Click here to load reader

Revista Mundo Equestre | Agosto 2009

  • View
    220

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Mundo Equestre - Bem estar para cavalo e cavaleiro.

Text of Revista Mundo Equestre | Agosto 2009

  • Bem-estar para cavalo e cavaleiro.w w w . m u n d o e q u e s t r e . c o m . b r

    Nmero 16 | 2009

    Nesta Edio

    Saiba Mais

    Hunting: a caa a cavalo

    Entrevista

    O tratador Paulo Porto

    Especial: A jornada evolutiva do cavalo

    Orlov O trotador Russo

    R$ 8

    ,90

  • BR 282, KM 3, Via ExpressaRua Itaja, 1373, Vordstadt

    FLORIANPOLIS

    48 3028.5111BLUMENAU

    47 3037.5111

    FREELANDER_Lomb_Quad_9mm.indd 1-2 8/3/09 6:24 PM

  • BR 282, KM 3, Via ExpressaRua Itaja, 1373, Vordstadt

    FLORIANPOLIS

    48 3028.5111BLUMENAU

    47 3037.5111

    FREELANDER_Lomb_Quad_9mm.indd 1-2 8/3/09 6:24 PM

  • Edio Afonso Westphal

    dirEo EXECUTiVA ESUPErViSo GrFiCA Manuela Merico

    JornAliSTA rESPonSVEl daniel davila - SC01075-JP

    rEdAo E Edio dE TEXTo Sarah Westphal

    FoToGrAFiAGrace CarvalhoAlexandre Vidal

    CAPAArquivo

    dEPArTAMEnTo CoMErCiAl [email protected]

    ASSESSoriA JUrdiCA Merico Advogados

    ArTE E diAGrAMAo Uniqe Comunicao

    rEViSo Sarah Westphal

    EqUiPE VETErinriAPedro Vicente Michelotto Jr.lvia Medalha ArajoValdir Tonin

    rEdAo E AdMiniSTrAoBemAmostra Editorarua do Convento, 30 - sala 103Centro - 88350-380 - Brusque - [email protected] 41-3203.1960

    iMPrESSo E ACABAMEnToimpressul indstria Grfica

    EXPEdiEnTE

    Para sugestes ou dvidas, fale direto com a redao, enviando e-mail para [email protected] escreva para rua desembargador Motta, 2175 / 502, Centro, CEP 80420-190 - Curitiba - Pr.

    Caro Leitor,

    E D I TO R I A L

    nesta edio, trazemos como entrevistado o tratador profissional Paulo

    Porto. Com 25 anos de carreira, Paulo, com seu jeito simples e direto,

    expe um pouco de sua experincia, explica questes sobre viagens com

    cavalos e a importncia da figura do tratador para o sucesso do conjunto.

    do Brasil para rssia, resgatamos um pouco da histria dos orlovs, a

    primeira raa do mundo criada exclusivamente para a corrida de troles.

    Calmos, corajosos e obedientes, estes animais so utilizados como cavalos

    policiais na rssia e na Escandinvia, alm de servirem como potentes

    motores para as famosas troicas.

    na seo Saiba Mais, uma novidade: a partir deste ms, abordaremos os

    mais diversos tipos de esporte realizados com cavalos. neste ms, conhea um pouco das regras e curiosidades

    da polmica Caada a cavalo. originada na Frana antiga, esta modalidade movimentou grande nmero de

    cavaleiros por mais de 500 anos e muito popular na inglaterra e irlanda. Atualmente, devido a importantes

    questes relacionadas aos direitos dos animais, foram desenvolvidas prticas de caa ecologicamente corretas,

    mas igualmente emocionantes.

    Bem-vindos edio de agosto!

    Uma boa leitura a todos,

    Todos os direitos reservados. Artigos assinados no repre sentam necessariamente a opinio da revista.

  • N D I C E

    EntrEvistaO tratador Paulo Porto

    dicasProcedimentos de chegada

    em um concurso hpico

    PErgunta vEtErinriaAerofagia. Como evit-la?

    saiba maisHunter

    EsPEcialA jornada evolutiva

    do cavalo

    clnica vEtErinriaTermografia

    variEdadEsLaguna San Rafael

    8

    16

    17

    18

    24

    30

    36 12

    ndice

    lbum

    Notcias

    Teu mundo equestre

    22

    32

    34

    35

    40

    42

    Quadrinhos

    Classificados

    Agenda

    OrlovO Trotador Russo

  • E N T R E v I s TA

    Em 25 anos de experincia, o tratador Paulo Porto alcanou uma sintonia fina com os cavalos. Hoje, ele sabe o que se passa com eles s pelo jeito de olhar.

    8

    Paulo PortoConhecimento

    de Causa

    texto: Equipe mundo Equestre | Fotos: arquivo Pessoal

  • 1. Como voc comeou no hipismo?Trabalhava como auxiliar de um veterinrio. Eu ia ao haras fa-

    zer os curativos, vacinaes e mexia com gado tambm. At

    que cheguei a um ponto em que eu me apeguei muito ao

    cavalo. Comecei preparando os animais para exposies. no

    incio, eu nunca ficava num lugar s, prestava servio para

    vrios haras.

