of 16 /16
RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE SEGURANÇA PRIVADA SALVADOR 2011

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ......Interdisciplinar, que faz parte da disciplina Projeto Integrador, oferecida em todos os módulos. Conteúdos Curriculares: Os conteúdos curriculares

  • Author
    others

  • View
    9

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ......Interdisciplinar, que faz parte da disciplina Projeto...

  • RESUMO

    PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

    SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM

    GESTÃO DE SEGURANÇA PRIVADA

    SALVADOR

    2011

  • Contexto Educacional:

    Os Cursos Superiores de Tecnologia surgem como uma das principais respostas do setor

    educacional às necessidades e demandas da sociedade brasileira, como cursos, essencialmente

    de graduação com características diferenciadas, estruturados a luz das Diretrizes Curriculares

    Nacionais, aprovadas pelo CNE e homologadas pelo MEC, visam apresentar conteúdos de

    relevância para os discentes, assim como desenvolver competências que permitam uma

    atuação sólida dos egressos no mercado de trabalho. Sendo assim, o Centro Universitário

    Jorge Amado, através da sua missão “produzir, sistematizar e difundir conhecimentos que

    contribuam com a formação de profissionais éticos, empreendedores, dotados de senso

    crítico, sensibilidade cultural e inteligência criativa, consciente do seu papel social, profissional

    e do seu compromisso com a cidadania”, implanta o Curso Superior de Tecnologia em Gestão

    de Segurança Privada almejando contribuir com a progressiva expansão deste mercado,

    formando profissionais conscientes que um país deve produzir sempre com qualidade, porém

    com respeito a sociedade ao meio ambiente e integridade física e moral do trabalhador.

    O Avanço da Segurança Privada no Brasil se deu ao longo das últimas décadas no Brasil

    caracterizando –se em uma transferência do uso licito de força, do Estado para particulares

    devido ao aumento exacerbado da violência e o baixo desempenho da segurança pública.

    Existente desde 1969 e regulamentado pela na Lei 7.102 de 1983 tinha na época um objetivo

    principal de atender especialmente a vigilância do setor financeiro.

    Ocorre que com o aumento crescente da violência nos centros urbanos alastrou-se esse tipo

    de prestação de serviço para empresas de outros ramos de atividades contemplando também

    a segurança terceirizada em empresas públicas e até de residências, não deixando de registrar

    que o acumulo de capital leva a uma espécie de “elitização” da segurança com a formação das

    chamadas milícias.

    É com esse novo olhar que se faz necessário formar profissionais com uma visão macro, de

    gestão onde eles possam entender todo o processo de estratégia na implantação de ações que

    visem a promoção à segurança de uma forma sistêmica, liderando grupos de trabalho e

    processos.

    Diante desse novo cenário onde começam a se proliferar as praticas ilícitas no exercício

    profissional e novas modalidades ainda não contempladas na legislação a exemplo disso, o

  • profissional Vigilante, se faz necessário à formação de um profissional que entenda que a

    segurança privada deve estar sempre atrelada a uma empresa privada e não pode substituir o

    papel do estado na segurança pública.

    Por tudo isso e diante de quadro descontrolado onde falta fiscalização e sobra despreparo e

    informação aos profissionais dessa área , colocando em risco a vida de quem trabalha no setor

    e também da sociedade e entendendo que a segurança privada cresceu enormemente nas

    ultimas décadas surge e desponta como necessário uma formação que atenda esse publico

    com uma carga horária e formação baseada também em processos de gestão: A de Tecnólogo

    de Gestão de Segurança Privada

    Desta forma, este curso vem de encontro à reciclagem de profissionais já atuantes na área de

    Segurança Privada, como por exemplo, vigilantes, seguranças de Shoppings Centers,

    Seguranças do Setor Financeiro em Geral e de atuações similares aliando-se ao perfil de

    formação educacional desse público e as suas necessidades de formação técnica mostrando a

    importância de uma formação com das bases na educação profissional.

    Auto Avaliação:

    O processo de autoavaliação do Centro Universitário Jorge Amado foi elaborado

    contemplando as 10 dimensões do SINAES e é aplicado de modo a promover as ações de

    melhoria, conforme orienta a lei 10.861, de 14 de abril de 2004. Para coordenar esse processo

    de avaliação interna foi constituída e designada a Comissão Própria de Avaliação (CPA)

    Como estratégia de diagnóstico da realidade existente para ações futuras, semestralmente, é

    aplicado um questionário junto aos discentes, docentes e pessoais técnicos administrativos. O

    processo de avaliação é on-line, o que permite agilidade na geração e análise dos resultados,

    bem como a revisão e publicação dos relatórios finais. Essa formatação também é responsável

    pela transparência e seriedade que envolve todo o processo.

