of 24/24
Nesta edição: Editorial……………………………... 1 Área de Trabalho do Ensino Recor- rente………………………………….. 2 Livro de Cultura Popular Madeiren- se……………………………………... 2 Actividades………………………….. 4 Visitas de Estudo………………….. 11 Textos dos Alunos………………….. 15 Momento de Reflexão……………... 21 Culinária…………………………….. 22 Momento de Descontracção……….. 24 Concurso Ortografíadas……………. 3 Blog Adulto Estudante……………… 3 Número 9– Dezembro de 2009 Jornal Trimestral do Ensino Recorrente - Ano IX Editorial Pelo quarto ano consecutivo se publica O Mensageiro do Recorrente, que já vai na sua nona edição. Este jornal on-line tem-se mantido fiel à missão de divulgar projectos e activi- dades dinamizadas pelo ensino recor- rente nas escolas da Madeira e Porto Santo. Para além de sensibilizar a comunidade educativa e público em geral para a problemática da educação de adultos em contexto escolar, pre- tende-se, também, valorizar o trabalho realizado por alunos e professores desta oferta educativa. Nesta edição, fique a conhecer os projectos que a Direcção Regional de Educação da Madeira tem vindo a conce- ber e a imple- mentar no cam- po da educa- ção e formação de adultos, com o objectivo de promover e complementar este campo educativo. São eles: Área de trabalho do ensino recor- rente; Livro de cultura popular madei- rense “Memórias com História”; Con- curso Ortografíadas; Blog Adulto Estu- dante, para não falar neste jornal on- line. Organizações governamentais e não -governamentais dinamizadoras de eventos culturais proporcionam, à população adulta, uma série de oportu- nidades de aprendizagem que os alu- nos do ensino recorrente acabam por usufruir e fruir devido à iniciativa dos seus professores que, atentos ao meio envolvente, organizam visitas de estu- dos ou levam seus alunos a peças de teatro, exposições e eventos comemo- rativos de dias internacionais, bem como a participar em convívios e con- cursos. Este jornal on-line tem dado a conhe- cer aos seus leitores, desde o primeiro número, um pouco da realidade da alfabetização de adultos na Madeira e Porto Santo. Esta direcção regional, no acompanhamento técnico-pedagógico que realiza no âmbito do ensino recor- rente, tem conhecimento de práticas educativas francamente inovadoras e criativas por parte dos professores e que muitas vezes ficam reservadas às quatro pare- des de uma sala de aula. No entanto, O Mensageiro do Recorren- te, ao longo da sua exis- tência, tem tentado pro- porcionar a oportunidade de divulgação esses mes- mos trabalhos e actividades. Por isso, número após número, persistimos na sensibilização de professores para que colaborem connosco escrevendo arti- gos ou enviando trabalhos de alunos. Uma palavra de agradecimento e apreço para todos aqueles que, mais uma vez, tornaram possível este jor- nal. Bem-hajam! Para todos Boas Festas! Direcção Regional de Educação O MENSAGEIRO DO RECORRENTE O Mensageiro do Recorrente Encontra-se disponível no site da Direcção Regional de Educação http://www.madeira-edu.pt/dre

Mensageiro do Recorrente 9 -  · Livro de Cultura Popular Madeirense Área de Trabalho do Ensino Recorrente Os alunos do 1º Ciclo do Básico Recorrente (EBR), em especial os mais

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Mensageiro do Recorrente 9 -  · Livro de Cultura Popular Madeirense Área de Trabalho do Ensino...

  • Nesta edio:

    Editorial... 1

    rea de Trabalho do Ensino Recor-rente..

    2

    Livro de Cultura Popular Madeiren-se...

    2

    Actividades.. 4

    Visitas de Estudo.. 11

    Textos dos Alunos.. 15

    Momento de Reflexo... 21

    Culinria.. 22

    Momento de Descontraco.. 24

    Concurso Ortografadas. 3

    Blog Adulto Estudante 3

    Nmero 9 Dezembro de 2009 Jornal Trimestral do Ensino Recorrente - Ano IX

    Editorial

    Pelo quarto ano consecutivo se publica O Mensageiro do Recorrente, que j vai na sua nona edio. Este jornal on-line tem-se mantido fiel misso de divulgar projectos e activi-dades dinamizadas pelo ensino recor-rente nas escolas da Madeira e Porto Santo. Para alm de sensibilizar a comunidade educativa e pblico em geral para a problemtica da educao de adultos em contexto escolar, pre-tende-se, tambm, valorizar o trabalho realizado por alunos e professores desta oferta educativa.

    Nesta edio, fique a conhecer os projectos que a Direco Regional de Educao da Madeira tem vindo a conce-ber e a imple-mentar no cam-po da educa-o e formao de adultos, com o objectivo de promover e complementar este campo educativo. So eles: rea de trabalho do ensino recor-rente; Livro de cultura popular madei-rense Memrias com Histria; Con-curso Ortografadas; Blog Adulto Estu-dante, para no falar neste jornal on-line.

    Organizaes governamentais e no-governamentais dinamizadoras de eventos culturais proporcionam, populao adulta, uma srie de oportu-nidades de aprendizagem que os alu-nos do ensino recorrente acabam por

    usufruir e fruir devido iniciativa dos seus professores que, atentos ao meio envolvente, organizam visitas de estu-dos ou levam seus alunos a peas de teatro, exposies e eventos comemo-rativos de dias internacionais, bem como a participar em convvios e con-cursos.

    Este jornal on-line tem dado a conhe-cer aos seus leitores, desde o primeiro nmero, um pouco da realidade da alfabetizao de adultos na Madeira e Porto Santo. Esta direco regional, no acompanhamento tcnico-pedaggico que realiza no mbito do ensino recor-rente, tem conhecimento de prticas educativas francamente inovadoras e criativas por parte dos professores e que muitas vezes ficam reservadas s

    quatro pare-des de uma sala de aula. No entanto, O M ensage ir o do Recorren-te, ao longo da sua exis-tncia, tem tentado pro-porcionar a oportunidade de divulgao esses mes-

    mos trabalhos e actividades. Por isso, nmero aps nmero, persistimos na sensibilizao de professores para que colaborem connosco escrevendo arti-gos ou enviando trabalhos de alunos.

    Uma palavra de agradecimento e apreo para todos aqueles que, mais uma vez, tornaram possvel este jor-nal. Bem-hajam!

    Para todos Boas Festas!

    Direco Regional de Educao

    O MENSAGEIRO DO RECORRENTE

    O Mensageiro do Recorrente

    Encontra-se disponvel no site da Direco Regional

    de Educao

    http://www.madeira-edu.pt/dre

  • No mbito do ensino recorrente, a Direco Regional de Educao tem vindo a desenvolver uma srie de servios, da qual faz parte a platafor-ma web rea de Trabalho do Ensino Recor-rente. Esta plata-forma tem por finalidade permitir por um lado, uma maior comunica-o entre profes-sores e entre a DRE e os profes-sores e por outro oferecer um meio que permita a partilha de conhecimen-to e saber-fazer no campo da educa-o/formao de adultos, em geral e da alfabetizao de adultos, em parti-cular.

    Os utilizadores podem comunicar

    entre si de uma forma sncrona, ou seja em tempo real, atravs do chat e de uma forma assncrona, atravs do e-mail (dropbox) e dos fruns de dis-cusso.

    O acesso a esta plataforma est reservado aos utiliza-dores, professores do 1 ciclo do ensino bsico recorrente e visitantes, directores de escolas e IPSS e delegados escola-res inscritos, mediante a apresentao de um nome de utilizador e palavra-

    passe. A rea de Trabalho do Ensino

    Recorrente resulta da parceria entre a Direco de Servios de Educao Pr-Escolar e Ensino Bsico e a Direco de Servios de Tecnologias Educativas desta direco regional.

    Pgina 2 O Mensageiro do Recorrente

    Livro de Cultura Popular Madeirense

    rea de Trabalho do Ensino Recorrente

    Os alunos do 1 Ciclo do Bsico Recorrente (EBR), em especial os mais ido-sos, possuem um conhecimento privile-giado da cultura popu-lar madeirense. So tradies, lendas, hist-rias, vivncias, canti-gas, poesia popular que passaram de gera-o em gerao e que esto guardadas na memria.

    Para que este patri-mnio cultural fique registado, prope-se a edio de um livro de cultura popular madei-rense, a partir da reco-lha de textos junto dos alunos do 1 Ciclo do EBR. Para tal, conta-se com a colaborao dos professores do ensino recor-

    rente no processo de recolha de material. So objectivos deste pro-jecto: valorizar a cultura oral dos alunos do 1 ciclo do EBR; conhecer e divulgar a cultura popular madeirense e preservar a cultura e tradi-es dos diferentes conce-lhos da RAM. Para o livro Memrias com Histria sero aceites, at 26 de Maro de 2010, textos relacionados com a temtica da cultura popular e histrias de vida, nomea-damente: cultura popular: canes, histrias, lendas/contos populares, lenga-lengas, vivncias/tradies religiosas e profanas, qua-

    dras, oraes/crenas, despiques, poesia popular, vocabulrio madeirense, entre outros.

    FICHA TCNICA

    O Mensageiro do Recorrente

    Director: Direco Regional de Educao Editor: Direco Regional de Educao Redaco DRE: Anabela Ch-Ch Montagem: Anabela Ch-Ch Reviso: Lusa Janurio Anabela Ch-Ch Redaco Escolas/IPSS: Escolas * EB1P/E Cmara de Lobos * EB1/PE Lombo Segundo * EB1/PE Campo de Baixo * EB1/PE S. Jorge * EB1/PE Foro * EB1/PE Estreito de Cmara de Lobos * EB1/PE Romeiras * EB1/PE Vargem * EB1/PE Fonte da Rocha Instituies: * Centro Social e Paroquial do Carmo * Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho * Centro de Dia do Canial * Centro Social, Cultural e Paroquial de S. Vicente * Centro de Convvio dos Lameiros * Casa do Povo de Porto Moniz * Complexo Habitacional do Ribeiro Real * Lar Santa IsabelSanta Casa da Misericrdia do Funchal * Associao do Desenvolvimento Comunitrio do Funchal: - Centro Comunitrio da Quinta Falco - Centro Comunitrio de Santo Amaro - Centro Comunitrio dos Viveiros * Lar de Santa Isabel * Centro de Dia da Penteada * Centro Social e Paroquial do Carmo Produo e Edio: Direco Regional de Educao

    Edifcio D. JooRua Cidade do Cabo, n389050-047 Funchal

    http://www.madeira-edu.pt/dre

    PROJECTOS ANO LECTIVO 2009/2010

  • Pgina 3 O Mensageiro do Recorrente

    O projecto Ortografadas um concurso de exerccios ortogrficos destinado a alunos do 1 Ciclo do Ensino Bsico Recorrente.