    2. Qual a importncia do tratadorde cavalo para o sucesso do conjunto?Para mim, o trabalho em equipe fundamental e todas as

    peas so essenciais para o sucesso: cavaleiro, treinador, fer-

    rador, tratador, veterinrio, etc. Conheo muitas equipes que

    investem forte em professores, cavalos e cavaleiros, mas se

    esquecem de uma pea fundamental, que o tratador. no se

    preocupam com ele. quando chega a hora da prova, se o con-

    junto vai bem, isso reflexo do trabalho bem feito de todos.

    na minha opinio, se no houver cursos e at formao de

    tratadores profissionais, a tendncia do nvel do servio cair.

    3. O que fundamentalpara que uma viagem d certo?na minha profisso, no pode existir o se eu tivesse feito

    isso. quando programo uma viagem, planejo como se

    tudo fosse dar errado. Por exemplo: levo medicao como se

    o cavalo fosse ficar doente, levo cabeada extra, caso arre-

    bente, etc.

    Eu tenho que me prevenir para todo o tipo de imprevisto para

    poder garantir que tenho condies de ajeitar as coisas e dei-

    xar o cavaleiro tranquilo.

    4. E sobre o transportede cavalos para o exterior?Viajar envolve despachante, exames veterinrios e cuidados

    especiais. o tratador tem de fazer a pr-adaptao da comida

    que o cavalo vai encontrar no destino. no que se refere ao

    transporte, primeiro voc tem que saber dividir os animais nos

    containers. Cada container tem capacidade para trs cavalos

    e eles devem ser agrupados pelo temperamento. Um exem-

    plo: em uma viagem ao Chile em 2005 para o campeonato

    Sulamericano, mesmo com trs garanhes na tropa, o que

    me deu mais problemas foi um cavalo castrado, que queria se

    jogar de cima do elevador.

    depois de embarcados, a maior ateno com o levantar voo

    e a aterrissagem. o Pardal, que um tratador da Bahia, brinca

    que a gente vira palhao. Precisamos fazer com que os cavalos

    prestem ateno em ns de qualquer jeito, para que eles es-

    queam o estresse do voo. na hora de decolar, a tendncia do

    animal se apoiar pra trs, e, se ele escorregar, pode aconte-

    cer de as mos passarem por dentro dos ps. Para que ele no

    fique nesta posio, o tratador obrigado a puxar o animal

    pelo rabo, o que no uma tarefa fcil.

    5. Voc j trabalhoufora do pas?J trabalhei nos Estados Unidos, com cavalos

    quarto de Milha e, como tratador de hi-

    pismo, viajei bastante com atletas bra-

    sileiros para algumas temporadas na

    Europa, que duravam de quatro a oito

    meses. J levei animais para competir

    em vrios pases e h dez anos fao

    parte da equipe brasileira: acompanho

    os voos dos cavalos para os campeonatos,

    principalmente Sulamericanos. Tambm j fiz

    diversas viagens como free lancer para buscar

    cavalos europeus que foram comprados aqui

    do Brasil e vice-versa.

    Mas quando me perguntam se eu conheo

    muitos pases, a verdade que eu conheo

    Determinado, Paulo prefere ser reconhecido pela excelncia do seu servio do que pela lista de atletas famosos com quem j trabalhou. Atualmente, atua no Clube Hpico de Santo Amaro e faz parte da equipe brasileira de hipismo h dez anos.

    Nesta entrevista, Paulo comenta os principais desafios no transporte de cavalos, apresenta o perfil de um tratador de sucesso e compara os panoramas brasileiro e

    internacional.

  • 10

    muitas hpicas. o que esporte ou hobby para os cavaleiros,

    para ns trabalho. Precisamos nos privar de muitas coisas,

    da famlia, do final de semana...Ento, voc tem que vir e dar

    o seu melhor.

    6. Qual a diferena entre ostratadores internacionais e os nossos? A principal diferena entre os tratadores do Brasil e da Europa,

    que l eles contratam muitas pessoas que tratam cavalo por

    falta de opo. Aqui, grande parte dos tratadores j nasceu

    num ambiente de cavalos.

    outra diferena importante o salrio. na ltima vez em que

    fui para Europa, conheci uma garota que estava aprenden-

    do a ser tratadora e trabalhando h dois meses. Ela ganhava

    mais do que eu, que tenho 25 anos de profisso. Alm disso,

    a situao do tratador no Brasil um pouco desconfortvel,

    pois se for fazer um cadastro no banco, a profisso tratador

    no existe.

    na Europa, o tratador mais respeitado. Aqui, o proprietrio

    no quer gastar contratando uma mo de obra qualificada.

    Muitas vezes, contrata qualquer pessoa que se dispe a cui-

    dar dos cavalos, sem nenhuma experincia e at mesmo sem

    vontade verdadeira. Geralmente, a suposta economia do

    proprietrio s gera prejuzos.

    7. Como voc avalia as condies queos clubes hpicos nacionais oferecempara os cavalos e para os tratadoresdurante os campeonatos?de maneira geral, as condies esto melhorando, embora

    isso dependa do tamanho do concurso.

    de acordo com o cdigo de conduta da FEi, a estrela princi-

    pal do evento o cavalo, e os eventos esto respeitando isso

    cada vez mais. quanto aos tratadores, a situao est mu-

    dando. de uns tempos para c os organizadores comearam

    a se preocupar mais com a figura do tratador e passaram a

    perguntar nossa opinio sobre o que pode ser melhorado.

    Acho que isto muito positivo para futuramente desenvolver

    as competies hpicas por completo, com boas condies

    para todos os envolvidos.

    9. Quais as principais caractersticasque compem um bom tratador?Voc tem que ser organizado e prin