Click here to load reader

Minha Gratidão a Deus (Missionária Margarida)

  • View
    233

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Livreto produzido para comemoração dos 85 anos de vida da Missionário Margarida Lemos Gonçalves.

Text of Minha Gratidão a Deus (Missionária Margarida)

  • MINHAGRATIDOA DEUSMARGARIDA LEMOS GONALVES

  • Querido Deus, meu Pai, meu Senhor,

    Hoje estou grata a Ti, por ter me per-mitido viver esses 85 anos de idade e quase 64 anos de atividades mission-rias. Trago na memria, as lembranas felizes da infncia, do carinho dos fa-miliares e dos primeiros amigos... No esqueo as divertidas brincadeiras, a inocncia, o cheiro e o sabor peculiar daquela fase to doce!

    Ainda na infncia pude testemunhar o Teu amor, que entre tantos outros cui-

    dados, livrou-me de uma grave doena, que me sentenciara morte em, talvez, sete anos. Mas pela Tua misericrdia, hoje comemoro oito dcadas e meia de vida, sempre na Tua companhia.

    Tenho saudade daqueles tempos de mocidade! Foi quando o Senhor forta-leceu o chamado que j estava em meu corao desde a infncia. O Senhor fez a minha histria se cruzar com os pro-psitos de outras pessoas to queridas. Pois, foi no mesmo ano de meu nasci-mento, em 1927, que o doutor Lewis Malen Bratcher saiu do Rio de Janeiro em viagem missionria, e entre tantos

    Lgia de Castro e Beatriz siLva deixam o rio de Janeiro no navio da linha itas, com destino ao serto, numa viagem que duraria 33 dias (1936)

    1

    4

    2 3

    1 - Beatriz Silva e Lgia de Castro (1937); 2 - Zacarias Campelo, pastor da Igreja Batista em Piabanha durante a implantao do colgio; 3 - Primeiro dia de aula na Escola Batista em Piabanha (1936) ; 4 - Beatriz Silva e o pastor Almir Gonalves (pai de Margarida) em frente ao primeiro prdio do Colgio Batista (dcada de 40); 5 - Margarida Lemos ao lado das pioneiras

  • lugarejos visitados, enxergou na vila Piabanha (hoje cidade de Tocantnia) a possibilidade dos Batistas abrirem ali uma escola.

    Os anos se passaram e, no tempo cer-to, o Senhor fez brotar essa semente no corao de muitos. Os Teus propsitos, Deus, so muito diferentes dos planos humanos, mas quando nos dispomos a fazer a Tua-Boa-Perfeita-e-Agradvel Vontade, o Senhor coloca em ns o de-sejo latente de realizar os Teus planos. Assim, o Senhor fez com a missionria Beatriz Rodrigues da Silva, que de ma-neira diferente das outras jovens de sua

    idade, trocou a Cidade Maravilhosa para iniciar os trabalhos em Piabanha e se tornou a fundadora e primeira di-retora do Colgio Batista de Tocantnia.

    Em tudo enxergo o Teu direciona-mento, o Teu cuidado e a Tua proteo. Em 1948, quando foi a minha vez de deixar o Rio de Janeiro e junto com a cidade deixei, a famlia, os amigos e a igreja que o Senhor havia me dado! Fui trabalhar primeiramente em Carolina, estado do Maranho, lugar onde colo-quei em prtica um pouco do preparo que havia recebido durante minha for-mao. Hoje, me sinto honrada em dar

    Lewis MaLLen BratCher, diretor executivo da Junta de Misses nacionais da Conveno Batista Brasileira, que em 1927 visitou Piabanha e identificou a necessidade de implantao do colgio

    6

    7

    5

    Marcolina Magalhes e Beatriz Silva (anos 40); 6 - Alunos do Colgio Batista. Beatriz Silva, a primeira do lado esquerdo, e pastor Zacarias Campelo, ltimo do lado direito (1937); 7 - Margarida Lemos no Rio de Janeiro (1945);

  • nome a uma escola de alfabetizao in-fantil que fundei naquele municpio du-rante os dois anos de trabalho naquele campo missionrio.

    Mas o Senhor havia preparado um enredo ainda mais longo que veio mar-car minha histria no serto brasileiro. Em 1951, cheguei a Tocantnia para tra-balhar ao lado da missionria Beatriz Rodrigues da Silva, a corajosa dona Beatriz, que dois anos depois de minha chegada, me transferiu a direo do Co-lgio Batista.

    Juntas e, sustentadas por Ti, imprimi-mos algumas mudanas significativas

    na escola: contrumos um novo pr-dio, com salo de reunies, aforamos o terreno atual, medindo 81 mil metros quadrados e construmos os trs prdios que ainda hoje existem: Edifcio Artie Porter Bratcher, Edifcio Isoltina Fer-reira e Edifcio Samuel Mitt. Foram 35 anos de trabalho prestado ao Col-gio Batista de Tocantnia como diretora. Por l passaram muitas crianas que se tornanaram adultos valorosos e hoje so de grande relevncia no Tocantins, em Gois e em outros estados.

    Depois disso, o Senhor me deu um novo desafio. Em 1986, aceitei o convite

    Beatriz siLva, a missionria que veio para ficar, foi pioneira na implantao e primeira diretora do Colgio Batista de tocantnia (1946) 8

    109

    11

    8 - Vista erea do Colgio Batista de Tocantnia (anos 60); 9 - Beatriz Silva com turma do jardim da infncia (1965); 10 - Alunos em frente a escola (1949) ; 11 - Desfile de 7 de setembro, na futura avenida Beatriz Silva (1977);

  • para dirigir o Colgio Batista de San-tarm, no Par, onde fui acolhida por uma gente muito amigvel e alegre. Mas no meu corao, era intensa a saudade do ento norte de Gois.