    Este projecto visa, essencialmente, incentivar e pro-mover, numa perspectiva ldico-didtica, o gosto pela correcta utilizao da Lngua Portuguesa. Tendo como referncia as competncias gerais previstas para o Ensi-no Bsico, pretende-se fomentar o uso correcto da Lngua Portugue-sa para comunicar de forma ade-quada e para estruturar o pensa-mento prprio; realizar actividades de forma autnoma e crtica; prati-car a escrita como meio a desen-volver a compreenso na leitura e finalmente descobrir aspectos fundamentais da estrutura e do funcionamento da lngua.

    Este concurso concretizar-se- em duas eliminatrias e uma final.

    A primeira eliminatria consiste numa prova a realizar em cada escola ou instituio aderentes, sendo admiti-

    dos segunda eliminatria, a concelhia, os quatro (2 efectivos e 2 suplentes) de cada escola/instituio que obtiveram a melhor pontuao, desde que esta no seja inferior a 50% do total da prova.

    A segunda eliminatria consiste numa prova, a realizar numa das escolas ou instituies participantes, onde ficaro apurados para a final 2 efectivos e 2 suplentes,

    por cada concelho. A escolha dos esta-belecimentos de ensino para a realiza-o da final concelhia ser acordada com a respectiva delegao escolar. A final ser realizada na Universida-de da Madeira. Os concorrentes sero acompanhados por um professor res-ponsvel da respectiva escola ou insti-tuio. Todos os participantes na final rece-bero um diploma de participao e os cinco melhores classificados recebero,

    alm de um diploma, um prmio de acordo com a pon-tuao obtida.

    Blog Adulto Estudante No sentido de satisfazer a crescente procura de infor-

    mao sobre a oferta educativa e formativa para adul-tos na RAM, a Direco Regional de Educao prope-se, atravs do Blog Adulto Estudante, disponibilizar e divulgar informao sobre os pos-sveis percursos de qualificao existentes, bem como a rede esco-lar. Este blog tem como objectivo central ajudar os adultos a encon-trar o percursos mais adequado ao seu perfil, expectativas e interes-ses.

    Ainda, como complemento da educao/formao formal divul-gam-se iniciativas de ndole cultu-ral que decorrem nesta Regio e disponibiliza-se informao diversi-ficada de interesse para a popula-o adulta em geral.

    So objectivos deste blog: asse-gurar aos adultos o acesso informao sobre as opor-tunidades de aprendizagem em contexto formal, no-formal e informal, na RAM; divulgar a oferta educativa e formativa para adultos na RAM e ainda promover nos adultos a aprendizagem ao longo da vida.

    Ao consultar o blog ficasse a conhecer os possveis percursos de qualificao. No caso de querer iniciar ou concluir os estudos ao nvel do 1, 2 e 3 ciclos do ensino bsico e ainda do ensino secundrio poder

    optar por um dos seguintes percur-sos: ensino recorrente; sistema de reconhecimento, validao e certifi-cao de competncias; cursos de educao e formao de adultos (Cursos EFA) ; formaes modula-res e vias de concluso do nvel secundrio de educao. Atendendo a que a aprendizagem ao longo da vida um instrumento essencial ao aumento da qualifica-o da populao activa, a Direc-o Regional de Educao preten-de, com este blog proporcionar o acesso a uma srie de informa-es relativas a oportunidades de

    aprendizagem. Pode-se aceder a este blog em htt://

    adultoestudante.blogspot.com e, brevemente, no site da Direco Regional de Educao, mais especifica-mente no Ensino Bsico item Projectos.

    Concurso Ortografadas

  • Pgina 4 O Mensageiro do Recorrente

    No mbito das comemoraes do dia nacional da Pessoa Idosa, os idosos do C. S. P. do Carmo participaram num variado conjunto de actividades.

    No dia 29 de Setembro realizou-se um passeio/visita de estudo Quinta Pedaggica dos Prazeres onde tiveram a oportunidade de provar alguns sabores da terra, desfrutar da Natureza e conviver.

    No dia 1 de Outubro assistimos

    pea de teatro Hello baby! Fui-me embora! na Casa de Cultura de Cmara de Lobos. Foi uma pea muito divertida e ao mesmo tempo tratava de um tema muito srio a violncia domstica. Tambm ouvimos fado, que tanto nos deliciou.

    No dia seguinte, fomos visitar os alunos do Jardim de Infncia do nosso centro. Com as crianas, partilhamos adivinhas, canes, jogos tradicionais e fizemos um bolo para o lanche.

    Por ltimo, no dia 6, visitmos uma exposio de artesanato feito por idosos de outras instituies. Esta mostra de trabalhos teve lugar no Centro Cvico de So Martinho. Aps a visita, tivemos a oportunidade de, tambm ns,

    participarmos na pintura de uma tela. No pintei grande coisa, mas tudo junto, fazia um quadro muito bonito!

    Foi uma semana movimentada e cheia de boa disposio. Vimos coisas bonitas, engraadas, aprendemos coisas novas, partilhmos e, com tudo isto, sentimo-nos bem na nossa idade.

    Aluna Ins Freitas 1 Ciclo do EBR

    Centro Social e Paroquial do Carmo

    Plano Regional de Leitura Ns, os alunos da Escola EB1/

    PE de Cmara de Lobos j demos incio ao PRL Plano Regional de Leitura.

    O primeiro livro que lemos foi Pedro Pesquito e a Cmara dos Lobos de Maria Aurora Carvalho Homem.

    Consideramos esta obra muito interessante, uma vez que se refere nossa esplndida cidade.

    Adormos esta histria porque atravs dela, e com a ajuda da nossa professora, revivemos a nossa infncia que apesar de pobre teve o seu toque de alegria.

    No percam a oportunidade de ler esta magnfica obra!

    Alunos e Prof Alexandra F.

    1 Ciclo do EBR EB1/PE Cmara de Lobos

    ACTIVIDADES

    Semana do Idoso

    A Festa de Halloween do Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho

    No dia 30 de Outubro de 2009, a convite do Centro Paroquial das Preces, festejmos o Dia das Bruxas com muita alegria e divertimentos de bruxarias. Entre gargalhadas, jogos e danas no faltaram os gritos assustadores e o convvio entre formandos.

    Prof Carla Vieira 1 Ciclo do EBR

    Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho

  • Pgina 5 O Mensageiro do Recorrente

    O Magusto

    No dia 11 de Novembro, os dois Centros de Convvio de So Vicente (Vila e Lameiros), juntaram-se para comemorar o dia de So Martinho.

    uma tradio que no se pode perder, para q u e o s nossos netos saibam como s e f a z i a antigamente. Fez-se uma festa com todos os idosos da Vila e dos Lameiros, comeu-se castanhas assadas e cozidas, bebeu-se refresco. O Sr. Professor que assou as castanhas. Foi um dia

    bem passado. Para o ano espero que todos estejam bons de sade, para se fazer outra vez a festa.

    Texto colectivo/Professores: Paulo Bandeira e Patrcia Belo

    1 Ciclo do EBR Centro Social, Cultural e Paroquial de S.

    Vicente & Centro de Convvio dos Lameiros

    Comemorao do Dia Internacional da Pessoa com Deficincia3 de Dezembro

    No dia 3 de Dezembro, pelas 9 horas da manh, os Centros de Convvio da Casa do Porto Moniz saram de Porto Moniz para uma

    visita/actividade no CAO de So Vicente (Centro de Actividades Ocupacionais), com vista a come-morar o Dia Internacional da Pes-

    soa com Deficincia. A actividade foi pensada pelo

    Prof. Srgio, do CAO de So Vicente e Prof. Elisa, do Centro de Convvio de Porto Moniz, Santa. O principal objectivo era o de come-morar o dia de uma forma simbli-ca e promover o convvio entre a diferena, mas sempre respeitan-do a diferena entre todos ns.

    No decorrer da manh os uten-tes e os alunos do CAO foram divididos em grupos e cada grupo foi direccionado para uma activida-de. As actividades desenvolvidas foram: msica, pintura, jogos, con-feco de broas, ginstica e ponto

    de cruz/croch. Esta foi uma manh extrema-

    mente agradvel, ldica e como-vente. Todos participaram de uma forma activa e com entusiasmo nas actividades desenvolvidas conjuntamente.

    No fim da manh realizou-se um lanche convvio onde foram, por exemplo, saboreadas as broas confeccionadas durante a activida-de e os bolos feitos na Casa do Povo de Porto Moniz.

    Professoras Elisa Almeida & Graciela Silva

    1 Ciclo do EBR Casa do Povo do Porto Moniz

    Festa de Natal

    Foi a pensar na festa de Natal que professora e alunas do Ensino R ec or r en t e do Com p l exo

    Habitacional do Ribeiro Real p r o g r am a r am a c t i v i d a d es natalcias para o decorrer da mesma.

    Os preparativos para a festa foram muitos, desde a decorao da sala de aula, a confeco dos doces tpicos da poca, a construo de postais de Natal e a tradicional troca de prendas fizeram parte de algumas dessas actividades.

    No passado dia 17 de Dezembro de 2009, alunas e professora organizaram em conjunto a festinha de Natal. Teve um sabor

    especial, pois foi a primeira vez q u e a s m es m a s a l u n a s participaram numa actividade natalcia fora do ambiente familiar.

    Tivemos tambm a participao e colaborao da D. Manuela Andr e da D. Ldia Abreu do IHM Investimentos Habitacionais da Madeira, E.P.E.

    Foi um convvio bastante divertido, marcado por muita msica, agradveis conversas e a boa disposio.

    Prof Mara Esteves 1 Ciclo do EBR

    Complexo Habitacional do Ribeiro Real

  • Pgina 6 O Mensageiro do Recorrente

    A turma do ensino recorren-te da Escola Bsica do 1. Ciclo com Pr-escolar de Campo de Baixo Porto

    Santo revelou-se muito dinmica e entusiasmada em todas as actividades que se realizaram neste primeiro perodo lectivo.

    O dilogo foi uma constante entre todos os alunos e o professor. Fizeram-se muitas visitas de estudo vir-tuais a vrios locais do mundo, nomeadamente aos vinte e sete pa-ses da Unio Europeia, utilizando o YouTube e a projeco desses vdeos no projector multimdia.

