da Cetesb paraque mudem suas decises. A lei existe,mas se no forarmos ela aplicada emum nico sentido. A presso honesta, apresso do povo, a presso publica faz

    *A justia e o poder pblico tm que perceber com esse movimento pblico, de massa epoltico, que eles tem apoio para sustar a construo dessas hidreltricas, que na reali-dade poucos produzem. Otcilio Assis, prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo*

    *A missa pelo RioPardo Vivo contoucom os msicos doprojeto Apren-dizes de Sodrliae com a Folia deReis de SantaCruz do Rio. Nosdestaques santa-cruzenses queparticiparam doevento *fot

    os: F

    lavi

    a Ro

    cha

    | 360

  • *Meu pai descia o riode guas de SantaBrbara de canoa atSanta Cruz, quandoera jovem. Se as obrasforem levadas adiante,no teremos mais isso.No teremos natureza,o rio vai assorear.Ento temos quelutar sim", deputado Ricardo Madalena *

    *Moradora deguas deSanta Brbaravestiu a camisaem favor doRio Pardo Vivo. direita osambientalistasRicardo Assaf e FernandoFranco, de Piraju*

    com que as decises jurdicas tambmvo a nosso favor, armou o prefeitoOtcilio Assis, de Santa Cruz do RioPardo, cidade que tambm ser afetadapela obra e que assumiu a liderana naluta pela preservao do rio (vejamatria na pgina 11).

    Repercusso Apesar da chuva emtoda a regio, o Manifesto pelo Rio Par-do Vivo reuniu pelo menos 350 pessoasem guas de Santa Brbara. Vindo deAvar, o bilogo, jornalista e gestor dosetor agro, Fernando Franco, que tam-bm preside a Organizao Teyqu-P,

    de Piraju, foi enftico em defender o rioPardo das barragens. Os rios da nossaregio so a fonte de nossa identidadecultural, histrica e ambiental. impor-tante perceber esse grau de relao entrepopulao e natureza que existe aqui. Aameaa que est ocorrendo com relaoao rio Pardo uma causa de todos ns,gostaria de deixar registrado que a genteprecisa lutar e muito para manter esterio vivo, como ele est, pois essas usinasque querem fazer elas no vo trazerbenefcio nenhum para a populao deguas de Santa Brbara e da nossaregio, disse o ambientalista, experiente

    por sua luta para manter intactos trechosainda originais do rio Paranapanema.

    rgo licenciador O gerente daCetesb de Avar, Mrcio Loureno Gon-alvez, disse que apenas a mobilizaopopular pode reverter as licenas queforam concedidas. Essa PCH que esta-mos conversando j obteve licena pr-via e de instalao, ento para que oempreendimento no saia, h necessi-dade de uma mobilizao muito grandeda populao das cidades envolvidas. muito importante a participao de de-putados junto ao governador, disse ele,

    que esteve representando o presidentedo rgo, Otvio Okano.

    Roteiro completo O Manifesto peloRio Pardo Vivo ocorreu das 11h s 16hcom direito a missa, cortejo at o Bal-nerio, discursos de autoridades, ambi-entalistas e de moradores da regio,artes de grate, msica e dana, alm depraa de alimentao. A chuva de se-mentes sobre a rea desmatada, previstapara o encerramento, foi adiada devidoao tempo chuvoso. Mas ser reagendadasegundo a equipe de paraquedismo.Veja: Manifesto pelo rio pardo Vivo no facebook

    foto

    s: F

    lavi

    a Ro

    cha

    | 360

  • Sou a favor do rio. Este manifesto muito vlido e til para a sociedade.Mnica Dutra Melani, moradorade guas de Santa Brbara

    Esse evento faz com que mais pessoascomecem a perceber a necessidade dapreservao do nosso bem maior que o Rio Pardo. Jos Carlos de OliveiraJunior, de Santa Cruz do Rio Pardo

    Estamos aqui unidos contra essausina que querem fazer. Espero que asautoridades tenham conscincia e cor-ram atrs para defender o nosso rioPardo. Gilmar Teodoro da Silva,morador de guas de Santa Brbara

