Jornal cocamar outubro 2013

  • View
    231

  • Download
    10

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Jornal cocamar outubro 2013

  • cooperativismo

    Cocamar a primeira cooperativa do Parana profissionalizar sua gesto

    Autorizao foi obtida em AGE realizada no dia 8 deoutubro e passa a valer a partir da AGO no incio de 2014

    Pg. 2 - Jornal de Serv io Cocama r - Outubro 2013

    Maring I Da Re-dao No ano emque completa meio sculode existncia, a Cocamar mais uma vez pioneira nocooperativismo paranaenseao promover uma mudanaem sua estrutura adminis-trativa.

    Conforme Assembleia Ge-ral Extraordinria (AGE)realizada dia 8 de outubrono salo social da Associa-o Cocamar em Maringcom a participao de 250cooperados, uma alteraono Estatuto Social modificou

    o perfil da Administrao,visando a profissionaliz-la.

    Na oportunidade, o presi-dente Luiz Loureno expli-cou que a medida tem afinalidade de assegurar aperpetuidade da corpora-o, eliminando o risco deque pessoas sem o neces-srio preparo cheguem acargos executivos e acabemcolocando a organizao emxeque. Estamos tomandoesse cuidado porque a ad-ministrao de uma coope-rativa como a Cocamar, porser bastante complexa, exi-

    ge uma necessria especia-lizao, acrescenta.

    Loureno revela que estu-dos nesse sentido vinhamsendo conduzidos h anos,o projeto foi aperfeioadocom a experincia de outrasempresas e, aps a fase dediscusses no mbito in-terno, o assunto foi levadoentre o final de julho e in-cio de agosto para ser de-batido em reunies que adiretoria organiza a cadaseis meses com os produ-tores associados em suasunidades.

    Duzentos e cinquenta cooperadosreferendaram a deciso; assuntofoi debatido, anteriormente, em

    reunies organizadas com osprodutores em suas cidades

    Estamos tomando esse cuidado

    porque a administrao de uma

    cooperativa como a Cocamar, por

    ser bastante complexa, exige

    uma necessria especializao

    LUIZ LOURENO, presidente

  • Outubro 2013 - Jornal de Serv io Cocama r - Pg. 3

    Segundo explica o vice-pre-sidente Jos Fernandes Jar-dim Jnior, a mudana mo-derniza a gesto e conferemais profissionalismo aotrabalho da Diretoria. Nonecessariamente a funo dediretor precisa ser exercidapor um cooperado. A ideia que o Conselho de Adminis-trao estruture a DiretoriaExecutiva com profissionaisde reconhecido conhecimen-to no mercado

    Jardim Jnior afirma tam-bm que a reestruturaoadministrativa se tornou ne-cessria para que a Cocamaresteja preparada para osdesafios impostos pelo cres-cimento. Somos uma orga-nizao moderna, diversi-ficada, com muitos poten-ciais a explorar e uma pers-pectiva de expanso emdiferentes setores. Estamospensando a Cocamar do fu-turo.

    GRANDEZA - Presente comoconvidado especial na AGE,o presidente do Sistema Oce-par, Joo Paulo Koslovski,ressaltou o pioneirismo daCocamar entre as cooperati-vas do ramo agropecuriono Paran, ao investir naprofissionalizao de suagesto. Segundo ele, o coope-rativismo paranaense atin-giu um nvel de tamanhagrandeza e importncia,com crescimento mdio aoredor de 10% ao ano, que agesto precisa ser exercida

    por profissionais altamentepreparados, experientes eespecializados nas respecti-vas reas.

    Na sua viso, h algumasexigncias fundamentais pa-ra que uma cooperativa real-mente possa almejar a suaperpetuao.

    O primeiro aceitar o tra-balho de autogesto condu-zido pela Ocepar, que, pormeio de uma srie de avalia-es, faz um acompanha-mento minucioso de como acooperativa est caminhan-do e os pontos que, eventual-mente, devem ser corri-gidos. O segundo a certifi-cao de conselheiros, quedevem ser treinados paraexercerem suas funes. Oterceiro a concepo de umplano estratgico de desen-volvimento e, quarto, a ges-to profissional. O melhorsistema de gesto o que

    mescla eleitos e contrata-dos, disse, completando: ACocamar, ao fortalecer a es-trutura de gesto, vai puxara fileira da modernizaoentre as cooperativas agro-pecurias.

    GOVERNANA - Para o pre-sidente da Sicredi UnioPR/SP, Wellington Ferreira,que tambm prestigiou oevento, um dos temas quemais tm merecido a aten-o dos empresrios , jus-tamente, a governana. No

    possvel que 11 mil ou 12mil cooperados administremuma cooperativa. Por isso,profissionalizar a gesto algo absolutamente necess-rio.