    As visitas virtuais aos pases dos nossos alunos estrangeiros possibili-taram aos outros alunos um melhor conhecimento da realidade cultural desses mesmos locais. Situmo-los no mapa e as tro-cas de saberes culturais foram muito enriquecedoras para todos.

    A comunicao por via electrnica tambm foi fomen-tada visto os alunos praticarem a mesma na turma e com os seus familiares emigrados em todos os conti-nentes.

    Recorreu-se a material reutilizvel para elaborar construes matemticas, realizar a concretizao de

    aprendizagens e fazer a sistematizao de conheci-mentos.

    O ensino recorrente participou tambm para a Festa de Natal da escola com a elaborao de dez postais de Natal para serem enviados pela direco da escola s vrias entidades do meio local, elaborou elementos de decorao das paredes com papel metalizado e reali-zou casinhas de papel para serem colocadas na lapi-nha da escola. Os alunos sentiram-se, profundamente,

    entusiasmados com todas estas actividades. Concomitantemente, realizmos um espao de dilogo dirio alusivo a todos os temas trata-dos nas aulas. Os alunos elabora-ram tambm um postal de Natal para enviar aos seus familiares, for-mulando votos de umas Festas Feli-zes. Todos se sentiram empenhados

    na partilha dos seus conhecimentos e experincias de vida. Foram actividades cativantes para todos.

    Os alunos do Ensino Recorrente da EB1/PE de Cam-po de Baixo Porto Santo e o seu professor formulam votos de um Feliz e Santo Natal e de um Ano Novo repleto de prosperidade, sade, Amor e muita Paz para todos.

    Prof. Jos Raimundo Vasconcelos 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Campo de Baixo

    Actividades da EB1/PE Campo de Baixo

    Plano Regional de LeituraLER PARA APRENDER Os alunos da EB1/PE do Lombo

    Segundo j deram incio ao Plano Regional de Leitura.

    O primeiro livro que lemos foi a histria do Pescador que Nunca Pescava Nada, do escritor Raffaello Bergonse. Esta obra foi sugerida na formao do Plano Regional de Leitura.

    Adormos esta histria porque ensina-nos a no desistir daquilo que gostamos de fazer. Mesmo que apaream obstculos, devemos sempre lutar at conseguirmos o que realmente queremos. Nesta histria est bem visvel o valor da persistncia e do respeito.

    O livro O Segredo do Rio, do escritor Miguel Sousa Tavares, foi outra histria que lemos.

    Os alunos mostraram-se bastante interessados no s pela histria em si, mas tambm na mensagem que nos transmitiu este livro. Discutimos o valor da amizade e, acima de tudo, da solidariedade entre as pessoas.

    Esta a histria de amizade entre um menino que vive no campo e um peixe que vive no

    ribeiro para onde o menino ia brincar. No final, percebemos que o grande segredo do rio est consagrado na gratido que os une. Sem uma vertente moralista, esta uma obra de aprendizagem da vida e dos seus mistrios, das relaes humanas e da descoberta de sentimentos.

    Para alm destas obras, todas as semanas os alunos ouvem e lem uma histria. Algumas so apresentadas pela professora em PowerPoint e depois analisadas por todos.

    Alunos e Prof Aldina Mosca 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo Segundo

  • Pgina 7 O Mensageiro do Recorrente

    No Lar de San-ta Isabel, conce-lho do Funchal, o Dia de S. Marti-nho foi comemo-rado no dia 3 de Novembro junta-

    mente com os alunos do recorren-te, as idosas do referido Lar e, ainda com as idosas do Lar de S. Francisco. A iniciativa contou tam-bm com a participao de alguns familiares que colaboraram acom-panhando os intervenientes duran-te as actividades, contribuindo com doces e salgados para o lanche,

    a s s an d o as casta-nhas e a i n d a apresen-t a n d o u m a s

    quadras alusivas ao S. Martinho

    Durante a manh seguiram-se actividades de atelier, onde os alunos pintaram o tradicional saquinho do po-por-Deus, com tintas prprias. Esta actividade foi de igual modo desenvolvida, ao longo da semana, pelas idosas do

    lar, para que houvesse um para cada uma.

    No decorrer do lanche, alunos e idosas, para alm de se deliciarem com a comida, falavam ou recor-davam o S. Martinho na sua infn-cia.

    Foram momentos de grande diverso e de troca de experin-cias.

    Alunos e Prof. Marco Andrade 1 Ciclo do EBR

    Lar Santa Isabel-Santa Casa da Misericr-dia do Funchal

    Uma ida ao teatro No dia 09 de Dezembro foi

    feita uma visita de estudo ao Cine-Teatro de Santo Antnio, a fim de assistir nova produo teatral do T.E.F (Amigos e Diabretes), de Eduardo Luz e Magda Paixo. Este espectculo relata a histria sobre dois amigos (Carlota e Manelito) que um dia so visitados por um grande diabrete e seu aprendiz, decididos a acabar com a amizade dos dois primeiros. Para alm dos valores morais(amizade e tolerncia), foi possvel

    revermos alguns contedos fala-dos na sala de aula, como por

    exemplo o caso da gripe A, que duma forma muito resumida e bem explcita, serviu de consolidao e debate na sala de aulas. No fim do espectculo foi possvel as alunas dialogarem com os actores da pea com o objectivo de esclare-cerem e satisfazerem algumas curiosidades sentidas antes, durante e aps o espectculo.

    Um Espectculo a no perder, seja por midos ou grados!

    Actividades do Lar de Santa Isabel Santa Casa da Misericrdia do Funchal

    Po-por-Deus no Lar Santa Isabel

    Cmara Municipal do Funchal premeia Prespios Decorreu no dia 11 de Dezem-

    bro, no trio da Cmara Municipal do Funchal, a cerimnia de entre-ga dos prmios referentes segunda edio do concurso Prespio Ecolgico, uma iniciati-va, promovida pela Autarquia do Funchal, que contou com a adeso de 26 associaes/escolas.

    Perante este desafio, as a l unas do ensino Recor-rente e algu-mas idosas do

    Lar debruaram-se afincadamente sobre qual o material que iriam utilizar. Uma delas tinha olhado para um tabuleiro de ovos, em carto e, sugeriu que fosse esse um dos materiais. A partir da iam surgindo outras propostas.

    Dias aps a concretizao do trabalho saram os resultados e soubemos que tnhamos ficado em primeiro lugar em ex-aqueo com outras 4 Instituies.

    Todo o trabalho tem o valor e, mais que o prmio (vouchers para compra de material didctico, no

    valor de 150 euros) foi a satisfao e alegria dos alunos pelo reconhecimen-to que tiveram, ele-vando deste modo a sua auto-confiana e auto-estima.

    Para alm disso, esta uma iniciativa muito positiva, porque sensibiliza as pessoas para a valo-rizao e reutilizao dos res-duos.

    Os prespios do concurso esto patentes no Mercado dos Lavrado-res.

  • Este bloco pode conter entre 150 e 200 pala-vras.

    Uma das vantagens de utilizar o boletim como veculo promocional o facto de poder reutili-zar contedos de outro material de marketing, tais como comunicaes imprensa, estudos de mercado e relatrios.

    Apesar de o objectivo principal da distribuio de um boletim ser a venda do produto ou ser-vio, o segredo para o sucesso de um boletim torn-lo til para os leitores.

    Um modo excelente de adicionar contedo til a um boletim desenvolver e escrever os seus prprios artigos, incluir um calendrio de acon-tecimentos futuros ou uma oferta especial que promova o produto.

    Tambm poder encontrar artigos para o bole-tim acedendo World Wide Web. Pode escre-ver sobre vrios tpicos, mas no crie artigos

    demasiado longos.

    Grande parte do contedo do boletim pode ser utilizado no Web site. O Microsoft Publi-sher fornece um modo simples de converter um boletim numa publicao da Web. Deste modo, quando tiver terminado de o escrever, pode convert-lo num Web site e public-lo.

    Aps ter seleccionado uma imagem, coloque-a perto do artigo. Certifique-se de que coloca a legenda perto da imagem.

    Este bloco pode conter entre 75 e 125 pala-vras.

    A seleco de imagens ou grficos uma parte importante da adio de contedo ao boletim.

    Pense no seu artigo e pergunte a si prprio se a imagem suporta ou melhora a mensagem que est a tentar transmitir. Evite seleccionar ima-gens que paream estar fora do contexto.

    O Microsoft Publisher inclui milhares de ima-gens de ClipArt que poder seleccionar e importar para o seu boletim. Existem ainda vrias ferramentas que poder utilizar para desenhar formas e smbolos.

    Para chamar a ateno do leitor,

    coloque uma frase interessante ou uma

    citao do bloco aqui.

    Alguns boletins incluem uma coluna que actualizada em todas as edies, tal como uma coluna de conselhos, uma crtica a livros, uma carta do presidente ou um editorial. Tambm poder apresentar novos funcionrios ou os melhores clientes ou fornecedores.

    Este bloco pode conter entre 100 e 150 pala-vras.

    Os temas que podem aparecer nos boletins so virtualmente ilimitados. Pode incluir histrias sobre tecnologias ou inovaes actuais na sua rea de negcios.

    Tambm poder indicar tendncias comerciais ou econmicas ou fazer previses para os seus clientes.

    Se o boletim for distribudo internamente, poder falar de novos procedimentos ou melhorias registadas na empresa. Os valores de vendas ou lucros indicaro o crescimento da empresa.

    Pgina 8 Ttulo do boletim

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Pgina 8 O Mensageiro do Recorrente

    Actividades da EB1/PE de S. Jorge

    Dia Mundial do Corao e Dia Mundial da gua Com o objectivo de come-morar o Dia Mun-dial do

    Corao (28 de

    Setembro) e o Dia Mundial da gua (1 de Outubro), os alunos do ensino recorrente da EB1/PE de So Jorge realizaram uma cami-nhada pela freguesia, tendo em

    ateno alguns poos existentes na zona.

    Durante duas horas e quarenta e cinco minutos de caminha-da, encontrmos seis poos antigos mas com muita tradio.

    Visitmos o Poo das Laranjeiras, o Poo dos Leandros, o Poo dos Chapas, o Poo das Vitorinas, o Poo das Furnas e o Poo das

    Bicas. Descobrimos tambm que estes nomes, regra geral, esto

    relacionados com os apelidos dos herdeiros dos terrenos onde os poos esto localiza-dos. Foi uma caminhada espectacular e que que-remos repetir!