    Sou nascido em guas de Santa Br-bara, meus avs foram fundadores dacidade, a vida inteira morei aqui e achoa construo de uma usina umacalamidade para nossa cidade. Sidnei Correia, morador de guas de Santa Brbara

    Dou meu apoio irrestrito a este tra-balho de preservao do Rio Pardo.Temos que nos unir e combater at om. No podemos deixar que issoacontea. Monsenhor EdmilsonJos Zanin, proco de guas deSanta Brbara e Cerqueira Csar

    A voz dos moradores:

    O Manifesto pelo Rio Pardo Vivo envolveu arte e esprito festivo. Acima o Ballet Municipal de Sta. Cruz do Rio Pardo, o prefeito de guas de Sta. Brbara Jos Marino com o artista plsticoConrado Zanotto, de Ourinhos, a reprter Amanda, da TV Tem de Itapetininga e o msico Paulo Viggu, de Piraju. Abaixo, o vereador Fabio Glaser com morador de guas de Sta. Brbara,o msico Mrcio Werneck, de So Paulo, com o presidente da Rio Pardo Vivo, Luiz Carlos Cavalchuki, paraquedistas de Sta. Cruz e a trupe do Johnny's Burger vestida de Rio Pardo Vivo

  • Imagine daqui a mui-tas dcadas nosso rioPardo correndo livre-

    mente com toda sua pureza. Isso noser um sonho se todos se empenharemna construo de uma vida melhor paraa humanidade. Adalberto Pegorer,scio-diretor da So Joo Alimen-tos, presente no mercado com asmarcas Pateko e Emprio So Joo.

    Apoiamos o Manifestoem razo da importn-cia das matas ciliares na

    manuteno da biodiversidade daregio e tambm pela necessidade doscursos dgua para evitar o assorea-mento causado pela eroso. Jos Eu-gnio de Resende - diretor- proprie-trio da Agroterenas

    O manifestoserviu paraque as pessoas

    pudessem questionar e expor as razesde estarem indignadas com a tal obra.Nosso questionamento que existemgeradoras de energia que funcionam ao d'gua, cujo impacto ambiental muito menor. Por que no foi adotadaesta modalidade? Alm disso, fomos in-formados que essa PCH gerar pouca en-ergia, quase nenhum emprego e, poroutro lado, muito desmatamento e a de-

    sestabilizao de pequenos produtoresrurais. Erik Manfrim, scio-diretor da Special Dog

    Vivemos um mo-mento de crise de

    energia, mas a soluo no essa. Aquantidade de energia que vai ser gera-da por essa usina no justica tamanhodo dano ao nosso rio. Existem diversasfontes de energia renovvel viveis nanossa regio que podem colaborarmuito mais e sem agredir o meio ambi-

    ente. A importncia do movimento aluta pelo bem da natureza.Srgio Pe-gorer, scio-diretor da Rosalito Ali-mentos

    Existem tantas ener-gias renovveis atual-mente e vo prejudi-

    car um ecossistema gigante. Obras dessetamanho apenas prejudicam a naturezato rica da nossa regio.O manifesto muito importante, pois trato do futuro.Lori Botelho, scio-diretor do la-ticnio Fazenda Botelho

    Santa Cruz do Rio Pardo vem se desta-cando na tarefa defender o rio Pardo. Oltimo domingo de maio, que inauguroua semana do Meio Ambiente, comemo-rado mundialmente em 5 de junho, foimais uma prova de que a cidade poronde correm 73 km das guas do rioameaado por barragens de grandes im-pactos ambientais est lidando com aquesto de forma diferenciada, sob todosos aspectos. A comear pelo movimentoRio Pardo Vivo, conduzido por gente dacidade, passando pelas empresas que sedispem a conhecer e a patrocinar asaes em defesa da sustentabilidade dorio, em todas as esferas chegam apoiosao patrimnio natural da regio.

    o que acontece com os poderes pbli-cos, que se mostram 100% dispostos aapoiar a causa que questiona a instalao

    de PCHs no rio Pardo. Alm de todos osvereadores, tambm o prefeito da cidadeno titubeia quando o assunto dar aoassunto o destaque necessrio. Foram daprefeitura de Santa Cruz, por exemplo,que partiram os nicos nibus munici-pais com destino a guas de Santa Br-bara, onde foi realizado o Manifesto peloRio Pardo Vivo. Um deles, seguiu lotadopor msicos e bailarinos da Folia de Reise do Ballet Municipal da cidade, respec-tivamente, que aceitaram na hora o con-vite para apresentarem sua arte comoforma de manifestao em defesa do rio.

