DISCIPLINA DE PATOLOGIA BUCAL - ptl.ufsc.br DE PATOLOGIA BUCAL CDIGO E NOME DA DISCIPLINA: PTL 7003 - Patologia Bucal DEPARTAMENTO: PTL - Patologia FASE:

  • Published on
    07-Feb-2018

  • View
    247

  • Download
    24

Embed Size (px)

Transcript

  • DISCIPLINA DE PATOLOGIA BUCAL CDIGO E NOME DA DISCIPLINA:

    PTL 7003 - Patologia Bucal

    DEPARTAMENTO:

    PTL - Patologia

    FASE:

    4a.

    CARGA HORRIA:

    07hs/aula; total: 126hs/aula semestral

    PROFESSORES DA DISCIPLINA:

    Dra Liliane Janete Grando, Dra Elena Riet Correa Rivero (afastada para ps-doutorado), Dr. Filipe Modolo Siqueira, Prof Felipe Perozzo Dalto

    EQUIVALNCIAS:

    PTL 5107

    HORRIO:

    Aulas tericas: 3as feiras, das 13:30 s 14:20 hs, sala 915, CCS 6as feiras, das 13:30 s 16:20 hs, sala 908, CCS Aulas prticas: Turma A: 5as f, 14:20 s 17:00 hs, local: Sala de interpretao de lminas Turma B: 2as f, 14:20s 17:00 hs, local: Sala de interpretao de lminas Turma C: 4as f, 08:20 s 11:00 hs, local: Sala de interpretao de lminas Em funo de possveis feriados nestes dias, as aulas devero ser repostas em horrio a ser combinado

    NATUREZA:

    Terico-prtica, com estudo de lminas histopatolgicas

    EIXO TEMTICO:

    Multidisciplinar

    PR-REQUISITOS:

    PTL 7002 Patologia Geral MOR 5106 - Histologia Buco-Dental

    LOCAL:

    Aulas tericas: Salas 915 e 908 Aulas prticas: Sala de interpretao de lminas

    OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA:

    Capacitar o aluno de odontologia para o diagnstico das doenas inerentes boca, abordando os aspectos histopatolgicos das diversas doenas, bem como sua etiologia, evoluo, fisiopatologia e caractersticas clnico-radiogrficas de interesse para auxiliar no diagnstico histopatolgico, alm de contribuir para formao integral do aluno, estimulando as reaes, a iniciativa e a responsabilidade, com vistas a ajust-lo ao perfil de um profissional de Odontologia competente tica, tcnica e cientificamente.

    EMENTA:

    Anomalias do desenvolvimento dos maxilares. Injrias fsicas e qumicas da mucosa bucal. Doenas dos tecidos periodontais. Principais processos de destruio dos tecidos dentais duros: Eroso Dental e Crie Dental. Pulpopatias e Periapicopatias. Cistos e tumores odontognicos. Cistos no-odontognicos e pseudocistos. Doenas sseas neoplsicas e no neoplsicas. Tumores de tecidos moles bucais. Doenas epiteliais: leses precursoras do cncer de boca e carcinoma epidermide. Outras neoplasias malignas de interesse odontolgico. Infeces de origem bacteriana, viral, fngica e protozoria de interesse estomatolgico. Manifestaes estomatolgicas de dermatopatologias. Doenas das glndulas salivares. Infeco pelo HIV e suas manifestaes de interesse estomatolgico.

    COMPETNCIAS E HABILIDADES GERAIS DOS ACADMICOS:

    Os acadmicos devem estar aptos a desenvolver aes de preveno, diagnstico precoce e promoo de sade em pacientes de risco ao desenvolvimento de doenas bucais e do complexo maxilo-mandibular;

    Os acadmicos devem ter conhecimento dos aspectos histopatolgicos das diversas doenas bucais e do complexo maxilo-mandibular, bem como o entendimento com relao a sua etiologia, evoluo e fisiopatologia.

    Os acadmicos devem estar aptos ao diagnstico clnico, imaginolgicos e histopatolgico de doenas bucais e do complexo maxilo-mandibular;

    Os acadmicos devem estar aptos a estabelecer prognsticos de doenas bucais e do complexo maxilo-mandibular bem como propor

  • tratamentos e reabilitao de pacientes portadores de tais doenas;

    Os acadmicos devem estar habilitados a utilizao de expresses e termos tcnicos adequados, de acordo com as normas do Portugus, respeitando parmetros de tica e confidencialidade;

    Os acadmicos devem estar preparados para aprender de maneira contnua, buscando informaes em meios confiveis de divulgao cientfica.