    Alunos e Prof Carla Silva 1. CEBR

    EB1/PE So Jorge

    Dia das Bruxas (Halloween) Par a assinalar o dia da Bruxas, a nossa tur-ma arran-

    jou abboras e com a ajuda de

    uma faca ps mos obra. Colo-cmos uma vela no interior e o resultado foi mesmo assustador!

    Com guardanapos, jornais e car-tolinas construmos tambm umas bruxinhas que espalhmos pela escola.

    Dia de S. Martinho

    Para comemorar o dia de So Martinho, a nossa turma leu e

    explorou a Lenda alusiva a esta poca. A par disto, realizou um cartaz com alguns dos provrbios relacionados com este dia. Para tal, contmos com a sabedoria popular e com a ajuda da Internet.

    Como se no bastasse, e como a nossa professora faz anos no dia 11 de Novembro, dirigimo-nos ao Fio, na Freguesia de So Jorge,

    para fazer um Magusto. Este um local bastante agradvel e com paisagens magnficas.

    Trabalhos de Natal Nas ltimas semanas, a nossa turma dedicou-se s actividades de expresso plstica para decorar a escola. Realizmos uma

    rvore de Natal (e todos os seus adereos), postais, estrelinhas, montmos a nossa Lapinha, ouvimos e tambm cantmos

    muitas msicas natalcias. Fizemos todo este trabalho com

    muita alegria e animao!

    Poo das Laranjeiras

    Poo das Vitorinas

  • Pgina 9 O Mensageiro do Recorrente

    No dia 12 de Novembro pelas 19h os formandos e docente da EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, receberam na sua escola, os formandos e respectivos docentes, das escolas EB1/PE do Foro e das Romeiras, para comemorarem juntos o dia de S. Martinho.

    As castanhas foram oferecidas pelos docentes das escolas. Cada formando partilhou algo preparado por si, com os restantes, alusivo ao dia de S. Martinho. Foi um momento bastante interessante e divertido de partilha e troca de experincias pessoais, entre formandos e docentes.

    Professores: Olga Pinto (EB1/PE do Foro) Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos)

    Vtor Tuna (EB1/PE das Romeiras) 1 Ciclo do EBR

    O Magusto

    Visita ao Funchal

    No dia 15 de Dezembro pelas 17h os formandos e docentes das escolas EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, da Fonte da Rocha, do Foro, das Romeiras

    e Vargem, do concelho de Cmara de Lobos, realiza-ram uma visita ao Funchal.

    Esta visita transformou o sonho de muitos dos for-mandos em realidade, o de ver a cidade do Funchal iluminada especificamente para a poca Natalcia. Para estes adultos foi um privilgio ver to bonita cida-de, transformada num prespio.

    A envolvncia criada pela iluminao e decorao, cria o to aclamado e desejado, esprito Natalcio. Pro-vocando em quem observa a cidade e a vive, to nobres sentimentos vividos especialmente no Natal: o Amor, a Fraternidade e Partilha.

    Professores: Liliana Serra(EB1/PE Fonte da Rocha)

    Olga Pinto (EB1/PE do Foro) Janette Ramos (EB1/PE da Vargem)

    Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos) Vtor Tuna (EB1/PE das Romeiras)

    1 Ciclo do EBR

    Actividades das Escolas de Cmara de Lobos

    Passeio na Nau Santa Maria de Colombo No dia 24 de Novembro os formandos, juntamente

    com os docentes, do ensino recorrente das escolas EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, do Foro, das Romeiras e Vargem, do concelho de Cmara de Lobos velejaram ao longo da costa Madeirense na Nau Santa Maria de Colombo.

    Este momento nico, levou-nos de volta ao sc. XV, dando-nos oportunidade de conhecer as condies da viagem histrica de Colombo atravs do Atlntico descoberta das ndias. Desta feita, explormos e demos a conhecer aos nossos formandos, de uma forma prtica e, quase em contexto real, a nossa hist-ria, respeitante os descobrimentos portugueses.

    Mais um momento ldico/pedaggico, de relevante interesse para todos os envolvidos nesta actividade, recumos assim no tempo, para descobrirmos os grandes feitos dos nossos navegadores.

    Professores: Olga Pinto (EB1/PE do Foro) Janette Ramos (EB1/PE da Vargem)

    Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos) Vtor Tuna (EB1/PE das Romeiras)

    1 Ciclo do EBR

  • Este bloco pode conter entre 150 e 200 palavras.

    Uma das vantagens de utilizar o boletim como veculo promo-cional o facto de poder reuti-lizar contedos de outro mate-rial de marketing, tais como comunicaes imprensa, estu-dos de mercado e relatrios.

    Apesar de o objectivo principal da distribuio de um boletim ser a venda do produto ou servio, o segredo para o sucesso de um boletim torn-lo til para os leitores.

    Um modo excelente de adicio-

    nar contedo til a um boletim desenvolver e escrever os seus prprios artigos, incluir um calendrio de acontecimen-tos futuros ou uma oferta especial que promova o produ-to.

    Tambm poder encontrar artigos para o boletim aceden-do World Wide Web. Pode escrever sobre vrios tpicos, mas no crie artigos demasiado longos.

    Grande parte do contedo do boletim pode ser utilizado no Web site. O Microsoft Publi-sher fornece um modo simples

    de converter um boletim numa publicao da Web. Deste modo, quando tiver terminado de o escrever, pode convert-lo num Web site e public-lo.

    importar para o seu boletim. Existem ainda vrias ferramen-tas que poder utilizar para desenhar formas e smbolos.

    Aps ter seleccionado uma imagem, coloque-a perto do artigo. Certifique-se de que coloca a legenda perto da ima-gem.

    Este bloco pode conter entre 75 e 125 palavras.

    A seleco de imagens ou grfi-cos uma parte importante da adio de contedo ao boletim.

    Pense no seu artigo e pergunte a si prprio se a imagem supor-ta ou melhora a mensagem que est a tentar transmitir. Evite seleccionar imagens que pare-am estar fora do contexto.

    O Microsoft Publisher inclui milhares de imagens de ClipArt que poder seleccionar e

    melhorias registadas na empre-sa. Os valores de vendas ou lucros indicaro o crescimento da empresa.

    Alguns boletins incluem uma coluna que actualizada em todas as edies, tal como uma coluna de conselhos, uma crti-ca a livros, uma carta do presi-dente ou um editorial. Tambm poder apresentar novos fun-cionrios ou os melhores clien-tes ou fornecedores.

    Este bloco pode conter entre 100 e 150 palavras.

    Os temas que podem aparecer nos boletins so virtualmente ilimitados. Pode incluir histrias sobre tecnologias ou inovaes actuais na sua rea de negcios.

    Tambm poder indicar ten-dncias comerciais ou econ-micas ou fazer previses para os seus clientes.

    Se o boletim for distribudo internamente, poder falar de novos procedimentos ou

    Para chamar a ateno do leitor,

    coloque uma frase interessante ou uma

    citao do bloco aqui.

    Pgina 10 O Mensageiro do Recorrente

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Pgina 10 O Mensageiro do Recorrente

    Sorteio do Cabaz de Natal

    Os formandos e docentes do ensino recorrente das escolas EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, do

    Foro, das Romeiras e Vargem, juntaram-se no dia 16 de Dezembro para celebrarem o Natal juntos, numa ceia de Natal.

    Esta celebrao teve lugar no Funchal, no Restau-rante Gran Brasa. Mais uma vez estes alunos, tiveram a oportunidade de conviver e partilhar o Esprito de Natal e os sentimentos que da advm.

    A ceia de Natal foi muito agradvel. No final os alu-nos, juntamente com os docentes, passearam a p pela Ajuda, observando e sentindo o efeito da ilumina-o colocada precisamente para esta poca.

    Professores: Olga Pinto (EB1/PE do Foro)

    Janette Ramos (EB1/PE da Vargem) Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos)

    Vtor Tuna (EB1/PE das Romeiras) 1 Ciclo do EBR

    Jantar de Natal

    Mais uma etapa ultrapassada Os professores do ensino recorrente das escolas

    EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, do Foro, das Romeiras e da Vargem vo realizar uma visita de estudo com os seus formandos a Ftima e Lisboa.

    Tal como do conhecimento geral, estes adultos, na sua maioria idosos, vivem de pequenas reformas, no tendo condies financeiras para suportar os custos que acarretam esta viagem. De forma a colmatar algumas despesas, os professores e formandos colocaram mos obra e sortearam um Cabaz de Natal.

    No dia 18 de Dezembro, pelas 16h, foi realizado na Junta de Freguesia do Estreito de Cmara de Lobos, o sorteio do Cabaz de Natal, oferecido pela empresa S. Este sorteio foi realizado na presena de um elemento da Junta de Freguesia, dos 4 professores e de 4

    alunos das Escolas EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, do Foro, das Romeiras da Vargem e de um inspector da secretaria regional de turismo da Madeira.

    Das 1000 rifas sorteadas, numeradas de 0 a 999, o nmero contemplado foi: 741, sendo o seu comprador Romano Pereira, do Estreito de Cmara de Lobos.

    Desde j, o nosso muito obrigado a todos os que contriburam para to nobre causa.

    Professores: Olga Pinto (EB1/PE do Foro) Janette Ramos (EB1/PE da Vargem)

    Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos) Vtor Tuna (EB1/PE das Romeiras)

    1 Ciclo do EBR

    Actividades das Escolas de Cmara de Lobos (Continuao)

  • Este bloco pode conter entre 150 e 200 palavras.

    Uma das vantagens de utilizar o boletim como veculo promo-cional o facto de poder reuti-lizar contedos de outro mate-rial de marketing, tais como comunicaes imprensa, estu-dos de mercado e relatrios.

    Apesar de o objectivo principal da distribuio de um boletim ser a venda do produto ou servio, o segredo para o sucesso de um boletim torn-lo til para os leitores.

    Um modo excelente de adicio-

    nar contedo til a um boletim desenvolver e escrever os seus prprios artigos, incluir um calendrio de acontecimen-tos futuros ou uma oferta especial que promova o produ-to.

    Tambm poder encontrar artigos para o boletim aceden-do World Wide Web. Pode escrever sobre vrios tpicos, mas no crie artigos demasiado longos.

    Grande parte do contedo do boletim pode ser utilizado no Web site. O Microsoft Publi-sher fornece um modo simples

    de converter um boletim numa publicao da Web. Deste modo, quando tiver terminado de o escrever, pode convert-lo num Web site e public-lo.

    importar para o seu boletim. Existem ainda vrias ferramen-tas que poder utilizar para desenhar formas e smbolos.