    Esse procedimento tem contribuído com a configuração do modelo de avaliação dos cursos,

    levando em conta as percepções, preocupações, construções e valores dos interessados. Esse

    processo considera a dignidade, a integridade e a privacidade dos envolvidos, buscando

    intensa participação dos mesmos, na construção de cursos efetivamente associados às

    necessidades de aprendizagem e demandas de formação do indivíduo, no contexto político-

    social-cultural.

  • A avaliação interna configura-se como um processo contínuo, por meio de diversas ações,

    sempre coordenadas pela CPA, dentre as quais acrescentam-se reuniões periódicas com as

    lideranças docentes e discentes, momentos em que apontam aspectos relevantes na

    construção do curso: pontos fracos e pontos fortes e ações de melhorias a serem implantadas

    no curso

    Os resultados são utilizados para intervenções pedagógicas no curso. Foram também

    implantadas ações para melhoria dos resultados do ENADE, tanto no âmbito institucional,

    como a criação das ações de nivelamento com a implementação do programa de construção

    de competências; programa de formação de professores; realização da APED (avaliação

    periódica discente), em consonância com as intervenções realizadas no âmbito do curso.

    Objetivo do Curso:

    O Curso Superior Gestão em Segurança Privadal do Centro Universitário Jorge Amado tem por

    objetivo a formação de profissionais aptos a gerir atividades relacionadas à segurança, além

    de planejar e elaborar políticas de segurança privada.

    O objetivo específico do curso é:

    Preparar profissionais com capacidade de planejar, gerenciar, coordenar, supervisionar,

    organizar e avaliar programas e projetos de segurança;

    Desenvolver competências que proporcione a possibilidade de gerir pessoas, materiais e

    processos, principalmente relacionados aos riscos e crises na área da segurança empresarial.

    Desenvolver habilidades para a facilidade no trato e relacionamento interpessoal,

    desenvolvendo os sensos críticos, analíticos, éticos e sigilosos

    Perfil Egresso:

    É por esse conjunto de razões que o curso norteará a sua grade curricular ao perfil profissional

    que é requerido, tanto para o mercado de trabalho local, diante de duas vertentes: uma sólida

    formação profissional e um aprimoramento da prática da cidadania. Por fim, o curso assumirá

    o compromisso de corroborar com o propósito do Centro Universitário Jorge Amado em

    defender os princípios éticos e preservar os valores culturais próprios.

  • O curso Superior de Tecnologia em Segurança Privada do Centro Universitário Jorge Amado

    pretende formar egressos com competência para:

    Na Formação Profissional geral:

    Comunicar-se com eficiência;

    Demonstrar iniciativa, persistência e motivação;

    Planejar e perseguir objetivos;

    Tomar decisão, solucionando com equilíbrio, questões do cotidiano;

    Estar em constante aprendizado e aperfeiçoamento;

    Mobilizar e organizar pessoas em torno do empreendimento.

    Na formação Profissional específica:

    O egresso do Curso de Tecnologia em Segurança Privada estará apto a:

    I. Organizar, planejar, comandar, coordenar e controlar os serviços de segurança nas

    organizações privadas.

    II. Coordenar de cursos e exercer o magistério nas escolas de formação de vigilantes,

    faculdades e universidades;

    III. Gerir as operações das empresas especializadas de segurança e transporte de valores;

    IV. Prestar assessoria, consultoria e auditoria de segurança;

    V. Estabelecer normas, regulamentos e instruções operacionais

  • Vagas:

    80 vagas anuais.

    Estrutura Curricular:

    A estrutura curricular do curso é flexível e considera a interdisciplinaridade, pois algumas

    disciplinas ofertadas simultaneamente estabelecem relações de análise e interpretação de

    conteúdos, objetivando propiciar ao discente uma melhor apropriação de um conhecimento

    mais abrangente e contextualizado. Em todos os módulos, é realizado, pelos discentes,

    orientados pelos professores, um trabalho técnico-científico, conhecido como Projeto

    Interdisciplinar, que faz parte da disciplina Projeto Integrador, oferecida em todos os módulos.

