CURSO NVEL II. A Concep§£o de Mundo do Materialismo Dial©tico e Hist³rico [FILOSOFIA]

  • View
    144

  • Download
    32

Embed Size (px)

Text of CURSO NVEL II. A Concep§£o de Mundo do Materialismo Dial©tico e Hist³rico...

  • Slide 1
  • CURSO NVEL II
  • Slide 2
  • A Concepo de Mundo do Materialismo Dialtico e Histrico [FILOSOFIA]
  • Slide 3
  • A filosofia como a principal parte constitutiva do marxismo. Madalena Guasco Peixoto
  • Slide 4
  • Nascimento da filosofia VII a.c Grcia. Grande rea de conhecimento- suas categorias. A relao filosofia e cincia. A relao filosofia e religio. Senso comum e conscincia filosfica. Teoria e pratica. Partes da filosofia: ontologia,epistemologia,tica e esttica.
  • Slide 5
  • Questo fundamental da filosofia A relao ser / pensar. Questo derivada- como o ser, como o pensar. O ser primrio e o pensar derivado= materialismo. O pensar primrio e o ser derivado=idealismo.
  • Slide 6
  • O ser e o pensar so estticos = metafsica. O ser e o pensar esto em transformao constante = dialtica. A correntes da filosofia so histricas. Se desenvolvem conectadas ao desenvolvimento da sociedade humana e do conhecimento humano.
  • Slide 7
  • Materialismo metafsico. Materialismo dialtico. Idealismo metafsico. Idealismo dialtico.
  • Slide 8
  • Modernidade. Crise da concepo de mundo feudal. Crise da concepo de homem feudal. Crise da concepo de conhecimento feudal. Crise da concepo de sociedade feudal.
  • Slide 9
  • Nova concepo de conhecimento- mtodo Empirismo e racionalismo. Nova concepo de sociedade e de homem e de histria- liberalismo e materialismo dialtico e histrico Francis Bacon- empirismo materialismo metafsico. Ren Descartes racionalismo idealismo metafsico. John Locke empirismo materialismo metafsico. E. kant racionalismo critico- idealismo metafsico. Hegel racionalismo idealismo dialtico. K.Marx relao dialtica entre o real e o racional- materialismo dialtico.
  • Slide 10
  • Contexto econmico e social = revoluo industrial. super- explorao da fora de trabalho. capitalismo concorrencial; expanso do capitalismo na Europa. Constituio de grandes centros urbanos e industriais.
  • Slide 11
  • Contexto poltico = Ascenso e domnio do Estado pela Burguesia- a democracia burguesa. O socialismo utpico. A organizao e a luta independente do proletariado.
  • Slide 12
  • Contexto cientfico = Revoluo cientfica e tecnolgica- o domnio do positivismo reducionismo-mecanicismo. Cincia Alem- viso processual. Grandes descobertas= transformao e conservao de energia; unidade celular;evoluo das espcies.
  • Slide 13
  • Contexto filosfico= Predomnio do materialismo mecanicista. A luta contra o idealismo. A dialtica idealista de Hegel. O fim da filosofia especulativa. O materialismo e a dialtica ao longo da histria a sntese criativa marxista e a tradio a qual pertence. Filosofia marxista: viso de mundo, lgica e mtodo.
  • Slide 14
  • O carter cientfico do marxismo, a concepo de mundo e mtodo materialista dialtico Madalena Guasco Peixoto
  • Slide 15
  • Substituio dos grandes modelos filosficos pela investigao cientfica de mundo, de sociedade, do homem. O conceito de cincia e de conhecimento. O carter cientfico do marxismo: a teoria poltica, as cincias da sociedade materialismo histrico, a antropologia, a psicologia,a teoria de conhecimento.
  • Slide 16
  • 1- Conceito de matria : Matria toda a realidade objetiva que existe independente, das sensaes, do pensamento e da conscincia. Que copiada pelas nossas sensaes existindo independente delas. Matria conceito amplo. Conceito filosfico / cientfico: diferenas e semelhanas. A Matria s existe em movimento. O movimento a forma de existncia da matria.
  • Slide 17
  • Pensamento/conscincia. Relao entre pensamento e linguagem. Diferentes formas de pensamento. Diferentes formas de linguagem. Realidade- concepo leninista de realidade como relao entre fenmenos materiais e elaboraes mentais- subjetividade do conhecimento e objetividade do conhecimento.
  • Slide 18
  • O pensamento forma evoluda de reflexo psquico e propriedade de seres biolgicos. a relao destes seres ao mundo existente- do qual eles so parte e ao qual esto materialmente conectados. O pensamento se distingue da linguagem com a qual se expressa.
  • Slide 19
  • O pensamento consciente existe apenas quando se expressa por meio de uma linguagem compartilhada subjetividade humana.- mundo simblico. A dissociao entre pensamento e linguagem ainda hoje visvel entre muitos dos primatas que solucionam problemas mas no os comunicam, sem conscincia do que fazem.
  • Slide 20