    Aps ter seleccionado uma imagem, coloque-a perto do artigo. Certifique-se de que coloca a legenda perto da ima-gem.

    Este bloco pode conter entre 75 e 125 palavras.

    A seleco de imagens ou grfi-cos uma parte importante da adio de contedo ao boletim.

    Pense no seu artigo e pergunte a si prprio se a imagem supor-ta ou melhora a mensagem que est a tentar transmitir. Evite seleccionar imagens que pare-am estar fora do contexto.

    O Microsoft Publisher inclui milhares de imagens de ClipArt que poder seleccionar e

    melhorias registadas na empre-sa. Os valores de vendas ou lucros indicaro o crescimento da empresa.

    Alguns boletins incluem uma coluna que actualizada em todas as edies, tal como uma coluna de conselhos, uma crti-ca a livros, uma carta do presi-dente ou um editorial. Tambm poder apresentar novos fun-cionrios ou os melhores clien-tes ou fornecedores.

    Este bloco pode conter entre 100 e 150 palavras.

    Os temas que podem aparecer nos boletins so virtualmente ilimitados. Pode incluir histrias sobre tecnologias ou inovaes actuais na sua rea de negcios.

    Tambm poder indicar ten-dncias comerciais ou econ-micas ou fazer previses para os seus clientes.

    Se o boletim for distribudo internamente, poder falar de novos procedimentos ou

    Para chamar a ateno do leitor,

    coloque uma frase interessante ou uma

    citao do bloco aqui.

    Pgina 11 O Mensageiro do Recorrente

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Pgina 11 O Mensageiro do Recorrente

    No dia 15 de Setembro pelas 13:30h os formandos do ensino recorrente, acompanhados pelos respectivos docentes, do conce-lho de Cmara de Lobos, especi-ficamente das escolas EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos, do Foro, das Romeiras e da Vargem, realizaram uma visita de estudo ao Garajau.

    A visita de estudo teve como finalidade dar a conhecer a estes formandos, mais um dos cantinhos de eleio da ilha da Madeira. Durante esta tarde, os formandos visitaram o Cristo Rei, e desceram at praia de telef-rico. O que para muitos foi uma

    iniciao nesta lide. Esta experincia, de interesse

    cultural, para alm de multiplicar os seus conhecimentos a nvel histrico, despertou tambm o interesse pela descoberta das nossas razes histricas. Foi um

    momento ldico/pedaggico de

    grande interesse, em que se mis-turou aprendizagem, diverso e prazer.

    Professores: Olga Pinto (EB1/PE do

    Foro) Janette Ramos (EB1/PE da Vargem)

    Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cma-ra de Lobos)

    Vitor Tuna (EB1/PE das Romeiras) 1 Ciclo do EBR

    Visita de Estudo ao Garajau

    VISITAS DE ESTUDO

    Visita de Estudo- Telefrico/ Monte/ Igreja e Quinta Berardo No dia 16 de Outubro pelas 8 h 3 0 , o s utentes dos Centros de Convvio da Casa do povo de Porto Moniz deslocaram-se ao Funchal a

    fim de realizarem uma visita de estudo.

    Quando chegmos ao Funchal real i zmos um passeio no

    telefrico Funchal/Monte. Neste passeio todos puderam observar a beleza paisagstica do Funchal e vivenciar novas experincias e sensaes.

    D e s eg u i d a , t i v e r am a oportunidade de visitar a Igreja do Monte, onde aproveitaram para fazer algumas oraes padroeira do Funchal.

    Depois do almoo convvio, fomos visitar a Quinta Berardo, onde pudemos usufruir de uma visita guiada pela quinta e

    conhecer culturas de todo o Mundo, compreender um pouco da histria do nosso pas, bem como visualizar vrias espcies de plantas e animais.

    Este dia, de uma forma geral, foi cansativo para todos ns, mas mesmo assim valeu muito a pena por tudo o que puderam conhecer e vivenciar.

    Professoras: Elisa Almeida &

    Graciela Silva 1 Ciclo do EBR

    Casa do Povo do Porto Moniz

    Visita de Estudo Fbrica da Insular, Canial No dia 11 de Novembro pelas

    8h30m da manh os utentes dos Centros de Convvio da Casa do Povo de Porto Moniz saram no autocarro da Cmara Municipal de Porto Moniz, para a participao em mais uma visita de estudo. O destino foi o Canial- Fbrica da Insular. Aqui pudemos usufruir de uma visita guiada pelas instalaes da fbrica das massas e das bolachas. Durante a visita pudemos constatar todo o

    processo que necessrio at os produtos chegarem s nossas prateleiras dos supermercados.

    De uma forma ldica e descontrada vimos todo o processo da confeco das massas e bolachas.

    No fim desta visita to agradvel fomos almoar cidade de Machico, onde ainda todos tiveram tempo de passear pelas belas ruas e seus comrcios, bem como pela promenade observando a

    beleza do mar e da cidade. Depois de um belo dia de

    aprendizagem de novos saberes, regressmos a Porto Moniz.

    Professoras Elisa Almeida & Graciela Silva

    1 Ciclo do EBR Casa do Povo do Porto Moniz

  • Pgina 12 O Mensageiro do Recorrente

    Visita Biblioteca Itinerante A ideia de biblioteca itinerante da Secr etar ia Regional de Edu-cao ainda faz parte das mem-rias dos mais velhos o tempo em que carrinhas d a F und a o

    Calouste Gulbenkian percorriam as mais recnditas fre-guesias, levando histrias e aventuras, em forma de livros.

    Prof Carla Vieira 1 Ciclo do EBR

    Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho

    Visita de Estudo

    No dia 17 de Novembro de 2009, u m p e q u e n o g r u p o d e frequentadores do curso de alfabetizao da EB1/PE de Cmara de Lobos visitou o Museu

    Municipal do Funchal (Histria Natural).

    Ali observmos o aqurio de gua salgada que apresenta 15

    tanques com exemplares marinhos da costa madeirense e a e x p o s i o A r a n h a s d o Arquiplago da Madeira, onde encontrmos espcies endmicas do arquiplago da Madeira, assim

    como, aranhas que diariamente coabitam connosco nos jardins, campos e casas.

    De seguida fomos ao museu Madeira Wine Company. Neste magnfico espao encontrmos em exposio cartas, documentos variados, livros, mquinas e utenslios relacionados com o fabrico do vinho, para alm dos tonis e das cubas.

    E s t a v i s i t a f o i m u i t o enriquecedora e gratificante e ficar, sem dvida, na memria de todos.

    Alunos e Professora Alexandra Ferreira

    1 Ciclo do EBR EB1/PE de Cmara de Lobos

    Visita de Estudo ao Santo da Serra No dia 13 de Novembro pelas 13:30h os formandos

    e respectivos docentes, do ensino recorrente, das escolas e instituies, do concelho de Cmara de Lobos, realizaram uma visita de estudo ao jardim do Santo da Serra.

    Esta visita de estudo, organizada pelos docentes, teve o intuito de dar a conhecer aos formandos, diferentes espcies de animais e plantas, que esto ao dispor neste jardim.

    Esta visita de estudo foi bastante enriquecedora quer a nvel da aprendizagem, quer a nvel de convvio e confraternizao dos formandos.

    Olga Pinto (EB1/PE do Foro) Janette Ramos (EB1/PE da Vargem)

    Raquel Cardoso (EB1/PE do Estreito de Cmara de Lobos) Vtor Tuna (EB1/PE das Romeiras)

    1 Ciclo do EBR

  • Pgina 13 O Mensageiro do Recorrente

    No dia 4 de Dezembro de 2009, ns, os alunos do ensino recorren-te, fizemos uma visita de estudo ao Museu Quinta das Cruzes Funchal.

    Tivemos uma visita guiada onde tommos conhecimento das vrias coleces que fazem parte deste Museu.

    As coleces que encontrmos no Museu Quinta das Cruzes so constitudas, maioritariamente, por bens de natureza artstica, artes decorativas. Estas coleces abrangem grupos variados como a pintura, escultura, cermica, dese-nhos e gravuras, mobilirio, ourive-saria e joalharia que se situam cronologicamente entre os sculos XV e a 1 metade do sculo XX, abrangendo toda a produo euro-

    peia e oriental, com destaque para a produo portuguesa.

    Encontrmos, tambm, outros ncleos menos comuns, como o ncleo de glptica, que agrupa

    peas que remontam ao sculo III a.C. e ainda o ncleo escultrico que se encontra disperso no jardim e que integra elementos arquitec-tnicos e funerrios, das mais diversas origens, mas sobretudo de igrejas, conventos e edifcios pblicos, alguns dos quais edifica-dos nos finais do sculo XV.

    Nesta visita verificmos, tam-bm, que o esplio do Museu Quinta das Cruzes engloba ainda

    outras coleces, tais como instru-mentos musicais, meios de trans-porte, metais, ncleo arqueolgico, txteis e vidros, encontrando-se estas em menor quantidade no global deste patrimnio.

    Depois de termos observado todo este patrimnio histrico/cultural e para nos divertirmos um pouco, fomos ao jardim do museu e ouvimos umas msicas no ORQUESTROFONE, instrumento exposto ao pblico nos jardins do Museu Quinta das Cruzes. um instrumento de diverso e de reproduo musical mecnico, demonstrativo da relao estreita entre a histria da cincia, da arte e do entretenimento. Foi-nos dito que datado de 1900 e que pos-sui uma extensa listagem de 167

    cartes musicais perfurados.

    Alunos e Professora

    Aldina Mosca

    1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo

    Segundo

    Visita de Estudo ao Museu Quinta das CruzesFunchal

    Visita guiada ao Aqurio de Porto Moniz

    e actividades no Centro de Cincia Viva de Porto Moniz

    No mbito do projecto da Sra. Alexandra Silva Lazer e Recreao, os utentes do Centro de Convvio de Porto Moniz, Santa, foram convidados a participar neste projecto to interessante. Este foi um projecto

    desenvolvido pela Sra. Alexandra Silva no decorrer do seu curso na Universidade da Madeira e no qual, gentilmente fomos convidados a participar.

    A tarde comeou no Aqurio da Madeira onde todos puderam conhecer as diferentes espcies de peixes ali existentes.

    Posteriormente, seguimos a p para o Centro de Cincia Viva de Porto Moniz onde todos participaram nas experincias interactivas relacionadas com a Floresta Laurissilva.