    Conteúdos Curriculares:

    Os conteúdos curriculares buscam o desenvolvimento do perfil profissional, considerando as

    competências tecnológicas do egresso e cargas horárias. O curso conta com 1880 horas/aula

    de disciplinas de caráter profissionalizante nas quais busca-se não dissociação entre teoria e

    prática e de disciplinas institucionais que compõe o eixo da cultura, conforme preconiza o PPI,

    e 80 horas em atividades complementares.

  • MATRIZ CURRICULAR

    MÓDULOS CÓDIGO DISCIPLINA CH TOTAL

    TEC003GP MODELOS DE GESTÃO ORGANIZACIONAL 60

    INS004GP OFICINAS DE LEITURA E ESCRITA 40

    TEC017GP EMPREENDEDORISMO 80

    TGA001GP PROJETO INTEGRADOR 60

    TEC001GP ÉTICA 40

    TEC016GP CONJUNTURA ECONOMICA E MERCADO 60

    INS002GP ESTUDOS CULTURAIS 40

    TEC002GP ESTATÍSTICA 40

    TGA002GP PROJETO INTEGRADOR 60

    TOTAL 480

    TSP002GP LEGISLAÇÃO APLICADA À SEGURANÇA 40

    TEC015GP SISTEMA DE INFORMAÇÃO APLICADO A GESTÃO 40

    TSP006GP ATIVIDADE DE BOMBEIRO E PLANO DE EMERGÊNCIA 40

    TSP039GP DIREITO EMPRESARIAL 40

    TST041GP PROJETO INTEGRADOR 60

    TST003GP PLANEJAMENTO DA SEGURANÇA EMPRESARIAL 40

    TST038GP DIREITO CONSTITUCIONAL 40

    TSP040GP SOCIOLOGIA DO CRIME E TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO 40

    TSP035GP GESTÃO DE SEGURANÇA EM EVENTOS 40

    TST042GP PROJETO INTEGRADOR 60

    TOTAL 480

    MÓDULOS CÓDIGO DISCIPLINA CH TOTAL

    TSP008GP GESTÃO DE CRISE E PLANO DE SEGURANÇA 60

    TSP014GP GESTÃO DE RISCOS EM TRANSPORTE E ESCOLTA ARMADA 60

    TSP043GP DIREITO PENAL APLICADO 40

    TSP044GP GESTÃO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 40

    TSP045GP GESTÃO DE SEGURANÇA PESSOAL E DE DIGNITÁRIOS 40

    TSP046GP PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL 40

    TSP048GP MARKETING E ENDOMARKETING NA SEGURANÇA 40

    TSP047GP PROJETO INTEGRADOR 120

    TOTAL 440

    TSP015GP PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA 60

    TSP016GP LOGÍSTICA EM SEGURANÇA 60

    TSP019GP GESTÃO DA SEGURANÇA BANCÁRIA E TRANSPORTE DE VALORES

    60

    TSP020GP GESTÃO DA SEGURANÇA DO TRABALHO 40

    TSP032GP GESTÃO DE PESSOAS 60

    TSP049GP DIREITO PROCESSUAL PENAL E ORGANIZAÇÃO JUDICIAL/POLICIAL

    40

    TSP050GP GESTÃO DA SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE 40

    TSP051GP PROJETO INTEGRADOR 120

    TOTAL 480

    CARGA HORÁRIA TOTAL DA MATRIZ 1880

  • *DISCIPLINAS FORA DA GRADE (OPTATIVA)

    CÓDIGO DISCIPLINA CH

    LLA006GP LIBRAS – LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS 40

    TSP034GP INTELIGÊNCIA E CONTRA INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL 40

    Metodologia

    O curto espaço de tempo de que dispõem os cursos tecnológicos exige que a metodologia de

    sala de aula seja diferenciada para garantir uma formação completa e de qualidade para os

    egressos.

    O conhecimento é construído a partir de experimentos práticos e estudo de caso. As aulas,

    bem como os módulos, são estruturados para atingir um determinado objetivo e incentivar o

    aluno a buscar novos conhecimentos a partir do que foi tratado com a turma e o professor.

    A teoria deve vir sempre associada a uma situação problema, e os alunos são orientados a

    propor soluções para os problemas apresentados dentro do conhecimento e da tecnologia

    disponível.