    COMPETNCIAS E HABILIDADES ESPECFICAS DOS ACADMICOS:

    Os acadmicos devero estar aptos a realizao de leitura de lminas histopatolgicas de doenas bucais e do complexo maxilo-mandibular;

    Interrelacionar dados clnicos, imaginolgicos e histopatolgicos, estudados nas disciplinas de Patologia Geral, Histologia Buco-Dental, Estomatologia, Radiologia, Teraputica, Cirurgia, bem como em demais disciplinas da rea do diagnstico bucal;

    Estar aptos a indicar a realizao de bipsias incisionais e excisionais de doenas bucais e do complexo maxilo-mandibular, bem como reconhecer os mtodos de processamento laboratorial do material biopsiado.

    ELEMENTOS INTEGRADOS DO PLANO

    OBJETIVOS POR UNIDADE

    CONTEDOS

    CARGA HORRIA

    Unidade I: Anomalias do desenvolvimento do complexo bucomaxilofacial

    Introduo ao diagnstico bucal

    Conhecer as diferentes anomalias dentrias;

    Conhecer as diferentes anomalias de desenvolvimento da regio de atuao do Cirurgio-Dentista, suas causas, consequncias e tratamento.

    CONTEDO: Crie Dental; Eroso Dental; Perda da estrutura dentria aps o desenvolvimento (Atrio, Abraso, Eroso)

    15

    Unidade II: Injrias fsicas e qumicas da mucosa bucal

    Conhecer os diferentes agentes qumicos e fsicos capazes de lesar a mucosa bucal e o tecido sseo de suporte;

    Diferenciar as manifestaes das agresses fsicas e qumicas de outras doenas que guardam semelhana com as mesmas;

    Prevenir a ao de possveis agentes lesivos ao complexo bucomaxilofacial

    CONTEDO: Ulceraes traumticas; Queimaduras qumicas; Tatuagem por amlgama; Melanose do fumante; Efeitos da radioterapia

    04

    Unidade III: Doenas dos tecidos periodontais

    Identificar as doenas crnicas e agudas que acometem os tecidos periodontais.

    Conhecer a etiologia e a patognese das doenas que acometem o periodonto e suas possveis implicaes.

    CONTEDO: Hiperplasia gengival induzida por medicamentos; Fibromatose gengival; Periodontite; Periodontite de acometimento precoce (Periodontite juvenil).

    04

    Unidade IV: Doenas da polpa e do peripice

    Identificar as pulpopatias e periapicopatias agudas e crnicas e suas possveis implicaes.

    CONTEDO: Pulpite aguda, crnica e hiperplsica; Calcificaes pulpares; Pericementite aguda; Abscesso periapical; Granuloma periapical; Cisto radicular apical; Celulite facial; Osteomielite; Ostetes dos maxilares.

    15

    Unidade V: Cistos e tumores odontognicos

    Conhecer os principais processos csticos e tumores odontognicos.

    Reconhecer estas doenas como exclusivas do sistema estomatogntico.

    Distinguir os processos csticos e tumores odontognicos entre si e entre outras doenas de caractersticas semelhantes

    Relacionar os aspectos radiogrficos dessas entidades com suas caractersticas histopatolgicas

    16

  • Conhecer o comportamento biolgico das alteraes csticas e tumores odontognicos, com vistas ao tratamento, prognstico e proservao.

    CONTEDO: Cistos Odontognicos (Cistos Radiculares; Cisto Residual, Cisto Paradental; Cisto Dentgero; Cisto de Erupo; Cisto Odontognico Ortoceratinizado; Cisto Periodontal Lateral); Tumores Odontognicos (Ameloblastoma; Tumor Odontognico Ceratocstico; Tumor Odontognico Epitelial Calcificante ou Tumor de Pindborg; Tumor Odontognico Cstico Calcificante ou Cisto de Gorlin; Tumor Odontognico Adenomatide; Fibroma Ameloblstico; Fibro-Odontoma Ameloblstico; Odontoma; Mixoma Odontognico; Cementoblastoma Benigno).

    Unidade VI: Cistos no-odontognicos e pseudocistos

    Conhecer os principais processos patolgicos csticos de tecidos moles e duros e seu comportamento biolgico;

    Estabelecer o diagnstico diferencial com outras afeces semelhantes;

    CONTEDO: Cistos intra-sseos (Cisto do Ducto Nasopalatino); Pseudocistos (Cisto sseo Aneurismtico; Cisto sseo Simples Traumtico; Cisto sseo de Stafne); Cistos de Tecidos Moles (Cisto Nasolabial; Cisto Epidermide / Dermide; Cisto do Ducto Tireoglosso; Cisto Linfoepitelial).