    No decorrer da tarde todos ficaram a saber de uma forma simples um pouco sobre a histria do Forte de So Joo Baptista do Porto Moniz, como tambm, um pouco sobre a histria do centro de Cincia Viva desde a sua abertura e seus projectos.

    Esta foi uma tarde de novos conhecimentos e novas experincias.

    No fim da tarde todos conviveram num pequeno lanche.

    Professoras Elisa Almeida & Graciela Silva

    1 Ciclo do EBR Casa do Povo do Porto Moniz

  • Pgina 14 O Mensageiro do Recorrente

    Visita de Estudo Casa Museu Frederico de Freitas

    No dia 11 de Dezembro de 2009, ns, os alunos do ensino recorrente, fizemos uma visita de estudo Casa - Museu Frederico de Freitas.

    Atravs da visita guiada, tommos conhecimento que as coleces da Casa - Museu encontram-se expostas de modo a reflectir o ambiente da antiga moradia do coleccionador, com Artes Decorativas portuguesas e estrangeiras, desde meados do sculo XVI ao sculo

    XX. No mobilirio observmos algumas obras portugue-

    sas de meados do sculo XVII-XVIII, assim como o mobilirio ingls de meados do sculo XVIII e XIX. Referncia especial deve dar-se coleco de escultu-

    ra portuguesa desde meados do sculo XVI at ao sculo XVIII. Observmos, tambm, pintura portuguesa e europeia de meados do sculo XVIII e XIX, assim

    como uma importante coleco de gravuras, desenhos e aguarelas da Madeira do sculo XIX.

    Na cermica, reconhece-se um vasto leque de tipolo-gias e origens, com exemplares sobretudo europeus e orientais.

    Como estamos na poca natalcia, observmos que esto expostas algumas coleces de prespios e a lapinha do menino Jesus. Fomos, ainda, ao ptio da Casa - Museu ver o prespio

    Para terminar esta visita, realizmos uma actividade

    de expresso plstica alusiva ao Natal.

    Alunos e Professora Aldina Mosca 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo Segundo

  • Pgina 15 O Mensageiro do Recorrente

    Castanhas, castanhas, Assadinhas com sal,

    Quentinhas, quentinhas, Que no te faam mal!

    Saltitam, crepitam, Toma l e d c.

    S. Martinho sem vinho, Castanhas no h.

    Aluna Antonieta Teixeira

    1 Ciclo do EBR Associao Desenvolvimento Comunitrio

    do Funchal Centro Comunitrio da Quinta Falco

    So Martinho

    TEXTOS DOS ALUNOS

    Provrbios Populares

    No Dia de So Martinho vai adega e prova o vinho.

    Pelo S. Martinho todo o mosto bom vinho.

    Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.

    No dia de S. Martinho todo o vinho velho.

    Pelo So Martinho mata o porquinho, prova o vinho e no te esqueas do teu vizinho.

    Pelo So Martinho bebe o bom vinho e deixa a gua para o moinho.

    Dia de S. Martinho fura o teu pipinho.

    Do dia de S. Martinho ao Natal, o mdico e o boticrio enchem o teu bornal.

    Pelo S. Martinho mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.

    Se queres pasmar teu vizinho lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho.

    Alunos e Prof Aldina Mosca 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo Segundo

    Quadras Hoje dia de alegria

    dia de So Martinho Vamos fazer uma festa E vamos provar o vinho.

    Ainda vamos ter

    O Vero de So Martinho So uns trs dias

    E mais um bocadinho.

    Vamos comer castanhas Vamos beber um copinho

    Vamos ficar alegres dia de So Martinho.

    So Martinho um Santo um santo muito nobre

    Partiu a sua capa Para cobrir o pobre.

    Como bom comer Castanhas assadas E no magusto ver

    As meninas coradas.

    Na rua est um vendedor De castanhas assadas com esforo e amor

    Que faz feliz a rapaziada.

    Todo o dia a apanhar chuva Coitado do vendedor!

    Mas beira das castanhas Fica cheio de calor.

    O S. Martinho est a chegar A lareira vou acender

    Para as castanhas assar E contigo as comer.

    Que lindo o Outono! Que lindo que !

    Uvas e castanhas D-me o av Z.

    dia de S. Martinho a festa das castanhas Em vez de Sol h chuva

    Outono ningum estranha.

    Dia 11 de Novembro o dia de S. Martinho

    Come-se a castanha assada E mais o caldo verdinho.

    Alunos e Prof Aldina Mosca 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo Segundo

  • Pgina 16 O Mensageiro do Recorrente

    Cano

    A fogueira est acesa,

    As castanhas retalhadas.

    Postas no lume quentinho,

    No tarda j esto assadas.

    Algumas estoiram no ar,

    E tudo fica contente! (refro)

    Toca a rir e a brincar,

    Chegam para toda a gente.

    C esto elas, to loirinhas,

    Boas, quentes e tostadas!

    A cara, a roupa e as mos,

    vo ficar enfarruscadas.

    (refro) Alunos e Prof Aldina Mosca

    1 Ciclo do EBR EB1/PE Lombo Segundo

    Em dia de So Martinho atesta e abatoca o teu vinho.

    Martinho bebe o vinho, deixa a gua para o moinho.

    No h bacorinho sem seu So Martinho.

    A cada bacorinho, vem seu So Martinho.

    No dia de So Martinho, come-se castanhas e bebe-se vinho.

    No dia de So Martinho, lume, castanhas e vinho.

    Pelo So Martinho todo o mosto bom vinho.

    Pelo So Martinho, deixa a gua para o menino.

    Quem bebe no So Martinho faz de velho e de menino.

    Queres pasmar o So Martinho? Lavra e esterca plo So Martinho.

    Se o Inverno no erra caminho, temo-lo pelo So Martinho.

    Vero de So Martinho so trs dias e mais um bocadinho.

    Alunos e Prof Carla Silva

    1 Ciclo do EBR EB1/PE So Jorge

    Provrbios sobre o So Martinho

  • Pgina 17 O Mensageiro do Recorrente

    As Feitiarias do Dia das Bruxas noutros tempos

    O Gato Preto traz as Bruxas! No ano a seguir ao meu casamento fui visitar os

    padrinhos do meu casamento. Na hora de voltar a casa, ao lado da portada havia um palheiro e uma ano-neira. Um gato miou e o meu marido rapidamente jogou uma pedra em direco ao gato. Ns viemos para cima, para casa para a Ribeira de Machico. Ora, a verdade que o meu marido depois de ter atirado a pedra ao gato ficou paralisado. Durante duas horas no pode andar. Havia um ribeiro onde catou um galo. Desesperadamente o meu marido levantou os braos e ficou curado.

    Aluna Maria de Freitas Spnola

    No faam mal aos Gatos no Dia das Bruxas! O meu pai quando era novo foi a Santana a p bus-

    car semilhas para plantar. Chegou ao portal de Santa-na encontrou uma gato preto. Deu-lhe um pontap. A bota rebentou. Apareceu uma senhora conhecida e num instante coseu a bota do meu pai para ele conti-nuar para o seu destino. H l coisas!

    Aluna Teresa Vieira

    Caa s bruxas H 80 anos dois senhores foram para a Igreja e dei-

    taram na pia de gua Benta matos do caminho para fazerem a Caa s Bruxas. Terminou a missa e a Caa s Bruxas deu resultado! Quatro ou cinco senhoras ficaram presas na Igreja. Esperaram a bno do Senhor Padre para poderem sair. As Bruxas foram apanhadas!

    Aluna Maria Celeste

    Nem sempre obra das Bruxas H alguns anos, no dia 31 de Outubro, o meu tio saiu

    para a venda com os amigos. Chegavam no peso da noite e o pai no gostava. O pai espreitava sempre a hora de chegada. Um dia, decidiu vestir-se com roupas de assustar e um bordo na mo e em cima de uma pedra esperou pelo filho na vereda. O filho olhou e viu tal monstro ficou muito assustado e em vez de ir para casa fugiu para casa da vizinha. O pai, bem calado foi para casa e meteu-se na cama. No dia seguinte, o filho contou ao pai o sucedido. O pai com cara de espanto perguntou se era maior do que ele muito maior res-pondeu o filho assustado. Ora, o pai conseguiu que o filho ficasse mais tempo em casa sem as noitadas.

    Aluna Isabel Rodrigues

    Textos dos alunos e Prof Carla Vieira 1 Ciclo do EBR

    Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho

  • Pgina 18 O Mensageiro do Recorrente

    Homenagem Ilha da Madeira Onde a terra comea e termina no mar

    Madeira, seara linda

    Mar infinda Que o tempo ondeia,

    terra, s to formosa Flagrante rosa s lua cheia.

    Ilha verde e amena

    Repleta de sol e encantos Banhada por um oceano

    Resplandecente e sereno.

    Teus jardins, E montanhas,

    So jias da tua beleza Com viosos campos verdejantes s uma ilha linda e Portuguesa.

    Alunos e Prof Mara Esteves

    1 Ciclo do EBR Complexo Habitacional do Ribeiro Real

    A minha escola

    A minha escola divertida e fica perto da minha casa.

    Eu na escola aprendo mui-tas coisas, a ler, a escrever, a contar, a bordar e at a saber ouvir.

    Eu gosto da minha profes-sora porque bonita, simp-tica e ensina bem.

    A sala ainda no tem qua-

    dro, nem mesas para todas as alunas, mas iremos ter em breve. Ser prenda de Natal? Na escola, conversamos e faze-mos novas amizades, aqui que eu encontro o caminho das letras.

    Aluna Carla Santos 1 Ciclo do EBR

    Complexo Habitacional do Ribeiro Leal

    Plano Regional de LeituraLER PARA APRENDER Deixamos aqui os resumos das obras que j lemos e

    analismos no mbito do Plano Regional de Leitura. 1 Livro: O Pescador que Nunca Pescava Nada Gostmos muito desta histria porque fala de um

    pescador muito, muito persistente. Tinha canas, galochas, carretos, linhas, anzis e chumbadas, e ia pescar sempre que podia, fizesse chuva ou sol. O problema era que nunca pescava nada. Mas o pescador no desanimava, porque sabia que h algo de muito especial em estar de cana na mo a olhar para o mar, espera que algo acontea. Mas um dia algo de especial aconteceu.

    2 Livro:

    O Segredo do Rio Um rapaz vive no campo e tem um peixe (uma carpa) como amigo. Mas esse com panhei r o d e conversas e de brincadeiras fica em perigo e precisa de abandonar aquele troo do rio, deixando o rapaz triste e sentindo imenso a

    falta do seu parceiro de todos os dias. Finalmente, o peixe regressa, trazendo tambm uma soluo para os problemas graves que dificultavam a vida da famlia do rapaz, o que permite que continuem a partilhar confidncias e brincadeiras e ainda um grande segredo.