    Essa atitude merece destaque porquemerece ser multiplicada. Anal, se daunio de esforos em uma cidade pos-svel se fazer ouvir sem partir para agres-ses e covardias, a ponto de encontrarespao nas agendas dos principais exe-

    cutivos dos rgos pblicos que tratamo assunto, como a Cetesb, a Secretaria deMeio Ambiente do Estado de So Pauloe o GAEMA (Grupo de Atuao Especialde Defesa do Meio Ambiente), imaginese isso se repete em todas as cidadesabastecidas pelo rio Pardo!

    Vale lembrar que a ao conjunta pro-movida por agentes da cidade nos lti-mos anos j soma conquistas regionais,como a interrupo de processos de li-cenciamento de outras quatro propostasde barragens, todas de grandes impactosambientais. E pretende ir alm, com oapoio de vrios setores, como o comr-cio, a indstria, as escolas, o legislativo, oexecutivo e o judicirio.

    Vale acrescentar que alm de apoiarem acausa na forma de servios e patrocnios,

    viabilizando o Manifesto e demais ini-ciativas em defesa do rio Pardo, os santa-cruzenses se esmeraram no apenas emproduzir o evento, mas em comparecer,garantindo que fosse um sinal coletivode que importante preservar o rio.

    Conram os depoimentos que colhemosdurante o Manifesto pelo Rio PardoVivo, quando a regio se reuniu no Bal-nerio de guas de Santa Brbara, paratrocar clamar ao governo a reavaliaodo licencimento da construo da PCHPonte Branca, que vem causando umdesmatamento sem propores na talvezmais importante mata nativa que restaem toda a extenso de 264km do rioPardo. E conhea a viso das empresasque patrocinaram o evento que colocou orio Pardo em pauta em esfera estadual.

    Santa Cruz assume aliderana sobre aquesto do rio Pardo

    POR QUE eles apoiaram o Manifesto pelo Rio Pardo Vivo

    1111 cidadaniacidadania

  • Basta bater os olhos nos inte-grante da jugband TurvoPardo Paranapanema parase interessar em ouv-los. Doapelo visual, bastante criativo eoriginal, ao som que produzem,o salto ainda mais alto.

    A banda intensa e primorosa.Produz msica da melhor qua-lidade e, mesmo sendo 100%tpica traz para o pblico amsica norte-americana pro-

    duzida com instrumentos im-provisados, tendncia que sur-giu nos anos 20 do sculopassado capaz de agradar atodos os gostos e gente de todasas idades.

    Com um repertrio animado emuito bem executado, o showtraz canes de rockabilly (JeryLee Lewis, Jene Vincent, ElvisPresley), country (Hank Wil-liams, Allan Jackson, Jonny

    Cash), blues (Muddy Water),ragtimes (Blind Boy Fuller) emanoche (Django Reinhardt)executados com maestria peloquarteto formado por CaiZambotto (vocal, banjo, kazooe petsofone), Aline Zambotto(washboard e backing vocal),Luan Cavalhera (rabeco) eJorge Henrique (gaita harm-nica, violo e guitarra).

    O grupo que tambm presen-

    teia o pblico com composiesprprias, apesar da banda estarcompletando apenas um anode estrada, se apresentar pelaprimeira vez Bar do Cerso,reduto do rockroll instaladonuma chcara, no mais originalestilo celeiro de ser. Progra-mado para o dia 18/6, s 21h,o show comemora os 10 anosde circulao do Caderno360, peridico que se dedica avalorizar a boa arte e os bons

    redutos onde ela emerge no in-terior paulista.

    O evento ser aberto ao pblicoe ter a presena do food truckJohnnys Burger com suascriaes de dar gua na boca.