    07

    Unidade VII: Tumores no-odontognicos

    Conhecer as caractersticas clnicas e radiogrficas das principais alteraes que envolvem os ossos maxilares;

    Diferenciar os processos patolgicos sseos quanto sua natureza;

    CONTEDO: Osteoma (Sndrome de Gardner); Condroma; Osteoma Osteide / Osteoblastoma Centoblastoma; Histiocitose das Clulas de Langerhans; LesoCentral de Clulas Gigantes; Leses fibro-sseas da mandbula (Displasia Fibrosa; Displasia ssea Periapical, Focal e Florida; Fibroma Ossificante Central); Osteossarcoma; Condrossarcoma.

    07

    Unidade VIII: Tumores de tecidos moles

    Diagnosticar as principais leses de tecidos moles;

    Distinguir as principais leses de tecidos moles quanto sua natureza (neoplsica, inflamatria, reacional, hiperplsica).

    CONTEDO: Fibroma Traumtico (HFI); Granuloma Piognico; Leso Perifrica de Clulas Gigantes; Fibroma Ossificante Perifrico; Neoplasias Benignas (Lipoma; Neurilemoma; Neurofibroma; Tumor de Clulas Granulares; Hemangioma; Linfangioma); Neoplasias Malignas (Leiomiossarcoma; Rabdomiossarcoma).

    07

    Unidade IX: Doenas epiteliais

    Reconhecer as principais leses benignas de natureza epitelial;

    Reconhecer as leses cancerizveis;

    Reconhecer as diferentes apresentaes clnicas do carcinoma bucal;

    Valorizar o procedimento de bipsia como mtodo de escolha para o diagnstico desses casos

    Relacionar o estadiamento clnico do carcinoma epidermide com o tratamento e prognstico;

    Estar consciente do papel fundamental e a responsabilidade do cirurgio-dentista no diagnstico e preveno do cncer bucal.

    CONTEDO: Estomatite Nicotnica; Queilite Actnica; Leucoplasia; Eritroplasia; Carcinoma Epidermide; Carcinoma Verrucoso; Carcinoma Basocelular; Ceratoacantoma; Lentigo Simples; Mcula Melantica Oral; Nevo Melanoctico Adquirido; Melanoma.

    18

    Unidade X: Doenas infecciosas (de origem bacteriana, viral e fngica).

    Conhecer as principais doenas infecciosas de natureza local ou sistmica que podem acometer o sistema estomatogntico.

    CONTEDO: Infeces Bacterianas (Sfilis; Tuberculose; Actinomicose; Gengivite Ulcerativa Necrosante Aguda GUNA); Infeces Fngicas (Candidases; Paracoccidioidomicose; Histoplamose); Infeces Virais (Herpes Simples: Gengivo-Estomatite Herptica Aguda e Herpes Recorrente; Herpes Zoster; Citomegalovrus; Vrus do Papiloma Humano; Epstein Barr Vrus)

    14

  • Unidade XI: Infeco pelo HIV

    Conhecer a etiopatogenia da Sndrome da Imunodeficincia Adquirida (AIDS);

    Saber relacionar as interaes vrus-hospedeiro com as diferentes fases da doena;

    Ter conhecimento das possveis manifestaes orais da doena, a relao destas com os diferentes estgios da AIDS e a importncia do cirurgio dentista no reconhecimento e diagnstico das mesmas.

    03

    Unidade XII: Doenas imunomediadas

    Conhecer as doenas imunomediadas, suas possveis manifestaes estomatolgicas e seu comportamento biolgico

    Estabelecer o diagnstico diferencial pertinente

    CONTEDO: UARs lceras Aftosas Recorrentes; Lquen Plano Bucal; Pnfigo vulgar; Penfigide Benigno de Mucosas; Eritema Multiforme; Lupus Eritematoso;

    08

    Unidade XIII: Doenas das glndulas salivares

    Reconhecer e identificar os principais processos patolgicos das glndulas salivares principais e acessrias quanto sua natureza (neoplsica, inflamatria ou de desenvolvimento).

    CONTEDO: Mucocele e Rnula; Cisto de Reteno de Muco; Sialolitase; Sialoadenite; Sialoria; Xerostomia (sndrome de Sjgren); Tumores das glndulas salivares (Adenoma pleomrfico; Tumor de Warthin; Carcinoma mucoepidermide; Carcinoma Ex-Adenoma Pleomrfico; Carcinoma Adenide Cstico; Adenocarcinoma Polimorfo de Baixo Grau de Malignidade

    08

    BIBLIOGRAFIA BSICA DA DISCIPLINA: Juntamente com as Disciplinas de Estomatologia e Radiologia, optamos pela escolha do livro texto a seguir, o qual ser utilizado pelas 3 disciplinas afins:

    NEVILLE, B.W., DAMM, D.D., ALLEN, C.M., BOUQUOT, J.E. PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL. Elsevier: Rio de Janeiro, 2009.969 p.