    Alunos e Prof Aldina Mosca 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo Segundo

  • Pgina 19 O Mensageiro do Recorrente

    A Lambreta

    I Rapaziada isto agora

    que vai bem; Para tocar

    No preciso palheta. II

    Rapaziada ela chora, chora, chora Chora mais para andar na lambreta;

    III A lambreta no minha A lambreta no dela;

    Tenho a bicicleta Para passear com ela.

    Acompanhada

    I Acompanhada do motorista O coro 36; Cuidado, cuidado Porque o marido passa aqui.

    II Eu vi, eu vi a rapariga A tomar banho na praia do Calhau.

    III Acompanhada do motorista Cuidado, cuidado Porque o marido passa aqui.

    Aluno Joo da Silva Alves 1 Ciclo do EBR

    Centro de Dia do Canial

    A Viagem pelas mais belas Canes Tradicionais...

    Na casa dos nossos pais no havia condies como a casa onde vivemos agora. ramos nove irmos a viver e a dormir debaixo do mesmo tecto. As condies de higiene eram muito fracas e os alimentos por vezes tambm escasseavam. A nossa me chorava quando o pai gastava o dinheiro no jogo e no trazia alimentos para casa. A casa era muito pequena. Uma cozinha muito fraca, uma casa de banho improvisada e um quarto de dormir para ns todos.

    A casa dos nossos pais em Ribeira de Machico

    Aluna Teresa Gomes 1 Ciclo do EBR

    Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho

    Faz cinquenta anos que me apaixonei pela primeira vez. Conhecemo-nos no mar. Ele era pescador e eu sempre o esperava no calhau. No lhe falava. Ficava

    calada a olhar. Com os olhos enver-gonhados esperava que ele falasse. Passaram dias e nada. Nem um ace-no de mo. Naquela manh fui feliz quando me deu algumas lapas para levar para os meus pais. Corri para casa para entregar a oferta. Outro dia ganhei coragem e agradeci ao rapaz as lapas e outros peixes. Ele

    falou-me em namoro, em casamento chorei de ale-

    gria com tanto entusiasmo. Na hora combinada l foi ele a casa dos meus pais

    pedir consentimento: - Com a sua filha quero casar. De nada valeu a simpatia dele. Os meus pais nega-

    ram. Era pescador pobre. Responderam os meus pais.

    Triste, saiu espelhando palha desde a porta de meus pais at porta de casa dele.

    Este amor nasceu no mar e no mar ficou.

    Aluna Agostinha 1 Ciclo do EBR

    Centro de Dia do Canial

    Os pais eram exagerados ou as filhas no sabiam escolher o par?!

    Nos nossos tempos j nada disto acontece

  • Pgina 20 O Mensageiro do Recorrente

    Est a chegar a poca Natalcia e um Ano Novo j

    espreita. tempo de reflectir no que fizemos e no que ficou por fazer, de interiorizar apenas os momentos que serviram para nos engrandecer como Homens e Mulheres, de partilhar momentos e afectos para com aqueles que durante o ano no conseguimos estar como desejvamos. Aquele ditado que diz O Natal quando o Homem quiser s se concretiza no verda-deiro sentido nesta poca.

    Sabe se l porqu? Ser que durante o ano esta-mos adormecidos ou fazemo-nos de esquecidos?

    O Ser Humano difcil de entender.

    Prof Alexandra Marina Barros 1 Ciclo do EBR

    Lar Santa Isabel e Centro de Dia da Penteada

    O Natal ...

    Natal Para comemorar a poca da Festa, a turma do ensi-

    no recorrente da EB1/PE de So Jorge construiu algu-mas quadras:

    O Natal est a chegar, Vamos todos festejar. um dia para comemorar, E a famlia juntar. Bolo Rei, bolo de mel e licor na mesa vo estar, E a canja de galinha tambm no pode faltar. A rvore de Natal e a Lapinha a decorar, Temos todos os ingredientes para o Natal festejar. meia-noite na igreja vamos estar, Para a Missa do Galo presenciar. Muitas romarias vamos cantar, Para o nascimento do Menino Jesus celebrar.

    Muita Paz, Amor e Alegria nesse dia vai haver, E todos os momentos bons na mente vamos ter. Muitos presentes vamos receber. Vai ser um dia para nunca mais esquecer!

    Texto colectivo e Prof Carla Silva 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE de So Jorge

    Versos de Natal No cu h uma estrela a brilhar! O pinheiro vamos enfeitar. As prendas para dar Nada vai faltar!

    Aluno Fernando Rodrigues 1 Ciclo do EBR

    Associao do Desenvolvimento Comunitrio do Funchal

    Centro Comunitrio de Santo Ama-ro

    Os trs Reis Magos prendas vo dar. Ao menino Jesus nada vai faltar. Todos vo adorar!

    Aluno Fernando Rodrigues 1 Ciclo do EBR

    Associao do Desenvolvimento Comunitrio do Funchal Centro Comunitrio de Santo Amaro

  • Pgina 21 O Mensageiro do Recorrente

    A minha infncia

    Recordo-me como se fosse hoje, a menina pequena determinada e segura de si, sempre com a resposta pronta na ponta da lngua, que se fazia acompanhar do seu fiel escudeiro o ursinho com tromba de elefante, que infelizmente no resistiu s inmeras aventuras que vivemos juntos. Gostava de manter viva dentro de mim essa menina, para quem nada era impossvel e

    nenhum obstculo era suficientemente grande que no pudesse ser ultrapassado...a menina que no temia as agruras do mundo porque acreditava que havia um mundo lindo l fora espera para ser descoberto e conquistado.

    Eram os bons tempos em que acreditava que as pes-soas eram simples e boasInfelizmente, com o tempo aprende-se que afinal existem pessoas egostas, pobres de esprito que s se sentem felizes com a tris-teza alheia...Contudo, gostava de acreditar que ainda possvel ter um mundo melhor, e poder voltar a encar-lo como aquela menina que fui em tempos.

    Prof Carla Vieira 1 Ciclo EBR

    Centro de Dia do Canial e Estabelecimento Nossa Senhora do Bom Caminho

    MOMENTO DE REFLEXO

    Dia Mundial do No Fumador

    O tabaco proveniente de uma planta chamada Nicotina Tabacum. Nele encontramos, para alm da nicotina, outras substncias txicas.

    Os fumadores ficam viciados de tal forma que, mais tarde, quando querem deixar o tabaco, tm imensa dificulda-

    de.

    Os fumadores podem ter doenas graves, tais como a pneumonia e o cancro (do pulmo, da laringe, da faringe,

    esfago, boca, estmago, rins, etc.).

    Durante a gravidez, se a me fumar, o feto recebe as substncias txicas do cigarro atravs do cordo umbilical.

    Durante a amamentao, as substncias txicas do cigarro so transmitidas tambm para o beb atravs do leite

    materno.

    O cigarro interfere negativamente na concentrao, no raciocnio, no envelhecimento

    da pele, na queda de cabelos, no hlito, na cor dos dentes, no condicionamento fsi-

    co, etc.

    Na Europa, o fumo do tabaco responsvel por um milho e 200 mil mortes anuais

    Por tudo isto, no fume e convena todas as pessoas que o rodeiam a deixar este vcio!

    Texto colectivo Prof Carla Silva 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE So Jorge

  • Pgina 22 O Mensageiro do Recorrente

    CULINRIA

    Ingredientes: - 4 chvenas de ch de farinha; - 2 chvenas de ch de leite; - 2 chvenas de ch de acar; - 1/2 chvena de ch de leo; - 12 ovos inteiros; - 6 colheres de ch de fermento em

    p;

    - leo ou manteiga para a forma;

    - raspa de 2 limes;

    Mistura-se tudo muito bem e vai ao forno cerca de 40 minutos.

    Aluna Lucinda Henriques (81 anos)

    1 Ciclo do EBR Centro Social e Paroquial do Carmo

    O Bolo da Lucinda

    Bolo de Flocos de Aveia Ingredientes: - 2 chvenas de

    acar; - 1 chvena de

    flocos de aveia; - 1 chvena e

    meia de farinha de trigo; - 2 chvenas de leite; - 2 ovos; - 1/2 chvena de mel de cana;

    - 1 colher de sopa de manteiga;

    - 1/2 pacote de soda;

    - raspa de limo.

    Modo de Preparao:

    Misturam-se os flocos de aveia, a farinha, a soda e a raspa de limo numa tigela. Noutra tigela misturam-se muito bem o acar com os ovos inteiros e a manteiga. Ligam-se as duas misturas juntando-lhe aos pou-

    cos o mel e o leite. Ficando uma massa muito lquida.

    Coze, no forno, em lume brando numa forma untada com manteiga e forrada com papel vegetal durante cerca de 1h15m. Convm deixar arrefecer na forma antes de o desen-formar.

    Alunos e Prof Mara Esteves 1 Ciclo do EBR

    Complexo Habitacional do Ribeiro Leal

    Bolo de cenoura preto

    Ingredientes:

    - 1kg de cenoura cozida e ralada;

    - 3 chvenas de farinha;

    - 500 gr de acar;

    - 4 ovos;

    - 1 chvena de leo;

    - 4 colheres de ch de soda;

    - 3 colheres de ch de fermento Royal;

    - 3 colheres de ch de canela;

    - 2 dl de mel de cana;

    - 3 colheres de sopa de margarina.

    Modo de Preparao:

    Amassa-se a cenoura, os ovos e o leo; depois junta-se a farinha, o acar, o mel de cana, a soda, a canela, a margarina derretida e o fermento Royal. Vai a cozer em

    forma untada e forrada com papel vegetal no fundo.

    Alunos e Prof Mara Esteves 1 Ciclo do EBR

    Complexo Habitacional do Ribeiro Leal

    Creme de maracuj caramelizado Ingredientes: - 7 gemas; - 170 gr. de acar; - 150 gr. de polpa de maracuj;

    - 200 ml de leite; - 750 ml de creme de leite fresco - acar mascavado para cara-

    melizar (q.b.) Modo de preparao: Bata, no liquidificador, o maracu-

    j com o leite. Passe por uma peneira fina. Bata as gemas com o acar e acrescente o maracuj. Ferva o creme de leite e junte as

    gemas, mexendo at obter uma mistura homognea. Leve ao fogo, em banho-maria, e cozinhe at engrossar. Coloque nas tigelas e reserve no frigorfico. Na hora de servir, polvilhe com acar e cara-melize. Sirva imediatamente.