  • No homem, desde muito cedo, pensamento e linguagem se associam permitindo aos seres humanos desenvolverem formas simblicas de linguagem (mmica, alfabetos,idiomas,clculos algbricos,lgicos e computacionais, e formas abstratas de pensamento categorizaes, generalizaes, projees etc.
  • Slide 21
  • A cincia demonstra que o pensamento derivado da matria. Materialismo mecanicista reduz o pensamento conjunto de sinapses nervosas realizadas no crebro- ainda que o pensamento no exista sem esta complexa rede neural ele somente se desenvolve atravs da interao social e do uso da linguagem. O pensamento to social quanto o homem. O pensamento tem base material (biosocial) e se expressa por meios psicolgicos (atravs de algum tipo de linguagem intencional)
  • Slide 22
  • A cincia prova que o pensamento produto da matria. Depende do mundo material. produto do desenvolvimento da matria em geral e da matria social.
  • Slide 23
  • Materialismo moderno- afirmao de que o pensamento, a conscincia so propriedades emergentes da matria. Neste conceito o materialismo subsume sua negatividade o idealismo. Todo o universo material desde que se reconhea o movimento- a mudana, como nica propriedade imutvel da matria. Qualquer forma ou propriedade da matria que descoberta pela cincia e ela descobre isto o tempo todo- obedecem rigorosamente a esta caracterstica universal a de se transformarem umas nas outras ou de criarem novas propriedades e formas a partir das j existentes.
  • Slide 24
  • O idealismo no outra coisa seno afirmar que a matria ou foi criada por um esprito universal, idia absoluta, ou pelas mentes das pessoas dependendo neste caso, das sensaes (diferentes tipos de idealismo)
  • Slide 25
  • O movimento. 1- Movimento mecnico / movimento dialtico. movimento mecnico pressupostos o repouso absoluto e o movimento relativo. Movimento dialtico pressupostos o movimento absoluto e o repouso relativo.
  • Slide 26
  • Leis do movimento da matria : sociedade e natureza. 1-Conexo universal entre os fenmenos. Aparncia e essncia. 2- Unidade e luta dos contrrios (identidade / contrrios ) luta = movimento. 3- Transformaes quantitativas em qualitativas. (quantidade e qualidade) 4- lei da negao da negao tendncia geral do inferior para o superior ( mais complexo).
  • Slide 27
  • Conexo universal. Causalidade causas internas e externas/ causas imediatas e causas mediatas /causas principais e secundrias causas necessrias e suficientes mltiplas determinaes
  • Slide 28
  • Leis e categorias do estudo dos fenmenos da natureza e da sociedade - como o mundo como conhec-lo = Mtodo a maneira de reproduzir o mais prximo possvel, no pensamento, o objeto que se estuda
  • Slide 29
  • Estudo da sociedade e da histria humana Materialismo histrico e dialtico. Mtodo do conhecimento da histria, da sociedade e das idias. A relao ser / pensar no mtodo a relao entre o emprico e o racional.a)O materialismo dialtico resolve a dicotomia entre o ser e o pensar do ponto de vista materialista(realidade UMA).b) o papel das sensaes o papel da razo. C) a diferena entre aparncia e essncia.(categoria )
  • Slide 30
  • A questo da verdade seu carter relativo e absoluto (a verdade histrica em dois sentidos). A matria independe da conscincia e das sensaes.(concepo anti-relativista e anti- agnstica)A pratica como critrio de verdade
  • Slide 31
  • Categoria sujeito e objeto. Categoria da relao entre teoria e pratica anti- pragmatismo e anti- teoricismo. A conexo universal tudo causa e tudo efeito (categoria ). O conhecimento subjetivo, mas carter objetivo histrico. Categoria de sujeito e objeto. Categoria de realidade e possibilidade = movimento dialtico.
  • Slide 32
  • Categoria de casualidade e necessidade importncia no estudo dos fenmenos.(relaes no tpicas histria humana e natureza) Categoria de contedo e forma importante categoria para a atividade poltica. Categoria geral e especfico. Categoria de liberdade e necessidade luta contra o materialismo mecanicista (determinismo absoluto e liberdade absoluta). O conhecimento dos fenmenos liberta o homem das necessidades
  • Slide 33
  • O mtodo exige concepo de mundo estudo dos fenmenos em movimento e em interrrelao. A polmica contempornea entre marxismo e cincia marxismo e reducionismo. Refutando Karl Popper a cincia das cincias- refutando o dogmatismo- refutando o positivismo.cincia e ideologia.
  • Slide 34
  • Materialismo dialtico e a crise de paradigmas da cincia contempornea. Simplicidade e complexidade. Ordem e caos. O fim das teorias totalizantes. O fim dos mtodos- o fim do