    Info: 14 99835-2630Turvo Pardo Paranapanema Bar do CersoConvites: R$ 10,00 individual e R$ 15,00 casal

    Uma bandaque

    agradaa gregos e troianos"

    FarturaFartura

    Evento. 1 FarFusca. 9/6_9h.| Praa da Matriz. Participao:2kg de alimento no perecveis(Exceto sal). info: 14 99604-8654

    Evento. Vivncia de Capoeiraangola. Com contra mestreXando e Angoleiros do Serto.27/6_9h. | Espao Amigo (antigaCasa das Crianas) info: 14996131303. Grtis!

    ourinHosourinHos

    Evento. 49 Fapi. 5/6 a 14/6. |Programao de shows (horriode nicio previsto para as 11h30):5/6: Luan Santana. 6/6: Marcose Belutti. 7/6: Frozen/Evandro eAgnaldo. 8/6: Alessandro Cam-pos. 9/6: Fiduma e Jeca. 10/6:Pedro Paulo e Alex. 11/6: Thi-aguinho. 12/6: Cristiano Arajo.13/6: Jads e Jadson Dom 14/6:Gusttavo Lima. Rodeio com Ran-cho Primavera (7/6 a 10/6) e ca-valgada (14/6). info: 143325-4090. Grtis!

    Evento. Festa junina studioinstituto Musical. 19/6_21h. |

    Republiq. Convites: R$10 ( ante-cipados na Studio), alunos comentrada franca. info: 14 3325-4543

    santa Cruzsanta Cruz

    Exposio. ser imigrante: omesmo e o outro. Organizadapelo Museu da Imigrao do Es-tado de So Paulo, prope umareexo sobre o conjunto decondies que determinam aaceitao ou no de quem migrapara o Brasil, em carter tem-porrio ou permanente. Mostraitinerante convida o pblico a sero outro durante o circuito ex-positivo. de 3/6 a 3/8. | Palcioda Cultura Umberto MagnaniNetto. info: 14 3372-1227.Grtis!

    Msica. Festa de rock do Bardo Cerso. A tradicional festamensal realizada no bar rural deCelso Andrade traz a banda noFate com repertrio pautado emclssicos do rock n' roll. ingres-sos: R$ 10,00 (antecipados [email protected]) e R$ 15,00 (por-taria). 13/6_23h (abertura dacasa) e 1h (incio do show). | Bardo Cerso (Chcara Sta Lcia).

    info: 14 99835-2630 Msica. Coreto encanto como grupo Mazuqu. 14/6_20h30. | Praa Dep. Lenidas Ca-marinha. info: 14 3372-1227.Grtis!

    Cultura. ocina de produoCultura programa pontoMis. Ter um vdeo bem produzido cada vez mais necessrio paradiferentes plataformas de comu-nicao. Nesta ocina, os alunosaprendero os fundamentos daparte conceitual, tcnica e criativapara criar com poucos recursos um vdeo que se destaque.

    16/6_17h s 22h. | Palcio daCultura Umberto Magnani Netto.Inscries: 14 3372-1227. Grtis!

    Msica. Msica de celeiro noBar do Cerso. Em comemo-rao aos seus 10 anos de circu-lao, o Caderno 360 traz paraSta. Cruz a jugband turvo pardoparanapanema em show re-pleto de boa msica de raiz norte-americana. ingressos: R$ 10,00(individual) e R$ 15,00 (casal).18/6_19h (abertura da casa) e21h (incio do show). | Bar do Cer-so (Chcara Sta. Lcia). info: 14 99835-2630

    Teatro. palavra da rainha. Aproduo da Turma do Bem, umaONG que benecia mais de 43 milcrianas e adolescentes em 12pases, traz a atriz Lu Grimaldi nomonlogoinspirado na vida deDona Maria I, rainha de Portugale princesa do Brasil. O texto com-bina fatos histricos e altas dosesde co para radiografar a tra-jetria da primeira mulher a as-sumir o trono portugus e queentrou para a histria como APiedosa (Portugal) ou como ALouca (Brasil). 26/6_20h30.Palcio da Cultura Umberto Mag-

    nani Netto. info: 14 3372 -1227Grtis!

    Evento. arrai da Curtura noCoreto Criativo ao som de ElielLima e convidados alm de apre-sentaes de quadrilhas. 21/6_17h. | Praa Dep. Lenidas Ca-marinha . info: 14 3372-1227.Grtis!