    O superintendente Admi-nistrativo e Financeiro AlairAparecido Zago salienta quea modelagem da nova ges-to inspirou-se, em parte, naestrutura de governana dascooperativas do Sistema Si-credi, consideradas uma re-ferncia, Elas foram estuda-das e construdas sob ocrivo do Banco Central e ba-seando-se em slidos mode-los internacionais. De acor-do com Zago, os primeirospassos para que a Cocamarpromovesse essa mudanadatam de 2009, quando a Di-retoria Executiva estabele-ceu as diretrizes, definiu-sepela gesto por processos econcebeu um novo plano es-tratgico.Koslovski: avano Ferreira: governana

    Em pauta, modernidade e profissionalismo

  • Pg. 4 - Jornal de Serv io Cocama r - Outubro 2013

    opinies

    No apenas o agronegcio deixou de ser umaprioridade para esse governo, como o setor, apesarde toda a sua importncia para a economia do pas,nem sabe mais com quem dialogar em Braslia

    LUIZ CARLOS CORREIA DE CARVALHO, presidenteda Associao Brasileira de Agronegcios (Abag)

    Goste de msica, fale em tom moderado de voz,tenha objetivos, no viva em funo dosoutros, tenha atitude, respeito, f e faa dosexerccios um hbito para ser mais feliz

    EVANDRO DAOLIO, escritor e palestrante, falando aos 250 participantesdo Jovem Coop realizado no final de setembro na Cocamar

    O que est se imaginando que osgros [soja e milho] continuem emqueda, ou no mnimo acomodados.Uma elevao dos gros seria umasurpresa extraordinria

    AMARYLLIS ROMANO, Tendncias Consultoria

    O Paran tem uma agriculturamuito dependente de pesquisa etecnologia. A agricultura voltoua ser a grande marca do Estado

    FLORINDO DALBERTO, presidente do InstitutoAgronmico do Paran (Iapar)

    Temos 100 milhes de hectaresde pastagens degradadas noBrasil que poderiam serincorporados ao processoprodutivo. Mas isto no vaiacontecer porque o agronegcio muito pressionado porambientalistas, defensores deindgenas etc. No mximo,conseguir incorporar 50 milhes

    PAULO HERRMANN, presidente da John DeereBrasil, durante palestra no Frum Nacionalde Agronegcios, em Maring

    Os produtores norte-americanosseguem capitalizados e podemadiar ainda mais as vendas

    FRED SEAMON, diretor de pesquisa de commoditiesdo CME Group, informando que at o momento poucomais de 20% da safra de soja e milho dos Estados Uni-dos foram comercializados

    Acredito que quando o preoda soja cair um pouco, o sistemade integrao lavoura, pecuriae floresta vai crescer muito. Hoje muito rentvel produzir soja

    JOO KLUTCHOSKI, pesquisador daEmbrapa Cerrados

    O noroeste do Paran umaregio com clima e solo bonspara a seringueira, e tambmcom muitas reas de pastagensdegradadas

    NORBERTO ORTIGARA, secretrio daAgricultura e do Abastecimento do Paran

    Onde tiver seringueira eltex, vai ter consumo

    VALNEI ANDRETTA, gerente de comprasda Sumitomo Rubbers Industries, fabricantede pneus que acaba de se instalar na regiometropolitana de Curitiba

  • Outubro 2013 - Jornal de Serv io Cocama r - Pg. 5

    reconhecimento

    Homenagem foi prestada em So Paulo, na noite de 22 de outubro,durante a nona edio do Prmio Melhores do Agronegcio

    Da Redao A pa-lavra-chave para o cresci-mento com responsabili-dade de qualquer empresado sculo XXI, Sustentabili-dade, foi bem traduzida peloprojeto que produtivo debaixo carbono que a Coca-mar vem desenvolvendo noqual a principal bandeira integrar lavoura, pecuria efloresta numa mesma pro-priedade. Com isso, a coo-perativa paranaense levou,na noite de 22 de outubro, oprmio indito Campe emSustentabilidade, criadonesta nona edio do Pr-mio Melhores do Agroneg-cio, concedido pela RevistaGlobo Rural todos os anoss empresas que se desta-cam em seus setores.

    Agradeo Globo Rural,que muito contribuiu paraque o projeto de integraolavoura-pecuria, que culmi-nou nesse prmio, avanas-se. Estamos com muitasreas degradadas e temos

    muito para a crescer nestetrabalho", destacou Luiz Lou-reno, o presidente da Coca-mar, ao receber o prmio.Um dos maiores problemasenfrentados pelos pecuaris-tas nos ltimos anos no Pa-ran tem sido a baixa re-munerao em meio a pastosdegradados e baixa produ-tividade. Sem mudana noprocesso, em dez anos o pro-dutor no vai tirar mais na-da, ressalta Loureno.

    H quase duas dcadasque a cooperativa vem tra-balhando no projeto de bai-xo carbono para mudar essecenrio. Um exemplo do que transmitido a milhares deprodutores todos os anos pe-la Unidade de Difuso de

    Tecnologias da Cocamar, emIpor, a alternncia de sojano vero com pastagem noinverno, tcnica que deixa osolo arenoso mais protegidocontra eroso. Ainda h po-tencial de renda com madei-ra e lenha provenientes dereflorestamento com eucalip-to, que tambm pode forne-cer sobra para os animaisnos perodos mais quentes.

    A cooperativa foi escolhidaentre as melhores do agro-negcio por ter sido conside-rada a mais empenhada emdesenvolver aes inovado-ras em relao ao meio am-biente, conforme avalia-o dos jurados da premi-ao. (Colaborou Maral Si-queira)

    No alto, o presidente da Cocamar, Luiz Loureno,durante pronunciamento; embaixo, com o

    diretor da Revista, Bruno Blecher

    Revista Globo Rural premia a Cocamar Campe de Sustentabilidade

    Agradeo Globo Rural, que muito contribuiupara que o projeto de integrao lavoura-pecuria,que culminou nesse prmio, avanasse. Estamoscom muitas reas degradadas e temos muitoa crescer neste trabalho

    LUIZ LOURENO

  • Jornal de Servio CocamarOutubro 2013 - Pg. 6

    Equipamentos sofisticados encantame permitem que a nova geraofaa o que gosta, independente deser na agricultura

    Fortalecimento da atividade agropecuria, que passoua ser mais mecanizada e lucrativa, chama atenot