    Alunos e Prof Mara Esteves

    1 Ciclo do EBR Complexo Habitacional do Ribeiro Leal

  • Este bloco pode conter entre 150 e 200 pala-vras.

    Uma das vantagens de utilizar o boletim como veculo promocional o facto de poder reutili-zar contedos de outro material de marketing, tais como comunicaes imprensa, estudos de mercado e relatrios.

    Apesar de o objectivo principal da distribuio de um boletim ser a venda do produto ou ser-vio, o segredo para o sucesso de um boletim torn-lo til para os leitores.

    Um modo excelente de adicionar contedo til a um boletim desenvolver e escrever os seus prprios artigos, incluir um calendrio de acon-tecimentos futuros ou uma oferta especial que promova o produto.

    Tambm poder encontrar artigos para o bole-tim acedendo World Wide Web. Pode escre-ver sobre vrios tpicos, mas no crie artigos

    demasiado longos.

    Grande parte do contedo do boletim pode ser utilizado no Web site. O Microsoft Publi-sher fornece um modo simples de converter um boletim numa publicao da Web. Deste modo, quando tiver terminado de o escrever, pode convert-lo num Web site e public-lo.

    Aps ter seleccionado uma imagem, coloque-a perto do artigo. Certifique-se de que coloca a legenda perto da imagem.

    Este bloco pode conter entre 75 e 125 pala-vras.

    A seleco de imagens ou grficos uma parte importante da adio de contedo ao boletim.

    Pense no seu artigo e pergunte a si prprio se a imagem suporta ou melhora a mensagem que est a tentar transmitir. Evite seleccionar ima-gens que paream estar fora do contexto.

    O Microsoft Publisher inclui milhares de ima-gens de ClipArt que poder seleccionar e importar para o seu boletim. Existem ainda vrias ferramentas que poder utilizar para desenhar formas e smbolos.

    Para chamar a ateno do leitor,

    coloque uma frase interessante ou uma

    citao do bloco aqui.

    Alguns boletins incluem uma coluna que actualizada em todas as edies, tal como uma coluna de conselhos, uma crtica a livros, uma carta do presidente ou um editorial. Tambm poder apresentar novos funcionrios ou os melhores clientes ou fornecedores.

    Este bloco pode conter entre 100 e 150 pala-vras.

    Os temas que podem aparecer nos boletins so virtualmente ilimitados. Pode incluir histrias sobre tecnologias ou inovaes actuais na sua rea de negcios.

    Tambm poder indicar tendncias comerciais ou econmicas ou fazer previses para os seus clientes.

    Se o boletim for distribudo internamente, poder falar de novos procedimentos ou melhorias registadas na empresa. Os valores de vendas ou lucros indicaro o crescimento da empresa.

    Pgina 23 Ttulo do boletim

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Pgina 23 O Mensageiro do Recorrente

    Bolo de milho verde

    Ingredientes: - 8 maracujs; - 6 claras de ovos; - 1 lata de leite condensado; - 1 gelatina de tuti-fruti. Preparao: Colocar duas chvenas de

    gua a ferver e preparar duas de gua fria. Extrair a polpa dos maracujs e deitar nas duas

    medidas de gua fria, de segui-da adicionar gelatina, previa-mente dissolvida nas duas medi-das de gua quente. Deixar arrefecer. Depois, envolver tudo muito bem, mas manualmente para no desfazer as sementes do maracuj. Quando estiver bem frio, adicionar o leite con-densado e as claras batidas em castelo e envolver novamente.

    Levar ao frigorfico durante 30

    minutos. Aluna Ilda Gouveia

    1 Ciclo do EBR Associao de Desenvolvimento Comu-nitrio do FunchalCentro Comunitrio

    dos Viveiros

    Ingredientes: - 2 latas de milho verde; - 4 ovos; - 1 chvena de ch de leo de

    soja;

    - 2 chvenas de ch de acar; - 3 chvenas de ch de farinha

    de trigo; - 1 colher de sopa de fermento

    em p. Modo de preparao: 1) Bater no liquidificador o milho

    escorrido, os ovos e o leo. 2) Numa tigela, misture o a-

    car, a farinha de trigo e o fermento.

    3) Junte ento a massa batida aos ingredientes secos e misture bem.

    4) Coloque a mistura em uma forma com furo untada e enfari-nhada.

    5) Leve ao forno forte por 15 minutos, depois, abaixe o forno e deixe mais 25 minutos.

    Alunos e Prof Mara Esteves 1 Ciclo do EBR

    Complexo Habitacional do Ribeiro Leal

    Pudim de milho verde Ingredientes: - 1 lata de milho verde escorrido; - 2 ovos; - 1 chvena de ch de leite; - 1 chvena de ch de acar. Modo de preparao: 1) Bata todos os ingredientes no

    liquidificador.

    2) Despeje a mistura numa for-ma untada com margarina.

    3) Coza em banho Maria em forno forte por + ou - 40 minutos.

    4)4) Deixe esfriar, desenforme e sirva gelado.

    Alunos e Prof Mara Esteves

    1 Ciclo do EBR Complexo Habitacional do Ribeiro Leal

    Pudim de maracuj

    CULINRIA

    Castanhas Assadas Como se preparam as castanhas

    para assar? Molham-se (no tem que ser,

    mas ajuda a que o sal agarre). D-se um golpe em cada uma

    (retalhar). Pe-se sal. Pe-se um pouco de erva-doce

    (d um sabor muito bom). Pe-se dentro do fogareiro (ou

    num tabuleiro no forno, ou no calor de uma fogueira).

    Quanto tempo demoram as cas-tanhas a assar?

    Um quarto de hora, aproximada-mente.

    Alunos e Prof Aldina Mosca

    1 Ciclo do EBR EB1/PE Lombo Segundo

  • Este bloco pode conter entre 150 e 200 pala-vras.

    Uma das vantagens de utilizar o boletim como veculo promocional o facto de poder reutili-zar contedos de outro material de marketing, tais como comunicaes imprensa, estudos de mercado e relatrios.

    Apesar de o objectivo principal da distribuio de um boletim ser a venda do produto ou ser-vio, o segredo para o sucesso de um boletim torn-lo til para os leitores.

    Um modo excelente de adicionar contedo til a um boletim desenvolver e escrever os seus prprios artigos, incluir um calendrio de acon-tecimentos futuros ou uma oferta especial que promova o produto.

    Tambm poder encontrar artigos para o bole-tim acedendo World Wide Web. Pode escre-ver sobre vrios tpicos, mas no crie artigos

    demasiado longos.

    Grande parte do contedo do boletim pode ser utilizado no Web site. O Microsoft Publi-sher fornece um modo simples de converter um boletim numa publicao da Web. Deste modo, quando tiver terminado de o escrever, pode convert-lo num Web site e public-lo.

    Aps ter seleccionado uma imagem, coloque-a perto do artigo. Certifique-se de que coloca a legenda perto da imagem.

    Este bloco pode conter entre 75 e 125 pala-vras.

    A seleco de imagens ou grficos uma parte importante da adio de contedo ao boletim.

    Pense no seu artigo e pergunte a si prprio se a imagem suporta ou melhora a mensagem que est a tentar transmitir. Evite seleccionar ima-gens que paream estar fora do contexto.

    O Microsoft Publisher inclui milhares de ima-gens de ClipArt que poder seleccionar e importar para o seu boletim. Existem ainda vrias ferramentas que poder utilizar para desenhar formas e smbolos.

    Para chamar a ateno do leitor,

    coloque uma frase interessante ou uma

    citao do bloco aqui.

    Alguns boletins incluem uma coluna que actualizada em todas as edies, tal como uma coluna de conselhos, uma crtica a livros, uma carta do presidente ou um editorial. Tambm poder apresentar novos funcionrios ou os melhores clientes ou fornecedores.

    Este bloco pode conter entre 100 e 150 pala-vras.

    Os temas que podem aparecer nos boletins so virtualmente ilimitados. Pode incluir histrias sobre tecnologias ou inovaes actuais na sua rea de negcios.

    Tambm poder indicar tendncias comerciais ou econmicas ou fazer previses para os seus clientes.

    Se o boletim for distribudo internamente, poder falar de novos procedimentos ou melhorias registadas na empresa. Os valores de vendas ou lucros indicaro o crescimento da empresa.

    Pgina 24 Ttulo do boletim

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Legenda que descreve a imagem ou grfico.

    Pgina 24 O Mensageiro do Recorrente

    MOMENTO DE DESCONTRACO

    Adivinhas

    1-Qual a coisa, qual ela, Que cai das rvores redonda e vermelhinha Mas s vezes pode ser verde ou amarelinha? 2-Sou um fruto de Outono. Quando chego a amadurecer, dou um trabalho ao dono se ele me quiser comer.

    Adivinhe!

    3- Alto foi meu nascimento De senhora recolhida; Ca abaixo, tamanha queda dei, Que a minha casa no voltei?

    4- Se me rio, de mim sai uma donzela, Mais donzela do que eu Ela vai com quem a leva, Eu fico com quem me deu?

    Solues:

    Alunos e Prof Alexandra Ferreira

    1 Ciclo do EBR EB1/PE Cmara de Lobos

    1-Qual a coisa qual e ela, Tem trs capas de Inverno

    A segunda lustrosa

    A terceira amargosa?

    2-Tenho camisa e casaco

    Sem remendo nem buraco

    Estoiro como um foguete

    Se algum no lume me mete?

    3-Tem casca bem guardada

    Ningum lhe pode mexer

    Sozinha ou acompanhada

    Em Novembro nos vem ver?

    Solues:

    Alunos e Prof Aldina Mosca 1 Ciclo do EBR

    EB1/PE Lombo Segundo

    Rima

    Em Outubro apanhamos as castanhas

    So boas assadas, fritas ou cozidas

    Eu c gosto delas assadas

    Mas tambm podem ser acompanhadas.

    Aluno Joo de Abreu (79 anos)

    1 Ciclo do EBR Centro de Dia da Penteada e Lar Santa Isabel

    Pensamento

    Ser idoso

    lutar para continuar a realizar sonhos

    Alunas Merita (70 anos) e Isabel Jesus (75 anos) 1 Ciclo do EBR Centro de Dia da Penteada e Lar Santa Isabel

    1- ma, 2- noz, 3- castanha, 4- ourio) 1-Castanha; 2-Castanha; 3-Castanha