    Os professores organizam as atividades, conteúdos e práticas das diversas disciplinas de

    acordo com as habilidades e competências previstas para o módulo em que a disciplina está

    inserida e, consequentemente, dentro do escopo previsto para o perfil do egresso.

    Acredita-se que o desenvolvimento do aluno se dá a partir de um processo de ensino-

    aprendizagem que privilegia o experimento em situações do cotidiano, observando-se o

    crescimento do discente em relação ao conhecimento, as habilidades e as atitudes, buscando

    aprimorar o saber e desenvolver o saber-fazer e o saber-ser.

    Em todos os semestres, as disciplinas convergem para uma atividade integradora denominada

    de Interdisciplinar. A partir de um projeto semestral, a visão sistêmica do aluno é trabalhada.

    Todos os professores, nas suas respectivas disciplinas, contribuem para o desenvolvimento da

    atividade e, consequentemente, para uma formação discente mais ampla. Essa atividade se

    apresenta como um importante instrumento de aprendizagem, pois une o ensino – através da

    orientação do professor e a pesquisa – através da busca pelo conhecimento necessário através

    de pesquisa bibliográfica, visitas técnicas e/ou entrevistam com profissionais. Além disso, a

    atividade contribui para a formação do aluno no que diz respeito à capacidade de

    gerenciamento de atividades, gerenciamento do tempo, elaboração, organização e

    apresentação de resultados, relações interpessoais, dentre outras. Estes trabalhos são

    apresentados no evento Mostra de Projetos que acontece semestralmente no Centro

    Universitário Jorge Amado, para toda a comunidade acadêmica da UNIJORGE.

  • Objetivando garantir um processo constante de reflexão acerca das práticas de ensino e seus

    reflexos no grau de aprendizagem dos alunos; e, ainda, de observar o alinhamento das práticas

    aos princípios institucionais, foi criado o Núcleo de Pesquisa em Práticas Docentes (NPPD).

    Cabe ao NPPD: atuar na investigação, acompanhamento e orientação da prática dos docentes

    dos cursos; fornecer subsídios teóricos e práticos necessários ao trabalho voltado para

    aprendizagem significativa dos alunos e para um redesenho do ensino que se quer, hoje, mais

    problematizado e interdisciplinar; estabelecer parceria com os professores, com o objetivo de

    pensar, refletir e construir, conjuntamente, os Planejamentos de Intervenções Didáticas,

    favorecendo a qualificação do trabalho docente.

    Ainda visando a formação do aluno, a UNIJORGE promove vários eventos, o maior deles é o

    INTERCULTE, um evento que dá oportunidade aos discentes participarem de cursos e palestras

    e apresentação de pesquisas.

    Atendimento discente:

    Existem no curso programas de atendimento ao discente com atividades de nivelamento:

    Ateliê de Leitura e Escrita, Oficinas de Matemática ofertadas gratuitamente para os alunos.

    NDE:

    O NDE do curso é composto por 6 (seis) professores, o coordenador, professor Christiano

    Martinez Garcia, Adailton Silva, Roberto Mesquita, Manuel Gonzalez Garcia e Sérgio Chaves

    Paiva.

    Titulação NDE:

    O NDE do curso é composto por 2 (dois) professores mestre,; 1 (hum) professor doutor, e 2

    (dois) professores especialistas.

    Experiência NDE:

    Os professores que compõem o NDE possuem consistente experiência profissional, todos com

    mais de dois anos.

    Regime trabalho NDE:

    Dois membros do NDE têm o regime de trabalho em tempo integral, três membros em tempo

    parcial.

    Titulação e formação coordenador:

    O coordenador do curso é graduado em Tecnólogo em Química Industrial, tem especialização

    em Gerenciamento Ambiental com carga horária de 90 (noventa) horas em Metodologia do

  • Ensino Superior e mestrando em Saúde Ambiente e Trabalho. Leciona desde 2005, portanto,

    tem 5 (cinco) anos de experiência na docência. Tem experiência profissional de mais de

    15(quinze) anos na área Higiene Ocupacional e Meio Ambiente em industria.

    Regime trabalho coordenador:

    O regime de trabalho do coordenador é de tempo integral. As horas reservadas à coordenação

    do curso compõem um total de 40 horas semanais.

    Colegiado:

    O colegiado de curso está constituído legalmente e possui representatividade e participação

    nas decisões sobre os assuntos acadêmicos. Participam do colegiado representantes do corpo

    docente e discente e o coordenador do curso.