    Msica. Coreto encanto coma banda rolling porks. 28/6_

    20h30. | Praa Dep. Lenidas Ca-marinha. info: 14 3372 -1227.Grtis!

    tatutatu

    Teatro. os males de quepadece o ser humano vmdele mesmo. 15/6_20h30.Conservatrio de Tatu (Sala Preta Setor de Artes Cnicas). Maioresde 12 anos. info: 15 3205-8434. Grtis!

    MAIOMAIO_junho por Daniel Perin Cassiolato12 agenda cultural

    DIVULGUE SEU EVENTO AQUI _ GRTIS _ MANDE DADOS COMPLETOS AT o DIA 30 do ms _ [email protected]

  • Julho se aproxima e com ele oevento que tomou grandespropores em Santa Cruz doRio Pardo e regio desde osalto de qualidade do anopassado: o Rock in Rio Pardo.Esta ser a 13 edio do festi-val que comeou tmido, pe-quenino, e agora esperaatingir um pblico de 15.000pessoas/dia.

    O grande chamariz da festamais uma vez a mistura devrias vertentes do rock e ad-jacncias. Tem folk, thrash,grunge, indie, pop, classicrock, country, blues... Umageleia ideal para fazer o es-pectador desavisado abrir amente e surfar ondas menosfamiliares.

    Sero 16 bandas, metade nosbado (25/07), a outra nodomingo, sendo 6 delas san-tacruzenses. E vem gente deRibeiro Preto, So Paulo, Bo-tucatu, Ourinhos, Jacarezinho,Suzano e Bauru para tocar.

    Mais uma vez, duas bandaslocais escolhidas pelo Face-book iro abrir os trabalhos

    (Amnesya e Sem Dvidas),numa tima iniciativa de in-centivo rapaziada que estcomeando. Gosto bastante eindico os tambm locaisMafagafos e Showbizz.

    Tocando msicas prprias,teremos De Um Filho, De UmCego, Limados, Turvo PardoParanapanema e D.I.E, bandascom estilos completamentedistintos. onde reside minhamaior curiosidade.

    A Cavalo Morto, petardo deBauru com 22 anos de bonsservios prestados ao rock,jogar com torcida a favor, jque conquistaram uma boabase de fs em Santa Cruzcom seus shows no mtico Bardo Cerso. Destaque tambmpara a Matat, de Ourinhos,uma agremiao de timosmsicos egressos de vriasbandas.

    Fechando a primeira noite,teremos o redivivo Ira!, quevem percorrendo o pasdesde que sua metade maisfamosa (Nasi e Edgard Scan-durra) voltou a se aturar e pas-

    sou a excursionar por todo opas. Com altos e baixos emsua longeva carreira, o Ira! um dos grandes represen-tantes do rock nacional 80.Nasi ainda segura a ondacomo o grande showmanque sempre foi, e Scandurra,vocs sabem, s um dosmelhores guitarristas que onosso rock conheceu.

    No domingo, teremos umadobradinha de rock bbado:o timo Acsticos & Calibra-dos, de Bauru, defendendocom seus violes altos clssi-cos do rock, combinando per-feitamente como prvia doveterano Velhas Virgens. Tudobem, o Velhas uma piada jmeio surrada, mas o showainda diverte, e o vocalistaPaulo uma das guras maisimpagveis e politicamenteincorretas em cima de umpalco. Conra e sorria, mastire antes as crianas da sala.

    Rock in RIOPardo 2015 *Tiago Cachoni

    13 papo cabea

    _Circo. Carpinteiros emdomiclio - Cia. suno. Os palhaosSanduba e Fiorella chegam commonociclos carregando madeiraspara iniciarem uma obra. Ao identi-carem o espao iniciam uma diver-tida e inusitada reforma, repleta depalhaadas, nmeros de rola-rola eacrobacias diversas, interagindo como pblico. (45min/livre) assis: 13/6_17h. Parque Ecolgico Buraco "Joo Domingos Coelho" paLMitaL: 28/6_20h. Lanchdromo

