Click here to load reader

4846801 neuropsicologia

  • View
    4.046

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of 4846801 neuropsicologia

  • 1. NEUROPSICOLOGIA PROF. PAULO BREGOLIN

2. A neuropsicologia um campo do conhecimento interessado em estabelecer as relaes existentes entre o funcionamento do SNC, por um lado, e as funes cognitivas e o comportamento, por outro, tanto nas condies normais quanto nas patolgicas.Ela tem natureza multidisciplinar, apoiando-se em fundamentos da Neurocincia e da Psicologia. 3. O neuropsiclogo atua, principalmente, na avaliao e no tratamento das conseqncias de disfunes do sistema nervoso. Essas disfunes, por sua vez, podem estar relacionadas ao desenvolvimento anormal do SN ou ser adquiridas ao longo da vida. 4. O desenvolvimento dos pilares da neuropsicologia ocorreu ao longo de vrios sculos, partindo da busca pela compreenso sobre a relao entre o organismo e os processos mentais at o estgio atual, em que buscamos compreender como o SN modula nossas funes cognitivas, comportamentais, motivacionais e emocionais. 5. Esclarecer como o corpo se relaciona com os processos mentais e comportamentais. Localizar a alma no corpo humano. 6. HISTRIA:

  • Crnios trepanados para liberar maus espritos;
  • Na antiguidade, mente associada ao corao;
  • Aristteles, no corao estaria a base da mente, enquanto o crebro seria uma espcie de radiador, com a funo de resfriar a temperatura do sangue;
  • Galeno; a leses cerebrais so atribudas alteraes da personalidade, do comportamento e da capacidade de raciocnio;

7. HISTRIA:

  • Para Galeno, pelos ventrculos circulavam espritos, derivados do processamento dos alimentos no fgado e na corrente sangunea;
  • Ren Descartes(1596-1650), mente adimensional e imaterial interagindo com o corpo atravs da glndula pineal, capaz de controlar comportamentos;

8. HISTRIA:

  • Andreas Vesalius (1514-1564), o que diferenciava humanos de outros animais era o volume de tecido cerebral.

9. Crebro responsvel pelos processos mentais:1700-1800

  • HOLISTAS: no haveria especificidade regional no crebro, atua controlando o comportamento como um todo.
  • LOCALIZACIONISTAS: o crebro atua de forma fragmentada, cada uma das regies seria responsvel por uma funo mental e comportamental especfica.

10. Pierre Flourens(1794-1867), concluiu que no importa a rea da leso, mas a quantidade de material cerebral lesionado; qualquer rea do crebro poderia assumir, com ou sem reduo de sua eficincia, funes que estavam em outra rea danificada. 11. Paul Broca (1824-1880), leses frontais no hemisfrio esquerdo com comprometimento da fala. Carl Wernicke (1848-1904), leso no crtex cerebral do hemisfrio esquerdo com comprometimento da compreenso da linguagem. 12. ALEKSANDR LURIA (1902-1977) Distingui-se no crebro 3 sistemas funcionais: 13. O primeiro regula a viglia e o tnus cortical -> sistema reticular e sistema lmbico; 14. O segundo se encarrega de receber, processar e armazenar as informaes que chegam do mundo externo e interno e est situado em reas do crtex cerebral localizadas posteriormente ao sulco central, organizadas em reas corticais primria, secundria e tercirias. 15. O terceiro sistema regula e verifica as estratgias comportamentais e a prpria atividade mental, constitudo pelo crtex cerebral situado nas regies anteriores do crebro e organiza-se em reas corticais primria, secundria e terciria.