    Titulação Corpo docente:

    O corpo docente do curso é formado por 7% de doutores, 50% de mestres e 43% de

    especialistas.

    Sala de prof. e reuniões:

    Nesse espaço, ficam as cadernetas, e os professores ainda contam com o apoio de

    funcionários para orientá-los acompanhá-los e ajudá-los no cumprimento e organização de

    diversas tarefas. Existe ainda uma sala, um espaço amplo, com mesas e cadeiras destinadas ao

    estudo docente, trabalho, pequenas reuniões, computadores com acesso à internet,

    viabilizando a pesquisa acadêmica. Nessa sala, os professores contam com outros recursos de

    apoio às aulas como impressora, apagador, piloto, possibilidade de solicitar reserva de

    equipamentos – datashow, retroprojetor, TV, DVD dentre outros. No portal da Unijorge, os

    docentes, por meio de login e senha individual e secreta, fazem a solicitação e reserva de

    recursos audiovisuais necessários ao andamento das aulas, o lançamento de frequência,

    registro de notas etc.

    A sala dos professores da Unijorge constitui-se em instalações plenamente adequadas e

    equipadas com todos os requisitos necessários para o seu pleno funcionamento. Trata-se de

    um espaço limpo, climatizado, com acústica também adequada a trabalhos individuais e

    coletivos; um ambiente que oferece comodidade e as condições adequadas para a devida

    fluência das atividades.

    Gabinete trabalho docente:

    A sala do Coordenador de Curso está instalada no mesmo prédio em que acontecem as aulas.

    Essa localização foi planejada para assegurar a fluente articulação, acesso e comunicação entre

    o coordenador do curso, os professores e os alunos. Além disso, o gabinete também destina-se

  • aos professores integrantes do NDE, professores em tempo integral e parcial. Nesse espaço, o

    coordenador e os professores contam com computadores com acesso à internet e ao sistema

    de gerenciamento acadêmico desta instituição, uma ferramenta necessária à gestão do curso.

    Considerando a demanda de atendimento e a preocupação com a qualidade desse

    atendimento, o coordenador conta com o apoio de uma assistente-adminsitrativa, que o

    auxilia em algumas tarefas.

    A sala da coordenação constitui-se em instalação plenamente adequada e equipada com todos

    os requisitos necessários para o seu pleno funcionamento. Trata-se de um espaço limpo,

    climatizado, com acústica excelente; um ambiente que oferece comodidade e as condições

    adequadas para a devida fluência das atividades.

    Sala de Aula:

    Cada sala de aula tem cerca de 60 m2 e dispõe de mesa para o professor, carteiras

    acolchoadas em quantidade compatível ao número de alunos matriculados, quadros em

    fórmica para uso com marcador para quadro branco. As salas de aula apresentam condições

    de acústica, iluminação e limpeza adequadas. Por fim, Todas essas são equipados com ar

    condicionado, quadro branco, lâmpadas fluorescentes, mesa e cadeira para o professor e

    carteiras para os alunos.

    As salas de aula são amplas e estruturadas para o funcionamento pleno das atividades de

    ensino do curso. Os andares, onde se localizam as salas de aula, dispõem de funcionários de

    apoio fixo nos corredores que têm por atribuição instalar com antecedência os equipamentos

    necessários às aulas, regular a temperatura dos ambientes, transportar materiais necessários

    às atividades acadêmicas e atender às solicitações dos professores.

    Acesso aluno equip. de informática:

    Os alunos têm acesso aos laboratórios de informática com acesso à internet para viabilizar os

    seus estudos e pesquisas. A quantidade de equipamentos é proporcional à quantidade de

    quinze alunos por computador.

    Registro Acadêmico:

    O processo de registros acadêmicos (matrícula, requerimento, pareceres, reserva de recursos,

    lançamento e visualização de notas, registro de frequência, planos de ensino etc) é totalmente

    informatizado, o que favorece a dinâmica das atividades acadêmicas. Os documentos oficiais

    do curso e da instituição estão disponíveis à comunidade para consulta no portal da Unijorge

    na internet.

  • BBl básica:

    O acervo bibliográfico da Biblioteca está tecnicamente organizado segundo o Sistema de

    Classificação Decimal Universal (CDU). A catalogação é normalizada pela AACR2.

    Biblioteca Central Reitora Viviane Brito – posto de atendimento (campus Comércio).