    _Msica. Mariangela zan. Showem homenagem a Inezita Barroso,como uma forma de agradecimento

    e um tributo ao legado que eladeixou na Msica Popular Brasileira.(45 min/livre) aVar: 25/6_20h30. Anteatro da Diretoria Regional de Ensino BotuCatu: 26/6_20h. Praa Rubio Jnior

    _Infantil. iara o encanto dasguas - Cia Luminato. Um ndioda aldeia sonha com uma mulhersobrenatural. Ao acordar, procura osbio Paj para tentar entender osmistrios dessa mulher, descobrindoa histria da Iara. (40 min/livre) santa Cruz: 18/6_15h.Palcio da Cultura Umberto Magnani Neto

    piraju: 20/6_20h. Cinemax Bernardino: 21/6_16h.Centro Cultural _Circo. el Gran Gustavo augusto- Gutto thomaz. Espe-tculo quedesperta a liberdade de cada umatravs do riso, que faz descobrir quea vida tem a morte como maioramor. (50 min/12 anos) Lins: 26/6_14h. Casa da Cultura

    _Msica. Banda seu Chico. Bandade pegada danante e mais sosti-cada, voltada para o samba decampeo do Chico Buarque. (90min/ livre) ourinHos: 11/6_20h.49 FAPI

    O Circuito CulturalPaulista traz para ointerior espetculosde qualidade Grtis!

    At os mais ranzinzas e mal-humoradosesboam um sorriso quando se deparamcom o atual futebol do Barcelona, im-possvel no ficar com os olhos brilhandoao ver o que Messi, Neymar e companhiaandam fazendo com a bola nos ps.Futebol bem jogado, com a maestria dejogadores excepcionais que jamaisdeixaram a vaidade individual prevalecersobre a coletividade do time.

    Futebol bonito e eficiente que rendeuao clube catalo uma temporada per-feita, terminando no ltimo final de se-mana com a conquista do trofu maisimportante do futebol europeu: aChampions League. Liderado pelo trioMSN (Messi, Surez e Neymar), o Baraderrotou a valente Juventus em um jogodigno de final da Champions.

    Alm da conquista da Liga, o time co-mandado por Luis Enrique j havia abo-canhado recentemente os trofus daCopa do Rei e do Campeonato Espanhol.Com essas taas, o Bara forma o

    Triplete, que significa a conquista dostrs campeonatos mais importantes emuma mesma temporada.

    Como uma amante do futebol, s meresta dizer: Grcies, Bara!

    *apaixonada por futebol que deixa aqui uma ltima curiosidade: o letal e brilhante trio MSN marcou ao longo a temporada somente122 gols

    *msico que pretende assistiras 16 bandas do Rock In Rio

    Pardo

    Visca el Bara

    *Priscila Manfrim

    Esportes

  • Alvinho saiu em dis-parada para a sala.Era seu pai chamando:Veja isso aqui, filho.Na TV, um filme doDemolidor, umsuper-heri cego com

    um olfato to bom quanto o docachorro. Ele fala para o amigo:No olhe agora. Ela ir entrarpor aquela porta daqui a pouco:3,2,1, agora.

    De tanto Alvinho falar para o paio tanto que Pingo cheira todavez que sai para passear, seu paificou atento.

    Alvinho estava convencido quequando Pingo cheira um poste,identifica o xixi de cada cachorroque passou por ali e se o cheiro recente, ou antigo, em outraspalavras, fica sabendo quando que cada cachorro passou por ali.No cheiro que o vento traz, sabe

    quem ainda ir chegar, como osuper-heri no filme da TV.

    Alvinho olhou para o Pingo admirado e disse: Pingo, voc meu super-heri

    14 meninada

    Pingo e o Super-Heri

    Ache as 10 diferenas

    Pingo

    O que , o que :

    1- Aparece no incio do ms, no meio da semana, mas nunca aparece no dia? 2- Caminha sem ps, voa sem asas

    e pousa onde quiser?3- Que que fica cheio durante

    o dia e vazio a noite?4- O que quebra quando se fala?

    Waldomiro Neto

    Respostas:

    Respostas: Adivinhas_1- a letra M. 2- a luz. 3- o boto. 4- o segredo. 10 Difrenas_1: Nuvem. 2: sardas da mulher. 3: anel da mulher. 4: Cabelo da mulher.