    BARNES L, EVESON JW, REICHARD P, SIDRANSKY D. Gentica e Patologia dos Tumores de Cabea e Pescoo. Ed Santos: So Paulo: 2009. 428p. CAWSON, RA, BINNIE, WH, EVENSON, JW. Atlas colorido de enfermidades da boca Correlaes clnicas e patolgicas. Artes Mdicas, 1997. ELLIS GL, AUCLAIR PL. Tumors of the Salivary Glands (Atlas of Tumor Pathology 3rd Series). Armed Forces Institute of Pathology: Washington D.C.,

    1996, 468p. REICHARD PA, PHILIPSEN, HP. Odontogenic tumours and allied lesions. Quintessence Publishing Company, 2004, 388p. REGEZI JA, SCIUBBA JJ, JORDAN, RCK. Patologia Bucal: Correlaes Clinicopatolgicas. 5 ed.: Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 2008. 417p. REGEZI JA, SCIUBBA JJ, POGREL MA. Atlas de Patologia Oral e Maxilofacial. 1 ed. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 2002. 184p. SILVERMAN, S, EVERSOLE, LR, TRUELOVE, EL. Fundamentos de Medicina Oral. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 2004. 384 p. LITTLE JW, FALACE DA, MILLER CS, RHODUS NL. Manejo Odontolgico do paciente clinicamente comprometido. 7 ed. Elsevier: Rio de Janeiro,

    2009.688p.

    ESTRATGIAS:

    A) METODOLOGIA DE ENSINO / DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA: Sero utilizadas aulas expositivas; projeo e discusso de casos clnicos; demonstrao, interpretao, estudo e desenhos de lminas histopatolgicas; discusso das avaliaes tericas. Material de estudo (planos de aulas, artigos cientficos e outras fontes bibliogrficas recomendadas), com exceo dos captulos de livros, ser disponibilizado na pgina eletrnica (website) do MOODLE da Disciplina. Consideraes importantes: O horrio de incio da aula ser rigorosamente obedecido. Um atraso de 05 (cinco) minutos ser tolerado, desde que no seja repetido vrias vezes pelo mesmo aluno. Chamadas sero efetuadas aps cada intervalo de aula. A interrupo das explicaes, para observaes e perguntas, ser permitida e desejada, desde que com objetivos tcnico-cientficos. proibido fumar, comer e beber durante as aulas tericas e prticas.

  • Telefones celulares devero permanecer desligados durante todo o perodo das aulas. Eventualmente, por questes tcnicas e de cronograma da UFSC, o local e o perodo das aulas tericas e prticas poder ser mudado, desde que comunicado previamente ao grupo ou ao representante de turma, em tempo hbil. B) FREQUENCIA: De acordo com o previsto na Resoluo no. 017/CUn/97, de 30/09/1997, que regulamenta os Cursos de Graduao da UFSC, na seo I, artigos 69 a 74 que reza sobre a Frequncia e Aproveitamento do aluno: - 2 obrigatria a frequncia s atividades correspondentes a cada disciplina, ficando nela reprovado o aluno que no comparecer, no mnimo, a 75% (setenta e cinco por cento) das mesmas. - 3o ...professor registrar a frequncia, para cada aula, em formulrio prprio... - 4 ...cabe ao aluno acompanhar, junto a cada professor, o registro da sua frequncia s aulas. C) AVALIAO TERICA: Cada aluno ser avaliado individualmente, com base nos seguintes critrios: avaliao objetiva, por meio de 02 (DUAS) provas tericas, com contedo cumulativo, em datas pr-estabelecidas pela Disciplina no incio do semestre. AS AVALIAES TERICAS TERO PESO 7 (SETE) NUM TOTAL DE 10 (DEZ) PONTOS, CORRESPONDENDO A 70% NA COMPOSIO DA MDIA DO ALUNO NAQUELE SEMESTRE. Eventualmente, por questes tcnicas, o local e o horrio das avaliaes tericas podero ser mudados, desde que comunicado previamente ao grupo ou ao representante de turma, em tempo hbil. Consideraes importantes:

    As questes das provas devero ser respondidas com uso de caneta azul ou preta. Questes respondidas a lpis no sero corrigidas e, consequentemente, recebero nota 0,0 (zero). A interpretao das questes tambm faz parte da prova. Os alunos devem se expressar na lngua portuguesa oficial, culta, utilizando termos tcnicos adequados. Nenhum aluno poder dar entrada ao ambiente...

Recommended

View more >