    • Espaço Físico com 92 m2 com estantes de aço com prateleiras reajustáveis e

    sinalizadas;

    • Acervo dividido em dois grupos: acervo de consulta e acervo circulante;

    • Segurança: mecanismos eletromagnéticos e extintores.

    • Ambiente: higienizado, iluminado e climatizado

    O material bibliográfico encontra-se à disposição dos corpos docente e discente, técnico-

    administrativo e pessoal de apoio da Instituição, bem como da comunidade local. Todos os

    títulos de livros indicados na bibliografia básica dos planos de ensino do curso constam na

    biblioteca e em quantidade suficiente para consulta e empréstimo. Todo o acervo é

    periodicamente atualizado e totalmente informatizado e tombado junto ao patrimônio da

    instituição.

    • O Campus Comércio dispõe de 4 mesas (24 assentos) no espaço para consulta.

    BBl complementar:

    Os livros da bibliografia complementar são indicados como forma de estimular a leitura e a

    pesquisa. Os professores são orientados a indicar dois títulos, observando a importância dessa

    complementaridade e a atualização dos títulos indicados, que têm total pertinência com os

    programas das disciplinas.

    Periódicos especializados:

    A biblioteca da Unijorge não se restringe a consulta e empréstimo de livros, o que se trata de

    uma ação de grande relevância. A instituição oferece um acervo com periódicos

    especializados, indexados e correntes, disponíveis na forma impressa para consulta e leitura.

    Laboratórios especializados:

    O Centro Universitário Jorge Amado conta com laboratórios de informática para o

    atendimento das necessidades do curso. Esses laboratórios se constituem em espaços

    diferenciados de ensino e aprendizagem, onde os professores, por meio de softwares

  • especializados, promovem a interação entre a teoria e a prática profissional. Os alunos

    frequentam os laboratórios ou sob orientação de professores e na presença destes para o

    aprimoramento dos estudos, conforme fora mencionado, ou livremente, para dar

    prosseguimento aos seus estudos.

    Avaliação Periódica Discente

    A Avaliação Periódica Discente (APED) compõe um projeto que foi decorrente do objetivo

    estratégico de melhoria continua do processo ensino-aprendizagem.

    Assim, foram pontos centrais para a proposta da APED: garantir que os alunos encerrem as

    disciplinas com um bom aproveitamento; detectar, em tempo hábil, os hiatos de

    aprendizagem para intervir em momento oportuno; regular as ações pedagógicas. A avaliação

    conta com um conjunto de questões de múltipla escolha e discursivas próximas ao perfil do

    ENADE. Pretende-se que, após aplicação, correção das questões e análise dos resultados, o

    coordenador do curso e o professor orientador da área (NPPD) realizem, com o docente

    responsável pela disciplina, uma reavaliação das intervenções realizadas.

    Para contribuir com a realização da APED e com a consecução de seus objetivos, o

    coordenador, junto a seus professores, deve: (a) Tabular os resultados da APED; (b) Avaliar o

    resultado da APED e confrontar com os resultados das provas; (c) Verificar conteúdos nos

    quais os alunos obtiveram menor êxito; (d) Discutir os resultados da APED com os professores

    do semestre em questão (e) Definir propostas de ações e rever planejamento de intervenções

    didáticas com os professores (f) Encaminhar para a Pró-Reitoria de Graduação relatório

    semestral APED com pareceres avaliativos sobre a participação dos professores no processo.

    Práticas Pedagógicas Inovadoras

    A forma de estruturação do curso é Vertical. Essa estruturação permite que as disciplinas

    sejam elencadas por módulo, o que favorece a interdisciplinaridade e viabiliza a oferta de

    disciplinas geral com disciplinas do ciclo profissionalizante. Outro destaque para essa matriz

    modular é a possibilidade de relacionar a teoria com a prática.

  • A flexibilização da matriz do curso oferece ao aluno a possibilidade de fazer módulos não

    sequenciados, o que lhe permite optar pelo módulo que, no momento, apresenta a

    qualificação mais adequada à sua realidade.

    Principais Eixos Temáticos do Curso

    Os eixos temáticos não podem mais ser interpretados como uma listagem de disciplinas

    tradicionais. Estes devem se constituir em um conjunto integrado de tópicos curriculares

    relacionados às competências exigidas para o exercício profissional.