    Com a criao do Estado do Tocan-tins, a Junta de Misses Nacionais da Conveno Batista Brasileira me convo-cou para estar presente nos eventos pio-neiros do sonhado Estado. E, seguido a isso, recebi o convite do governo instala-do, para dar atendimento aos encargos de implantao do Sistema Estadual de Educao. Graas a capacidade que o Senhor me deu e ao reconhecimento dos

    profissionais de educao, autoridades e companheiros de trabalho, cheguei a ocupar a presidncia do Conselho Es-tadual de Educao, a vice-presidncia do Conselho Municipal de Educao de Palmas, alm de me tornar membro da Academia Tocantinense de Letras, da Academia Palmense de Letras e ter recebido no ano de 2007, com muita honra, o ttulo de Cidad Tocantinense, concedido pela Assembleia Legislativa do Tocantins.

    No esqueo tambm da experincia vivida em Lajeado. Foi confiando em Ti e esperando em Ti que alcanamos um

    a diretora Margarida LeMos (ao centro) com a equipe de professoras do Colgio, formada por missionrias que dedicaram suas vidas a deus e ao servio ao prximo (1971)

    12 13 114

    12 - A tradicional feira de cincias (1975); 13 - Beatriz Silva discursa durante o aniversrio de 30 anos do colgio (1966); 14 - Turma do CBT (1970);

  • novo flego na congregao daquela ci-dade, conseguindo at mesmo construir um novo prdio, um novo santurio, e ter hoje um trabalho seguindo em plena expanso!

    Creio que o Senhor tem reservado um novo tempo de batalhas e vitrias! Muitas vezes da tristeza o Senhor faz a alegria! Foi um momento de lamenta-es quando em dezembro de 2010, o Colgio Batista de Tocantnia precisou encerrar formalmente suas atividades, aps sua mantenedora perceber a invia-bilidade de continuao da escola. Po-rm, a Junta de Misses Nacionais no cerrou as portas definitivamente, mas

    disponibilizou o espao fsico daquela propriedade para os rgos que desejas-sem e pudessem prosseguir com aquele trabalho. Foi, ento, que por iniciativa do senhor Jos Wilson Siqueira Cam-pos, nosso atual governador, e do pro-fessor Danilo Melo, secretrio estadual de educao, foi assinado um comodato, no qual, por 20 anos, o Colgio Batista de Tocantnia ser somado rede esta-dual de educao, continuando a exer-cer, portanto, seu papel, agora com uma nova proposta, ser uma escola profissio-nalizante. Louvo a Ti, Senhor Deus, por essa nova oportunidade, que certa-mente significativa para o crescimento

    Professores do Colgio Batista de tocantnia. ao centro, Beatriz siLva e direita Margarida LeMos gonaLves (1986)

    12 13

    14

    12 - Margarida Lemos Gonalves, no Seminrio Batista do Sudoeste dos Estados Unidos (1962); 13 - Dia do ex-aluno (1983); 14 - Time de voleibol com Margarida Lemos ao centro (dcada de 70) ; 15 - Com os imortais da Academia Tocantinense de Letras (2007); 16 - Culto em ao de graa pelos 50 anos de ministrio e 70 anos de vida, com alunos do Colgio Batista de Palmas (1997);

  • dos jovens de nossa regio.Apesar de ser conhecida pelos meus

    amigos como uma mulher de muitas palavras, diante de Ti, Senhor, meu vo-cabulrio insuficiente para agradecer por tantas amizades, por tantas parce-rias de rduo trabalho, pela oportuni-dade de ajudar a muitos, pela alegria de muitos momentos, at pela dor, pela fora, pela lucidez e pela prudncia que me tens dado!

    Quero continuar Te servindo e para isso peo que o Senhor me permita con-tinuar a vida com entusiasmo, esperan-a, bondade e otimismo!

    Peo que o Senhor encha os coraes

    de todos os que me cercam de compre-enso, idealismo e paz e que eles expe-rimentem, como eu, o quo agradvel viver dependendo de Ti e, assim, tam-bm eles testemunhem Tua soberania, h, Deus!

    Nas Tuas mos esto estes 85 anos de vida, alm desses 64 anos de ministrio, tambm so Teus os novos anos que vi-ro! Minha vida totalmente dedicada a Ti.

    Obrigada, meu Deus!Obrigada, Deus de amor!

    Margarida Lemos GonalvesTocantnia - TO, 5 de fevereiro de 2012

    a missionria atuou no Conselho estadual de educao por muitos anos 15

    16

    17 18 20

    19

    17 - Margarida mostra o Plano Diretor de Palmas obreiros batistas na biblioteca do Colgio em Tocantnia (1989); 18 - Margarida Lemos Gonalves homenageia a amiga Beatriz Silva, escrevendo em seu tmulo, na ocasio de seu falecimento em 29/07/96; 19 - Recebendo o ttulo de cidad palmense (1998); 20 - No lanamento da pedra fundamental de Palmas (1989)

  • Comemorao de 80 anos de idade e 60 anos de ministrio com a presena de amigos, autoridades, artistas e imprensa no teatro Fernanda Montenegro, em Palmas - to (2007)

    21 22

    23

    24

    Mas em nada tenho a minha vida

    por preciosa, contanto que cumpra

    com alegria a minha carreira, e o

    ministrio que recebi do Senhor Jesus,

    para dar testemunho do evangelho

    da graa de Deus. Atos 20:24

    Colaboraram na execuo deste material: Junior Maciel, Rosana Brelaz, Marcelo da Silva, Hamistelie Soares e Ronaldo Mitt. Impresso pela Proviso Grfica e Editora (63) 3212 9500

    21 - Conduzindo a tocha olmpica dos Jogos Pan-amer