    5: Montanha da esquerda. 6: orelha do co. 7: Bolso da cala do homem. 8: ala do esqui da mulher. 9: ponta do sapado to homem. 10: Cor da coleira do cozinho.

    arte: Sabato Visconti | 360

  • Tenho acompanhado com apreensoleitores e amigos manifestando suasinsatisfaes para com a vida. So sen-timentos diversos que transitam dafrustrao por conquistas no alcan-adas, passando pela desmotivaodecorrente da falta de reconheci-mento, at a mera desiluso diante dafalta de perspectivas.

    Reetir a este respeito levou-me a relera obra Em busca de sentido Um psi-clogo no campo de concentrao, deViktor Frankl, fundador da logoterapia,considerada a terceira escola vienensede psicoterapia (as outras duas so asde Freud e Adler). Trata-se do fasci-nante relato autobiogrco do autoracerca de sua experincia como pri-sioneiro em Auschwitz e outros cam-pos durante a 2 Guerra Mundial.

    Para a logoterapia, a busca do indiv-duo por um sentido na vida a foramotivadora primria para o ser hu-mano. Frankl apresenta pesquisa feitacom quase oito mil alunos de 48 uni-versidades que perguntados sobre oque consideravam muito importantenaquele momento, 16% declararamganhar muito dinheiro e 78% ar-maram encontrar um propsito para avida.

    Outro exemplo recente foi a pesquisarealizada no incio de 2013 pelas con-sultorias DMRH e Nextview apontandoque quatro em cada dez executivosbrasileiros esto dispostos a mudar deempresa porque buscam um trabalhoalinhado aos seus propsitos e valores.

    Mas esta angstia existencial, a dvidasobre se a vida vale a pena ser vivida,evidentemente no se restringe aombito prossional. Ela assume con-tornos maiores, manifestando-se numestado de tdio e apatia atravs dosquais a pessoa vai morrendo interior-mente e lentamente.

    Como bem pontuou Frankl, as emo-es so como algo em estado gasoso.Tal como um gs preenche de formauniforme e integral todo um espao va-zio, assim a tristeza, a solido, a angs-tia e o sofrimento ocupam toda a almahumana. Por sorte, analogamente, omesmo se aplica menor das alegrias.

    Por isso, no basta o mero interesseprimitivo em se preservar a vida. essencial que cada pessoa identiquesua misso (do latim missio, o enviado)e oua sua vocao (do latim vocatio,o chamado) nesta busca por propsito,a qual pode ocorrer a partir de trscaminhos bsicos: (a) pela necessidadede se concluir um trabalho qualquerque ser legado humanidade e quedepende exclusivamente de seu pro-tagonista; (b) pelo sofrimento, tal qualo experimentado pelos prisioneirosnos campos de concentrao ou poralgum que luta contra uma doenaincurvel; e (c) pelo amor, o bem ltimoe supremo que pode ser alcanadopela existncia humana e no neces-sariamente o amor fsico, mas o amorespiritual, at mesmo inanimado.

    Em sua busca por um sentido para avida, lembre-se de que embora o su-cesso seja perseguido do ponto de vis-

    ta prossional, e a felicidade, no mbi-to pessoal, preciso salientar que am-bos devem ser decorrncias naturais.Por isso, pare de persegui-los e, quan-do voc no mais se lembrar deles sucesso e felicidade , fatalmenteacontecero em sua vida. Tenha tam-bm em mente que ambos so tran-

    sitrios. Anal, se voc fosse feliz otempo todo, no seria feliz em tempoalgum...

    1515 bem viverbem viver

    *educador, palestrante em gesto de pessoas enegcios, escritor com artigos publicados em

    17 pases e autor de oito livros. tomcoelho.com.br - [email protected] tomcoelho. com.br

    image

    m:

    Dre

    am

    stim

    e

    Um sentido para a vidaNo importaNo importa

    o que nso que nsainda temos ainda temos a esperar a esperar

    da vida, masda vida, massim o que asim o que avida espera vida espera

    de ns.de ns.(Viktor Frankl)(Viktor Frankl)

    *Tom COelho