    Considerando os princípios de interdisciplinaridade e flexibilidade curricular, decidiu-se não

    dividir os conteúdos em básicos e específicos. Optou-se, então, por organizar os eixos

    temáticos partindo do geral para o particular, compreendendo a realidade como um todo que

    integra todas as dimensões das partes, numa interpelação constante e dinâmica. Em outras

    palavras, parte-se do entendimento de gestão nas micros, pequenas e médias empresas para

    “gerir na prática”.

    Principais conjuntos de conteúdos que possibilitam o adequado desenvolvimento desses Eixos

    Cada eixo temático constitui-se de temas curriculares cuja seleção respeitou os critérios de

    pertinência, significância e similaridade em torno de uma formação específica para cada um

    dos módulos, o que contribui para a formação do egresso.

    Cabe ressaltar que os eixos temáticos foram divididos em módulos que possuem uma

    qualificação profissional com certificação específica de cada semestre conforme se verifica a

    seguir:

    (1) Assistente Administrativo: cursar o 1º semestre;

    Após a conclusão desse módulo o aluno adquire as bases fundamentais do curso

    adquirindo habilidades e discernimento dos objetivos principais da área,

    administrativa.

    (2) Assistente de Segurança Empresarial: necessário cursar o 1º e 2º semestres;

  • Esse módulo ajuda ao futuro profissional a ter a percepção de planejamento de

    uma segurança empresarial.

    (3) Assistente em Segurança Patrimonial: necessário cursar o 1º; 2º e 3º

    semestre.

    As bases técnicas começam a ser desenvolvidas nessa etapa de gestão em

    segurança privada que começam a fazer parte do universo desse futuro

    profissional através de programas de segurança.

    (4) Assistente em Segurança Publica e Privada: cursar o 1º; 2º; 3º e 4º semestre;

    Possuidor de habilidades adquiridas ao longo do curso que abrange aspectos que

    envolvem todo o processo de implantação de programas de gestão em Segurança

    Privada, o aluno concluinte esta pronto para a sua inserção no mercado de

    trabalho.

    O profissional saberá estabelecer as estratégias necessárias específicas na área da

    segurança pública e privada e estará apto para a Gestão de Segurança Pública e

    Privada.

    Formas de Desenvolvimento da Interdisciplinaridade

    De acordo com PDI da UNIJORGE na relação da prática educativa, o aluno não pode ser mero

    receptor passivo das informações que veiculam o lócus educacional. Aprendizagem não

    significa transferência de saberes, mas uma construção oriunda de articulações entre saberes

    prévios e novos conteúdos. A construção do conhecimento é, assim, um processo cognitivo e

    articulado, ancorado em ações, que integram professores e alunos em práticas constantes de

    reflexão e investigação.

  • Nesse sentido, a pesquisa, no ambiente de ensino, funciona como um dos instrumentos

    privilegiados de construção do conhecimento. Assim, entendemos que, desde o primeiro

    semestre, momento em que as disciplinas devem garantir a inserção do aluno no universo

    acadêmico, a atitude investigativa deva estar presente tanto no interior das disciplinas, como

    em movimento interdisciplinar.

    Nessa perspectiva, amparado nas intervenções realizadas, nas diferentes disciplinas ao longo

    do semestre, o aluno do CST em Segurança Privada deverá ser capaz de elaborar

    representações, a partir de situações-problema, que fomentem a investigação de objetos de

    estudos específicos, voltados para a sua realidade social e profissional. Os alunos devem

    realizar a investigação de objetos de estudos específicos em cada semestre, a partir de um

    grupo de disciplinas, resultando em elaboração de pôsteres, artigos, ensaios, resenhas, ou

    outras formas de apresentação.

    Essa abordagem é materializada através do Interdisciplinar e Estudos Dirigidos, componentes

    curriculares em que os estudantes precisam desenvolver um estudo, uma pesquisa, um

    diagnóstico, um produto, um projeto de intervenção, etc. que envolva os conteúdos

    curriculares das disciplinas que compõem o semestre letivo. Esse estudo conduz o aluno a

    realizar, aproximadamente, de 10 (dez) a 40 (quarenta) horas de atividade acadêmica em cada

    semestre. A referida atividade acadêmica compreende, como prevê a Resolução Nº 3, de 2 e

    Julho de 2007 do Conselho Nacional de Educação do MEC, exposições, atividades práticas

    supervisionadas, tais como diagnóstico nas Organizações, atividade em biblioteca, iniciação

    científica e trabalhos individuais e em grupo e contribui para o cumprimento da carga horária

    mínima.